Atualidades 06/04/2015



O Globo
Manchete : Decreto federal estimula concessões
Saneamento tem projetos paralisados
Policiais do Rio matam mais crianças
Rio 2016: Paes pede que todos se programem
Gasto com alunos não pesa no Enem
Cuba vive boom de pequenos empresários
Ricardo Noblat - Pela alternância no poder
Ancelmo Gois - Magoou
Editorial - Destravar o debate
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Manchete : Governo do RS avalia adiar pagamento de reajustes
Feriado de Páscoa tem pelo menos 23 mortes nas estradas gaúchas
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico
Manchete : "Partido faz oposição ao governo federal. Governador, não"
Dependência das térmicas até 2016
Levy, solução problemática
Mais PIS/Cofins sobre receitas financeiras: o ajuste avança 
Olhar do Planalto - UM PEPE NADA LEGAL
O mercado como ele é... MAIS UM BODE NO SOFÁ
Ponto Final E SE O MINISTRO LEVY ESTIVER ERRADO?
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete : Contra corte do Fies, faculdade dá aula de graça
Entrevista da 2ª - Renato Janine Ribeiro : Federais devem ajudar o ensino básico
Minas cancela 806 convênios depois da eleição
‘Se eu fosse Vaccari, já teria saído do PT’, diz assessor da Presidência (Poder A6)
Devedores têm saúde física e mental afetadas
Foto-legenda : Fogo eterno
Vacina contra a dengue é esperada para o fim do ano (d5)
Debate - Terceirização - Paulo Skaf
Editoriais - Leia “Promessa descarrilada”, sobre atrasos de obras metroferroviárias em São Paulo, e “O preço do show”, acerca de incentivos do Estado à cultura. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------

06 de abril de 2015
O Globo

Manchete : Decreto federal estimula concessões
Objetivo é atrair setor privado e, assim, retomar crescimento

Novas regras reduzem burocracia e tornam mais fácil a participação de pequenas empresas e estrangeiras nas licitações

O governo publica hoje no Diário Oficial da União decreto com novas regras para os Procedimentos de Manifestação de Interesse (PMIs), que são os estudos de custos e potenciais ganhos de um empreendimento, feitos pelo setor privado. A medida atinge principalmente rodovias e ferrovias. O decreto, explicam MARTHA BECK e DANILO FARIELLO, faz parte do esforço do governo para retomar o crescimento da economia já no terceiro trimestre deste ano. As novas regras reduzem os entraves burocráticos e facilitam a participação de pequenas empresas — já que muitas das grandes estão envolvidas no escândalo da Lava-Jato — e estrangeiras. (Pág. 15)
Saneamento tem projetos paralisados
Metade das obras de água e esgoto do país está parada, atrasada ou sequer foi iniciada

Auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União no programa de água e esgoto do Ministério das Cidades — financiado com recursos do PAC — mostra que, de 491 contratos analisados, 283 (57,6%) estão com obras paralisadas, atrasadas ou não iniciadas. Só os projetos parados correspondem a investimentos de R$ 1,4 bilhão. A principal causa de paralisação ou atraso é a deficiência nos projetos de engenharia. (Pág. 3)
Policiais do Rio matam mais crianças
Levantamento feito com base em dados do Ministério da Saúde revela que 5 0 de 82 mortes de crianças e adolescentes (até 14 anos) por agentes da lei no país, de 2003 a 2102, ocorreram no Estado do Rio. O governador Pezão garantiu que a PM vai reocupar o Alemão, onde Eduardo de Jesus, de 10 anos, foi morto. Ontem os pais do menino chegaram ao Piauí para o enterro. (Págs. 5 e 6)
Rio 2016: Paes pede que todos se programem
A mais de um ano dos Jogos, o prefeito Eduardo Paes pede a empresas, moradores e entidades que façam planejamento a fim de evitar que o Rio pare durante o evento. (Pág. 14)
Gasto com alunos não pesa no Enem
Investimento em estudantes não basta: especialistas dizem que há erros de gestão. (Pág. 18)
Cuba vive boom de pequenos empresários
Financiados em parte por remessas de parentes dos EUA, quase 500 mil cubanos criaram negócios próprios nos últimos cinco anos, relata MARINA GONÇALVES. (Pág. 20)
Ricardo Noblat
Pela alternância no poder

Em setembro de 2012, um mês e pouco depois do início do julgamento do mensalão, até então o maior escândalo de corrupção da história do país, o ex-ministro da Justiça dos governos Lula, Márcio Thomaz Bastos, advogado de um dos 38 réus, comia uma banana em uma dependência reservada do Supremo Tribunal Federal, em Brasília, quando ouviu a pergunta de um amigo: “O que houve para chegarmos até aqui?” (Pág. 2)
Ancelmo Gois
Magoou

Tem amigo de Zé Dirceu arrependido de ter contribuído para a quitação da multa de R$ 676 mil, no processo do mensalão, depois de saber que o petista é rico de marré deci. Dirceu faturou R$ 29,2 milhões com a prestação de serviços de consultoria de 2006 a 2013. (Pág. 8)
Editorial
Destravar o debate

Tema em discussão - Aprovação da redução da maioridade penal em comissão da Câmara dos Deputados

É crescente o número de menores infratores no país, tendência alimentada por permissividade do ECA (Pág. 12)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete : Governo do RS avalia adiar pagamento de re ajustes
Além da ameaça de parcelamento da folha, Piratini estuda postergar aumentos para funcionários de BM, Polícia Civil, Susepe e IGP, previstos para maio e novembro (Notícias | 8 e 9)
Feriado de Páscoa tem pelo menos 23 mortes nas estradas gaúchas
Acidente na ERS-472, no sábado, tirou a vida de quatro rapazes de Santo Cristo, no Noroeste (Notícias | 15 a 17)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete : "Partido faz oposição ao governo federal. Governador, não"
Com esta convicção, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), afirma que é parceiro da presidenta Dilma. E, como ela, enfrenta críticas e dificuldades neste início do seu primeiro mandato. “Quando a gente senta na cadeira de governador, tem de tomar decisões e medidas que não são as mais agradáveis”. Para Rollemberg, mais do que crise política, o país passa por crise institucional: “A evolução da nossa democracia tornou a sociedade muito mais exigente. Nem a classe política, nem as instituições, nem os partidos acompanharam essa evolução”. (Págs. 4 a 7)
Dependência das térmicas até 2016
A desaceleração da economia e o aumento da tarifa cativa de energia elétrica vai manter o país longe do racionamento. Mas, segundo especialistas, o baixo nível dos reservatórios torna as usinas térmicas indispensáveis até o ano que vem. (Pág. 8)
Levy, solução problemática
Em três meses, o ministro da Fazenda já precisou se explicar em cinco situações polêmicas. Aliados defendem que ele mude o estilo de se comunicar, já que Levy dá a face ao ajuste fiscal que o governo quer aprovar. (Pág. 3)
Mais PIS/Cofins sobre receitas financeiras: o ajuste avança 
Medida vale a partir de 1º de julho e, segundo as contas do governo, deve gerar R$ 2,7 bilhões pra a arrecadação. (Pág. 9)
Olhar do Planalto
José Negreiros

UM PEPE NADA LEGAL

Um dos problemas mais graves do segundo mandato é a demora da presidente Dilma para decidir questões simples e exaustivamente diagnosticadas. Os dois maiores exemplos, responsáveis por danos severos, foram o enorme atraso na escolha da equipe econômica e a longa espera na trocada diretoria da Petrobras. (Pág. 2)
O mercado como ele é...
Luiz Sérgio Guimarães

MAIS UM BODE NO SOFÁ

Os mercados retornam hoje do feriadão ávidos por esclarecer se a intenção do presidente do Congresso, Renan Calheiros, de exumar o projeto que confere independência ao Banco Central foi apenas mais um bode introduzido na sala de retaliações ao governo Dilma Rousseff ou se é para valer. (Pág. 20)
Ponto Final
Octávio Costa

E SE O MINISTRO LEVY ESTIVER ERRADO?

Deu ontem no jornal: longe da família, que está nos Estados Unidos, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, aproveitou o feriadão da Páscoa para velejar na Baía de Guanabara. Foi uma bela oportunidade para o polêmico ministro meditar sobre os problemas em que se envolveu nas últimas semanas. (Pág. 32)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : Contra corte do Fies, faculdade dá aula de graça
Instituições tentam melhorar as notas de candidatos ao financiamento universitário para reverter perda de receita

Universidades particulares vão cortar investimentos e até criar cursinhos para alunos do ensino médio como forma de reduzir o impacto das restrições ao Fies (programa federal de financiamento a universitários). Regras mais rígidas impostas pelo governo para conceder crédito vão diminuir a receita dos grupos que mais se beneficiaram com o modelo até então. Agora é exigido que o aluno faça ao menos 450 pontos no Enem e não zere a redação, o que reduz o número de elegíveis. Antes, não havia critério de nota. Para enfrentar a crise, as instituições planejam dar aulas de graça a alunos do ensino médio próximos aos seus campi, oferecer reforço on-line, além de congelar investimentos como a expansão de instalações. As medidas estão sendo tomadas por alguns dos 30 grupos que concentraram mais de 500 mil contratos de financiamento entre 2010 e 2014, período de expansão do programa. A lista foi obtida pela Folha via Lei de Acesso à Informação. Entre as 30 líderes de matrículas financiadas, 25 são avaliadas com nota 3, o mínimo para escapar do pente-fino do MEC. (Cotidiano d1)
Entrevista da 2ª - Renato Janine Ribeiro : Federais devem ajudar o ensino básico
Renato Janine Ribeiro, 65, professor de ética e filosofia política, assume nesta segunda-feira (6) o Ministério da Educação com for te apoio, mas sob pesada restrição orçamentária. “Este ano vai exigir muita paciência.” Janine diz que a principal prioridade é a educação básica (ensinos fundamental e médio) e que seu plano é engajar mais as universidades federais e seus estudantes na tarefa, inclusive com recurso ao ensino à distância. “Um dos principais instrumentos do MEC são as universidades federais. A educação pode ter os 18% [das receitas de impostos] garantidos pela Constituição, mas uma parcela enorme disso vai para as federais.” (Pág. a14)
Minas cancela 806 convênios depois da eleição
Auditoria a ser divulgada em Minas Gerais pelo governador Fernando Pimentel (PT) mostra que a gestão anterior, ligada a Aécio Neves (PSDB), cancelou logo após a eleição 806 convênios com municípios. Governador na época, Alberto Pinto Coelho (PP) atribuiu o cancelamento ao fato de o Banco do Brasil não ter liberado empréstimo autorizado. (Poder a8)
‘Se eu fosse Vaccari, já teria saído do PT’, diz assessor da Presidência (Poder A6)

Devedores têm saúde física e mental afetadas
O número de pessoas endividadas que procuram o Hospital das Clínicas dobrou em cinco anos. Hoje, três pacientes por semana buscam ajuda médica com queixas de ansiedade e depressão ligadas a problemas financeiros. Segundo consultores, inflação e desemprego agravam o quadro. Teste avalia se sua saúde foi afetada. (Folhainvest b1)
Foto-legenda : Fogo eterno
Incêndio em tanques de combustível em Santos (SP), que já dura mais de 80 horas, leva moradores a deixarem suas casas e mata peixes no rio Casqueiro (Cotidiano d4)
Vacina contra a dengue é esperada para o fim do ano (d5)

Debate - Terceirização
Paulo Skaf

Lei deve gerar mais emprego e competitividade (Opinião A5)

Ricardo Melo

Proposta legaliza o desmanche das conquistas da CLT (Poder A8)
Editoriais
Leia “Promessa descarrilada”, sobre atrasos de obras metroferroviárias em São Paulo, e “O preço do show”, acerca de incentivos do Estado à cultura. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos