Atualidades 01/08/2011


DESTAQUES DAS REVISTAS SEMANAIS       1º/08/2011

Veja

Época
O ponto fraco do ensino forte

IstoÉ
As estrelas da Cabala

IstoÉ Dinheiro
Montadoras invadem o Brasil = Piracicaba entra no mapa da Coreia do Sul

Carta Capital
Reforma agrária, descanse em paz = O MST muda o foco

Exame
O homem que derrotou Abílio




Destaques

MANCHETES DOS JORNAIS                       1º/08/2011

Folha de SP = Obama anuncia acordo que evita calote nos EUA
O Estado de SP = Concessionárias públicas lideram queixas no Procon
O Globo = EUA: Obama anuncia acordo que evita calote
Correio Braziliense = Obama fecha acordo para evitar calote
Estado de Minas = Impunidade à vista
Valor Econômico = Só o projeto do trem-bala custa R$ 1 milhão por km
Brasil Econômico = Aposta em negócios polêmicos prejudica rentabilidade do BNDES
Zero Hora (P. Alegre) = Colapso no Central força ida de presos para Charqueadas
A Tarde (Salvador) = Sumiço de projeto limita ações públicas em bairros          
O Povo (Fortaleza) = Frota de motos cresce duas vezes mais que a de carros
Jornal da Tarde (SP) = Familiares: os maiores inimigos dos idosos
Diário Catarinense (Florianópolis) = Planalto das denúncias: Catarinense e outro ministério viram alvo
Gazeta do Povo (Curitiba) = Cohabs vendem terrenos sem título de propriedade
Jornal do Commercio (Recife) = Volta às aulas exigirá paciência no trânsito

01 de agosto de 2011
O Globo

Manchete: EUA:Obama anuncia acordo que evita calote
Congresso deve votar medida hoje; mercados abrem em alta

Faltando 48 horas para o Congresso americano aumentar o teto da dívida pública do país e, assim, evitar um calote que parecia iminente, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou ontem à noite que parlamentares democratas e republicanos chegaram a um acordo sobre o tema. A reação dos mercados financeiros foi imediata: em Tóquio, a Bolsa abriu em alta de 1,3%, e o dólar se valorizou frente ao iene. As discussões se arrastavam há semanas. O acordo, porém, ainda precisa ser votado na Câmara e no Senado, o que deve ocorrer hoje. Obama não detalhou o que foi acordado, mas, segundo parlamentares, o texto a ser votado prevê que o teto da dívida, hoje em US$ 14,3 trilhões, seria elevado em US$ 2,4 trilhões a US$ 2,8 trilhões. Em contrapartida, haverá um corte no Orçamento de US$ 1 trilhão. (Págs. 1 e 19) 
Nova política industrial prevê alívio na folha
Desonerações devem ser por setores, e empresas de software, mesmo as que não exportam, podem ser beneficiadas. A nova política industrial, a ser anunciada amanhã, dará incentivos fiscais, como redução de IPI, atrelados a investimentos em pesquisa para segmentos como o automotivo. (Págs. 1 e 22)
Ministro diz a PT que não terá varredura
Para acalmar os ânimos do PT, que teme que a faxina anticorrupção respingue nas alianças em 2012, o ministro Gilberto Carvalho disse que não haverá uma "varredura geral". (Págs. 1 e 3)
Sem médico, hospital passa chave na porta
O Hospital municipal Rocha Maia, em Botafogo, fechou as portas ontem por falta de médicos. Quem procurou a emergência foi orientado a buscar outras unidades. (Págs. 1 e 18)
Tropas sírias matam 136 na véspera do Ramadã
Tropas do ditador da Síria, Bashar al-Assad, mataram 136 pessoas, a maioria na cidade de Hama, um dia antes do Ramadã, mês sagrado muçulmano. EUA e europeus prometeram intensificar ações contra o regime. (Págs. 1 e 25)
Aumenta invalidez por acidentes de trânsito
A violência no trânsito fez explodir os casos de invalidez por acidente. Nos primeiros seis meses do ano, foram 107.403 contra 151.588 de todo o ano de 2010, de acordo com as indenizações pagas pelo seguro DPVAT. (Págs. 1 e 11)

Piloto alertou em e-mail sobre falhas no avião que caiu (Págs. 1 e l0)

Digital & Mídia
Consumidores de baixa renda já são 46,5% do total na internet. (Págs. 1 e 21)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete: Obama anuncia acordo que evita calote nos EUA
Não foram divulgados novo teto da dívida nem as áreas que vão sofrer cortes

O presidente Barack Obama anunciou acordo para cortar US$ 1 trilhão de gastos nos próximos dez anos e elevar o teto da dívida, evitando calote iminente.

O pacote, que precisa ser votado até amanhã, fica a quem de expectativas iniciais de corte de US$ 3 trilhões, mas põe fim a quase um mês de impasse. Uma nova rodada de ajustes será proposta em novembro. (Págs. 1 e Mundo A9)
Vinicius Mota : Supremacia do dólar não durará para sempre
O ano que vem marcara o 50º aniversário do episódio dos mísseis cubanos, que pôs em risco a estabilidade sustentada pela Guerra Fria.

A ameaça de calote americano é o que hoje questiona fundamentos da organização do mundo. Tal como ruiu a ordem bipolar, a supremacia do dólar não durará para sempre. (Págs. 1 e Opinião A2)
Forças leais ao ditador Assad massacram 140 na Síria
Num dos dias mais sangrentos desde o início da revolta contra o regime sírio, em março, ao menos 140 pessoas foram mortas neste domingo por forças leais ao ditador Bashar Assad.

O principal foco da repressão foi na cidade de Hama, onde tanques do Exército montaram cerco contra oposicionistas. EUA, Alemanha, Itália, França, Reino Unido e Turquia condenaram Damasco. (Págs. 1 e Mundo A12)
Entrevista - Irwin Jacobs
Para inventor, celular vai ser uma extensão do cérebro

Criador da maior empresa de chips para celulares, Irwin Jacobs diz em entrevista a Roberto Dias que essa tecnologia vai revolucionar a educação. Sobrevivente de forma rara de câncer, ele diz que não é possível afirmar que o celular é seguro para a saúde. (Págs. 1 e Poder A14)
Guia britânico auxilia gays a achar escolas mais amigáveis
Uma entidade britânica que combate a homofobia criou o primeiro guia on-line que classifica as escolas mais preparadas para receber gays, lésbicas, bissexuais e travestis. Para pesquisa, 65% desses estudantes dizem ter sofrido bullying homofóbico. (Págs. 1 e Saber C7)
Financiar carro em banco é melhor do que em revenda (Págs. 1 e B7)

Gustavo Cerbasi
Aposentado deve ter mais dinheiro para gastar, não menos (Págs. 1 e B8)

Editoriais
Leia "O recuo da Petrobras", sobre o plano de investimentos da empresa, e "Atraso escolar", acerca da alta no percentual de alunos defasados. (Págs. 1 e Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Concessionárias públicas lideram queixas no Procon
Operadoras de energia, telefonia e água foram as que mais atormentaram o consumidor em 20 de 24 Estados

As empresas de energia elétrica, de telefonia e de água e esgoto foram as que receberam o maior número de reclamações em 20 dos 24 Estados em que os Procons estão presentes. Concessionárias de serviços públicos superaram bancos e redes de varejo na liderança dos rankings de queixas dos consumidores. Um dos principais motivos apontados pelos especialistas para a piora do serviço público é o descompasso entre a demanda e os investimentos. "Os setores de telecomunicações e de energia foram privatizados porque o Estado não tinha condições de investir. Mas a setor privado não está fazendo o investimento necessário", afirma o professor Francisco Vignoli, do departamento de planejamento e análise econômica da Fundação Getúlio Vargas, de São Paulo. (Págs. 1 e Economia B8 e B9)

Redes em expansão

As operadoras de telefonia e de energia elétrica afirmam que estão investindo o necessário e que seus índices de reclamação estão diminuindo. (Pág. 1)
BCs têm plano contra crise nos EUA
Bancos centrais das maiores economias se mobilizam para por em ação um plano de emergência, que inclui injetar recursos nos bancos comerciais, para tentar blindar os mercados e garantir que um eventual suspensão de pagamentos nos EUA não paralise o sistema financeiro internacional. Investidores, empresas e governos se preparam para uma segunda-feira turbulenta nas bolsas mundiais. (Págs. 1 e Economia B1)
Síria massacra 80 civis e Brasil negocia missão
Na véspera do início do Ramadã, o mês sagrado do Islã, o regime de Bashar Assad lançou violenta onda de repressão, matando pelo menos 80 civis na cidade de Hama, segundo grupos locais de defesa dos direitos humanos. Brasil, Índia e África do Sul querem enviar, em até duas semanas, uma missão a Damasco para consultar o governo sobre a reforma prometida. (Págs. 1 e Internacional A13)
Lei quer reduzir consumo de álcool por menor
Projeto de lei do governador Geraldo Alckmin propõe responsabilizar o proprietário do bar caso algum adolescente consuma bebida alcóolica no local. (Págs. 1 e Vida A11)
Poluição em casas e escritórios de São Paulo é até 392% pior
Com um aparelho do Laboratório de Poluição Atmosférica da Universidade de São Paulo (USP), o Estado visitou ambientes internos de dez pontos da capital e constatou a presença de partículas inaláveis em índices até 392% superiores ao recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Poeira fina formada em até 80% pela queima de combustíveis, esse material particulado é um dos principais poluentes da cidade, onde a frota de veículos já supera os 7 milhões. (Págs. 1 e Cidades C1)
As novas gigantes do agronegócio
Empresários estreantes criam grandes grupos de produção de grãos e avançam na prestação de serviços, invadindo o terreno dominado pelas tradings. (Págs. 1 e Negócios)
Governo e oposição disputam cadeira no TCU (Págs. 1 e Nacional A4)

A cada 4 dias, um idoso é roubado por parente (Págs. 1 e Cidades C3)

Irã avança para ser maior força militar do Golfo (Págs. 1 e Internacional A14)

Notas & Informações
PAC continua devagar

Segundo relatório oficial, só 74% dos investimentos deverão ser concluídos até 20l4. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Obama fecha acordo para evitar calote
Depois de correr contra o tempo para não colocar em risco sua credibilidade de bom pagador, governo dos EUA consegue, na última hora, evitar o pior

A 27 horas do prazo-limite para o calote dos títulos públicos do país, o presidente norte-americano anunciou um acordo entre republicanos e democratas para elevar o nível do endividamento dos EUA, hoje em US$ 14,3 trilhões. O consenso precisa agora ser oficializado por votação. O preço, no entanto, foi alto: cortes de US$ 2,5 trilhões nos gastos do Tesouro (US$ 1 trilhão ao longo de 10 anos e o restante a negociar) e uma sangria na popularidade do presidente que o deixou mais fraco para a disputa eleitoral. (Págs. 1, 8 e 9)
Os imigrantes invisíveis
Infiltrados no Brasil, máfia do leste europeu e outros grupos internacionais trazem ao país estrangeiros que aqui passam a viver sem serem notados. Ligados ao narcotráfico, permanecem até caírem nas mãos da Polícia Federal. É o caso da espanhola Maria de los Angeles, presa em Brasília. (Págs. 1, 6 e 7)
Congresso: Governo deve enfrentar pressão
Crise política no Ministério dos Transportes estará no centro da pauta na reabertura dos trabalhos no Senado, o que, somado às negociações por emendas, pode resultar em dores de cabeça para o Executivo. No DF, distritais retornam discutindo temas polêmicos. Entre eles, o projeto de ordenamento territorial. (Págs. 1, 2, 17 e Visão do Correio, 10)
Terminais rodoviários do DF estão abandonados (Págs. 1, 20 e 21)

Síria massacra manifestantes
Tropas do governo mataram pelo menos 136 civis — 100 deles na cidade de Hama — que pediam mudanças no regime de Damasco. O ataque ocorreu na véspera do Ramadã, mês sagrado para os islâmicos. (Págs. 1 e 12)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Só o projeto do trem-bala custa R$ 1 milhão por km
O governo vai investir R$ 540 milhões dos cofres públicos na elaboração do projeto executivo para a construção do trem-bala. Esse aporte, equivalente a R$ 1 milhão por quilômetro da ferrovia, será feito por meio da Etav, estatal vinculada ao Ministério dos Transportes, criada para ser o braço do governo no consórcio do trem de alta velocidade (TAV).

A elaboração desse estudo complexo, o qual vai demorar mais de um ano para ser concluído, tem a missão de detalhar tudo o que estiver direta e indiretamente relacionado à obra, evitando, assim, falhas de informação. (Págs. 1 e A3)
Economia europeia volta a desacelerar
A economia europeia está novamente desacelerando, agora também nas economias mais importantes. A Alemanha sofre com a queda das exportações e há claros sinais de que a demanda global está diminuindo. Grandes companhias europeias alertam que suas perspectivas de negócios pioraram, num cenário de temores sobre o impacto da crise da dívida soberana e redução do comércio global. Seus resultados no segundo trimestre dão a mesma mensagem - deterioração na demanda, preços de matérias-primas em forte alta e cortes de custos superando agora os planos de expansão. Diante de um cenário pouco alentador, os bancos da zona do euro endureceram padrões de concessão de crédito. A expectativa é de que o crédito ficará ainda mais limitado nos próximos meses. (Págs. 1 e 8)
Brasília quer garantir liquidez
Com o impasse político nos EUA sobre a elevação do teto da dívida, o governo brasileiro já estuda recorrer a medidas de garantia de liquidez na economia, como fez durante a crise de 2008, quando ajudou bancos e empresas garantindo a expansão de crédito por meio de instituições públicas. As medidas seriam lançadas caso a crise política nos EUA leve a uma retração na economia mundial.

Ontem à noite, o presidente dos EUA, Barack Obama, e líderes do Congresso estavam no limiar de um amplo acordo para aumentar o teto de endividamento do governo e, ao mesmo tempo, cortar os gastos públicos em cerca de US$ 2,4 trilhões, mas o acordo ainda precisava do apoio de mais congressistas. Ainda não estava claro ontem à noite se o acordo discutido impediria que agências de risco rebaixassem a nota dos títulos de dívida do Tesouro dos EUA. (Págs. 1 e A11)
Foto legenda: Força para oposicionistas
O prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macri reelegeu-se ontem no segundo turno da eleição por larga margem, segundo pesquisas de boca de urna. Empresário, Macri deverá se consolidar como o principal nome da fragmentada oposição à presidente Cristina Kirchner. (Págs. 1 e A8)
As estratégias do quase 'rei' dos genéricos
Mais temido do que elogiado, ele não gosta de holofotes e tem estilo discreto, mas adota estratégia barulhenta quando se trata de colocar no mercado os medicamentos que fabrica. No ano passado, pôs nas ruas um exército para distribuir as primeiras cópias genéricas do Viagra, cuja patente, da Pfizer, expirou. As vendas explodiram. Esse é Carlos Sanchez, 49 anos, presidente do conselho de administração da EMS, a maior farmacêutica nacional.

O pai de Sanches, Emiliano, abriu uma farmácia em Santo André, nos anos 50, e fundou a EMS em 1964, mas o laboratório só ganhou projeção nos anos 90, com a lei dos genéricos. Hoje, com faturamento de R$ 3,37 bilhões, a empresa é cobiçada por multinacionais. (Págs. 1 e B8)
Recrutadores avaliam dotes culinários e rapidez no SMS
Para ser aprovado na etapa final do programa de jovens líderes da empresa de tecnologia da informação Bematech, Marcel Verdrossi teve que incorporar um "chef" e cozinhar para executivos da companhia. Os objetivos eram avaliar sua performance quanto ao trabalho em equipe, gestão de tempo e de recursos.

Na busca por talentos, as companhias estão diversificando seus processos de seleção e as características comportamentais estão sendo tão valorizadas quanto o conhecimento técnico. A construtora e incorporadora Plano & Plano, por exemplo, incluiu uma etapa inovadora durante o recrutamento para a área de marketing. Procurando por candidatos criativos e afinados com tecnologia, a empresa fez uma entrevista com os finalistas por SMS. (Págs. 1 e D10)
Assembleia de Deus seria um partido com 73% de sucesso
A Assembleia de Deus, denominação religiosa que completa cem anos de presença no Brasil, tem a maior taxa de sucesso eleitoral do país. Nas últimas eleições, a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil lançou 30 pastores e lideranças da igreja a uma vaga na Câmara dos Deputados. Foram eleitos 22 deles, um percentual de 73,3% de sucesso. Não há partido político no Brasil com tamanho êxito: o PT, maior bancada da Câmara, lançou 334 candidatos a deputado federal em todo o país e elegeu 88 (26,3%). Dos 73 deputados que compõem a bancada evangélica, os adeptos da Assembleia de Deus são um terço.

Quase toda sua bancada - 20 parlamentares - está na base de apoio da presidente Dilma Rousseff. O PSC é o partido mais bem representado, seguido pelo PR. Rondônia é o Estado que abriga mais parlamentares ligados à Assembleia de Deus, em termos absolutos e proporcionais. (Págs. 1 e A6)
Indústria desacelera
A indústria entrou na segunda metade do ano num ritmo fraco, de acordo com o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do HSBC. O indicador ficou em 47,8 pontos em julho, o nível mais baixo em 26 meses. (Págs. 1 e A4)
Caixa capta no exterior
A Caixa Econômica Federal começou a buscar recursos no exterior e está revendo sua estratégia de captação. A ideia é ampliar os acordes com bancos estrangeiros para reforçar o "funding". (Págs. 1 e C1)
Emergentes em vez dos EUA
O impasse sobre a elevação do teto do endividamento dos EUA levou os investidores a saírem das carteiras de curto prazo americanas em busca dos fundos de renda fixa, em especial de emergentes, segundo a consultoria EPFR Global. (Págs. 1 e D2)
Crime contra o sistema financeiro
Até o fim do ano, um grupo de advogados criminalistas, ministros de tribunais superiores, juízes e policiais federais, liderado por Márcio Thomaz Bastos, deve concluir anteprojeto para alterar a lei de crimes contra o sistema financeiro. (Págs. 1 e E1)
União da Dasa e MD1
O parecer da Procuradoria Geral do Cade inicialmente contrário à união entre MDl e Dasa pode trazer alguma pressão às ações da companhia. Mas analistas acreditam que a operação não deverá ser suspensa. (Págs. 1 e D4)
Ideias
Sergio Leo

O fortalecimento da defesa comercial é não só necessário como inadiável. Mas será remédio para os males da indústria. (Págs. 1 e A2)
Ideias
Martin Feldstein

Para cortar o déficit americano em relação ao PIB, não há como fugir de aumento de receitas limitando a redução de impostos. (Págs. 1 e Al3)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Impunidade à vista
Proposta na Assembleia beneficia 30 mil prefeitos e outros servidores investigados

Está pronta para ser votada no plenário da Casa uma emenda a projeto de lei que garante prescrição de processos que tramitam há mais de cinco anos no Tribunal de Contas do Estado. Dos 90 mil em análise no órgão, um terço deu entrada antes de 2006. Autor da proposta, o deputado Antonio Júlio (PMDB) alega que o objetivo é pressionar o tribunal a agilizar o trabalho e não penalizar os investigados, que esperam anos para ter caso julgado. Mas, na prática, significa que prefeitos e secretários processados por desvio de recursos públicos, por exemplo, ficarão impunes.(Págs. 1 e 3)
EUA fecham acordo para evitar calote
O presidente Barack Obama anunciou ontem à noite um acordo entre democratas e republicanos para elevação do teto da dívida de US$ 14,3 trilhões, que precisa ser votado no Congresso até amanhã. Sem dar detalhes, ele informou que o corte de gastos no país será de US$ 1 trilhão em 10 anos e outras medidas serão tomadas numa segunda etapa. (Págs. 1 e 10)
Brasileiros invadem a Argentina
Buenos Aires virou uma espécie de nova Guarapari. As razões são muitas: câmbio favorável, crise econômica do país vizinho, pacote de cinco dias a R$ 1 mil, mais barato do que viajar ao Nordeste. (Págs. 1 e 11)
AIDS: A força dos sobreviventes
Portadores do vírus HIV se livram da sentença de morte e levam vida normal com medicação, mas ainda sofrem com efeitos colaterais e preconceito. (Págs. 1, 17 e 19)
Máfia europeia comanda narcotráfico no Brasil (Págs. 1 e 7)

Procon: Aparelhos eletrônicos e celulares lideram queixas. (Págs. 1 e 12)

Sem voo: Mineiros estão retidos há dois dias em Portugal. (Págs. 1 e 15)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Volta às aulas exigirá paciência no trânsito
O que já é ruim deve ficar pior a partir de hoje com o retorno das aulas nas escolas particulares no Recife. Com mais carros nas ruas, CTTU e colégios prometem por em prática esquema especial. (Págs. 1 e 20)
Obama anuncia finalmente o acordo da dívida (Págs. 1 e 7)

Emprego que vem das Bolsas de Valores (Págs. 1 e 3)

Massacre na Síria (Pág. 1)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Colapso no Central força ida de presos para Charqueadas
Solução encontrada pelo governo para cumprir determinação da Justiça provocará aumento de circulação de detentos para transferências e audiências na Capital. (Págs. 1 e 30)
Obama anuncia acordo para evitar calote
Proposta que prevê corte de gastos ainda será avaliada pelo Congresso dos EUA. (Págs. 1 e 14)
A cultura da lentidão: Hospital pronto há 11 anos nunca funcionou
Governos não se responsabilizam por obra em Barra do Ribeiro. (Págs. 1, 4, 5 e 10)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: Aposta em negócios polêmicos prejudica rentabilidade do BNDES
Compra de ações de gigantes como Marfrig e BRF rendeu menos que as críticas ao negócio. Retorno tende a ser de longo prazo

Se decidisse deixar o quadro acionário da Marfrig hoje, banco estatal receberia R$ 733 milhões por sua participação. O valor está bem abaixo do R$ 1,1 bilhão já aportado na empresa. O mesmo ocorre com os papéis que tem na BR Foods. O BNDES pagou R$ 750 milhões por 2,55% das ações, que hoje valem R$ 660 milhões. Nos dois casos, economistas criticam tanto a decisão de investimento quanto a concentração de mercado que os negócios propiciaram. (Págs. 1 e P4)

Projetos sociais ficaram com 6% do orçamento do banco em 2010. Percentual deve ser igual este ano. (Pág. 1)
Foto legenda: Telefônica vai adotar marca Vivo no próximo ano
A mudança criará a terceira marca comercial do grupo, que já conta com a O2 e a Movistar. A complexidade está na integração dos sistemas, diz o presidente da operadora, Antônio Carlos Valente. (Págs. 1 e P22)
Bolsa estende auditoria a agente autônomo
A iniciativa da BM&Fbovespa Supervisora de Mercado tem como objetivo aperfeiçoar processos e controles. Corretoras já vinham sendo sendo auditadas. (Págs. 1 e P30)
Ferrovias sem concorrência
A entrada de novos competidores no setor ferroviário pode ser difícil diante da estrutura de operação da malha, 70% dela dedicada ao transporte de minério. (Págs. 1 e P8)
Bahiagás dobra investimentos
Expansão da rede de fornecimento terá R$ 120 milhõesem 2012, ante R$ 60 milhões aplicados neste ano. Empresa prevê crescer 50% até 2015. (Págs. 1 e P18)
Fecomercio apresenta ao governo estudo com propostas para fomentar o desenvolvimento de jogos eletrônicos (Págs. 1 e P14)

EUA definem rumo dos investidores
Ansiedade marca desempenho do mercado, à espera do desfecho sobre dívida americana. (Págs. 1 e P32)
------------------------------------------------------------------------------------

Fique por dentro
EUA:Obama anuncia acordo que evita calote = Congresso deve votar medida hoje; mercados abrem em alta = Faltando 48 horas para o Congresso americano aumentar o teto da dívida pública do país e, assim, evitar um calote que parecia iminente, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou ontem à noite que parlamentares democratas e republicanos chegaram a um acordo sobre o tema. A reação dos mercados financeiros foi imediata: em Tóquio, a Bolsa abriu em alta de 1,3%, e o dólar se valorizou frente ao iene. As discussões se arrastavam há semanas. O acordo, porém, ainda precisa ser votado na Câmara e no Senado, o que deve ocorrer hoje. Obama não detalhou o que foi acordado, mas, segundo parlamentares, o texto a ser votado prevê que o teto da dívida, hoje em US$ 14,3 trilhões, seria elevado em US$ 2,4 trilhões a US$ 2,8 trilhões. Em contrapartida, haverá um corte no Orçamento de US$ 1 trilhão. (O Globo)
Obama anuncia acordo que evita calote nos EUA = Não foram divulgados novo teto da dívida nem as áreas que vão sofrer cortes = O presidente Barack Obama anunciou acordo para cortar US$ 1 trilhão de gastos nos próximos dez anos e elevar o teto da dívida, evitando calote iminente. O pacote, que precisa ser votado até amanhã, fica a quem de expectativas iniciais de corte de US$ 3 trilhões, mas põe fim a quase um mês de impasse. Uma nova rodada de ajustes será proposta em novembro. (Folha de S. Paulo)
Obama fecha acordo para evitar calote = Depois de correr contra o tempo para não colocar em risco sua credibilidade de bom pagador, governo dos EUA consegue, na última hora, evitar o pior = A 27 horas do prazo-limite para o calote dos títulos públicos do país, o presidente norte-americano anunciou um acordo entre republicanos e democratas para elevar o nível do endividamento dos EUA, hoje em US$ 14,3 trilhões. O consenso precisa agora ser oficializado por votação. O preço, no entanto, foi alto: cortes de US$ 2,5 trilhões nos gastos do Tesouro (US$ 1 trilhão ao longo de 10 anos e o restante a negociar) e uma sangria na popularidade do presidente que o deixou mais fraco para a disputa eleitoral. (Correio Braziliense)
EUA fecham acordo para evitar calote = O presidente Barack Obama anunciou ontem à noite um acordo entre democratas e republicanos para elevação do teto da dívida de US$ 14,3 trilhões, que precisa ser votado no Congresso até amanhã. Sem dar detalhes, ele informou que o corte de gastos no país será de US$ 1 trilhão em 10 anos e outras medidas serão tomadas numa segunda etapa. (Estado de Minas)

Concessionárias públicas lideram queixas no Procon = Operadoras de energia, telefonia e água foram as que mais atormentaram o consumidor em 20 de 24 Estados = As empresas de energia elétrica, de telefonia e de água e esgoto foram as que receberam o maior número de reclamações em 20 dos 24 Estados em que os Procons estão presentes. Concessionárias de serviços públicos superaram bancos e redes de varejo na liderança dos rankings de queixas dos consumidores. Um dos principais motivos apontados pelos especialistas para a piora do serviço público é o descompasso entre a demanda e os investimentos. "Os setores de telecomunicações e de energia foram privatizados porque o Estado não tinha condições de investir. Mas a setor privado não está fazendo o investimento necessário", afirma o professor Francisco Vignoli, do departamento de planejamento e análise econômica da Fundação Getúlio Vargas, de São Paulo. (O Estado de S. Paulo)

Impunidade à vista = Proposta na Assembleia beneficia 30 mil prefeitos e outros servidores investigados = Está pronta para ser votada no plenário da Casa uma emenda a projeto de lei que garante prescrição de processos que tramitam há mais de cinco anos no Tribunal de Contas do Estado. Dos 90 mil em análise no órgão, um terço deu entrada antes de 2006. Autor da proposta, o deputado Antonio Júlio (PMDB) alega que o objetivo é pressionar o tribunal a agilizar o trabalho e não penalizar os investigados, que esperam anos para ter caso julgado. Mas, na prática, significa que prefeitos e secretários processados por desvio de recursos públicos, por exemplo, ficarão impunes. (Estado de Minas)

Volta às aulas exigirá paciência no trânsito = O que já é ruim deve ficar pior a partir de hoje com o retorno das aulas nas escolas particulares no Recife. Com mais carros nas ruas, CTTU e colégios prometem por em prática esquema especial. (Jornal do Commercio)

Colapso no Central força ida de presos para Charqueadas = Solução encontrada pelo governo para cumprir determinação da Justiça provocará aumento de circulação de detentos para transferências e audiências na Capital. (Zero Hora)

Assembleia de Deus seria um partido com 73% de sucesso = A Assembleia de Deus, denominação religiosa que completa cem anos de presença no Brasil, tem a maior taxa de sucesso eleitoral do país. Nas últimas eleições, a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil lançou 30 pastores e lideranças da igreja a uma vaga na Câmara dos Deputados. Foram eleitos 22 deles, um percentual de 73,3% de sucesso. Não há partido político no Brasil com tamanho êxito: o PT, maior bancada da Câmara, lançou 334 candidatos a deputado federal em todo o país e elegeu 88 (26,3%). Dos 73 deputados que compõem a bancada evangélica, os adeptos da Assembleia de Deus são um terço. Quase toda sua bancada - 20 parlamentares - está na base de apoio da presidente Dilma Rousseff. O PSC é o partido mais bem representado, seguido pelo PR. Rondônia é o Estado que abriga mais parlamentares ligados à Assembleia de Deus, em termos absolutos e proporcionais. (Valor Econômico)

Ministro diz a PT que não terá varredura = Para acalmar os ânimos do PT, que teme que a faxina anticorrupção respingue nas alianças em 2012, o ministro Gilberto Carvalho disse que não haverá uma "varredura geral". (O Globo)
Governo vai ''para cima'' de corruptos, diz Carvalho = Em encontro com petistas, ministro nega que presidente Dilma esteja promovendo ''caça às bruxas'', mas ressalta que haverá cobranças por erros = Em encontro com petistas, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse que não há "clima de caça às bruxas" no governo, "mas um clima de ir pra cima, de cobrar sempre que houver algum tipo de erro". A declaração foi feita após o surgimento, no fim de semana, de novas denúncias de irregularidades envolvendo os ministérios das Cidades e da Agricultura. Reportagens das revistas Isto É e Veja relataram supostos pagamentos irregulares nas pastas em troca de propinas. Os casos serão avaliados hoje pela presidente Dilma Rousseff na reunião de coordenação política do governo. Carvalho participou do encontro das correntes que detêm a maioria dos cargos no Diretório Nacional do PT, em São Paulo, que terminou sem acordo sobre a proposta de restrição da realização de prévias internas para a escolha dos candidatos do partido em futuras eleições. As prévias eram um dos principais temas da reunião da chapa que engloba as correntes Construindo um Novo Brasil (CNB) - a maior do partido, conhecida como Campo Majoritário até o escândalo do mensalão -, Novos Rumos e PT de Luta e de Massas. O ministro, que nesta semana afirmou ao Estado que a realização de prévias seria um "desastre", recomendou cautela ao PT nas eleições. (O Estado de S. Paulo)

Congresso: Governo deve enfrentar pressão = Crise política no Ministério dos Transportes estará no centro da pauta na reabertura dos trabalhos no Senado, o que, somado às negociações por emendas, pode resultar em dores de cabeça para o Executivo. No DF, distritais retornam discutindo temas polêmicos. Entre eles, o projeto de ordenamento territorial. (Correio Braziliense)

Aumenta invalidez por acidentes de trânsito = A violência no trânsito fez explodir os casos de invalidez por acidente. Nos primeiros seis meses do ano, foram 107.403 contra 151.588 de todo o ano de 2010, de acordo com as indenizações pagas pelo seguro DPVAT. (O Globo)

Os imigrantes invisíveis = Infiltrados no Brasil, máfia do leste europeu e outros grupos internacionais trazem ao país estrangeiros que aqui passam a viver sem serem notados. Ligados ao narcotráfico, permanecem até caírem nas mãos da Polícia Federal. É o caso da espanhola Maria de los Angeles, presa em Brasília. (Correio Braziliense)

Cadeira no TCU abre nova disputa entre governo e oposição na Câmara = Vaga que será aberta com a aposentadoria do ex-deputado tucano Ubiratan Aguiar dará ao futuro titular benefícios como salário de R$ 25 mil, cota anual de R$ 50 mil para passagens aéreas e aposentadoria aos 70 anos com vencimentos integrais = A corrida pela vaga de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) começa oficialmente hoje, com o pedido de aposentadoria do ex-presidente do órgão Ubiratan Aguiar e a volta do Congresso ao trabalho. Uma preocupação a mais para o Planalto, que passou os últimos dois anos se queixando dos rigores da administração de Aguiar - ex-deputado tucano - e vê os partidos governistas divididos em uma dezena de candidaturas - o que abre espaço para uma nova investida da oposição no TCU.Câmara e Senado se alternam na indicação de seis das nove vagas de ministro do TCU - as outras três são escolhidas pelo presidente da República - e agora é a vez de um deputado ganhar o posto. A novidade desta eleição é que, na esteira do escândalo de corrupção no Ministério dos Transportes, a União dos Auditores Federais de Controle Externo (Auditar), com o apoio de entidades civis como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o Movimento Ficha Limpa, entrou na disputa. Mais do que lançar a campanha Ministro Cidadão, o movimento apresentou a candidatura do auditor Rosendo Severo e agora trabalha para ganhar o apoio de um partido. Estão na briga pela cadeira de Ubiratan três deputados peemedebistas - Átila Lins (AM), Osmar Serraglio (PR) e Fátima Pelaes (AP), além do líder do PTB, Jovair Arantes (GO) e de Ana Arraes (PSB-PE), Sérgio Carneiro (PT-BA), Damião Feliciano (PDT-PB), Milton Monti (PR-SP), José Rocha (PR-BA) e Sérgio Brito (PSC-BA). (O Estado de S. Paulo)

Oposição pede investigação no Ministério da Agricultura = Com a avaliação de que outros partidos da base aliada do governo se tornarão alvo de denúncias em órgãos que comandam, a oposição cobrará a investigação de novos casos, como as irregularidades apontadas no Ministério da Agricultura, em especial na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O PPS quer que o Tribunal de Contas da União (TCU) investigue o caso. Com a volta dos trabalhos do Congresso, o PSDB e o DEM analisarão as novas denúncias. Para o líder do PSDB na Câmara, deputado Duarte Nogueira (SP), os recentes problemas apontados em diferentes órgãos, que começaram com o Ministério dos Transportes, mostram "a leniência" que o ex-presidente Lula tinha com condutas irregulares de seus aliados. (O Globo)

Marcha contra a impunidade reúne mais de 300 pessoas no Rio = A ONG Rio de Paz reuniu na tarde deste domingo mais de 300 pessoas durante passeata "contra a impunidade de crimes" no Rio de Janeiro. Os manifestantes percorreram cerca de 3 km da orla da praia de Copacabana, zona sul da cidade, e colocaram rosas vermelhas ao redor de uma enorme cruz preta fincada na areia --na altura da rua Princesa Isabel. O julgamento e a punição para os assassinos do menino Juan Moraes, 11, que foi morto por policiais militares no início deste mês, e a investigação dos casos de desaparecidos com indícios de homicídio como o da engenheira Patrícia Amieiro, 26, foram algumas das reivindicações da Rio de Paz durante a manifestação. (Folha de S. Paulo)

Projeto de educação em reservas anda para trás = A presidente Dilma Rousseff abandonou um programa apoiado pelo governo Lula em uma área que liga educação, meio ambiente e viés social - tripé que ela encampou na campanha eleitoral. Gestado na Secretaria de Assuntos Estratégicos em 2010, o projeto "Educação e Qualificação para Comunidades Extrativistas" contava com o aval pessoal do ex-presidente e do então secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad), André Lázaro, do Ministério da Educação, que foi substituído. E o plano acabou engavetado. O projeto, também chamado de "Saberes da Floresta", atenderia uma das populações mais vulneráveis do país: ribeirinhos que moram nas 89 Reservas Extrativistas (Resex) e de Desenvolvimento Sustentável (RDS) da Amazônia. Representando as comunidades, o Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS) passou um semestre trabalhando na elaboração do programa, que preencheria o vácuo do ensino de crianças, jovens e adultos que moram nessas Unidades de Conservação. (O Globo)

INTERNACIONAIS
Tropas sírias matam 136 na véspera do Ramadã = Tropas do ditador da Síria, Bashar al-Assad, mataram 136 pessoas, a maioria na cidade de Hama, um dia antes do Ramadã, mês sagrado muçulmano. EUA e europeus prometeram intensificar ações contra o regime. (O Globo)
Forças leais ao ditador Assad massacram 140 na Síria = Num dos dias mais sangrentos desde o início da revolta contra o regime sírio, em março, ao menos 140 pessoas foram mortas neste domingo por forças leais ao ditador Bashar Assad. O principal foco da repressão foi na cidade de Hama, onde tanques do Exército montaram cerco contra oposicionistas. EUA, Alemanha, Itália, França, Reino Unido e Turquia condenaram Damasco. (Folha de S. Paulo)
Síria massacra 80 civis e Brasil negocia missão = Na véspera do início do Ramadã, o mês sagrado do Islã, o regime de Bashar Assad lançou violenta onda de repressão, matando pelo menos 80 civis na cidade de Hama, segundo grupos locais de defesa dos direitos humanos. Brasil, Índia e África do Sul querem enviar, em até duas semanas, uma missão a Damasco para consultar o governo sobre a reforma prometida. (O Estado de S. Paulo)

'O mundo não pode ficar indiferente à fome na África', diz papa = O mundo não deve ficar indiferente à fome e à seca que ameaçam 12 milhões de pessoas no Chifre da África, afirmou neste domingo o Papa Bento 16. "Nós não devemos ficar indiferentes ao drama da fome e da sede", disse ele, diante de centenas de peregrinos em Castel Gandolfo, a residência de verão do Sumo Pontífice, durante a oração do Angelus semanal. "Muitos irmãos e irmãs no Chifre da África sofrem as consequências dramáticas da fome, agravada pela guerra e pela falta de instituições estáveis", acrescentou. O papa pediu "compaixão e solidariedade fraterna". O Chifre da África está sofrendo sua pior seca em décadas, segundo a ONU (Organização das Nações Unidas). A ONU, que também falou sobre a crise alimentar mais grave na África nos últimos 20 anos, estima que cerca de 12 milhões de pessoas estão ameaçadas na região. De acordo com o secretário-geral Ban Ki-moon, são necessários US$ 1,6 bilhão apenas para aliviar a situação na Somália, um dos países atingidos. (Folha de S. Paulo)

Coreia do Norte se diz disposta a negociar seu programa nuclear = O regime comunista da Coreia do Norte anunciou nesta segunda-feira que concorda em retomar as negociações sobre seu programa nuclear, segundo informações publicadas pela agência oficial KCNA. A declaração do governo de Pyongyang acontece poucos dias após o primeiro vice-ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Kim Kye-gwan, reunir-se em Nova York com o enviado especial dos EUA para a Coreia do Norte, Stephen Bosworth. Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores norte-coreano assinalou que ambas as partes falaram sobre como melhorar as relações entre Pyongyang e Washington e retomar as conversas para o desarmamento nuclear "em um ambiente sincero e construtivo", informa a agência sul-coreana Yonhap. "Os dois reconheceram que a melhora das relações bilaterais e uma resolução negociada e pacífica sobre a desnuclearização da península coreana se ajusta ao interesse de ambas as partes, e acertaram continuar o diálogo", disse o porta-voz. As declarações do porta-voz norte-coreano aconteceram no meio de informações sobre uma possível viagem de Bosworth a Coreia do Sul, China e Japão para explicar os resultados das conversas entre Washington e Pyongyang e analisar os próximos passos, segundo uma fonte diplomática em Seul. As negociações sobre a desnuclearização da Coreia do Norte estão em ponto morto desde dezembro de 2008. Pyongyang se retirou delas oficialmente em abril de 2009, um mês antes de efetuar um segundo teste nuclear, depois do realizado em 2006. (Folha de S. Paulo)

Mais de 60% dos japoneses querem que premiê renuncie antes de 31 de agosto = Sessenta e cinco por cento dos japoneses querem que o primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, renuncie antes que acabe este mês, segundo uma pesquisa publicada nesta segunda-feira pelo jornal econômico Nikkei. Os resultados da pesquisa, realizada este fim de semana, indicam que 49% dos consultados quer que Kan renuncie o mais rápido possível e 16% acredita que deveria renunciar antes de terminar agosto. A porcentagem total dos que desejam que o primeiro-ministro do Japão deixe seu posto antes do dia 31 de agosto subiu cinco pontos em relação ao mês passado. O índice de popularidade do governo de Kan caiu para 19%, a primeira vez que um gabinete do Partido Democrata (PD) baixa de 20%, enquanto a percentagem de gente que desaprova o atual Executivo subiu para 73%. Cinquenta por cento dos consultados, 3% mais que no mês passado, acredita que o uso da energia nuclear deveria ser reduzido no futuro, contra 24% que crê que deveria se manter nos níveis atuais e 21% que deveria ser abandonada totalmente. No entanto, 53% considera que os reatores nucleares japoneses parados desde o acidente na usina de Fukushima deveriam ser reativados, uma vez que as inspeções garantam que são seguros, enquanto 38% não quer que retomem sua atividade A respeito dos planos de reconstrução do governo para as regiões mais afetadas pelo terremoto e o tsunami do dia 11 de março, 59% se mostra propício a uma alta temporária de impostos para financiar o processo, contra 32% que se opõe. (EFE)

Atentado contra canal de televisão estatal deixa dois feridos na Venezuela = Duas pessoas ficaram feridas neste domingo em um atentado contra a sede regional do canal público Vive em Zulia (oeste), estado na fronteira com a Colômbia, indicou o presidente da emissora, Ricardo Márquez. O ataque aconteceu pela manhã quando uma equipe do canal saía dos escritórios e desconhecidos dispararam de uma caminhonete "de forma indiscriminada", relatou Márquez à emissora estatal Venezolana de Televisión (VTV). No episódio, um oficial da Polícia municipal e um segurança do canal ficaram feridos, embora "sem gravidade", detalhou. "Isto não foi um fato fortuito. Estes indivíduos estavam totalmente conscientes de que estavam agredindo a sede de um meio de comunicação do Estado", manifestou Márquez ao insinuar que se tratou de um ato 'por encomenda'. O presidente do Vive declarou ainda que os funcionários da sede regional já foram vítimas de assaltos recentemente e que receberam ameaças. O Vive é um meio de comunicação do Estado venezuelano, educativo, cultural e informativo que, segundo indica em seu site, promove a democracia participativa, a solidariedade e a integração latino-americana. (EFE)

Boca de urna confirma reeleição de prefeito de Buenos Aires = Pesquisas de boca de urna indicam que o prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macri, foi reeleito no segundo turno da eleição para o governo da capital, neste domingo. Números divulgados por institutos de opinião mostram que Macri deve superar os 60% dos votos. O resultado consolida o político como um dos principais nomes da fragmentada oposição argentina. O adversário é o senador Daniel Filmus, candidato da presidente Cristina Kirchner, que apareceu na campanha durante o segundo turno. O resultado deste domingo já era esperado. No primeiro turno Macri superou Filmus em 20 pontos percentuais. A tentativa do kirchnerismo, neste segundo turno, era diminuir a vantagem da esperada derrota. Político de centro-direita, Mauricio Macri despontou na política após a crise econômica de 2001. Empresário e ex-presidente do Boca Juniors, ele sonhava em disputar a eleição presidencial de outubro, mas acabou desistindo da disputa por causa da grande popularidade de Cristina, favorita para ser reeleita, e pela falta de capilaridade política de seu partido, o PRO, sem expressão nacional. Esta foi a terceira derrota seguida de um candidato da Casa Rosada nas eleições argentinas.Na próxima semana a eleição será em Córdoba, outra província de peso no tabuleiro político do país. Lá a maioria dos eleitores vota contra o kirchnerismo, rejeição surgida em 2008, por causa da crise com produtores agropecuários. (Folha de S. Paulo)

ECONOMIA
Só o projeto do trem-bala custa R$ 1 milhão por km =- O governo vai investir R$ 540 milhões dos cofres públicos na elaboração do projeto executivo para a construção do trem-bala. Esse aporte, equivalente a R$ 1 milhão por quilômetro da ferrovia, será feito por meio da Etav, estatal vinculada ao Ministério dos Transportes, criada para ser o braço do governo no consórcio do trem de alta velocidade (TAV). A elaboração desse estudo complexo, o qual vai demorar mais de um ano para ser concluído, tem a missão de detalhar tudo o que estiver direta e indiretamente relacionado à obra, evitando, assim, falhas de informação. (Valor Econômico)

Aposta em negócios polêmicos prejudica rentabilidade do BNDES =Compra de ações de gigantes como Marfrig e BRF rendeu menos que as críticas ao negócio. Retorno tende a ser de longo prazo = Se decidisse deixar o quadro acionário da Marfrig hoje, banco estatal receberia R$ 733 milhões por sua participação. O valor está bem abaixo do R$ 1,1 bilhão já aportado na empresa. O mesmo ocorre com os papéis que tem na BR Foods. O BNDES pagou R$ 750 milhões por 2,55% das ações, que hoje valem R$ 660 milhões. Nos dois casos, economistas criticam tanto a decisão de investimento quanto a concentração de mercado que os negócios propiciaram. (Brasil Econômico)

Economia europeia volta a desacelerar = A economia europeia está novamente desacelerando, agora também nas economias mais importantes. A Alemanha sofre com a queda das exportações e há claros sinais de que a demanda global está diminuindo. Grandes companhias europeias alertam que suas perspectivas de negócios pioraram, num cenário de temores sobre o impacto da crise da dívida soberana e redução do comércio global. Seus resultados no segundo trimestre dão a mesma mensagem - deterioração na demanda, preços de matérias-primas em forte alta e cortes de custos superando agora os planos de expansão. Diante de um cenário pouco alentador, os bancos da zona do euro endureceram padrões de concessão de crédito. A expectativa é de que o crédito ficará ainda mais limitado nos próximos meses. (Valor Econômico)

Brasília quer garantir liquidez = Com o impasse político nos EUA sobre a elevação do teto da dívida, o governo brasileiro já estuda recorrer a medidas de garantia de liquidez na economia, como fez durante a crise de 2008, quando ajudou bancos e empresas garantindo a expansão de crédito por meio de instituições públicas. As medidas seriam lançadas caso a crise política nos EUA leve a uma retração na economia mundial. Ontem à noite, o presidente dos EUA, Barack Obama, e líderes do Congresso estavam no limiar de um amplo acordo para aumentar o teto de endividamento do governo e, ao mesmo tempo, cortar os gastos públicos em cerca de US$ 2,4 trilhões, mas o acordo ainda precisava do apoio de mais congressistas. Ainda não estava claro ontem à noite se o acordo discutido impediria que agências de risco rebaixassem a nota dos títulos de dívida do Tesouro dos EUA. (Valor Econômico)

As estratégias do quase 'rei' dos genéricos = Mais temido do que elogiado, ele não gosta de holofotes e tem estilo discreto, mas adota estratégia barulhenta quando se trata de colocar no mercado os medicamentos que fabrica. No ano passado, pôs nas ruas um exército para distribuir as primeiras cópias genéricas do Viagra, cuja patente, da Pfizer, expirou. As vendas explodiram. Esse é Carlos Sanchez, 49 anos, presidente do conselho de administração da EMS, a maior farmacêutica nacional. O pai de Sanches, Emiliano, abriu uma farmácia em Santo André, nos anos 50, e fundou a EMS em 1964, mas o laboratório só ganhou projeção nos anos 90, com a lei dos genéricos. Hoje, com faturamento de R$ 3,37 bilhões, a empresa é cobiçada por multinacionais. (Valor Econômico)

Recrutadores avaliam dotes culinários e rapidez no SMS = Para ser aprovado na etapa final do programa de jovens líderes da empresa de tecnologia da informação Bematech, Marcel Verdrossi teve que incorporar um "chef" e cozinhar para executivos da companhia. Os objetivos eram avaliar sua performance quanto ao trabalho em equipe, gestão de tempo e de recursos. Na busca por talentos, as companhias estão diversificando seus processos de seleção e as características comportamentais estão sendo tão valorizadas quanto o conhecimento técnico. A construtora e incorporadora Plano & Plano, por exemplo, incluiu uma etapa inovadora durante o recrutamento para a área de marketing. Procurando por candidatos criativos e afinados com tecnologia, a empresa fez uma entrevista com os finalistas por SMS. (Valor Econômico)

Agência de fomento disponibiliza R$ 840 mi para pequenas empresas = A Nossa Caixa Desenvolvimento ampliou de cinco para dez anos o prazo máximo para financiamentos de projetos de investimentos para pequenas empresas. A agência de fomento, criada pelo governo do Estado de São Paulo, tem atualmente R$ 840 milhões disponíveis em crédito para empresas com faturamento anual entre R$ 240 mil e R$ 100 milhões. Além de projetos, a agência também tem linhas para a compra de máquinas e equipamentos, capital de giro e franquias - essas com prazo de até 60 meses para pagar. Entre as vantagens oferecidas, estão a carência de até dois anos e taxas de juros abaixo da média de mercado, a partir 0,49% ao mês. Para solicitar o crédito, a empresa precisa ter a documentação em dia.A lista completa de documento e um simulador de financiamento podem ser encontrados no site da instituição. No endereço também é possível fazer um pedido de financiamento. Além do site, o empreendedor também pode buscar informações na sede da agência, na Rua da Consolação, 371, em São Paulo, ou ainda com a entidade de classe da qual é filiado. (O Estado de S. Paulo)

Nova política industrial prevê alívio na folha = Desonerações devem ser por setores, e empresas de software, mesmo as que não exportam, podem ser beneficiadas. A nova política industrial, a ser anunciada amanhã, dará incentivos fiscais, como redução de IPI, atrelados a investimentos em pesquisa para segmentos como o automotivo. (O Globo)

As novas gigantes do agronegócio = Empresários estreantes criam grandes grupos de produção de grãos e avançam na prestação de serviços, invadindo o terreno dominado pelas tradings. (O Estado de S. Paulo)

BCs têm plano contra crise nos EUA = Bancos centrais das maiores economias se mobilizam para por em ação um plano de emergência, que inclui injetar recursos nos bancos comerciais, para tentar blindar os mercados e garantir que um eventual suspensão de pagamentos nos EUA não paralise o sistema financeiro internacional. Investidores, empresas e governos se preparam para uma segunda-feira turbulenta nas bolsas mundiais. (O Estado de S. Paulo)

Indústria desacelera = A indústria entrou na segunda metade do ano num ritmo fraco, de acordo com o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do HSBC. O indicador ficou em 47,8 pontos em julho, o nível mais baixo em 26 meses. (Valor Econômico)

Caixa capta no exterior = A Caixa Econômica Federal começou a buscar recursos no exterior e está revendo sua estratégia de captação. A ideia é ampliar os acordes com bancos estrangeiros para reforçar o "funding". (Valor Econômico)

SAÚDE
= Julho sempre foi considerado o mês nacional do cachorro-quente nos Estados Unidos, quando mais de um milhão de sanduíches são vendidos durante a tradicional corrida de 500 milhas de Indianapolis. Um grupo de médicos em Washington está tentando alertar a população sobre a relação entre as salsichas e o câncer colorretal.
== Comitê de Médicos para uma Medicina Responsável acaba de lançar um outdoor em Indianápolis com uma foto de cachorro-quente em um maço de cigarros com a mensagem "Cuidado: cachorros-quentes podem destruir sua saúde".
= Um estudo de 2007 do Fundo Mundial para Pesquisa de Câncer mostrou que 50 gramas de carne processada por dia (a mesma quantidade de uma salsicha de cachorro-quente) aumenta os riscos da doença em 21%.
== Já a Sociedade Americana de Câncer disse em nota que "não é necessário eliminar o consumo de carne vermelha ou processada, a mensagem certa é que esse tipo de alimento não deve estar sempre no cardápio".

= Os homens se preocupam mais com o tipo de corpo de sua parceira do que as mulheres com o corpo de seu parceiro, mas também parecem valorizar mais a vida familiar, revelou uma pesquisa divulgada pela agência Reuters.
== Quase metade dos homens entrevistados na pesquisa, conduzida com 70 mil pessoas, disse que terminariam com uma parceira que ganhasse peso, contra apenas 20% das mulheres que fariam o mesmo.
= Dois terços dos homens disseram já ter tido fantasias com as amigas de suas parceiras. Apenas um terço das mulheres já fez o mesmo.
== Mas a pesquisa também revelou que 39% dos homens apontam a família como sua primeira opção em matéria de símbolo máximo de status. Já entre as mulheres, 43% citaram uma casa bonita, contra apenas 6,5% dos homens. Um quarto das mulheres citou um parceiro bem sucedido como seu símbolo máximo de status.

= As mulheres japonesas ainda são as que mais vivem no mundo, embora a expectativa de vida tenha caído para 86,39 anos, anunciou o governo do Japão. O levantamento foi baseado em dados de 2010.
== A queda foi a primeira em cinco anos, após o recorde de 86,44 anos registrado em 2009, informou o Ministério de Saúde. A onda de calor do ano passado pode ter levado ao aumento do número de mortes, causadas por hipertermia, que atingiram um recorde de 1.718. Cerca de 80% das vítimas tinham 65 anos ou mais.
= O Japão ocupa o topo do ranking mundial de longevidade feminina, seguido de Hong Kong e França, segundo o ministério. Já a expectativa de vida dos homens japoneses subiu pelo quinto ano consecutivo em 2010, para 79,64 anos. O país ocupa a quarta posição mundial em longevidade masculina, atrás de Hong Kong, Suíça e Israel.

= Homem casado chega mais rápido a local de tratamento para infarto. Um novo estudo sugere que ser casado é fator importante para se conseguir um tratamento mais rápido. Contudo, apenas para o homem.
== Pesquisadores do Canadá verificaram o tempo para chegar ao local de tratamento após o início das dores no peito --um dos sintomas de um ataque cardíaco. Segundo a revista "The Canadian Medical Association Journal", as vítimas casadas de ataque cardíaco chegaram ao hospital meia hora mais cedo do que as solteiras.
= Ao analisar os dados de homens e mulheres isoladamente, os pesquisadores descobriram que a possibilidade dos homens casados chegarem atrasados era 60% menor. A explicação é que as esposas assumem o papel de cuidadoras e aconselham os maridos a ir para a sala de emergência, além de exercerem influência considerável.

= Um em cada seis consulta informação nutricional em cardápios. A inclusão de informações nutricionais em cardápios estimula a alimentação saudável, mas apenas de forma limitada, indica uma revisão feita nos EUA. A informação foi publicada no site da "BBC News"
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016