Atualidades 13/11/2014

“The art of peaceful living comes down to living compassionately & wisely.”  ― Allan Lokos, Patience: The Art of Peaceful Living




O Globo
Manchete : Mudança na meta fiscal já enfrenta forte reação
EUA e China vão reduzir emissões de CO2
CGU punirá holandeses por propina na Petrobras
Quinze ministros entregam cargos
Ilimar Franco = Ofensiva contra os sem-voto
Merval Pereira - Não aprenderam nada
Míriam Leitão - Lento e sem direção
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Manchete : Decisão sobre mínimo pode ficar para Sartori
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico
Manchete : Dilma avisa que não vai mudar ministérios de uma vez

Fraude cambial terá multa de US$ 3,4 bilhões
Fundos fazem à Oi oferta pela PT Portugal
O britânico Apax e o americano Bain Capital, fundos de private equity, apresentaram proposta de compra de € 7,075 bilhões. A francesa Altice resiste em aumentar a oferta de € 7,025 bilhões. (Pág. 12)
EUA e China reduzirão CO₂
Semimanufaturados em bom momento 
Mosaico Político - NEM SUPLICY APOIA MARTA
Ponto de Vista - MUDANÇA DE RUMO
O mercado como ele é... - ESTRANGEIRO "COMPRA" MEIRELLES
Ponto Final - A LIÇÃO QUE VEM DA AUSTRÁLIA
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete : Pacto China - EUA destrava negociações sobre o clima
Controladoria vê ‘forte indício’ de propina paga na Petrobras
Dilma poupa Marta após mal-estar em carta de demissão (Poder A8)
SP culpa falta de caixa-d’ água por problemas de abastecimento
30% das indústrias farão empréstimo para pagar o 13º
Editoriais
------------------------------------------------------------------------------------
13 de novembro de 2014
O Globo

Manchete : Mudança na meta fiscal já enfrenta forte reação
Oposição ameaça tomar medidas judiciais, e TCU critica ‘improvisação ’

PMDB na Câmara pede mais tempo para apreciar proposta que permite ao governo gastar mais

Um dia depois de ser anunciada, a proposta do governo para mudar a meta fiscal sofreu duras críticas. O presidente do TCU, Augusto Nardes, chamou a medida de improvisação e jeitinho. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse que a oposição estuda medidas judiciais porque, para ele, a presidente Dilma incorrerá em crime de responsabilidade se o projeto for aprovado. O governo enfrenta resistência também em sua base. A bancada do PMDB na Câmara surpreendeu o partido e pediu tempo para apreciar a proposta. O projeto do governo amplia descontos da meta fiscal, dando aval para o país registrar déficit este ano. (Pág. 23) 

EUA e China vão reduzir emissões de CO2
Em anúncio inesperado, os presidentes Barack Obama e Xi Jinping prometeram reduzir significativamente as emissões de CO2 de EU A e China até 2030. Juntos, os dois países são responsáveis por 45% dos gases do aquecimento global. O compromisso, firmado na China, abre caminho para acordo mundial na ONU em 2015. De Pequim, Obama seguiu para encontro das nações do Sudeste da Ásia, em Mianmar. (Págs. 29, 34 e Agostinho Vieira)
CGU punirá holandeses por propina na Petrobras
A Controladoria Geral da União abriu processo para punir a holandesa SBM Offshore, acusada de pagar propina a servidores da Petrobras em troca de vantagens indevidas. Na Holanda, a SBM já foi punida pela corrupção. Já o TCU pediu explicações à estatal sobre o Comperj. (Pág. 3)
Quinze ministros entregam cargos
O ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil) disse que 15 ministros já entregaram cartas de demissão. Em Doha, Dilma minimizou as críticas de Marta Suplicy à economia. (Pág. 5)
Ilimar Franco
Ofensiva contra os sem-voto

Os parlamentares do PMDB se uniram aos do PT e querem excluir do Ministério da presidente Dilma os políticos sem voto. Essa posição já foi levada ao vice Michel Temer. “Os sem-voto não acrescentam nada”, disse um dirigente do partido. Os líderes querem fortalecer os que têm apoio no Congresso. São expectativa de poder e têm aval dos governadores e do partido nos estados. (Pág. 2)

Merval Pereira
Não aprenderam nada

O que é mais chocante neste episódio do descumprimento da meta de superávit primário, ferindo a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), é a postura dos principais dirigentes do governo, a começar pela própria presidente Dilma, a prenunciar que nada ser á alterado no segundo mandato. (Pág. 4)

Míriam Leitão
Lento e sem direção

O governo queimou a largada. Já haveria novo clima econômico no país se nos primeiros dias fossem anunciados o nome do ministro da Fazenda e novas medidas. A demora consolida a impressão de que nada vai mudar. A segunda chance será quando for divulgado o nome do novo ministro. A ideia é trocar não apenas o titular da pasta. Já se sabe que Arno Augustin sairá da Secretaria do Tesouro. (Pág. 24)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete : Decisão sobre mínimo pode ficar para Sartori
Assembleia teria de votar reajuste de 16% para piso regional ainda neste ano, mas Procuradoria da Casa alerta que proposta analisada em semestre eleitoral fere lei. (Notícias | 8 e 10)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete : Dilma avisa que não vai mudar ministérios de uma vez
“Não estabeleci nenhum prazo. Não vou fazer a reforma imediatamente”, disse a presidenta no Catar, pondo fim à expectativa de anúncio na próxima semana. Ontem, mais de 15 ministros já tinham entregado a carta de demissão. (Pág. 3)
Fraude cambial terá multa de US$ 3,4 bilhões
UBS, HSBC e Citigroup, Royal Bank of Scotland e JPMorgan Chase foram punidos por manipulação das cotações no mercado internacional. A investigação durou um ano e provocou dezenas de demissões. (Pág. 25)
Fundos fazem à Oi oferta pela PT Portugal
O britânico Apax e o americano Bain Capital, fundos de private equity, apresentaram proposta de compra de € 7,075 bilhões. A francesa Altice resiste em aumentar a oferta de € 7,025 bilhões. (Pág. 12)
EUA e China reduzirão CO₂
Pequim se comprometeu pela primeira vez a cortar emissões “por volta de 2030” e Washington tem plano para redução até 2025. Os dois países são fundamentais para garantir um acordo mundial climático. (Págs. 26 e 27)
Semimanufaturados em bom momento 
Desvalorização cambial e baixo crescimento da economia impulsionam as exportações brasileiras para mercados tradicionais, sobretudo os Estados Unidos e o Canadá. (Pág. 6)
Mosaico Político
Gilberto Nascimento

NEM SUPLICY APOIA MARTA

Isolada, a ex-ministra da Cultura Marta Suplicy, que pediu demissão, não tem apoio no PT nem do ex-marido, o senador Eduardo Suplicy. Ele defendeu o direito dela reivindicar prévias para a escolha do candidato petista a prefeito de São Paulo, mas, caso o pedido seja atendido, votará no atual prefeito, Fernando Haddad. (Pág. 2)

Ponto de Vista
Carlos Thadeu de Freitas

MUDANÇA DE RUMO

Na semana que sucedeu as eleições presidenciais, o Copom surpreendeu o mercado com uma elevação da meta da taxa Selic para 11,25% ao ano. A expectativa era de manutenção da taxa em 11% ao ano, patamar que vinha sendo mantido desde maio deste ano. Com essa alta não antecipada, o Banco Central sinaliza um novo rumo para a política monetária. (Pág. 7)

O mercado como ele é...
Luiz Sérgio Guimarães

ESTRANGEIRO "COMPRA" MEIRELLES

Rumor de que o presidente do Banco Central dos dois governos de Lula, Henrique Meirelles, assumiu ontem a dianteira na corrida de sucessão ao ministro da Fazenda Guido Mantega foi considerado crível por investidores estrangeiros. (Pág. 22)

Ponto Final
Octávio Costa

A LIÇÃO QUE VEM DA AUSTRÁLIA

"A presidente vai aproveitar sua ida ao G-20, na Austrália, para ver coalas e cangurus. Enquanto isso, vai refletir sobre o xadrez que ela precisa montar em relação ao seu ministério". Com essa resposta, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, desvencilhou-se de uma pergunta da senadora gaúcha Ana Amélia (PP), que quis saber se ela foi convidada para participar do segundo mandato de Dilma Rousseff. (Pág. 32)

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : Pacto China - EUA destrava negociações sobre o clima
Maiores emissores de CO2 se comprometem a cumprir metas de redução

China e EUA, após meses de negociações, chegaram a um acordo para reduzir a emissão de gases poluentes. Divulgado durante a visita do presidente Barack Obama ao país asiático, o anúncio deve dar vigor ao esforço para concluir pacto global sobre mudança climática. Ao lado do líder chinês, Xi Jinping, Obama classificou o acordo como “histórico”. A China se compromete a atingir o ápice das emissões de CO₂ até 2030, quando elas deverão começar a cair. É a primeira vez que o país que mais polui no mundo estabelece data para isso. Os EUA assumem o dever de, em 2025, reduzir as emissões de 26% a 28% em relação a 2005. A nova meta é mais ambiciosa que a anterior —corte de 17% até 2020. Chineses e americanos respondem juntos por mais de 40% do dióxido de carbono emitido em escala global. No mês passado, a União Europeia comprometeu-se a reduzir em 40% as emissões até 2030, em relação a 1990. O bloco é responsável por 11% das emissões mundiais de gás carbônico. (Ciência C6)

ANÁLISE

Pacto reduz a chance de o Brasil se manter como protagonista no tema, escreve Rafael Garcia. (C6)

Controladoria vê ‘forte indício’ de propina paga na Petrobras
A Controladoria-Geral da União abriu processo para investigar seis funcionários e ex-empregados da Petrobras e a SBM, fornecedora de plataformas móveis, pelos “fortes indícios” de pagamento de propina para obter contratos com a estatal. Na Holanda, o Ministério Público do país anunciou que a empresa aceitou acordo para pagar US$ 240 milhões por suborno em três países, incluindo o Brasil. (Poder a4)
Dilma poupa Marta após mal-estar em carta de demissão (Poder A8)


SP culpa falta de caixa-d’ água por problemas de abastecimento
O secretário de Recursos Hídricos de SP, Mauro Arce, culpou quem não tem uma caixa-d’água adequada pelo desabastecimento em casa de madrugada, período de redução da pressão na rede de distribuição. A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) diz que regulamentação obriga as pessoas a possuir um reservatório que forneça água por 24 horas. (Cotidiano C1)
30% das indústrias farão empréstimo para pagar o 13º
A indústria paulista terá dificuldades para pagar o 13º salário neste ano. Das 578 empresas consultadas pela Fiesp, 29,2% pretendem usar financiamento de bancos, o maior índice desde 2009. Em 2013, eram 27,5%. Seis em cada dez indústrias esperam vender menos no último trimestre. (Mercado b1)
Editoriais
Leia “Reforma sem controle”, sobre saída de ministros, e “Educação como prêmio”, a respeito de pagamento de bônus a professores de São Paulo. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016