CMMI

o que precisa ser feito para se alcançar os níveis de capacidade de uma AP?

Obrigado.



Não seria isso:
1. Cumprir as metas específicas daquela AP;
- Para cumprir as metas específicas você poderá utilizar as práticas específicas daquela SG;

2. Cumprir as metas genéricas aplicáveis ao nível de capacidade esperado.
- Para cumprir as metas genéricas você poderá utilizar as práticas genéricas correspondentes

vou adicionar algumas dúvidas:

a) A versão 1.2 muda a forma de se verificar isso?

b) As práticas (tanto genéricas como específicas) não são requisitos, certo? Elas somente são indicativos de como você pode chegar lá, afinal é um modelo prescritivo. Pode-se definir dessa forma? (eu já to misturando tudo com cobit ... Sad )

c) Qual a diferença de cumprir uma AP na repres. contínua x repres. por estágios. Como aquelas "common features" afetam essa diferença?

Abraços

A explicação está correta, os critérios para que uma AP alcance um nível X de capacidade são esses mesmos.

Quanto às outras dúvidas:

a) A versão 1.2 é simplesmente a versão 1.1 SW/SE/SS, ou seja, passam a fazer parte do modelo básico do CMMI Development as disciplinas de engenharia de software, engenharia de sistemas e contratação de terceiros. Só o IPPD fica como opcional.

b) É isso mesmo. No CMMI apenas as metas são elementos obrigatórios. As práticas são elementos esperados, ou seja, você pode substituí-las por outras que cumpram a mesma finalidade. Todo o restante do modelo é considerado apenas informativo.

c) Na prática não há nenhuma diferença relevante. O que as common features fazem é apenas agrupar as GG e GP de uma forma diferente. Além disso, na representação por estágios não aparecem as GG de nível 4 e 5, uma vez que não é exigido que nenhum processo alcance esse nível de capacidade, mesmo nos níveis de maturidade 4 e 5.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016