SO - Linux - Comandos

Um dos comandos mais cobrados em prova de concursos é o TAR.

TAR ou tar (abreviatura de Tape ARchive), é um formato de arquivamento de arquivos (ficheiros). Apesar do nome "tar" ser derivado de "tape archive", o seu uso não se restringe a fitas magnéticas. Ele se tornou largamente usado para armazenar vários arquivos em um único, preservando informações como datas e permissões. Normalmente é produzido pelo comando "tar". É suportado pelo programa Winrar.

tar também é o nome de um programa de arquivamento desenvolvido para armazenar e extrair arquivos de um arquivo tar (que contém os demais) conhecido como tarfile ou tarball. O primeiro argumento para tar deve ser uma das seguintes opções: Acdrtux, seguido por uma das seguintes funções adicionais. Os argumento finais do tar são os nomes dos arquivos ou diretórios nos quais eles podem ser arquivados. O uso de um nome de diretório, implica sempre que os subdiretórios sob ele, serão incluídos no arquivo.

Usando o TAR

O que o GZIP não consegue fazer, o TAR (Tape ARchives) faz. Ele é um aplicativo capaz de armazenar vários arquivos em um só. Porém, não é capaz de compactar os arquivos armazenados. Como é possível notar, o TAR serve de complemento para o GZIP e vice-versa. Por isso, foi criado um parâmetro no TAR para que ambos os programas possam trabalhar juntos. Assim, o TAR "junta" os arquivos em um só. Este arquivo, por sua vez, é então compactado pela GZIP. Quando ocorre o trabalho conjunto entre TAR e GZIP, o arquivo formado tem a extensão tar.gz.

O TAR também consegue gravar a propriedade e as permissões dos arquivos. Ainda, consegue manter a estrutura de diretórios original (se houve compactação com diretórios), assim como as ligações diretas e simbólicas.

A síntaxe do TAR é : tar [parâmetros] [-f arquivo] [-C diretório] [arquivos...].

Abaixo, segue a lista de parâmetros.

Parâmetros:

* -c - cria um novo arquivo tar;
* -M - cria, lista ou extrai um arquivo multivolume;
* -p - mantém as permissões originais do(s) arquivo(s);
* -r - acrescenta arquivos a um arquivo tar;
* -t - exibe o conteúdo de um arquivo tar;
* -v - exibe detalhes da operação;
* -w - pede confirmação antes de cada ação;
* -x - extrai arquivos de um arquivo tar;
* -z - comprime o arquivo tar resultante com o gzip;
* -f - especifica o arquivo tar a ser usado;
* -C - especifica o diretório dos arquivos a serem armazenados.


Exemplos

A seguir mostramos exemplos de utlização do TAR. Em alguns parâmetros o uso de '-' (hífen) não é necessário. Desta vez, os comandos não serão explicados. Execute-os e descubra o que cada um faz. Repare na combinação de parâmetros e tente entendê-la. Assim, você saberá exatamente o que está fazendo. Bom aprendizado!

* Para compactar arquivos no formato TAR.GZ usando use:
tar -zcvf arquivos.tar.gz arquivos/

* Para compactar arquivos no formato TAR.BZ2 usando use:
tar -jcvf arquivos.tar.bz2 arquivos/

* Para descompactar arquivos no formato TAR.GZ, no diretório corrente:
tar -zxvf arquivos.tar.gz

* Para descompactar arquivos no formato TAR.BZ2, no diretório corrente:
tar -jxvf arquivos.tar.bz2

* Outros exemplos
tar -c pasta > arq.tar
tar -cvf arq.tar arq1 arq2
tar -cvf /dev/fd1 /dir1/*
tar -cvMf /dev/fd1 /dir1 /dir2/subdir /dir3
tar -c -v -f arq.tar *.ext
tar cwf arq.tar pasta
tar -czvf /pasta/arq.tgz *
tar czwf arq.tar.gz -C /dir1 arq1 -C /dir2 arq2 arq3
tar -rf arq.tar arq*
tar -tf arq.tar
tar -xv -f arq.tar
tar xvMf /dev/fd0
tar xf arq.tar pasta/arq1
tar xzvf /pasta/subdir/arq.tar.gz
tar -xzwf arq.tgz
tar -xzvf arq.tar.gz -C /home/restaurado (descompacta os arquivos no diretorio especificado)

Tape Archive
extensão: .tar
MIME: application/x-tar
Tipo de formato: arquivo
Arquivado por: gzip, bzip2
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016