Atualidades 03/11/2011


RESUMO DOS JORNAIS
O Globo: Renda sobe mas desigualdade ainda impede avanço do Brasil
Folha de S. Paulo: Contra referendo, Europa ameaça sufocar a Grécia
O Estado de S. Paulo: Grécia deve aceitar plano ou deixar euro, determina UE
Correio Braziliense: Passagens de avião sobem até 41% neste fim de ano
Valor Econômico: Europa ameaça Grécia e G-20 quer mais rigor fiscal
Estado de Minas: Mais uma semana de agonia no Buritis
Zero Hora: Efeito ONGs - Pente-fino afeta 121 entidades no Estado
Brasil Econômico: União Europeia congela socorro à Grécia em represália a plebiscito


03 de novembro de 2011
O Globo

Manchete: Renda sobe mas desigualdade ainda impede avanço do Brasil
País deixado por Lula patina na educação e fica em 84º lugar em ranking da ONU

O Brasil avançou apenas uma posição no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), das Nações Unidas. Ajudado por melhorias na saúde, na renda e na expectativa de vida, o país ficou em 84º lugar. Mas a desigualdade elevada e a educação estagnada ainda impedem que o país alcance a elite do mundo, onde estão vizinhos como Argentina, Chile e Cuba. Apesar disso, o Brasil ainda estão em melhor posição que outros emergentes, como China (101º), África do Sul (123º) e Índia (134º). Se for considerada só a desigualdade, o país estaria em 97ª posição.

O governo Dilma Rousseff foi mais rígido que as Nações Unidas e estimou em 16,2 milhões o total de brasileiros em extrema pobreza, bem mais que os 5 milhões apontados pelo Pnud. O relatório mostra que o mundo continua crescendo de maneira não sustentável. (Págs. 1, 17 a 21, Flavia Oliveira e Agostinho Vieira)

Mangueira ganha a maior UPP do Rio
A Mangueira recebe hoje a 18ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), a maior do Rio, com 403 PMs. O morro é dominado há décadas por bandidos enraizados na comunidade. Com a pacificação da Mangueira, fecha-se o entorno de segurança do Maracanã e já são 315 mil moradores vivendo em favelas com UPPs. (Págs. 1 e 10)


Governo dobra repasses para os sindicatos
As verbas do imposto sindical repassadas pelo governo às entidades dobraram entre 2008 e 2011. Só este ano, devem chegar a R$ 2 bilhões. Com isso, não param de pipocar novos sindicatos. Quase 10 mil deles já recebem dinheiro. (Págs. 1 e 3)


Em Israel, rumores de ataque ao Irã
O Exército de Israel testou ontem um míssil de longo alcance, reacendendo rumores sobre a iminência de um ataque ao Irã. Segundo jornal inglês, o Reino Unido também já têm planos para apoiar ofensiva dos Estados Unidos no Irã. (Págs. 1 e 28)

Europa congela ajuda à Grécia
A União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) não vão liberar um tostão à Grécia enquanto o país não decidir que vai cumprir o plano de austeridade acertado para a ajuda financeira. O recado foi dado pela chanceler alemã Angela Merkel e pelo presidente francês Nicolas Sarkozy ao premier grego George Papandreou, intimado a participar de uma reunião de emergência ontem em Cannes, onde acontece o G-20. (Págs. 1, 22 e 23)


Argentina carta subsídio a empresas
O ministro da Economia e vice-presidente eleito Amado Boudou anunciou que o governo argentino vai retirar subsídios à luz, água e gás dado para as empresas. Com isso, os preços para o consumidor devem subir e analistas temem a alta da inflação. Esta é a segunda medida de impacto anunciada por Cristina Kirchner, reeleita há 10 dias. (Págs. 1 e 25)

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete: Contra referendo, Europa ameaça sufocar a Grécia
País deve decidir se quer continuar na eurozona, dizem França e Alemanha; ajuda será retida até a definição

O premiê George Papandreou anunciou que poderá antecipar para dezembro o referendo grego previsto para janeiro. O adiantamento foi uma resposta à pressão da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional.

Os europeus avisaram que a cota de € 8 bilhões do primeiro pacote não será liberada se o país não se comprometer a aceitar as medidas de austeridade - sem os recursos, a Grécia não tem como pagar suas contas. (Págs. 1 e Mundo A12)

IDH brasileiro avança menos que o dos Brics
Relatório da ONU sobre o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), que mede o desempenho dos países em expectativa de vida, escolaridade e renda, mostra que o IDH do Brasil (84° no ranking) avança mais lentamente que o de outros emergentes, como Rússia (66°), China (101°) e Índia (134°).

O índice brasileiro cresceu em média 0,69% de 2000 a 2011, enquanto o da Rússia, país que também está no grupo de países de desenvolvimento humano elevado, subiu 0,81%. Índia e China, países de desenvolvimento humano médio, cresceram 1,56% e 1,43%, respectivamente. (Págs. 1 e Poder A8)

Bill Gates diz que Brasil tem de doar mais a país pobre
"Está na hora de o Brasil assumir suas responsabilidades e aumentar a ajuda aos paises pobres para centenas de milhões", afirmou Bill Gates em entrevista a Patrícia Campos Mello.

Um dos maiores filantropos do mundo, o fundador da Microsoft propõe ao G20 a taxação sobre combustíveis e tabaco para diminuir a pobreza. (Págs. 1 e Mundo A14)

USP pedirá saída de invasores da reitoria na Justiça (Págs. 1 e Cotidiano C4)


Carlos Heitor Cony: Impedir carioca de ver seleção jogar é absurdo (Págs. 1 e Opinião A2)


Editoriais
Leia "Drama grego", sobre a crise econômica europeia, e "Sai Marta, entra Haddad", acerca do processo no PT para definir o candidato a prefeito. (Págs. 1 e Opinião A2)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Grécia deve aceitar plano ou deixar euro, determina UE
Líderes europeus dão ultimato a Atenas depois que premiê grego anunciou referendo sobre socorro ao país

Na véspera da abertura da reunião de cúpula do G-20, a Europa deu um ultimato à Grécia, informa o enviado especial a Cannes, Andrei Netto. Dois dias depois que o premiê grego, George Papandreou, anunciou um referendo sobre a adoção do plano de socorro negociado pela União Europeia, líderes do bloco impuseram três condições a Atenas: que Papandreou obtenha um voto de confiança do Parlamento grego, em votação programada para amanhã; que o referendo seja realizado no menor prazo possível; e que a consulta inclua uma questão direta sobre se os gregos querem continuar na zona do euro. Em outras palavras, os representantes europeus advertiram Papandreou que ou a Grécia diz "sim" ao euro e adota o plano de socorro, ou diz "não" e abandona a moeda. (Págs. 1 e Economia B1 e B3 a B6)

Bancos ameaçam acordo

Os maiores bancos do mundo advertiram o G- 20 de que o plano da UE para recapitalizar o mercado tem "sérios problemas". (Págs. 1 e Economia B6)

Supremo decide que dirigir bêbado é crime
Para STF, não importa se o motorista não atropelou ninguém

O Supremo Tribunal Federal decidiu que dirigir bêbado, mesmo sem causar acidente, já é um crime. A 2ª Turma do STF rejeitou um habeas corpus em favor de um motorista de Araxá (MG) denunciado por dirigir embriagado. Sua defesa argumentou que o crime de embriaguez ao volante só passou a ser previsto de forma mais rígida em 2008, depois que a lei seca reformou o artigo 306 do Código de Trânsito Brasileiro. Antes, só havia crime se o bêbado causasse algum dano ou agisse de forma imprudente, e muitos juízes continuam a ter esse entendimento: Para o relator no STF, Ricardo Lewandowski, é irrelevante se houve ou não dano ou imprudência. (Págs. 1 e Cidades C1)

Ricardo Lewandowski
Ministro do STF

“É como o porte de armas. Não é preciso que alguém pratique um ilícito com emprego da arma" (Pág. 1)

Avanço do Brasil no IDH fica mais lento
O Brasil subiu uma colocação no índice de Desenvolvimento Humano 2011, divulgado ontem. O relatório mostra o País em 84º entre 187 Nações. Nos últimos seis anos, o País subiu quatro posições, e desde 2007 tem Alto Desenvolvimento Humano. O avanço brasileiro, no entanto, está ficando mais lento: desde 2000, foi de 0,69% ao ano, contra 0,87% nos últimos 30 anos. Essa desaceleração indica a necessidade de investimentos mais fortes em educação e distribuição de renda. (Págs. 1 e Vida A17 a A19)

Desigualdade de renda derruba índice do País

Se a desigualdade de renda fosse levada em conta no IDH, o Brasil perderia 13 posições, ficando atrás de Gabão e Mongólia. Cerca de 5,1 milhões de brasileiros têm vida precária. (Págs. 1 e Vida A18)

MEC propõe anular provas só de Fortaleza
O ministro Fernando Haddad (Educação) entrega hoje à Justiça recurso contra a decisão que anulou 13 questões do Enem. Ele proporá ou que sejam canceladas as questões apenas para alunos do Colégio Christus ou que eles façam nova prova. (Págs. 1 e Vida A20)

'Brasil não vai vencer a Fifa', diz dirigente
Em entrevista ao correspondente Jamil Chade, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, diz que a entidade espera que a Lei Geral da Copa seja aprovada. “O Brasil não vai vencer a Fifa. Romário ou outros deputados não vão vencer a Fifa." (Págs. 1 e Esportes E4)


Foto legenda: A negação da negação
A Liga Estratégica Revolucionária e o Movimento Negação da Negação estão por trás da nova invasão da Reitoria da USP. (Págs. 1 e Cidades)


Dora Kramer
Involuntária vontade

Dizer que Marta Suplicy “concorda" em não disputar a Prefeitura é quase uma licença poética. Lula deu a ela a prerrogativa de comunicar a retirada. (Págs. 1 e Nacional A8)


Notas & Informações
A volta por cima

A conduta pública de Lula desde que soube que tem câncer é a melhor resposta às baixezas. (Págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Passagens de avião sobem até 41% neste fim de ano
Os reajustes aplicados pelas empresas aéreas e a intensa procura por bilhetes nacionais e internacionais para as férias fizeram os preços dispararem em setembro e outubro. E o consumidor pode se preparar: as companhias não pretendem reduzir os valores nos próximos meses. (Págs. 1 e 17)


Crise global: Europa dá ultimato ao governo da Grécia
Cannes – Na véspera da reunião do G-20, a União Europeia suspendeu a ajuda aos gregos enquanto o país não decidir se fica na Zona do Euro. França e Alemanha cobraram rapidez do primeiro-ministro George Papandreou, que ainda pretende consultar o povo sobre o tema. (Págs. 1 e A14 a Al6)

Poderosa, mas cheia de cautela
Cannes - Eleita a 22ª pessoa mais importante do mundo pela revista Forbes, Dilma Rousseff se reuniu ontem, na França, com vários líderes mundiais, como o presidente da China, Hu Jintao. Mas, contrariando as expectativas, ela evitou declarações sobre a crise mundial. (Págs. 1 e 15)


Suspeita no MEC: Sertanejo é dono, só que não manda
O músico José Francisco Alves da Silva admite que não administra nem sabe os rumos dos negócios da Jeta, empresa do DF que presta serviços de tecnologia ao Inep, o instituto organizador do Enem. (Págs. 1, 8 e 9)


Efeito Lula: PT deve selar a paz em cinco capitais
Para não contrariar o ex-presidente, em tratamento contra o câncer, pré-candidatos às eleições municipais devem desistir do pleito, como fez Marta Suplicy em São Paulo, e evitar lutas internas. (Págs. 1 e 2)


IDH: Um retrato da desigualdade
Privação de serviços essenciais é um dos motivos que deixa o Brasil abaixo de países como a Bósnia no ranking de qualidade de vida. Elilson Gonçalves usa lenha para cozinhar. (Págs. 1 e 10 a 12)


Lei seca cassa um motorista a cada duas horas
Detran agiliza a punição aos condutores flagrados dirigindo sob efeito do álcool. De janeiro a setembro, 3.355 pessoas perderam a habilitação. (Págs. 1 e 29)

------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Europa ameaça Grécia e G-20 quer mais rigor fiscal
Em meio a nova tormenta causada pela Grécia, os países do G-20 tentam limitar os danos e vão anunciar amanhã medidas específicas de curto e médio prazo para estabilizar a economia global e evitar nova crise financeira. O Valor teve acesso ao rascunho do Plano de Ação, no qual o maior obstáculo na negociação é até que ponto a China aceitará acelerar uma flexibilização de sua política cambial e reduzir a acumulação de reservas para estimular o consumo doméstico.

As autoridades europeias esperavam receber no G-20 o respaldo para o plano de conter a crise na zona do euro e cobrar mais ação de outros países para relançar a economia mundial, mas foram atropelados pela convocação do referendo na Grécia, dias depois de a Europa ter acertado pacote de € 130 bilhões para o país. George Papandreou, o primeiro-ministro grego, foi convocado a Cannes. E a ameaça foi clara: os gregos não terão um centavo até que adotem o plano de reestruturação. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, disse que o referendo vai determinar o futuro da Grécia na Europa. "A Grécia deve decidir se quer ou não continuar na zona do euro", afirmou. A premiê alemã Angela Merkel anunciou que será acelerada a implementação do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira para servir de barreira contra contágio da crise. (Págs. 1, C1, C2 e C8)

Argentina agora corta subsídios
Depois de aumentar a intervenção do governo no mercado cambial, a presidente da Argentina Cristina Kirchner tomou ontem as primeiras medidas de caráter fiscal após sua reeleição. Uma comissão governamental deverá anunciar, a cada quinze dias, "a redução, redirecionamento ou eliminação" dos subsídios para os setores de gás, energia, água e transporte, anunciou o vice-presidente eleito e ministro da Economia Amado Boudou. Os subsídios no país consomem em torno de US$ 20 bilhões ao ano ou 4% do PIB. Já foram anunciados cortes simbólicos: deixarão de receber subsídios pelo consumo dos serviços reguladores bancos, seguradoras, cassinos, aeroportos, terminais marítimas e as próprias fornecedoras dos serviços. (Págs. 1 e A11)

Caem preços de terras em grandes áreas
A indefinição sobre as regras para aquisição de terras por estrangeiros ajudou a conter a alta nos preços dos imóveis rurais no país. Em algumas regiões houve estagnação e até retração de valores, sobretudo nos grandes negócios para áreas superiores a 3 mil hectares. Nas transações intermediadas pela Commercial Properties, a redução de preços nas áreas grandes foi de 10% a 15%, dependendo da região e da cultura.

Em Ribeirão Preto (SP), polo paulista de cana, houve negócios fechados a R$ 32 mil o hectare, 16% menos que no ano passado. Em Cascavel (PR), o preço da terra caiu 14%, para R$ 25 mil o hectare. Em Pouso Alegre (MG), região de grãos, café e frutas, a queda foi de 12%; e em Luís Eduardo Magalhães (BA), chegou a 19%. (Págs. 1 e B14)

Cerco a estudos ambientais ruins
Após a publicação de medidas que dão mais clareza ao processo de licenciamento de obras de infraestrutura, o governo se prepara para fechar o cerco às empresas com histórico ruim na elaboração de estudos de impactos ambientais. Em 2012, o Ibama deverá abrir ao público um banco de dados com informações sobre o desempenho dos escritórios que fazem os chamados EIA-Rima, numa tentativa de criar estímulos à qualidade dos estudos e de desestimular a contratação de quem tem má performance.

"Essa informação vai estar disponível para todo empreendedor que quiser contratar novos estudos ambientais", diz a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que já viu muitos estudos ruins. Com mais obras, o problema tornou-se maior. "Tivemos o caso de uma equipe com 51 estagiários. Não dá." (Págs. 1 e A14)

Mais poderes para Gilberto Carvalho
O secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, ganha força no governo e abre espaço para se tornar um superministro de Dilma Rousseff. Além de ter tido um papel importante nos processos de demissão de seis ministros do atual governo, o antigo chefe de gabinete do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva coordenará o grupo interministerial encarregado passar um pente fino em todos os contratos com Organizações Não Governamentais.

Carvalho assumiu a pasta com a missão de mediar as relações do governo com os movimentos sociais. Seu protagonismo na área foi tamanho que já ameaça colocar a prêmio a cabeça do ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence. O secretário-geral da Presidência acumula vantagens sobre os demais ministros do núcleo palaciano como a experiência dos oito anos do governo Lula e a ausência de carreira eleitoral. Ele aproveita a vacilação de ministros menos experientes para ocupar espaço e atrair demandas para si. (Págs. 1 e A10)

Fundos dão à Leblon a gestão de participações na Coteminas
A Coteminas terá uma participação mais ativa de minoritários importantes: as fundações Previ, Petros e Funcef, que detêm 22% das ações ordinárias da empresa. Os fundos entregaram a gestão de suas participações, que equivalem a R$ 50 milhões, à carioca Leblon Equities.

Segundo o presidente da Coteminas, Josué Gomes da Silva, o processo foi feito em "comum acordo". A expectativa é que haja a troca dos dois conselheiros que hoje representam as fundações na Coteminas por nomes indicados pela Leblon. Todo o processo deve ser realizado de maneira amigável. (Págs. 1 e D1)

Economistas listam três razoes para se prever um PIB mais elevado em 2012 (Págs. 1 e A3)


Governo pressiona empresas por "Ciência Sem Fronteiras” (Págs. 1 e A4)


Brasil servirá de base para TNK-BP na América Latina, diz Dodds (Págs. 1 e B9)


Brasil regride em ranking do IDH
A desigualdade de renda e no acesso à saúde e a educação piorou sensivelmente o índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil (IDH) neste ano. O país caiu 13 posições no ranking das Nações Unidas. (Págs. 1 e A2)


EADS terá centro de pesquisa no país
A partir de meados do próximo ano, começa a funcionar no Brasil o sexto centro de pesquisa e inovação da EADS, companhia europeia dos setores aeroespacial e de defesa. Biocombustíveis é um dos alvos. (Págs. 1 e B1)


Pagamento móvel tenta deslanchar
Operadoras de telefonia celular, de cartões, bancos e empresas de pagamentos redobram esforços para fazer decolar no Brasil os serviços de pagamento móvel, que prometem substituir os cartões de plásticos em alguns anos. (Págs. 1 e B3)

Agências disputam conta da Vale
Oito agências de publicidade - África, DPZ, Euro RSCG, Giovanni+Draftfcb, JWT, Leo Burnett, LewLara/TBWA e Publicis - disputam a conta da Vale, que deve somar entre R$ 50 milhões e R$ 70 milhões em 2012. No ano passado, foi de R$ 40 milhões. (Págs. 1 e B4)


CSN importa aço chinês
A CSN recorreu a aço chinês entre julho e setembro para atender clientes de chapas galvanizadas no mercado brasileiro. A empresa importou 105 mil toneladas no período, com valor de US$ 76 milhões. (Págs. 1 e B8)


Mais etanol de milho na Argentina
A americana Bunge e a argentina Aceitera General Deheza (AGD) vão investir juntas US$ 200 milhões na construção de uma fábrica de etanol de milho na Província de Córdoba, que vai mais que dobrar a produção do biocombustível no país. (Págs. 1 e B14)


Penhora de salário e bem de família
A Penhora de salário e de bem de família deve ser incluída na proposta do novo Código de Processo Civil. A tendência é que um percentual do salário seja passível de penhora para o pagamento de dívidas, assim como o bem de família a partir de certo valor. (Págs. 1 e E1)


Dano moral contra o Fisco
Judiciário passa a condenar Fazendas Públicas ao pagamento de danos morais em casos de cobrança indevida de tributos. Em alguns casos, as indenizações têm chegado a até R$ 10 mil. (Págs. 1 e E1)

Ideias
Alexandre Schwartsman

Visão corrente atribui a crise na zona do euro ao mau desempenho fiscal de alguns países, o que se choca com a evidência. (Págs. 1 e Al3)


Ideias
Martin Wolf

É preciso admitir que os gastadores tomaram muito crédito porque os supostos prudentes o ofereceram. Ambos erraram. (Págs. 1 e Al3)

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Mais uma semana de agonia no Buritis
O drama dos moradores dos três edifícios interditados por risco de desabamento no Bairro Buritis, na Região Oeste de BH, vai durar pelo menos mais sete dias. É o prazo que o especialista em recuperação de estruturas contratado pelas construtoras dos imóveis levará para dar parecer se os prédios terão de ser demolidos ou se poderão ser escorados.

Enquanto isso, os donos dos apartamentos continuam proibidos pela Defesa Civil de entrar para buscar seus pertences. A supervisora de call center Rita Piumbini, uma das moradoras do Condomínio Vale dos Buritis, deu sorte e conseguiu que técnicos que vistoriaram a construção resgatassem alguns objetos do apartamento onde residia. (Págs. 1 e 17)

Ultimato à Grécia
Na véspera da reunião de cúpula do G20, que começa hoje, em Cannes, Alemanha e França intimaram a Grécia para que decida se quer continuar na Zona do Euro. A pressão ocorre após o parlamento grego aprovar plebiscito sobre a ajuda externa de 130 bilhões de euros. Enquanto dura o impasse, fica suspenso o repasse de 8 bilhões de euros previsto para este mês. Em Nice, perto de Cannes, manifestantes fizeram protesto usando máscaras dos principais líderes mundiais. (Págs. 1, 11 e 12)


Morte S/A – Saiba como se livrar da ação dos mercenários da dor
Quinta reportagem da série mostra os caminhos para escapar da máfia das funerárias e receber o valor segurado pelo DPVAT sem pagar a intermediários. (Págs. 1 e 20)


Infraestrutura: BH é a capital com maior verba prevista
Promessas de recursos para ampliação do metrô, duplicação da BR-381 e obras do PAC da Copa fazem da capital mineira a mais beneficiada este ano, pelo menos no papel, por repasses da União, com montante de R$ 3,5 bilhões. (Págs. 1 e 8)


Fora de foco: Deputados legislam para celebridades
Depois de Ivete Sangalo, Assembleia homenageará Paula Fernandes, Ronaldo Fenômeno e Luciano Huck. (Págs. 1 e 7)


Salário mínimo: STF decide hoje se governo pode fixar valor por decreto (Págs. 1 e 3)


Confusão do Enem: Anulação de questões muda cálculo para acesso à UFMG (Págs. 1 e 19)


------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Barco com turistas assaltado na praia
Foi ontem, na Praia dos Carneiros, em Tamandaré, Litoral Sul (PE). Grupo com cerca de 50 pessoas entre brasileiros e estrangeiros, foi atacado por bando armado e usando um barco roubado. (Págs. 1 e Cidades 1)


Haddad chega para batalha do Enem
No Recife, ministro da Educação vai ao TRF contra decisão da decisão da Justiça do Ceará que cancelou questões. (Págs. 1 e Cidades 3)


IDH do Brasil melhora a passos lentos (Págs. 1 e 6)


Referendo para aprovar ajuda complica ainda mais situação da Grécia (Págs. 1 e Economia 6)


INSS quer recuperar os benefícios de vítimas de motoristas infratores (Págs. 1 e Economia 5)


------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Efeito ONGs - Pente-fino afeta 121 entidades no Estado
Depois do escândalo que derrubou ministro, Planalto suspende por pelo menos 30 dias um total de R$ 173,4 milhões só em convênios firmados no RS. (Págs. 1, 4 e 5)


Desenvolvimento humano: Educação puxa para baixo IDH brasileiro
Apesar do desempenho ruim na escolaridade, Brasil subiu uma posição no ranking mundial.

77º na renda, abaixo da Sérvia

85º na expectativa de vida, abaixo de Seychelles

113º na escolaridade, abaixo do Irã. (Págs. 1, 24 e Editorial, 16)

Rede de intrigas: Delegados queixosos vão ser punidos
Críticas de policiais civis ao secretário de Segurança via Facebook serão investigadas. (Págs. 1 e 36)


Grécia deve aceitar plano ou deixar euro
Contra referendo, líderes europeus impuseram condições para país receber mais dinheiro. (Págs. 1 e 18)

------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: União Europeia congela socorro à Grécia em represália a plebiscito
Membros do bloco, Fundo Monetário Internacional e Banco Central Europeu adiam a liberação da parcela de € 8 bilhões de ajuda ao país até a realização da consulta popular cujo anúncio causou indignação na Zona do Euro. (Págs. 1 e 6)


Após lucro recorde, Itaú vê crédito 20% maior no ano
Resultado do banco comandado por Roberto Setubal, de R$ 10,94 bilhões, foi o maior na história do sistema financeiro do país. (Págs. 1 e 30)


Nova política de reajuste do salário mínimo leva a ganho real de 11% até 2015
A decisão, aprovada pelo Congresso, injetará R$ 64 bilhões na economia nos próximos anos, se for mantida pelo STF. (Págs. 1 e 10)


Vale e Petro, as rainhas entre os analistas
As duas empresas estão no topo das recomendações de ações de 12 instituições para novembro. (Págs. 1 e 34)


Financiamento do governo à agricultura ‘verde’ fica estagnado
Apesar do total de recursos disponíveis no programa ter saltado de R$ 2 bilhões para R$ 3,17 bilhões neste ano, volume de empréstimos não passou de R$ 120 milhões. (Págs. 1 e 6)


Limpeza total
Unilever reage ao avanço da P&G, lança 86 produtos e investe R$ 500 milhões no Brasil, diz Andréa Lima. (Págs. 1 e 22)


Alô, alô
João Rezende assume o comando da Anatel com 2 prioridades: expansão da banda larga e TV paga. (Págs. 1 e 19)

------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos