Atualidades - 11/09/08

MANCHETES DOS JORNAIS
Folha de SP = PIB cresce 6% com investimento recorde
O Globo = Bolívia: explosão em gasoduto reduz fornecimento ao Brasil
O Estado de SP = Investimento puxa alta de 6,1% no PIB
Jornal do Brasil = Chegam ao Rio 3.500 soldados para eleição
Correio Braziliense = Agora, sim...o espetáculo do crescimento
Estado de Minas = Vamos, enfim, ter espetáculo?
Valor Econômico = Demanda interna no país já cresce em ritmo chinês
Gazeta Mercantil = PIB em alta e descoberta no pré-sal reanimam a semana
Zero Hora (P.Alegre) = Fenômeno devastador
A Tarde (Salvador) = Polícia prende o 7º advogado
O Povo (Fortaleza) = Delegacia anti-seqüestro está sendo investigada
Jornal da Tarde (SP) = Justiça manda soltar a tropa de choque do PCC
Diário Catarinense (Florianópolis) = Explosão em gasoduto boliviano reduz em 10% abastecimento ao Brasil
Jornal de Brasília = Nova regra facilita aquisição de imóvel
Gazeta do Povo (Curitiba) = Decisão do STJ sobre grampo prolongado vai brecar 50 investigações
Diário de S. Paulo = Veja o que muda na lei do consórcio
Jornal do Commercio (Recife) = Crédito mais difícil



11 de setembro de 2008
O Globo



Manchete: Bolívia: explosão em gasoduto reduz fornecimento ao Brasil

Uma explosão atribuída a um atentado contra um gasoduto na Bolívia, no qual a Petrobras tem participação, já provocou a redução de 13% do envio de gás natural para o Brasil, num dos mais graves episódios da crise que opõe o governo de Evo Morales a Estados autonomistas. A explosão ocorreu perto da cidade de Yacuíba, no Sul da Bolívia, quando manifestantes anti-Morales tetavam sabotar uma válvula do gasoduto, de onde sai a maioria do gás para São Paulo. Segundo o ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, a perda para o Brasil deverá ser de cerca de 4 milhões de metros cúbicos por dia, mas não deve haver problemas de abastecimento graças às reservas brasileiras e à adoção de um plano de contingência pela Petrobras. Em meio à crise, Morales ordenou a expulsão do embaixador dos EUA, acusando-o de apoiar a oposição. (págs. 1 e 35 a 37)

PIB vai a 6,1%; BC, dividido, sobe juros

O aumento da taxa de investimento, os gastos de governos e a agropecuária fizeram o Produto Interno Bruto (conjunto de bens e serviços produzidos no país) crescer 6,1% no segundo trimestre na comparação com o mesmo período de 2007, acima das previsões mais otimistas. Bancos, empresários e governo esperam expansão de até 5,5% este ano. Por 5 votos a 3, o BC subiu os juros em 0,75 ponto, para 13,75%.(págs. 1, 27 a 33 e editorial 'PIB alentador')

Delegado mentiu à CPI sobre Abin

O delegado da PF Protógenes Queiroz mentiu à CPI ao negar a participação institucional da Abin na Operação Satiagraha. A Abin cedeu 56 servidores e gastou R$ 250 mil na operação, segundo seu diretor de Contra-Inteligência. A CCJ do Senado aprovou projeto que aumenta a pena por escuta ilegal. (págs. 1 e 14 a 16)

Nova descoberta no pré-sal quase dobra reservas (págs. 1 e 34)



Tropas iniciam operação eleição

Começa hoje a ocupação militar itinerante de 27 comunidades onde as eleições estão ameaçadas pela milícia ou pelo tráfico. (págs. 1 e 3)

Detro tirou das ruas 14 mil vans piratas

A fiscalização do Detro, que quatro candidatos a prefeito do Rio querem rever, já retirou das ruas da cidade cerca de 14 mil vans irregulares, reduzindo o número de veículos piratas em circulação de 20 mil para 6 mil. Foram registradas na capital 23.960 infrações, ou 74% do total do estado. (págs. 1 e 4)


Eleições 2008 - ' É necessário conter as favelas'

Candidato a prefeito do Rio, o deputado federal Fernando Gabeira (PV/PSDB/PPS) defendeu ontem, em sabatina no Globo, a contenção das favelas e a regularização fundiária dessas regiões. "Uma das saídas é a libertação da cidade de milícias e tráfico de drogas", afirmou. Ele quer recuperar a zona portuária com a ajuda da iniciativa privada. Mas avisa: "Tem que ter o envolvimento da cidade e não tem jeito em quatro anos". (págs. 1, 10 e 11)

Eleições 2008 - Candidatos insistem em ocultar doadores

Só Gabeira, Chico Alencar e Molon apresentaram os nomes de seus doadores. Os demais ocultaram a informação. (págs. 1 e 5)

Eleições 2008 - Alckmin é forçado a trocar de publicitário

O tucano Geraldo Alckmin perdeu o publicitário de sua campanha, impedido de criticar a gestão de Gilberto Kassab. (págs. 1 e 13)

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo



Manchete: PIB cresce 6% com investimento recorde

Puxado por investimento recorde, agropecuária e aceleração dos gastos públicos, o PIB (Produto Interno Bruto) do segundo trimestre do ano cresceu 6,1% em relação ao mesmo período de 2007. A aceleração foi 1,6% superior à do primeiro trimestre. Segundo o ministro Guido Mantega (Fazenda), a performance levou à reestimativa oficial de crescimento de 5% para até 5,5% no ano. Os investimentos do setor produtivo, que garantem a oferta futura de bens e serviços e reduzem pressões inflacionárias, foram o carro-chefe do crescimento: com alta de 16,2% no trimestre, atingiram o maior patamar da série histórica do IBGE, que começou em 1996. Foi o 18º trimestre consecutivo de alta nos investimentos, e há cinco trimestres a taxa supera 14%. Os investimentos em máquinas e equipamentos foram também responsáveis por alta nas importações. Para o economista Luiz Gonzaga Belluzo, conselheiro informal do presidente Lula, apesar do desempenho animador, já há sinais de desaquecimento. "O Brasil vai ter que atravessar um período de ajustamento, no tempo que durar a recessão global', afirma. (págs. 1 e Dinheiro)

Governo afirma que vai exigir diesel mais limpo em 2009

O ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) disse que a resolução que exige a oferta de diesel mais limpo e motores adequados a partir de 2009 terá que ser cumprida. Minc descartou a possibilidade de aumentar prazo para montadoras e a Petrobras cumprirem a resolução. A Petrobras afirmou que investe na produção do combustível. A Anfavea, que representa as montadoras, não se manifestou. (págs. 1 e C6)



Dividido, BC sobe juro em 0,75% ponto

(págs. 1 e B7)

Artigo: Paulo Nogueira Batista Jr.

Brasileiro desconfia de boa notícia, mas economia melhorou: Desde o ano passado, vem ocorrendo uma aceleração gradual da economia. Todos os macrossetores estão crescendo de forma respeitável. Brasileiro desconfia de boa notícia. E com razão. Ficamos todos mais ou menos traumatizados pelos choques e frustrações que o país experimentou durante quase 25 anos. (págs. 1 e B2)

Justiça bloqueia fundo de Dantas

A Justiça Federal de SP ordenou bloqueio de fundo de investimentos de R$535,8 milhões de Daniel Dantas e outras quatro pessoas. O Coaf considerou operações do Grupo Opportunity, de Dantas, "irregulares no mercado financeiro", relata Lílian Christofoletti. Diretor de departamento da Abin afirmou em CPI que 52 agentes trabalharam com a PF na operação que prendeu Dantas. (págs. 1 e Brasil)

Atentado na Bolívia afeta gás no Brasil

Uma explosão rompeu trecho do duto que leva gás da Bolívia ao Brasil na conturbada região de Chaco. A empresa que administra o duto, a Transierra , com participação da Petrobras, investiga as causas, mas o governo de Evo Morales acusa oponentes de "atentado terrorista" contra o gasoduto. A Bolívia mencionou redução de 3 milhões de metros cúbicos de gás, ou 10% da quantidade diária enviada ao Brasil – informação confirmada pela Petrobras. Em nota, o governo brasileiro afirmou que se solidariza com Morales e "lamenta o recrudescimento dos atos de desacato às instituições e à ordem legal". Acusado por Morales de conspirar com opositores, o embaixador americano, Philip Goldberg foi expulso do país. Diplomacia americana afirma que a expulsão foi "grande erro". (págs. 1 e Mundo)

Editoriais

Leia "Alta velocidade", sobre crescimento do PIB; e "Expectativa cósmica", acerca de acelerador de partículas. (págs. 1 e A2)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo



Manchete: Investimento puxa alta de 6,1% no PIB

A força da economia brasileira surpreendeu os analistas e o PIB cresceu 6,1% no segundo trimestre de 2008, na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados ontem pelo IBGE. O resultado ficou acima da maioria das previsões. Os números são igualmente expressivos quando se leva em conta o comportamento da economia num período mais longo. Nos quatro últimos trimestres, a expansão do PIB foi de 6%. Trata-se da maior alta em 12 meses desde 1996. O bom desempenho animou o governo, que reviu para mais de 5% a previsão de crescimento para este ano. "Teremos um excelente Natal para as famílias", disse Guido Mantega. Os empresários também ficaram otimistas. A Fiesp elevou sua projeção de crescimento em 2008 de 4,8% para 5,4%. O avanço do PIB vem sendo impulsionado pela ampliação dos investimentos, o que garante efeitos de mais longo prazo na economia. No segundo trimestre, as aplicações subiram nada menos que 16,2%, em comparação com 2007. As estatísticas do BNDES confirmam o avanço do financiamento para a produção de máquinas e equipamentos industriais. Só para a fabricação de caminhões, em 12 meses houve ampliação de 48% na aprovação de crédito. (págs. 1 e B1 a B6)

BC racha, mas juro sobre 0,75 ponto

...Dividido, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu elevar a taxa básica de juros em 0,75 ponto percentual, para 13,75% ao ano. Foi a quarta alta seguida. Na reunião de ontem, porém, não, houve unanimidade de votos. Após três horas de discussão, três dos oito diretores do Copom preferiram um avanço mais modesto, de 0,50 ponto. A decisão acabou confirmando as expectativas no mercado financeiro: de 55 analistas consultados pela Agência Estado, 54 apostavam que o Banco Central repetiria a dose dada em julho. Industriais criticaram a decisão. (págs. 1 e B8)

Notas e informações: Crescimento firme

A economia brasileira manteve um firme crescimento no segundo trimestre, apesar da crise internacional, da menor expansão das potências do mundo rico e do aumento de juros.(págs.1 e A3)

Oposição boliviana explode gasoduto

A tensão entre o governo de Evo Morales e a oposição boliviana cresceu após a explosão de um gasoduto, causada por manifestantes. A ação, chamada de "terrorista" pela estatal YPFB, cortou 10% do gás para o Brasil. Para o Itamaraty, Evo não age porque não tem apoio dos militares. (págs. 1, A18 e A19)

Petrobras tem novo supercampo

...A Petrobras informou que o campo de Iara, localizado na Bacia de Santos, tem reservas de até 4 bilhões de barris de petróleo e gás do tipo mais valorizado. Só o Campo de Tupi é maior. (págs. 1 e B10)

Tecnologia: Brasil fica para trás em inovação (págs. 1 e A23)



R$ 545 milhões bloqueados no Opportunity

O juiz Fausto De Sanctis, da 6ª Vara Federal de São Paulo, bloqueou R$ 545,79 milhões do Opportunity. O Coaf, que controla atividades financeiras, identificou movimentações "suspeitas de lavagem de dinheiro" que envolveriam Daniel Dantas, controlador do banco, e Dorio Ferman, presidente. "Há um quadro de perseguição contra Dantas", reagiu Nélio Machado, advogado do banqueiro. Protógenes Queiroz, que liderou a operação da PF contra Dantas, disse que recebeu 250 caixas de documentos da Justiça americana sobre a suposta participação do banqueiro na espionagem de sócios em empresas telefônicas. (págs. 1, e A4 a A7)

No PSDB, 'fogo amigo' acirra crise (págs. 1 e A16)



Protógenes usou 52 agentes da Abin

...Revelação foi feita na CPI dos Grampos por Paulo Maurício Pinto, ex-diretor da Abin. (págs. 1 e A7)

'Tropa de choque' do PCC é solta por decisão do STF

Nove membros da 'tropa de choque' do PCC obtiveram habeas corpus no STF e vão deixar a cadeia, informa o repórter Marcelo Godoy. Presos há quatro anos, eles não foram julgados. O processo atrasou por falta de escolta policial para levá-los para a audiência judiciais. (págs. 1, C1 e C3)


Artigo: Pesquisa na internet

Fernando Reinach: Estudo mostra que a digitalização fez a erudição diminuir. (págs. 1 e A2)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Brasil



Manchete: Chegam ao Rio 3.500 soldados para eleição

Um exército de 3.500 soldados desembarca hoje no Rio e deflagra a Operação Guanabara. Os integrantes das Forças Armadas começam a trabalhar com a ocupação de sete comunidades, tendo como missão garantir a segurança dos moradores, da imprensa e dos candidatos durante a fase final da campanha eleitoral. Até 4 outubro, em sistema de rodízio, a tropa se dividirá entre 27 favelas controladas pelo crime organizado. (págs. 1 e Eleições A6)

Economia cresce 6% no semestre. E BC impõe mais juros

Superando as previsões, a economia cresceu 6,1% no segundo trimestre, fechando o semestre com 6% de alta em relação a 2007. Os investimentos em produção também surpreenderam e atingiram um patamar recorde. Mas o Banco Central insiste em enxergar risco no horizonte e aumentou os juros em 0,75 ponto percentual. (págs. 1, Economia A20 e A21)

Pré-sal tem mais um megacampo

A Petrobras informou que o campo de Iara, no pré-sal da bacia de Santos, tem reserva estimada de 3 a 4 bilhões de barris de petróleo. Somado ao vizinho megacampo de Tupi, levam as reservas para 12 bilhões de barris. Ao todo, o país tem 13,9 bilhões. (págs. 1 e Economia A22)

Ataque reduz 10% do gás da Bolívia que chega ao Brasil

A explosão de um gasoduto boliviano vai reduzir em 10% (ou 3 milhões de metros cúbicos por dia) o envio de gás ao Brasil durante 15 a 20 dias. O presidente Evo Morales expulsou o embaixador dos EUA, Philip Goldberg, acusando-o de "buscar a divisão da Bolívia". (págs. 1 e Economia A22)

Grampo leva PF a investigar PF

Dois delegados da Polícia Federal foram enviados a São Paulo para ouvir policiais, cruzar os registros armazenados no sistema de grampo telefônico conhecido por Guardião e concluir se partiu dali a escuta no gabinete do presidente do STF, Gilmar Mendes. (págs. 1 e A11)

Candidatos poupam Cesar no esporte

Alvo de intensas críticas dos candidatos à sua sucessão, o prefeito Cesar Maia escapa na área esportiva. Projetos das vilas olímpicas em comunidades carentes serão mantidos. (págs. 1 e Eleições A10)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense



Manchete: Agora, sim...o espetáculo do crescimento

Nem o mais otimista dos analistas esperava tanto. No primeiro semestre, o Produto Interno Bruto brasileiro cresceu impressionantes 6% em termos anualizados. O ritmo frenético da economia, desta vez, não esteve ancorado nos gastos do governo. O consumo das famílias saltou 6,7% no segundo trimestre e os investimentos, nada menos do que 16,2%. A produção agrícola se expandiu 7,1%, a reboque das grandes safras de café, arroz e soja. Preocupado com o efeito sobre os preços, o Banco Central voltou a elevar a taxa de juros em 0,75 ponto percentual, fixando a Selic em 13,75% ao ano. (págs. 1, 18 e 19)

Araponga teve acesso a papéis secretos em operação da PF

O ex-espião Francisco Ambrósio do Nascimento, identificado como responsável pelo grampo sobre o presidente do STF, manuseou documentos sigilosos da Operação Satiagraha a pedido do delegado
Protógenes Queiroz. (págs. 1 e 3 a 6)

No Senado: Pizza à Efraim sai do forno

Corregedor do Senado, Romeu Tuma (PTB-SP) nada viu que pudesse comprometer o colega Efraim Morais (DEM-PB). (págs. 1 e 2)

Explosão corta gás boliviano (págs. 1, 30 e 31)



------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico



Manchete: Demanda interna no país já cresce em ritmo chinês

O ritmo acelerado do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre já provocou uma revisão para cima nas projeções para a evolução da economia em 2008 e também em 2009. Neste ano, os economistas prevêem que o PIB pode repetir o desempenho do ano passado e ficar próximo a 5,4%. Para 2009, as estimativas ficam em torno de 3,5%. Quem esperava menos, reviu a taxa para cima e quem pretendia reduzir a taxa em função do aperto da política monetária - ontem, o Copom elevou novamente a taxa Selic em 0,75 ponto percentual, para 13,75% ao ano - decidiu mantê-la nesse nível.

O PIB do segundo trimestre cresceu 6,1% sobre igual período do ano passado e 1,6% sobre os primeiros três meses deste ano, segundo o IBGE. O consumo das famílias e do governo e o investimento mantiveram um ritmo chinês nos últimos quatro trimestres. Com alta de 8,4%, a demanda interna puxou o crescimento de 6% do Produto Interno Bruto (PIB) no semestre, em relação aos primeiros seis meses de 2007.

Mais otimista e sem acreditar em contágio da crise externa, o governo espera que esses dados tenham uma influência ainda maior em 2009. Na avaliação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, o forte desempenho do PIB no segundo trimestre - ancorado em uma alta de 16,2% no investimento sobre igual trimestre de 2007 - garante uma evolução de 4,5% para o PIB de 2009. Segundo ele, crescimento com queda de inflação é sinal da boa composição do atual crescimento brasileiro. Com esse resultado, a taxa de investimento sobre o PIB ficou em 18,7%, a maior já registrada para um segundo trimestre desde 2000, início da série histórica do IBGE.

O consumo das famílias, com peso de cerca de 60% no PIB, continuou em nível elevado, mas desacelerou ligeiramente e passou de 6,9% para 6,7% entre o primeiro e o segundo trimestres, na comparação com igual período do ano anterior. Esse ritmo forte - que sancionou aumentos de preços nos últimos meses na avaliação do Copom - justificou as preocupações da autoridade monetária, que ontem decidiu por novo aumento dos juros. Desta vez, não houve unanimidade entre os diretores do BC: cinco votaram por 0,75 ponto e três, por 0,50. (págs. 1, A3, A4 e C1)

Lula tenta mediar conflito na Bolívia

Um trecho do gasoduto boliviano que traz gás ao Brasil foi danificado ontem por uma explosão. Segundo o governo do presidente Evo Morales, a explosão - provocada por grupos radicais de oposição que nos últimos dias intensificaram os protestos em vários pontos do país - poderá levar a uma redução de 10% no fornecimento ao mercado brasileiro.

O presidente Lula, por meio do Itamaraty, ofereceu ajuda para tentar uma aproximação entre os dois lados, mas nem governo nem oposição se mostraram abertos a uma mediação. Autoridades brasileiras acreditam que a tensão vai prosseguir nos próximos dias.

O presidente interino da estatal boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), Santos Ramírez, disse que "o atentado terrorista" provocará redução de 3 milhões de metros cúbicos por dia no fluxo de gás ao Brasil. A Bolívia produz 40 milhões metros cúbicos diários, dos quais 30 milhões são destinados ao Brasil – entre 6 e 7 milhões vão para o mercado interno e o resto para a Argentina. Segundo Ramírez, o governo levará 20 dias para reparar a tubulação.

Apesar de Evo Morales ter denunciado os protestos como "o início de um golpe de Estado", nem autoridades brasileiras nem analistas na Bolívia corroboram essa tese. Há, sim, uma falência político-institucional do país. Sem Congresso e Judiciário operantes, parte da oposição viu as ruas como a melhor forma de pressionar Morales a negociar. (págs. 1 e A11)

Lula quer vice do PMDB para Dilma

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva está empenhado na indicação de um vice do PMDB para a chapa de sua candidata preferida à Presidência, Dilma Rousseff. Lula já falou do assunto com integrantes da cúpula pemedebista, ministros e governadores, que entendem da mesma maneira as razões do presidente: trata-se de uma aliança lógica, tanto do ponto de vista da governabilidade quanto eleitoral. No PMDB, o tema é visto com cautela, em razão do tempo até as eleições presidenciais. Caciques do partido desconfiam do PT e dizem que não se sentem obrigados a nada em 2010. (págs. 1 e A14)

Pré-sal

A Petrobras estima reservas recuperáveis entre 3 bilhões e 4 bilhões de barris de petróleo leve e gás no campo de Iara, na Bacia de Santos, cuja descoberta foi anunciada no início de agosto. O poço faz parte do mesmo bloco onde se encontra o campo de Tupi. (págs. 1 e A5)

STJ restringe grampos

Decisão da 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça anulou sentença criminal condenatória dos antigos sócios da Sundown baseada em provas obtidas por meio de escutas telefônicas que duraram quase dois anos. A ação será novamente julgada em 1ª instância. (págs. 1 e E2)

Inércia de Congresso pode levar ao desaparecimento de 57 municípios (págs. 1 e A9)



Investimentos em aço somam US$ 64 bi

Há 46 projetos siderúrgicos em fase de estudos ou implantação no Brasil até 2012, dos quais 24 são novas usinas. Os investimentos previstos somam US$ 64 bilhões. Desse total, 20% estão em execução, 10% aprovados, 55% em estudo de viabilidade e 6% foram suspensos temporariamente.

Os dados são de levantamento da filial brasileira da SMS Demag, grupo alemão que é um dos líderes globais na produção de equipamentos e tecnologia para a indústria do aço. O empreendimento de maior porte é a usina da Techint, no litoral do Rio, estimado em US$ 10 bilhões e ainda em fase de avaliação. (págs. 1 e B7)

Justiça bloqueia fazenda e garante dívidas da Vasp

O pagamento de metade da dívida que a Vasp tem com seus ex-funcionários já está garantido. A Justiça do Trabalho determinou o bloqueio dos bens da Agropecuária Vale do Araguaia, de propriedade do ex-controlador da companhia aérea, Wagner Canhedo - e da decisão não cabe mais recurso. A empresa é dona da Fazenda Piratininga, um enorme complexo agropecuário de 135 mil hectares ao norte de Goiás avaliado em R$ 421 milhões.

A decisão foi tomada em ação do Ministério Público do Trabalho que tramita desde 2005 e garante aos funcionários o recebimento dos créditos independentemente do rateio que deverá ser feito entre todos os credores da empresa - como fornecedores e bancos - se a falência da Vasp, decretada nesta semana, for mantida pela Justiça. (págs. 1, E1 e E2)

Gargalo logístico

Com exportação recorde de 623 milhões de litros de álcool no mês passado, a capacidade de escoamento dos portos brasileiros aproxima-se do seu limite. Dois grandes projetos para ampliar a infra-estrutura ainda engatinham. (págs. 1 e B12)

Indústria química

Apesar da queda de 5,7% em volume em relação ao mês anterior, a importação de produtos químicos em agosto registrou o recorde de US$ 3,6 bilhões, alta de 2,4%, reflexo do aumento dos preços no mercado internacional. No ano, as importações já somam US$ 22,7 bilhões. (pág. 1)

------------------------------------------------------------------------------------
Gazeta Mercantil



Manchete: PIB em alta e descoberta no pré-sal reanimam a semana

A economia brasileira cresceu 6,1% no segundo trimestre e superou as expectativas do mercado. Entre os dados apresentados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de Formação Bruta de Capital Fixo foi recorde e registrou uma expansão de 16,2%. "Foi um crescimento bom, sustentado pelos investimentos, que refletiram obras públicas e importação de máquinas e equipamentos", afirmou Rebeca Palis, gerente de Contas Trimestrais do IBGE. No primeiro semestre, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 6%.

A forte expansão dos investimentos no segundo trimestre do ano amplia a capacidade de o País crescer sem produzir pressões inflacionárias. Apesar do quadro positivo, o Banco Central (BC) ainda não está livre de preocupações no curto prazo.

A Petrobras anunciou nova estimativa para a região do pré-sal ao confirmar a existência de 3 bilhões a 4 bilhões de barris de óleo equivalente (petróleo e gás) no campo de Iara, situado no bloco BM-S-11, na bacia de Santos. A descoberta fica na mesma área onde está localizada a jazida de Tupi (com potencial de 5 bilhões a 8 bilhões de barris), até então a única reserva projetada pela estatal. Agora, um único bloco na região pode ter 12 bilhões de barris. (pág. 1, A4, A5 e A8)

Copom eleva juros e dólar recupera perdas

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu elevar a taxa básica de juros (Selic) em 0,75 ponto percentual, para 13,75% ao ano. Com um placar de cinco votos a três, a decisão do colegiado ficou em linha com as expectativas da maior parte do mercado financeiro.

Foi a quarta elevação na taxa Selic este ano. Nas reuniões anteriores, o Copom promoveu dois aumentos de 0,5 ponto e uma elevação de 0,75 ponto. As altas este ano somam 1,75 ponto percentual. A decisão do Colegiado mantém o Brasil na liderança do ranking mundial de juros reais, com 8,1% ao ano, à frente de países como a Turquia e o México.

No mercado de câmbio, o dólar comercial cravou ontem sua oitava alta consecutiva, encerrando o pregão com valorização de 0,79%, para R$ 1,787 na venda. Com o avanço de ontem, a moeda norte-americana zerou as perdas acumuladas no ano e passou a ter alta de 0,82%. A divisa acumula ganhos de 6,76% na semana e de 9,26% no mês. (pág. 1 , A8 e B2)

Bolívia reduz fornecimento de gás ao Brasil

O governo boliviano informou ontem que reduziu em 10% as exportações de gás natural para o Brasil devido a um "atentado terrorista" contra um gasoduto, atribuído a manifestantes de oposição da região sudeste do Chaco.

A Bolívia está sofrendo com fortes protestos em sua região leste, controlada pela oposição, que resiste aos planos do governo de instaurar uma Constituição socialista. O governo já começa a falar em "guerra civil". Ontem, o presidente da Bolívia, Evo Morales, ordenou a expulsão do embaixador dos Estados Unidos no país, Philip Goldberg, acusando-o de apoiar a oposição conservadora e de querer a divisão do país. (págs. 1, C6 E A16)


Company é da Brascan por R$ 200 milhões

Após a queda generalizada das ações das companhias do mercado imobiliário listadas na Bovespa, ficou muito mais fácil comprar empresas do setor. Em menos de 90 dias, quatro grandes negócios foram fechados, num movimento de mais de R$ 3 bilhões. Ontem, a Brascan Residential Properties desembolsou R$ 200 milhões para adquirir a incorporadora paulista Company, numa negociação que envolveu também 76,9 milhões de ações.

Em junho, a Cyrela comprou o controle da Agra por R$ 1,5 bilhão. Logo em seguida, foi a vez da Brasil Brokers abocanhar 51% do braço imobiliário da Abyara, por R$ 250 milhões. A surpresa do setor, no entanto, foi a aquisição da Tenda pela Gafisa, que investiu R$ 990 milhões no negócio.

O processo de fusões e aquisições do setor tem sido apontado por analistas de mercado como uma saída para a sobrevivência de algumas companhias que abriram o capital, nos últimos dois anos, mas que não vão conseguir atravessar a volatilidade desse mar turbulento. Entre dezembro de 2007 e setembro deste ano, 22 companhias do segmento perderam R$ 20 bilhões em valor de mercado.

A todo momento, o mercado escolhe uma empresa como bola da vez para ser negociada, algumas com problemas de caixa, outras para racionalização de custos, ampliação geográfica, ou simplesmente por ser um bom negócio. Desta vez, a escolhida foi a Company, que já havia negociado com a Cyrela e a Helbor. (págs. 1 e C7)


Pão continua caro, apesar da queda do trigo

A cotação do trigo ao produtor agrícola caiu 22%, nos últimos dois meses, mas o preço do popular pãozinho recuou lentamente nesse período (0,22%). Dados da empresa de consultoria Safras & Mercado mostram que, entre janeiro e maio, o trigo em grão teve alta de 30,1%. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o pãozinho aumentou 18,1%, acompanhando a tendência do mercado naquela ocasião.

Para evitar alta ainda maior, o governo isentou toda a cadeia do trigo do recolhimento do PIS e da Cofins (9,25%). Os representantes dos moinhos garantem que o benefício foi repassado ao preço da farinha. No Moinho Anaconda, a queda foi de 19,2% entre abril e agosto, afirma Luiz Martins, presidente do grupo. "A isenção dos impostos contribuiu para que os preços recuassem bastante."

Alexandre Pereira Silva, da Abip (entidade que representa as padarias), diz que o cálculo deveria ser feito ao longo de um ano. Para ele, os custos no varejo cresceram 40%, mas o repasse foi de "apenas 25%". Para Fábio Silveira, da RC Consultores, o recuo só ocorrerá a médio prazo. (págs. 1 e C10)


Mercado imobiliário: caderno valoriza setor em crescimento

A indústria da construção civil vive um momento ímpar no País. A contar pelo número de lançamentos, esse setor ganhou status de um dos mais importantes do País. Só nos seis primeiros meses do ano, o Estado de São Paulo, por exemplo, registrou 16,5 mil lançamentos imobiliários. Em todo o País, o segmento criou 229 mil novos empregos. Para ir ao encontro da necessidade dessa indústria que cresce como nunca, a Gazeta Mercantil publica, a partir de hoje e todas as quintas-feiras, um caderno especial, que trará um panorama do que acontece de mais importante no segmento: lançamentos,
tendências, índices, fusões e aquisições estarão entre os temas tratados.

Contribuíram para o cenário otimista da indústria da construção civil — que prevê continuidade no crescimento até o fim do ano — a estabilidade econômica, a manutenção da taxa de inflação e, principalmente, a volta do crédito imobiliário. Segundo o presidente do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), João Crestana, o brasileiro tem aprendido a lidar com o financiamento de imóveis. "Com juros menores, prazos mais longos e menos burocracia,
as prestações passaram a caber no bolso do consumidor."

Com toda essa movimentação, construtoras e incorporadoras foram à Bolsa de Valores para captação de recursos. Além disso, os interesses se voltam para a classe C, que tem à disposição vários lançamentos e o setor sente a falta de mão-de-obra especializada e treinada. Problemas existem, mas o setor festeja com propriedade. (pág. 1)


Opinião: Rodrigo da Rocha Loures

Aderindo a uma proposta dos industriais, os cidadãos paranaenses estão listando as prioridades para seus municípios e se preparam para cobrá-las dos próximos prefeitos. (págs. 1 e A3)

GDF-suez estréia em eólica no país

A franco-belga GDF-Suez estréia hoje em geração eólica no Brasil ao colocar em operação uma usina situada em Beberibe, a 80 quilômetros de Fortaleza (CE). A nova central, de 26 MW de potência, foi adquirida recentemente da norte-americana Econergy. (págs. 1 e C6)


------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas



Manchete: Vamos, enfim, ter espetáculo?

O Produto Interno Bruto (PIB), soma de todas as riquezas produzidas no país, alcançou R$ 1,3 trilhão nos seis primeiros meses do ano. No segundo trimestre, foi de R$ 716,9 bilhões, com crescimento de 6,7% em relação ao mesmo período d ano passado, e de 1,6% sobre o trimestre anterior, mas as despesas do governo aumentaram 5,6% de janeiro a junho e há o receio de que a crise financeira mundial prejudique a expansão no segundo semestre. Como era esperado, o BC subiu a taxa de juros em mais 0,75 ponto percentual.

Assim, Lula não gosta

Mesmo jogando no Rio e com um a mais no 2º tempo, a Seleção de Dunga não passa do 0 a 0 contra a Bolívia , lanterna das eliminatórias. Ronaldinho nada fez e acabou substituído. (pág. 1)

Sabotagem na Bolívia corta gás do Brasil

Atentado atribuído a opositores do governo Morales explodiu um gasoduto no estado de Tarija, provocando o corte de 10% do gás fornecido ao Brasil, ou 3 milhões de metros cúbicos por dia. Houve violentas manifestações em vários pontos do país , como em Santa Cruz de La Sierra. (págs. 1 e 21)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio



Manchete: Crédito mais difícil

Como era esperado pelo mercado, mesmo dividido, o Copom elevou a taxa de juros em 0,75 ponto percentual, para 13,75% ao ano. É uma forma de deixar os empréstimos mais caros, controlar o consumo e evitar a volta da inflação. (pág. 1)

Bolívia expulsa o embaixador americano. (pág. 1)



Médicos mantêm as demissões. (pág. 1)


PIB cresce 6% com investimento recorde = 1º semestre deve garantir PIB de 5% no ano: avanço de 6,1% no 2º trimestre fica acima das expectativas, puxado por investimentos, que crescem há 18 trimestres; gasto do governo aumenta e reforça expansão da economia; analistas vêem alguma desaceleração no 2º semestre do ano...
Puxado por investimentos recordes, pela agropecuária e por forte aceleração dos gastos públicos, o PIB (Produto Interno Bruto) do segundo trimestre do ano surpreendeu positivamente e cresceu 6,1% sobre igual período de 2007. A aceleração em relação ao primeiro trimestre do ano foi de 1,6%. O resultado levou a uma revisão geral de expectativas, apesar da tendência de alta nos juros nos próximos meses, e praticamente garante um crescimento superior a 5% em 2008. Para crescer abaixo disso, a economia teria de se desacelerar em mais de 30% no segundo semestre, tradicionalmente o período mais "quente" do ano. Se 2008 tivesse acabado em junho, o Brasil teria crescido 6%. Agora, basta um crescimento de 4% ao longo do segundo semestre para que o PIB atinja o patamar de 5% no ano. Como já ocorre há vários trimestres, a composição do crescimento da economia brasileira se mostrou bastante equilibrada e promissora. Os investimentos do setor produtivo, que garantem a oferta futura de bens e serviços e reduzem pressões inflacionárias, foram novamente o carro-chefe do crescimento: subiram 16,2% no trimestre e atingiram o maior patamar da série histórica do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), iniciada em 1996. (Folha de SP)
PIB tem maior alta semestral desde 2004 e garante forte expansão anual = O bom desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro semestre, quando a alta de 6% foi a maior para um semestre desde os 6,6% observados nos seis primeiros meses de 2004, trouxe boas perspectivas para o resultado da economia este ano. Para atingir um crescimento de 5% no conjunto de 2008, o PIB brasileiro precisa avançar 4% no segundo semestre. A gerente de Contas Nacionais Trimestrais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rebeca Palis, ponderou que o bom resultado semestral não é garantia de mais aquecimento no segundo semestre. Segundo ela, apesar das boas expectativas por conta do aquecimento natural do fim de ano, não há certeza de aceleração do crescimento. O PIB cresce em termos absolutos, mas isso não significa que as taxas de crescimento serão maiores, frisou Rebeca. A gerente lembrou que o atual cenário de taxas de juros em trajetória de alta ajuda a trazer mais componentes de incerteza sobre a reação da economia. É melhor esperar para ver, afirmou. Para que se obtenha um avanço de 4,8% em 2008, a economia deve expandir-se 3,6% no segundo semestre, enquanto um crescimento de 3% nos últimos seis meses do ano serão suficientes para fazer o PIB crescer 4,5%. (Valor Econômico)
Mantega prevê 'excelente Natal para família brasileira': Mantega festeja PIB e prevê alta de 5,5% este ano; economia do Brasil cresceu 6% no 1º semestre, reforçando otimismo do governo; é o maior avanço desde 2004, puxado por investimentos recordes = O ministro da Fazenda, Guido Mantega, comemorou o crescimento de 6% no Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro semestre, anunciado nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) , acrescentando que o avanço até o final do ano pode chegar a 5,5%, acima da previsão inicial de 5%. Para Mantega, esse resultado é retrato de uma economia que cresce com investimentos, mas com patamar moderado. - Teremos um excelente Natal para a família brasileira - disse o ministro. O ministro avalia que o crescimento de 2008 deve ser parecido com o do ano passado, que teve um percentual de 5,4% . Mas o ministro destacou que a performance da economia neste ano tem mais qualidade que a de outros períodos. - Esse crescimento vem acompanhado da desaceleração da inflação. É um crescimento sustentável - afirmou. (O Globo)

Investimento puxa alta de 6,1% no PIB = A força da economia brasileira surpreendeu os analistas e o PIB cresceu 6,1% no segundo trimestre de 2008, na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados ontem pelo IBGE. O resultado ficou acima da maioria das previsões. Os números são igualmente expressivos quando se leva em conta o comportamento da economia num período mais longo. Nos quatro últimos trimestres, a expansão do PIB foi de 6%. Trata-se da maior alta em 12 meses desde 1996. O bom desempenho animou o governo, que reviu para mais de 5% a previsão de crescimento para este ano. "Teremos um excelente Natal para as famílias", disse Guido Mantega.
Os empresários também ficaram otimistas. A Fiesp elevou sua projeção de crescimento em 2008 de 4,8% para 5,4%. O avanço do PIB vem sendo impulsionado pela ampliação dos investimentos, o que garante efeitos de mais longo prazo na economia. No segundo trimestre, as aplicações subiram nada menos que 16,2%, em comparação com 2007. As estatísticas do BNDES confirmam o avanço do financiamento para a produção de máquinas e equipamentos industriais. Só para a fabricação de caminhões, em 12 meses houve ampliação de 48% na aprovação de crédito. (O Estado de SP)

Agora, sim...o espetáculo do crescimento = Nem o mais otimista dos analistas esperava tanto. No primeiro semestre, o Produto Interno Bruto brasileiro cresceu impressionantes 6% em termos anualizados. O ritmo frenético da economia, desta vez, não esteve ancorado nos gastos do governo. O consumo das famílias saltou 6,7% no segundo trimestre e os investimentos, nada menos do que 16,2%. A produção agrícola se expandiu 7,1%, a reboque das grandes safras de café, arroz e soja. Preocupado com o efeito sobre os preços, o Banco Central voltou a elevar a taxa de juros em 0,75 ponto percentual, fixando a Selic em 13,75% ao ano. (Correio Braziliense)

Vamos, enfim, ter espetáculo? = O Produto Interno Bruto (PIB), soma de todas as riquezas produzidas no país, alcançou R$ 1,3 trilhão nos seis primeiros meses do ano. No segundo trimestre, foi de R$ 716,9 bilhões, com crescimento de 6,7% em relação ao mesmo período d ano passado, e de 1,6% sobre o trimestre anterior, mas as despesas do governo aumentaram 5,6% de janeiro a junho e há o receio de que a crise financeira mundial prejudique a expansão no segundo semestre. Como era esperado, o BC subiu a taxa de juros em mais 0,75 ponto percentual. (Estado de Minas/MG)

Bolívia: explosão em gasoduto reduz fornecimento ao Brasil = Uma explosão atribuída a um atentado contra um gasoduto na Bolívia, no qual a Petrobras tem participação, já provocou a redução de 13% do envio de gás natural para o Brasil, num dos mais graves episódios da crise que opõe o governo de Evo Morales a Estados autonomistas. A explosão ocorreu perto da cidade de Yacuíba, no Sul da Bolívia, quando manifestantes anti-Morales tetavam sabotar uma válvula do gasoduto, de onde sai a maioria do gás para São Paulo.
Segundo o ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, a perda para o Brasil deverá ser de cerca de 4 milhões de metros cúbicos por dia, mas não deve haver problemas de abastecimento graças às reservas brasileiras e à adoção de um plano de contingência pela Petrobras. Em meio à crise, Morales ordenou a expulsão do embaixador dos EUA, acusando-o de apoiar a oposição. (O Globo)
Brasil se solidariza e pede à Bolívia moderação: Para Lula, Evo Morales foi inábil em conduzir crise política; Planalto vê erro em expulsão de embaixador americano; Ministro boliviano se reúne com Garcia em Brasília e diz que La Paz resolverá crise sozinha; diplomatas tentam dialogar com oposição a Evo = O governo brasileiro afirmou ontem que se solidariza com o presidente boliviano, Evo Morales, e "lamenta o recrudescimento da violência e dos atos de desacato às instituições e à ordem legal". Ao mesmo tempo, pediu uma solução negociada. Já extra-oficialmente, considera que Morales foi inábil na condução da crise. Em nota distribuída pelo Itamaraty, o governo expressa o desejo de que "cessem imediatamente as ações dos grupos que lançam mão da violência e da intimidação". E "insta todos os atores políticos a que exerçam comedimento, respeitem a institucionalidade democrática e retomem os canais do diálogo e da concertação, na busca de uma solução negociada e sustentável." A posição do governo brasileiro foi divulgada no início da noite, logo após reunião entre o assessor especial da Presidência Marco Aurélio Garcia e o ministro da Fazenda da Bolívia, Luis Alberto Arce. Depois da reunião, Garcia telefonou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que estava em Manaus, para relatar o encontro. (...)
O presidente boliviano, Evo Morales, declarou ontem o embaixador americano Philip Goldberg "persona non grata", o que o obriga a deixar o país. Morales acusou o diplomata de conspirar com opositores contra a unidade nacional, que estaria ameaçada pelo que o porta-voz presidencial Iván Canelas chamou "tentativa [da oposição] de desencadear uma espécie de guerra civil". No discurso pronunciado no Palácio do Governo, Morales mandou que o chanceler David Choquehuanca cumpra os marcos legais e diplomáticos para que "aquele que conspira contra a democracia e busca a divisão da Bolívia" volte "imediatamente" aos Estados Unidos. Citando o trabalho de Goldberg para o Departamento de Estado americano na Bósnia e em Kosovo, qualificou-o como "especialista em promover conflitos separatistas". (Folha de SP)
Lula tenta mediar conflito na Bolívia = Um trecho do gasoduto boliviano que traz gás ao Brasil foi danificado ontem por uma explosão. Segundo o governo do presidente Evo Morales, a explosão - provocada por grupos radicais de oposição que nos últimos dias intensificaram os protestos em vários pontos do país - poderá levar a uma redução de 10% no fornecimento ao mercado brasileiro. O presidente Lula, por meio do Itamaraty, ofereceu ajuda para tentar uma aproximação entre os dois lados, mas nem governo nem oposição se mostraram abertos a uma mediação. Autoridades brasileiras acreditam que a tensão vai prosseguir nos próximos dias. O presidente interino da estatal boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), Santos Ramírez, disse que "o atentado terrorista" provocará redução de 3 milhões de metros cúbicos por dia no fluxo de gás ao Brasil. A Bolívia produz 40 milhões metros cúbicos diários, dos quais 30 milhões são destinados ao Brasil – entre 6 e 7 milhões vão para o mercado interno e o resto para a Argentina. Segundo Ramírez, o governo levará 20 dias para reparar a tubulação. Apesar de Evo Morales ter denunciado os protestos como "o início de um golpe de Estado", nem autoridades brasileiras nem analistas na Bolívia corroboram essa tese. Há, sim, uma falência político-institucional do país. Sem Congresso e Judiciário operantes, parte da oposição viu as ruas como a melhor forma de pressionar Morales a negociar. (Valor Econômico)
Bolívia reduz fornecimento de gás ao Brasil = O governo boliviano informou ontem que reduziu em 10% as exportações de gás natural para o Brasil devido a um "atentado terrorista" contra um gasoduto, atribuído a manifestantes de oposição da região sudeste do Chaco. A Bolívia está sofrendo com fortes protestos em sua região leste, controlada pela oposição, que resiste aos planos do governo de instaurar uma Constituição socialista. O governo já começa a falar em "guerra civil". Ontem, o presidente da Bolívia, Evo Morales, ordenou a expulsão do embaixador dos Estados Unidos no país, Philip Goldberg, acusando-o de apoiar a oposição conservadora e de querer a divisão do país. (Gazeta Mercantil)
Sabotagem na Bolívia corta gás do Brasil = Atentado atribuído a opositores do governo Morales explodiu um gasoduto no estado de Tarija, provocando o corte de 10% do gás fornecido ao Brasil, ou 3 milhões de metros cúbicos por dia. Houve violentas manifestações em vários pontos do país , como em Santa Cruz de La Sierra. (Estado de Minas/MG)
Ataque reduz 10% do gás da Bolívia que chega ao Brasil = A explosão de um gasoduto boliviano vai reduzir em 10% (ou 3 milhões de metros cúbicos por dia) o envio de gás ao Brasil durante 15 a 20 dias. O presidente Evo Morales expulsou o embaixador dos EUA, Philip Goldberg, acusando-o de "buscar a divisão da Bolívia". (Jornal do Brasil)
Oposição boliviana explode gasoduto = A tensão entre o governo de Evo Morales e a oposição boliviana cresceu após a explosão de um gasoduto, causada por manifestantes. A ação, chamada de "terrorista" pela estatal YPFB, cortou 10% do gás para o Brasil. Para o Itamaraty, Evo não age porque não tem apoio dos militares. (O Estado de SP)

Chegam ao Rio 3.500 soldados para eleição = Um exército de 3.500 soldados desembarca hoje no Rio e deflagra a Operação Guanabara. Os integrantes das Forças Armadas começam a trabalhar com a ocupação de sete comunidades, tendo como missão garantir a segurança dos moradores, da imprensa e dos candidatos durante a fase final da campanha eleitoral. Até 4 outubro, em sistema de rodízio, a tropa se dividirá entre 27 favelas controladas pelo crime organizado. (Jornal do Brasil)
Tráfico e milícia cobram até R$ 30 mil de candidatos: Políticos que não pagam o "pedágio" são proibidos de entrar nas favelas para pedir votos; a partir de hoje, tropas do Exército e da Marinha vão ocupar 27 "currais eleitorais" identificados pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio = Traficantes e milicianos estabeleceram tabelas de pedágio para candidatos às eleições de outubro fazerem campanha nas favelas que controlam. O preço varia de R$ 10 mil (para pequenas comunidades) a R$ 30 mil (locais de médio porte). Sem pagar, os postulantes são proibidos de entrar nas localidades para pedir votos e pregar cartazes nas casas. Segundo relatos à Folha de dois candidatos a vereador (que não se identificaram temendo represálias), a prática ocorre nas favelas de São Carlos (Estácio, centro), Turano e Borel (Tijuca, zona norte), Tuiuti (São Cristóvão, norte), Dendê (Ilha do Governador, norte) e Terreirão (Recreio, oeste), dominadas pelo tráfico; e Guaporé (Brás de Pina, norte) e Barbante (Campo Grande, oeste), dominadas por milícias. (Folha de SP)
Tropas ocupam `currais' do crime: Cerca de 3.500 militares chegam hoje a sete comunidades na capital e em Campos = Quase um mês após a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tropas militares começam hoje a ocupar áreas da cidade controladas por grupos armados de traficantes e milicianos. Cerca de 3.500 militares do Exército e da Marinha, além de policiais militares, iniciam de manhã a Operação Guanabara, que ocupará, de forma itinerante, 27 comunidades no estado para garantir o direito de ir e vir de eleitores e candidatos até a eleição de 5 de outubro. Para evitar que crianças corram risco, como retaliações do tráfico de drogas, os militares foram orientados a entrar nas favelas após o início do horário escolar. Em Campos, o Exército iniciará uma ocupação permanente até a eleição. A preocupação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) é inibir a compra de votos em Campos. Também haverá tropas em Caxias e São Gonçalo. (O Globo)
Para custear as despesas com a ação das Forças Armadas na garantia da segurança das eleições e o transporte de urnas em locais de difícil acesso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já liberou R$ 5,7 milhões para o Ministério da Defesa. Outros repasses serão feitos, mas os valores ainda não estão decididos. O TSE repassou, em média, R$ 13 milhões para cada uma das últimas duas eleições. A estimativa dos técnicos é de que para este pleito — com o envio das tropas federais ao Rio para ação constante e por um período mais longo — o montante será maior. (O Globo)
O vidraceiro Anderson Faria Fernandes Bezerra, de 36 anos, foi executado quando saía com um grupo para colocar galhardetes do candidato a vereador Júlio Brasil (PTB) em Campo Grande, anteontem à noite. A vítima ainda chegou a ser abordada pouco antes por dois motoqueiros, que avisaram que a área ali tinha "dono". Pouco depois do recado dado ao grupo, quatro homens chegaram de carro e, após isolar Anderson dos demais, o mataram com vários tiros, inclusive na cabeça. O delegado Marcus Neves, titular da 35 DP (Campo Grande), disse que as primeiras linhas de investigações apontam para pessoas ligadas à candidata a vereadora Carminha Jerominho (PTdoB). Ela está presa no presídio de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná. (O Globo)

Crédito mais difícil = Como era esperado pelo mercado, mesmo dividido, o Copom elevou a taxa de juros em 0,75 ponto percentual, para 13,75% ao ano. É uma forma de deixar os empréstimos mais caros, controlar o consumo e evitar a volta da inflação. (Jornal do Commercio/PE)

Petrobras tem novo supercampo = ...A Petrobras informou que o campo de Iara, localizado na Bacia de Santos, tem reservas de até 4 bilhões de barris de petróleo e gás do tipo mais valorizado. Só o Campo de Tupi é maior. (O Estado de SP)
Pré-sal tem mais um megacampo = A Petrobras informou que o campo de Iara, no pré-sal da bacia de Santos, tem reserva estimada de 3 a 4 bilhões de barris de petróleo. Somado ao vizinho megacampo de Tupi, levam as reservas para 12 bilhões de barris. Ao todo, o país tem 13,9 bilhões. (Jornal do Brasil)
Pré-sal = A Petrobras estima reservas recuperáveis entre 3 bilhões e 4 bilhões de barris de petróleo leve e gás no campo de Iara, na Bacia de Santos, cuja descoberta foi anunciada no início de agosto. O poço faz parte do mesmo bloco onde se encontra o campo de Tupi. (Valor Econômico)
Com Iara e Tupi, reserva de petróleo sobe 80%: Perfuração mostra que área recém-anunciada no pré-sal da Bacia de Santos tem 3 bilhões a 4 bilhões de barris = As reservas provadas de petróleo e gás no Brasil podem aumentar até 80% apenas com as jazidas das áreas de Tupi e Iara, no pré-sal da Bacia de Santos. Ontem, a Petrobras anunciou estimativa de que Iara tenha 3 bilhões a 4 bilhões de reservas recuperáveis de petróleo e gás natural, ou seja, que podem ser extraídas para a superfície. Tupi, como já avisara a estatal no ano passado, tem 5 bilhões a 8 bilhões. Se considerado o teto das duas projeções, as reservas totais do país pularão de 15 bilhões para 27 bilhões de barris. O consórcio no qual a Petrobras está associada à britânica BG e à portuguesa Galp concluiu a perfuração do poço descobridor da área de Iara, situada ao norte de Tupi. O petróleo encontrado, em águas ultraprofundas, é leve: tem mais qualidade e valor maior no mercado internacional. Tupi fica no mesmo bloco de Iara. A descoberta de petróleo em Iara foi anunciada em agosto. O poço tem 6.080 metros de profundidade, dos quais 2.230 metros são apenas a distância do nível do mar ao fundo. A camada de sal encontrada nessa região toda, abaixo do fundo, é de cerca de 2 mil metros de espessura. Geólogos concluíram que o petróleo de Iara é de 26 API (classificação internacional que mede a qualidade do produto). A extensão de Iara é estimada em 300 quilômetros quadrados. (O Globo)
Reportagem no Financial Times afirma que Brasil poderá manter controle do petróleo = As reservas na camada pré-sal deverão elevar o Brasil ao patamar dos países exportadores de petróleo, escreve o jornal inglês Financial Times na reportagem "O novo lucro de Lula: Brasil poderá manter controle pleno do petróleo em alto-mar" desta quinta-feira. O jornal destaca o simbolismo do ato de lula, ao mergulhar as mãos no primeiro óleo cru a fluir das reservas, no último dia 2 de setembro. "O gesto -uma repetição do realizado por Getúlio Vargas, o ex-presidente que nos anos 50 criou a Petrobras, a companhia estatal de petróleo do Brasil- era claro. Mas Lula foi ainda mais longe: como para confirmar a importância política da recém-descoberta riqueza em petróleo em alto-mar de seu país, ele plantou um selo oleoso de aprovação no sobretudo vestido por Dilma Rousseff, a ministra da Casa Civil e amplamente considerada como sua provável sucessora", destaca o FT. (Uol)

Decisão do STJ sobre grampo prolongado vai brecar 50 investigações = A decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), anulando as provas coletadas em escutas telefônicas no caso Sundown, provocará a interrupção de pelo menos 50 investigações do Ministério Público e da Polícia Federal. Para o STJ, o período de grampo – dois anos – desrespeitou o fixado em lei. Os inquéritos foram montados no período da operação Sundown, em 2006, para apuração de casos no BNDES, Justiça Estadual e Banco Central. Tudo o que foi apurado terá de ser anulado, diz Deltan Martinazzo Dallagnol, procurador da República no Paraná. (Gazeta do Povo)

STJ restringe grampos = Decisão da 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça anulou sentença criminal condenatória dos antigos sócios da Sundown baseada em provas obtidas por meio de escutas telefônicas que duraram quase dois anos. A ação será novamente julgada em 1ª instância. (Valor Econômico)

Folha de salários da Abin vai dobrar em 2009 e chegará a R$ 308,8 milhões: aumento é atribuído a plano de carreira e reajuste concedido por MP = Os gastos da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) com pessoal e encargos vão praticamente dobrar em 2009 em relação a este ano, de R$ 169,9 milhões para R$ 308,8 milhões, acréscimo de 81,87%. Segundo o projeto de lei do Orçamento da União, já enviado ao Congresso, a Abin terá em 2009 verba total de R$ 363,6 milhões, a maior parte para pessoal e R$ 5 milhões para investimentos. Em 2008, o orçamento da Abin foi originalmente definido pelo governo em R$ 220,5 milhões, sendo R$ 169,7 milhões para pessoal — que depois teve crédito adicional de R$ 154 mil, conforme o Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), totalizando R$ 220,7 milhões. Neste ano, a previsão de investimentos é maior do que para 2009: R$ 6,6 milhões. Segundo assessoria da Abin, o aumento de gastos com pessoal se deve ao plano de reestruturação da carreira e aos reajustes concedidos pela Medida Provisória 434, de junho. O próprio Ministério do Planejamento calculou que o impacto dessa reestruturação seria grande: "De R$ 67,7 milhões no exercício de 2008 e R$ 125,6 milhões no exercício subseqüente (2009)". (O Globo)

Protógenes acusado de falso testemunho: Delegado negara uso de agentes da Abin em operação da PF, ontem confirmada = Os advogados de Hugo Chicaroni, preso na Operação Satiagraha por suposta tentativa de suborno de um delegado da PF, vão pedir a instauração de investigação contra o delegado Protógenes Queiroz por crime de falso testemunho. Segundo a advogada Maria Fernanda Carbonelli Muniz, em depoimento na 6 Vara Criminal Federal de São Paulo, Protógenes afirmou que não houve participação de agentes da Abin na investigação da tentativa de suborno. A afirmação, segunda ela, contradiz o depoimento dado à CPI dos Grampos por Paulo Lacerda, afastado do comando da Abin. Segundo ele, funcionários da Abin atuaram desde fevereiro nas investigações da Operação Satiagraha, a pedido de Protógenes. — Ou seja, a princípio, há uma contradição obscura nesse sentido. Se comprovado que Protógenes falseou ou omitiu a verdade, vamos fazer um pedido de instauração de suposta prática de crime de falso testemunho — afirmou a advogada. (O Globo)
Delegado mentiu à CPI sobre Abin = O delegado da PF Protógenes Queiroz mentiu à CPI ao negar a participação institucional da Abin na Operação Satiagraha. A Abin cedeu 56 servidores e gastou R$ 250 mil na operação, segundo seu diretor de Contra-Inteligência. A CCJ do Senado aprovou projeto que aumenta a pena por escuta ilegal. (O Globo)

Araponga teve acesso a papéis secretos em operação da PF: ex-espião do SNI trabalhou na Satiagraha a serviço de Protógenes e manuseou documentos que não podia = O ex-agente do extinto Serviço Nacional de Informações (SNI) Francisco Ambrósio do Nascimento, acusado de envolvimento em escutas telefônicas ilegais, teve acesso a documentos sigilosos da investigação da Operação Satiagraha. O araponga, que se aposentou em 1998, trabalhou com a Polícia Federal de fevereiro até quando a ação foi desencadeada, em julho passado. Ambrósio foi contratado pelo delegado Protógenes Queiroz, comandante das investigações que resultaram na prisão do banqueiro Daniel Dantas, controlador do Opportunity. A PF tem informações de que outros espiões afastados do serviço público participaram das apurações como colaboradores eventuais. Segundo fontes da PF e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Ambrósio atuou na análise de dados sigilosos da operação desde fevereiro até a ação da PF. O araponga recebeu, segundo amigos próximos, R$ 1,8 mil mensais em dinheiro pelo trabalho. O espião foi contratado por Protógenes depois de ter conversado com um amigo da época em que o delegado fez a Escola Superior de Guerra (ESG). Esse amigo, um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), aproximou Protógenes do espião e o acerto ocorreu em Brasília. Pessoas próximas a Ambrósio afirmam que ele participou da análise do disco rígido do Opportunity, apreendido durante a operação Chacal, de 2004. (Correio Braziliense)
Grampo leva PF a investigar PF = Dois delegados da Polícia Federal foram enviados a São Paulo para ouvir policiais, cruzar os registros armazenados no sistema de grampo telefônico conhecido por Guardião e concluir se partiu dali a escuta no gabinete do presidente do STF, Gilmar Mendes. (Jornal do Brasil)

No Senado, Pizza à Efraim sai do forno: Tuma cede à chantagem e livra Efraim; ameaçado por aliados do primeiro-secretário de ser envolvido na crise das licitações fraudulentas, corregedor isenta colega; mas a PF espera a Justiça para continuar a investigação = O corregedor do Senado, Romeu Tuma (PTB-SP), confirmou as expectativas do colega Efraim Morais (DEM-PB). Conforme o Correio antecipou no último dia 4, Tuma cedeu às pressões e, sem ouvir qualquer testemunha, enterrou a investigação interna sobre as suspeitas de envolvimento de Efraim nas irregularidades em licitações na Casa. Tuma entregou ontem cedo um relatório e seguiu direto para o aeroporto sem dar entrevistas. Sua conclusão de três páginas foi lida em plenário pelo senador Mão Santa (PMDB-PI), que destilou elogios ao corregedor. "Ninguém melhor do que ele para salvaguardar a ética e a grandeza da história do Senado", disse. Depois, sobraram palavras a Efraim. "A contribuição de Efraim Morais à democracia foi assim como a de Rui Barbosa. Ao senador Efraim, então, os aplausos". Ao lado de Mão Santa, Efraim manteve o silêncio. Para livrar o senador do DEM, Tuma afirmou que o colega foi "explícita" e "inteiramente" afastado da investigação policial. Os documentos da PF, porém, apontam que o corregedor está desinformado. Somente o relatório final da Operação Mão-de-Obra cita Efraim 14 vezes. O delegado Matheus Rodrigues afirma ser "nítido" que o lobista Eduardo Bonifácio Ferreira, acusado de negociar os resultados das licitações, era o "representante/assessor direto do senador Efraim". A polícia pede ainda que o caso seja enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) para "apurar as eventuais responsabilidades do senador Efraim Morais". "O mesmo supostamente estaria envolvido na organização criminosa", sustenta o delegado, que aguarda a manifestação da Justiça para continuar a investigação. Tuma desconsiderou os relatórios de inteligência da PF que mostram o lobista cumprindo expediente no gabinete do primeiro-secretário da Casa em 2006, logo após a vitória das empresas Ipanema e Conservo de licitação do Senado para a contratação de mão-de-obra terceirizada. No mesmo período, Ferreira foi flagrado em encontros com os empresários. O lobista não era funcionário do Senado na época. Tuma preferiu não investigar também uma procuração, registrada em cartório, em que Ferreira transfere a Efraim cotas de capital em uma empresa de consultoria. (Correio Braziliense)

Justiça bloqueia fundo de Dantas com R$ 535,8 milhões: Coaf alertou procurador sobre operação do Opportunity considerada "irregular"; aplicação só ficou conhecida porque banqueiro mudou a administradora de recursos; Ministério Público pretende saber a origem do dinheiro = A Justiça Federal de São Paulo determinou o bloqueio de um fundo de investimento de R$ 535,8 milhões que pertencem ao banqueiro Daniel Dantas, investigado na Operação Satiagraha, e a outras quatro pessoas ligadas a ele. O pedido de seqüestro do valor partiu do procurador Rodrigo de Grandis, do Ministério Público Federal, que foi alertado pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) sobre operações do Grupo Opportunity, de Dantas, consideradas "irregulares no mercado financeiro". O fundo só ficou conhecido porque, há oito dias, Dantas transferiu a administração dos R$ 535,8 milhões aplicados no Opportunity Special Fundo de Investimento em Ações para a administradora BNY Mellon Serviços Financeiros -as duas empresas têm sede no mesmo prédio no Rio de Janeiro. Ao ser informada, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) repassou um comunicado ao Coaf -órgão de inteligência financeira do governo federal que integra o Ministério da Fazenda- classificando a operação de "atuação irregular no mercado financeiro". (Folha de SP)
R$ 545 milhões bloqueados no Opportunity = O juiz Fausto De Sanctis, da 6ª Vara Federal de São Paulo, bloqueou R$ 545,79 milhões do Opportunity. O Coaf, que controla atividades financeiras, identificou movimentações "suspeitas de lavagem de dinheiro" que envolveriam Daniel Dantas, controlador do banco, e Dorio Ferman, presidente. "Há um quadro de perseguição contra Dantas", reagiu Nélio Machado, advogado do banqueiro. Protógenes Queiroz, que liderou a operação da PF contra Dantas, disse que recebeu 250 caixas de documentos da Justiça americana sobre a suposta participação do banqueiro na espionagem de sócios em empresas telefônicas. (O Estado de SP)

Governo afirma que vai exigir diesel mais limpo em 2009: Minc agora diz que lei terá de ser cumprida sem exceções; Resolução que exige redução da emissão de poluentes a partir de 2009 foi fixada em 2002; em julho, Petrobras e Anfavea informaram que não iriam cumprir o prazo para oferecer diesel mais limpo e motores adequados a partir de 2009 = O ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) desistiu, após ser alvo de críticas, de fazer qualquer acordo com as montadoras e a Petrobras para adiar o cumprimento da resolução que determina a redução de emissão de poluentes por veículos movidos a diesel. A medida entra em vigor a partir de janeiro do próximo ano. Minc disse ontem que a resolução 315, do Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente), que prevê o diesel S-50 (com 50 partes por milhão de enxofre) para 2009, não sofrerá nenhuma alteração e terá de ser cumprida, sem exceções. Hoje, o diesel nas regiões metropolitanas tem 500 ppm (partes por milhão) de enxofre e, fora dessas regiões, chega a 2.000 ppm. Isso não melhora muito, porém, o cenário atual. Em julho deste ano, representantes da Petrobras e da Anfavea (montadoras de veículos) informaram o Ministério do Meio Ambiente que não iriam cumprir a norma que exige a oferta de diesel mais limpo e de motores adequados a partir de 2009. A norma foi fixada em 2002. (Folha de SP)

Lula quer vice do PMDB para Dilma = O presidente Luiz Inácio Lula da Silva está empenhado na indicação de um vice do PMDB para a chapa de sua candidata preferida à Presidência, Dilma Rousseff. Lula já falou do assunto com integrantes da cúpula pemedebista, ministros e governadores, que entendem da mesma maneira as razões do presidente: trata-se de uma aliança lógica, tanto do ponto de vista da governabilidade quanto eleitoral. No PMDB, o tema é visto com cautela, em razão do tempo até as eleições presidenciais. Caciques do partido desconfiam do PT e dizem que não se sentem obrigados a nada em 2010. (Valor Econômico)

Ministro do STF determinou mutirão em presídios = Foram analisados 758 processos na primeira fase do mutirão determinado pelo ministro Gilmar Mendes, do STF, em presídios do Rio. Resultado: 12 presos já haviam cumprido pena e foram libertados; 154 foram colocados em livramento condicional; 111 passaram para o regime semi-aberto (em que podem sair caso arrumem emprego); e 74 para o regime aberto (em que podem sair sem qualquer condição). Dentre os casos estudados, o de um barbeiro condenado a 123 anos por três homicídios chamou a atenção: pela lei brasileira, ele só poderia ficar detido por 30 anos. Passou 28 atrás das grades, apesar do bom comportamento e de se enquadrar nas condições de indulto assinado por Lula em 2007. Boa surpresa: o mutirão, feito no Instituto Penal Plácido Sá Carvalho, de Bangu, e no Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos, constatou que não há excesso de detentos nos dois presídios. (Monica Bergamo / Folha de SP)

Pesquisa busca detectar nível de conhecimento da população sobre a educação = O Ibope ouviu 1.300 pessoas, em nove regiões metropolitanas, para identificar o nível de conhecimento da população sobre a educação no país. A pesquisa mostrou que 68% dos cidadãos não faz idéia do que as prefeituras estão fazendo -ou não- para o setor. E menos de 1% dos entrevistados disseram considerar as propostas para a educação determinantes para a escolha do novo prefeito. O levantamento foi encomendado pelo projeto Educar para Crescer e será apresentado na próxima segunda-feira. (Monica Bergamo / Folha de SP)

Candidatos poupam Cesar no esporte = Alvo de intensas críticas dos candidatos à sua sucessão, o prefeito Cesar Maia escapa na área esportiva. Projetos das vilas olímpicas em comunidades carentes serão mantidos. (Jornal do Brasil)

Detro tirou das ruas 14 mil vans piratas = A fiscalização do Detro, que quatro candidatos a prefeito do Rio querem rever, já retirou das ruas da cidade cerca de 14 mil vans irregulares, reduzindo o número de veículos piratas em circulação de 20 mil para 6 mil. Foram registradas na capital 23.960 infrações, ou 74% do total do estado. (O Globo)

Rio/Eleições 2008 – Gabeira diz que ' é necessário conter as favelas' = Candidato a prefeito do Rio, o deputado federal Fernando Gabeira (PV/PSDB/PPS) defendeu ontem, em sabatina no Globo, a contenção das favelas e a regularização fundiária dessas regiões. "Uma das saídas é a libertação da cidade de milícias e tráfico de drogas", afirmou. Ele quer recuperar a zona portuária com a ajuda da iniciativa privada. Mas avisa: "Tem que ter o envolvimento da cidade e não tem jeito em quatro anos". (O Globo)

Rio/Eleições 2008: Jandira muda e agora diz que `vai quebrar o pau': Crivella diz que, caso não vá para o segundo turno, votará nela, que ontem divulgou a `Carta aos cariocas' = Um dia após o candidato Marcelo Crivella (PRB) ter dito que acertara um pacto de não-agressão com a adversária Jandira Feghali (PCdoB) no primeiro turno, a candidata voltou a negar e deixou claro que agora vai partir para o ataque. Num evento promovido para tentar alavancar sua candidatura, a terceira colocada na última pesquisa do Datafolha, com 12% das intenções de voto, Jandira contou que usará o tempo da propaganda eleitoral para tentar desqualificar politicamente seus principais concorrentes. — Já gravei diversos programas para esquentar essa campanha. Vamos mostrar a biografia dessas pessoas (seus adversários). Vamos quebrar o pau — discursou Jandira, após dizer que a eleição está "pasteurizada e pragmática", o que, segundo ela, beneficia candidatos com mais recursos financeiros. Segundo Jandira, a mudança de estratégia tem o objetivo de marcar a diferença entre ela e os adversários e, com isso, seduzir o eleitorado indeciso — hoje, cerca de 47%, na pesquisa espontânea. (O Globo)

ECONOMIA

Bolsa fecha em alta de 2,47%; dólar a R$ 1,78: Forte venda de papéis da Petrobras gerou volatilidade no pregão; ações da Vale subiram mais de 5% ajudando a recuperação do mercado = Guiada pelas ações da Vale, da Petrobras e de siderúrgicas, a Bolsa de Valores de São Paulo teve ontem um pregão de recuperação, que, entretanto, nem de longe apagou as perdas da véspera, menos ainda de setembro. Mas a alta do índice Bovespa foi firme e chegou a 2,47%, o maior desde os 3,24% do dia 20 de agosto e a segunda registrada no mês.
A sessão foi muito volátil e o índice, depois de oscilar muito, ficou 49.633 pontos. No acumulado de setembro, as perdas do Ibovespa diminuíram a 10,86% e, no ano, a 22,31%.
O dólar comercial subiu 0,68% e fechou cotado a R$ 1,785. No ano, a moeda acumula valorização de 0,45%.

Demanda interna no país já cresce em ritmo chinês = O ritmo acelerado do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre já provocou uma revisão para cima nas projeções para a evolução da economia em 2008 e também em 2009. Neste ano, os economistas prevêem que o PIB pode repetir o desempenho do ano passado e ficar próximo a 5,4%. Para 2009, as estimativas ficam em torno de 3,5%. Quem esperava menos, reviu a taxa para cima e quem pretendia reduzir a taxa em função do aperto da política monetária - ontem, o Copom elevou novamente a taxa Selic em 0,75 ponto percentual, para 13,75% ao ano - decidiu mantê-la nesse nível. O PIB do segundo trimestre cresceu 6,1% sobre igual período do ano passado e 1,6% sobre os primeiros três meses deste ano, segundo o IBGE. O consumo das famílias e do governo e o investimento mantiveram um ritmo chinês nos últimos quatro trimestres. Com alta de 8,4%, a demanda interna puxou o crescimento de 6% do Produto Interno Bruto (PIB) no semestre, em relação aos primeiros seis meses de 2007. Mais otimista e sem acreditar em contágio da crise externa, o governo espera que esses dados tenham uma influência ainda maior em 2009. Na avaliação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, o forte desempenho do PIB no segundo trimestre - ancorado em uma alta de 16,2% no investimento sobre igual trimestre de 2007 - garante uma evolução de 4,5% para o PIB de 2009. Segundo ele, crescimento com queda de inflação é sinal da boa composição do atual crescimento brasileiro. Com esse resultado, a taxa de investimento sobre o PIB ficou em 18,7%, a maior já registrada para um segundo trimestre desde 2000, início da série histórica do IBGE. O consumo das famílias, com peso de cerca de 60% no PIB, continuou em nível elevado, mas desacelerou ligeiramente e passou de 6,9% para 6,7% entre o primeiro e o segundo trimestres, na comparação com igual período do ano anterior. Esse ritmo forte - que sancionou aumentos de preços nos últimos meses na avaliação do Copom - justificou as preocupações da autoridade monetária, que ontem decidiu por novo aumento dos juros. Desta vez, não houve unanimidade entre os diretores do BC: cinco votaram por 0,75 ponto e três, por 0,50. (Valor Econômico)

PIB em alta e descoberta no pré-sal reanimam a semana = A economia brasileira cresceu 6,1% no segundo trimestre e superou as expectativas do mercado. Entre os dados apresentados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de Formação Bruta de Capital Fixo foi recorde e registrou uma expansão de 16,2%. "Foi um crescimento bom, sustentado pelos investimentos, que refletiram obras públicas e importação de máquinas e equipamentos", afirmou Rebeca Palis, gerente de Contas Trimestrais do IBGE. No primeiro semestre, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 6%. A forte expansão dos investimentos no segundo trimestre do ano amplia a capacidade de o País crescer sem produzir pressões inflacionárias. Apesar do quadro positivo, o Banco Central (BC) ainda não está livre de preocupações no curto prazo. A Petrobras anunciou nova estimativa para a região do pré-sal ao confirmar a existência de 3 bilhões a 4 bilhões de barris de óleo equivalente (petróleo e gás) no campo de Iara, situado no bloco BM-S-11, na bacia de Santos. A descoberta fica na mesma área onde está localizada a jazida de Tupi (com potencial de 5 bilhões a 8 bilhões de barris), até então a única reserva projetada pela estatal. Agora, um único bloco na região pode ter 12 bilhões de barris. (Gazeta Mercantil)

Dividido, BC sobe juro em mais 0,75 ponto: Três dos oito diretores da autoridade monetária votam por aumento de meio ponto na taxa Selic, que vai a 13,75%; analistas acham que divisão pode levar a uma redução do ritmo de alta dos juros já na próxima reunião do Copom, no final de outubro = Cinco meses depois de iniciar o processo de alta dos juros, o Banco Central dá sinais de que o ciclo de apertos pode estar arrefecendo. Ao anunciar nova alta de 0,75 ponto percentual na taxa Selic, o BC disse que 3 dos seus 8 diretores votaram por um aumento menor, de apenas meio ponto. No mercado financeiro, já se esperava que o Copom (Comitê de Política Monetária do BC) fosse elevar a taxa Selic de 13% ao ano para 13,75%, nível mais alto desde outubro de 2006. O que não estava previsto era a falta de consenso na diretoria. Normalmente, a falta de unanimidade no Copom serve para indicar qual será a decisão nos próximos encontros do comitê. A última vez em que houve divisão foi em julho do ano passado, quando alguns diretores votaram por um corte de 0,25 ponto, mas foram vencidos por quem defendia uma redução de 0,50. Na reunião seguinte, o BC reduziu a Selic em 0,25 ponto. "O Copom está dividido quanto à intensidade do remédio. Seguramente, essa dosagem foi repensada", diz Fernando Blanco, presidente da seguradora de crédito Coface. (Folha de SP)
PIB vai a 6,1%; BC, dividido, sobe juros = O aumento da taxa de investimento, os gastos de governos e a agropecuária fizeram o Produto Interno Bruto (conjunto de bens e serviços produzidos no país) crescer 6,1% no segundo trimestre na comparação com o mesmo período de 2007, acima das previsões mais otimistas. Bancos, empresários e governo esperam expansão de até 5,5% este ano. Por 5 votos a 3, o BC subiu os juros em 0,75 ponto, para 13,75%. (O Globo)
BC racha, mas juro sobre 0,75 ponto = ...Dividido, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu elevar a taxa básica de juros em 0,75 ponto percentual, para 13,75% ao ano. Foi a quarta alta seguida. Na reunião de ontem, porém, não, houve unanimidade de votos. Após três horas de discussão, três dos oito diretores do Copom preferiram um avanço mais modesto, de 0,50 ponto. A decisão acabou confirmando as expectativas no mercado financeiro: de 55 analistas consultados pela Agência Estado, 54 apostavam que o Banco Central repetiria a dose dada em julho. Industriais criticaram a decisão. (O Estado de SP)
Economia cresce 6% no semestre. E BC impõe mais juros = Superando as previsões, a economia cresceu 6,1% no segundo trimestre, fechando o semestre com 6% de alta em relação a 2007. Os investimentos em produção também surpreenderam e atingiram um patamar recorde. Mas o Banco Central insiste em enxergar risco no horizonte e aumentou os juros em 0,75 ponto percentual. (Jornal do Brasil)
Copom eleva juros e dólar recupera perdas = O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu elevar a taxa básica de juros (Selic) em 0,75 ponto percentual, para 13,75% ao ano. Com um placar de cinco votos a três, a decisão do colegiado ficou em linha com as expectativas da maior parte do mercado financeiro. Foi a quarta elevação na taxa Selic este ano. Nas reuniões anteriores, o Copom promoveu dois aumentos de 0,5 ponto e uma elevação de 0,75 ponto. As altas este ano somam 1,75 ponto percentual. A decisão do Colegiado mantém o Brasil na liderança do ranking mundial de juros reais, com 8,1% ao ano, à frente de países como a Turquia e o México. No mercado de câmbio, o dólar comercial cravou ontem sua oitava alta consecutiva, encerrando o pregão com valorização de 0,79%, para R$ 1,787 na venda. Com o avanço de ontem, a moeda norte-americana zerou as perdas acumuladas no ano e passou a ter alta de 0,82%. A divisa acumula ganhos de 6,76% na semana e de 9,26% no mês. (Gazeta Mercantil)

IBGE diz que emprego industrial em julho tem o melhor desempenho desde maio de 2004 = Acompanhando o crescimento da produção, o emprego na indústria brasileira subiu pelo segundo mês consecutivo e atingiu a maior taxa mensal desde maio de 2004, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira. O emprego aumentou 0,7% em julho ante junho e avançou 2,8% na comparação com igual mês do ano anterior, mantendo seqüência de 25 meses de crescimento do emprego industrial. A média móvel trimestral, que vinha mostrando estabilidade neste ano, teve alta de 0,4% em julho. "Esse movimento guarda relação com a trajetória de crescimento da produção que, neste mesmo indicador, mostrou aumento de 0,8% entre os trimestres encerrados em maio e junho e acentuou o ritmo de expansão em julho", disse o IBGE em nota. No acumulado no ano, o indicador também fechou em 2,8%. Já no acumulado dos últimos doze meses, a taxa ficou estável em 2,9%, interrompendo uma trajetória crescente que vinha desde outubro de 2006. (O Globo)

Pão continua caro, apesar da queda do trigo = A cotação do trigo ao produtor agrícola caiu 22%, nos últimos dois meses, mas o preço do popular pãozinho recuou lentamente nesse período (0,22%). Dados da empresa de consultoria Safras & Mercado mostram que, entre janeiro e maio, o trigo em grão teve alta de 30,1%. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o pãozinho aumentou 18,1%, acompanhando a tendência do mercado naquela ocasião. Para evitar alta ainda maior, o governo isentou toda a cadeia do trigo do recolhimento do PIS e da Cofins (9,25%). Os representantes dos moinhos garantem que o benefício foi repassado ao preço da farinha. No Moinho Anaconda, a queda foi de 19,2% entre abril e agosto, afirma Luiz Martins, presidente do grupo. (Gazeta Mercantil)

Investimentos em aço somam US$ 64 bi = Há 46 projetos siderúrgicos em fase de estudos ou implantação no Brasil até 2012, dos quais 24 são novas usinas. Os investimentos previstos somam US$ 64 bilhões. Desse total, 20% estão em execução, 10% aprovados, 55% em estudo de viabilidade e 6% foram suspensos temporariamente. Os dados são de levantamento da filial brasileira da SMS Demag, grupo alemão que é um dos líderes globais na produção de equipamentos e tecnologia para a indústria do aço. O empreendimento de maior porte é a usina da Techint, no litoral do Rio, estimado em US$ 10 bilhões e ainda em fase de avaliação. (Valor Econômico)

Justiça bloqueia fazenda e garante dívidas da Vasp = O pagamento de metade da dívida que a Vasp tem com seus ex-funcionários já está garantido. A Justiça do Trabalho determinou o bloqueio dos bens da Agropecuária Vale do Araguaia, de propriedade do ex-controlador da companhia aérea, Wagner Canhedo - e da decisão não cabe mais recurso. A empresa é dona da Fazenda Piratininga, um enorme complexo agropecuário de 135 mil hectares ao norte de Goiás avaliado em R$ 421 milhões. A decisão foi tomada em ação do Ministério Público do Trabalho que tramita desde 2005 e garante aos funcionários o recebimento dos créditos independentemente do rateio que deverá ser feito entre todos os credores da empresa - como fornecedores e bancos - se a falência da Vasp, decretada nesta semana, for mantida pela Justiça. (Valor Econômico)

Gargalo logístico = Com exportação recorde de 623 milhões de litros de álcool no mês passado, a capacidade de escoamento dos portos brasileiros aproxima-se do seu limite. Dois grandes projetos para ampliar a infra-estrutura ainda engatinham. (Valor Econômico)

Indústria química = Apesar da queda de 5,7% em volume em relação ao mês anterior, a importação de produtos químicos em agosto registrou o recorde de US$ 3,6 bilhões, alta de 2,4%, reflexo do aumento dos preços no mercado internacional. No ano, as importações já somam US$ 22,7 bilhões. (Valor Econômico)

GDF-suez estréia em eólica no país = A franco-belga GDF-Suez estréia hoje em geração eólica no Brasil ao colocar em operação uma usina situada em Beberibe, a 80 quilômetros de Fortaleza (CE). A nova central, de 26 MW de potência, foi adquirida recentemente da norte-americana Econergy. (Gazeta Mercantil)

Company é da Brascan por R$ 200 milhões = Após a queda generalizada das açõ
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016