Atualidades 19/10/2015


O Globo
Manchete: Dilma diverge do PT e diz que Levy fica no governo
Mão de obra deve superar R$ 100 bi
Infraestrutura sem dinheiro de fundos
Operação Lava-Jato: Investigação já envolve 62 políticos
Ministro de Itamar: Ricupero teme por conquistas
Eleições argentinas: Macri cobra ação sobre Venezuela
Enem: Razões para abismo entre escolas
PIB na China é o menor em 6 anos
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: Dilma reage à pressão de Lula e diz que Levy fica na Fazenda
‘CPMF é crucial’, diz presidente
Presidente nega acerto com Cunha
CPI da Petrobrás termina sem indiciamentos
Negócios: Andrade Gutierrez negocia ativos
Jovens demoram mais a detectar câncer de mama
Na Argentina, corrida por indecisos
BC já discute IPCA em 4,5% só para 2017 (Economia, pág. B4)
José Goldemberg: Mudanças climáticas e inovação
Notas & Informações: Crime continuado
Notas & Informações: A crise no mercado de trabalho
Marin pode ser extraditado
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Manchete: Aperto nas contas da União atrasa obras federais no RS
Prejuízo com chuva leva prefeito da Capital a decretar emergência
Dilma contraria PT e diz que Levy fica
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete: "Opinião do PT não é a do governo", diz Dilma sobre Levy
Delação de lobista coloca em xeque a de ex-diretor
Celso Rocha de Barros: O PT não sabe ser governo e oposição ao mesmo tempo
Após depoimento na CPI, conta de Cunha foi alterada
Sem descontos, remédios sobem ainda neste ano
Entrevista da 2ª: Paul Krugman
Editoriais  - Leia “Amortecedor ex-temo”, sobre oportunidades comerciais para o país, e “Fim de um contrabando”, acerca de mudança nas medidas provisórias. (Opinião, pág. A2)
“Lamento que seja com um brasileiro”, afirma Dilma sobre as denúncias contra o presidente da Câmara. (Pág. A4)
Nas redes, policial é herói e violento
China tem o menor crescimento em um trimestre em 6 anos (Mercado, pág. A13)
‘Lamento que seja um brasileiro’, afirma Dilma sobre as denúncias contra o presidente da Câmara (Pág. A4)
------------------------------------------------------------------------------------

19 de outubro de 2015
O Globo

Manchete: Dilma diverge do PT e diz que Levy fica no governo
Presidente afirma que opinião do partido não é a do Planalto

Em recado ao Congresso, ela defendeu aprovação da CPMF para equilibrar as contas públicas e reconheceu que sem o novo imposto será ‘muito difícil’ atingir a meta de superávit de 0,7% do PIB estabelecida para 2016

Em viagem oficial à Suécia, a presidente Dilma Rousseff garantiu que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, fica no governo. A política econômica adotada pela pasta tem sido alvo de críticas do PT e do ex-presidente Lula. Dilma afirmou que respeita o PT como partido "mais importante" da base aliada, mas disse que a posição contrária a Levy, manifestada pelo presidente da legenda, Rui Falcão, "não é a opinião do governo". Ela defendeu a aprovação da CPMF, a principal medida na proposta de ajuste fiscal enviada ao Congresso, como essencial para o equilíbrio econômico. "Sem a CPMF isso é muito difícil. Não vou dizer impossível. Mas está no grau de dificuldade máximo". (Pág. 3)
Mão de obra deve superar R$ 100 bi
Exclusivo: Com 618 mil funcionários, o governo tem um contingente 26% maior que na era Lula. Custo deve passar de R$ 100 bi este ano, conta José Casado. (Pág. 8)
Infraestrutura sem dinheiro de fundos
Com a alta dos juros, fundos de pensão ampliam investimentos em títulos do governo e devem ficar fora dos próximos leilões de concessões de infraestrutura. (Pág. 21)
Operação Lava-Jato: Investigação já envolve 62 políticos
Após delator acusar o líder do governo no Senado, Delcídio Amaral, já são 62 os políticos investigados. Sobre Eduardo Cunha, a presidente Dilma lamentou, ontem, que "seja um brasileiro" o envolvido com contas secretas na Suíça. (Pág. 4)
Ministro de Itamar: Ricupero teme por conquistas
Exclusivo: Ministro da Fazenda de Itamar Franco, Rubens Ricupero vê riscos às conquistas do Plano Real, relata Monica Gugliano. (Pág. 9)
Eleições argentinas: Macri cobra ação sobre Venezuela
Exclusivo: O argentino Mauricio Macri, candidato da oposição à Presidência, critica omissão do Mercosul sobre direitos na Venezuela. (Pág. 27)
Enem: Razões para abismo entre escolas
Evasão de alunos, formação de professores e renda familiar influenciam o desempenho e distanciam os melhores colégios dos piores. (Pág. 26)

PIB na China é o menor em 6 anos
A China cresceu 6,9% no 3º trimestre, pior resultado desde 2009. O presidente Xi Jinping disse que o país não está imune ao freio global. (Pág. 23)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Dilma reage à pressão de Lula e diz que Levy fica na Fazenda
Na Suécia, presidente diz que ministro ‘não está saindo’ e reclama que ‘especulação cria instabilidade e tumulto’

A presidente Dilma Rousseff disse ontem, em Estocolmo, que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, fica no cargo. “Ele não está saindo do governo. Ponto. Qualquer coisa além disso está ficando especulativo”, afirmou Dilma, após encontro com o rei da Suécia, Carlos XVI, e a rainha Silvia. Alvo de críticas do ex-presidente Lula e do PT, Levy disse a interlocutores na semana passada que pretende deixar o cargo até o fim do ano caso continue o “fogo amigo” contra ele. Dilma negou que o ministro tenha pedido demissão. “As pessoas que estão no ministério hoje espero que fiquem até o final do meu mandato. O resto é tentativa errada de especulação, porque cria instabilidade, cria tumulto.” Indagada se concordava com o presidente do PT, Rui Falcão, que cobrou mudança da política econômica ou a saída de Levy, ela disse que ele “pode ter a opinião que quiser, mas não é a do governo”. No Planalto, a avaliação é que a saída agora significaria admitir derrota do ajuste fiscal. (Política, pág. A4)
‘CPMF é crucial’, diz presidente
Dilma Rousseff voltou a defender a recriação da CPMF e disse que o tributo é "crucial para o País". “O Brasil precisa aprovar para que tenha um 2016 estável”, disse. (Pág. A4)
Presidente nega acerto com Cunha
Dilma Rousseff negou acordo do governo com o deputado Eduardo Cunha. Ao responder sobre a repercussão internacional do caso, disse: “Lamento que seja um brasileiro”. (Pág. A5)
CPI da Petrobrás termina sem indiciamentos
A CPI da Petrobrás deve encerrar os trabalhos até a próxima sexta-feira e o relator da comissão, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), não vai pedir ao Ministério Público o indiciamento de investigados na Operação Lava Jato. Depois de quase oito meses de atuação, sem avanços e com várias polêmicas, a comissão deve apresentar apenas “sugestões de aprimoramento” à estatal. “É um processo em que as pessoas já estão condenadas, sentenciadas, é o inverso das outras CPIs”, justificou o petista. (Política, pág. A6)
Negócios: Andrade Gutierrez negocia ativos
A Andrade Gutierrez, uma das 23 empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato por denúncias de corrupção na Petrobrás, começa a ofertar parte de seus ativos a grupos e fundos de investimento. O Estado apurou que a empresa procurou negociar a venda de sua participação de 17% na concessionária rodoviária CCR com pelo menos três grupos – os fundos Temasek e GIC, ambos de Cingapura, e a canadense Brookfield. (Pág. B1)
Jovens demoram mais a detectar câncer de mama
Apesar da prevalência em mulheres acima dos 50 anos, a mais alta taxa de diagnóstico tardio de câncer de mama ocorre em pacientes de até 39 anos, revela levantamento inédito do A.C. Camargo Câncer Center, no Dia Internacional do Combate ao Câncer de Mama. (Metrópole, pág. A13)
Na Argentina, corrida por indecisos
Na reta final da campanha, os três principais candidatos à presidência argentina precisam conquistar os 27% de eleitores que cogitam mudar o voto. (Internacional, pág. A8)
BC já discute IPCA em 4,5% só para 2017 (Economia, pág. B4)

José Goldemberg: Mudanças climáticas e inovação
As expectativas em torno da próxima Conferência do Clima são as melhores desde 1992. As razões para isso vêm da China, dos EUA e do Brasil. (Espaço Aberto, pág. A2)
Notas & Informações: Crime continuado
Se Dilma mantém as pedaladas fiscais em 2015, fica claro que escolheu escarnecer da lei. (Pág. A3)
Notas & Informações: A crise no mercado de trabalho
A deterioração das condições do mercado de trabalho acentuou-se no segundo semestre. (Pág. A3)
Marin pode ser extraditado
Último cartola detido a ser julgado, ex-presidente da CBF José Maria Marin pode ser extraditado para os EUA e ter apartamento confiscado em Nova York. (Pág. D5)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Aperto nas contas da União atrasa obras federais no RS
Situação mais grave é das rodovias, com impacto na duplicação das BRs 116 e 290. Prazos de entrega, como o da segunda ponte do Guaíba, não devem ser cumpridos. (Págs. 6 e 7)
Prejuízo com chuva leva prefeito da Capital a decretar emergência
Sem precedentes na história recente da cidade, medida ocorre devido ao temporal da quarta e ao nível do Guaíba, que chegou a 2m94cm. (Págs. 18 e 20)
Dilma contraria PT e diz que Levy fica
Na Suécia, presidente reafirmou permanência de ministro no cargo e garantiu que opinião do dirigente do partido não é a do governo. (Pág. 13)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete: "Opinião do PT não é a do governo", diz Dilma sobre Levy
Brasil em crise: Ministro continua, afirma petista depois de presidente da sigla cogitar mudança em entrevista à Folha

Em resposta ao presidente do PT, Rui Falcão, Dilma Rousseff disse que o ministro Joaquim Levy (Fazenda) continua na função e que a posição do partido não é necessariamente a do governo.

Falcão defendeu, em entrevista à Folha publicada ontem, mudanças na política econômica, como maior oferta de crédito, e afirmou que, caso não concordasse, Levy deveria deixar o cargo.

“A gente respeita a opinião do presidente do PT, mas isso não significa que seja a opinião do governo”, disse a presidente em Estocolmo (Suécia), onde se reúne com empresários locais.

A petista foi enfática acerca da permanência de Levy: “Não está saindo do governo. E ponto. Não toco mais nesse assunto. Podem especular. Quando eu digo que não, não adianta, é não”.

Dilma defendeu a importância de o Congresso aprovar as medidas fiscais, em especial a CPMF, tributo sobre operações financeiras.

“O Brasil precisa aprová-la para que a gente tenha um ano de 2016 estável. A CPMF é crucial. Sem ela, estaremos no grau de dificuldade máxima.” (Poder, pág. A4)
Delação de lobista coloca em xeque a de ex-diretor
A delação de Fernando Baiano a procuradores da Lava Jato põe em xeque relato do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa sobre valor recebido de propina.

O lobista afirmou ter pago a Costa ao menos R$ 20 milhões. Para a defesa de Costa, Baiano mente. O ex-executivo disse ter recebido de Baiano, em 2012, US$ 4 milhões (R$ 8 milhões). (Poder, pág. A7)
Celso Rocha de Barros: O PT não sabe ser governo e oposição ao mesmo tempo
A ideia de que seria possível derrubar Levy e lançar grandes estímulos à economia é equivalente a achar que agora que o craque está machucado e o capitão está suspenso deve ser uma boa hora para partir para cima da Alemanha. Se Levy cai hoje, amanhã será a fase "4 gols em 6 minutos". (Poder, pág. A7)
Após depoimento na CPI, conta de Cunha foi alterada
Duas semanas depois de Eduardo Cunha (PMDB) depor na CPI da Petrobras, a offshore usada pelo chefe da Câmara para abrir conta na Suíça teve documentos alterados, com troca de diretores — ambos “laranjas”, segundo autoridades suíças, que ajudariam a lavar dinheiro.

Cunha negou na comissão ter contas no exterior e mantém esse discurso. (Poder, pág. A6)
Sem descontos, remédios sobem ainda neste ano
A pressão dos custos e a alta do dólar anteciparam os reajustes nos preços dos remédios, que normalmente ocorrem no mês de março.

Segundo fabricantes, os descontos nas farmácias tendem a desaparecer nos próximos 60 dias. Os genéricos, que custam em média 50% menos do que os medicamentos de referência, devem ser os mais afetados pela alta dos preços. (Mercado, pág. A11)
Entrevista da 2ª: Paul Krugman
Crise brasileira é humilhante, mas não desesperadora

Para o Nobel de Economia Paul Krugman, apesar de o Brasil estar “uma bagunça” e de a economia ter sofrido um retrocesso, a situação do país está longe da registrada em crises anteriores. “É um pouco humilhante se ver nesta situação de novo. Mas as pessoas estão exagerando”, disse à Folha. (Pág. A10)
Editoriais 
Leia “Amortecedor ex-temo”, sobre oportunidades comerciais para o país, e “Fim de um contrabando”, acerca de mudança nas medidas provisórias. (Opinião, pág. A2)
“Lamento que seja com um brasileiro”, afirma Dilma sobre as denúncias contra o presidente da Câmara. (Pág. A4)

Nas redes, policial é herói e violento
Imagens de detidos e selfies com armas compõem perfis não oficiais da polícia brasileira em redes sociais. Nas páginas, que somam milhares de seguidores, as fotos acompanham frases como “protegendo a sociedade mesmo que isso custe a própria vida”.

Especialistas e profissionais divergem. Para Everaldo Patriota, da OAB, as postagens são “coisa de faroeste”. Diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno diz que os policiais se esquecem de que representam o Estado.

Para o tenente Danillo Ferreira, da PM da Bahia, a presença nas redes pode ser benéfica, pois “ajuda a reverter a vergonha de ser policial”.

A prática pode ser considerada infração administrativa, a depender do regimento de cada corporação. (Cotidiano, pág. B5)
China tem o menor crescimento em um trimestre em 6 anos (Mercado, pág. A13)

‘Lamento que seja um brasileiro’, afirma Dilma sobre as denúncias contra o presidente da Câmara (Pág. A4)

------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016