Atualidades 27/03/2017

A sabedoria tem mais valor do que qualquer bem material, pois quem tem sabedoria tem tudo! "Para ter sabedoria, é preciso primeiro pagar o seu preço. Use tudo o que você tem para conseguir a compreensão" (‭Provérbios‬ ‭4‬:‭7‬)  E quando pagamos o preço, surgem os benefícios da sabedoria, vejamos: "Na mão direita, a sabedoria lhe garante vida longa; na mão esquerda, riquezas e honra." (Provérbios 3:16).


O Globo
Manchete : Só 10% gastarão dinheiro do FGTS
Lava-Jato enfrenta fila nos estados
Ciro provoca Moro: ‘Vou receber na bala’ (Pág.4)
Foto-legenda : Protestos
Crise eleva número de lixões no estado
Antônio Gois Ipea discute a gratuidade em universidades públicas para quem pode pagar. (Pág.22)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete : Previdências de 22 Estados e do DF operam no vermelho
Lava Jato faz políticos mudarem planos eleitorais para manter foro
Foto-legenda : Baixa adesão
País desativa 10,1 mil leitos pediátricos do SUS em 6 anos
Cida Damasco - Garantias a terceirizados e pressa nas reformas (Economia B4)
Notas&Informações - A leniência e a impunidade - Tanto a delação premiada como o acordo de leniência só são úteis na medida em que, auxiliando as investigações, contribuam para o cumprimento da lei. (A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete : Atos a favor da Lava Jato levam menos gente às ruas
Entrevista da 2a. - Ciro Gomes : 'Ideal seria o PT apresentar uma nova liderança'
Governo antecipa anúncio de leilão de óleo e gás
Teste aponta que gestão Doria só atende 7 em 30 queixas
Reinaldo Azevedo - Fracasso de manifestação é clichê anunciado
Editoriais - Leia “Chances trabalhistas”, acerca de projetos no Congresso sobre terceirização, e “O preço da água”, sobre os custos do sistema de saneamento básico. (opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
27 de março de 2017
O Globo

Manchete : Só 10% gastarão dinheiro do FGTS
Pesquisa mostra que maioria prefere quitar dívida a consumir

Para economistas, o impacto dos recursos do fundo na economia será gradual, já que brasileiro quer evitar novas despesas

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas mostra que apenas 9,6% das pessoas que sacarão dinheiro das contas inativas do FGTS vão gastá-lo com compras e lazer. A maioria, 65%, pretende pagar dívidas ou poupar. O levantamento da FGV, realizado em sete capitais, concluiu que dos R$ 43,1 bilhões que serão sacados até julho, só R$ 3,7 bilhões devem ser usados em consumo. Isso significa que o impacto na economia esperado pelo governo pode ser mais gradual. Inicialmente, os trabalhadores deverão se livrar dos débitos e refazer suas reservas, afirmam economistas. (Pág. 15)
Lava-Jato enfrenta fila nos estados
Os 211 pedidos encaminhados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a instâncias inferiores se somam a mais de 23 mil procedimentos de combate à corrupção nos estados. Priorizar a Lava-Jato depende de decisão de cada Ministério Público. (Pág. 3)
Ciro provoca Moro: ‘Vou receber na bala’ (Pág.4)

Foto-legenda : Protestos
Com lápides, manifestantes criticam a “velha política” em Brasília: menores, atos pela Lava-Jato aconteceram em 19 estados (Pág.4)
Crise eleva número de lixões no estado
Quantidade sobe de 17 para 29 em dois anos

Acumulando dívidas de cerca de R$ 500 milhões com aterros sanitários privados, municípios fluminenses voltaram a utilizar lixões que haviam sido fechados, como o de Gramacho, em Duque de Caxias. Levantamento do setor aponta que número de vazadouros irregulares a céu aberto subiu de 17 para 29 no estado. O compromisso era zerar os lixões em 2014. (Pág. 6)
Antônio Gois
Ipea discute a gratuidade em universidades públicas para quem pode pagar. (Pág.22)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete : Previdências de 22 Estados e do DF operam no vermelho
Em seis anos, o rombo passou de R$ 49 bilhões para R$ 77 bilhões, número de inativos cresceu 25%. SC, MG e RS já gastam 20% da receita com aposentados

A decisão do presidente Michel Temer de excluir servidores estaduais da reforma da Previdência que está em discussão no Congresso vai exigir dos Estados um esforço político para alterar suas regras de aposentadoria nas Assembleias Legislativas. Se isso não for feito, o rombo continuará crescendo e reduzirá drasticamente a capacidade financeira de quase todos os Estados do País. É o que mostra estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea): 22 dos 26 Estados brasileiros operam com déficit na Previdência, além do Distrito Federal. Em apenas seis anos – entre 2009 e 2015 (último dado disponível) –, o rombo passou de R$ 49 bilhões para R$ 77 bilhões, em valores atualizados. O número de inativos subiu 25%. Para pagar os aposentados, os Estados usam o dinheiro do seu caixa e a parcela comprometida, na média, subiu de 9,5% para 13,2%. Santa Catarina, Minas Gerais e Rio Grande do Sul já gastam mais de 20% da receita com Previdência. (Economia B1)

Temer estuda estipular prazo

O presidente Michel Temer admitiu a possibilidade de incluir na reforma da Previdência uma emenda que dá seis meses para Estados e municípios acertarem as contas. (B4)
Lava Jato faz políticos mudarem planos eleitorais para manter foro
O avanço da Lava Jato vem obrigando parlamentares a repensar os planos para as eleições de 2018 e buscar “caminhos” para manter o foro privilegiado e continuar sob a alçada do Supremo Tribunal Federal, onde o ritmo é mais lento em comparação com a primeira instância. No Congresso, senadores que queriam disputar governos estaduais já pensam em tentar a reeleição. Há também senadores que cogitam disputar uma vaga para a Câmara. E deputados que pretendiam disputar o Senado refazem agora os planos para se manter no mandato após 2018. (Política A4)

‘Caixa 2 é crime grave’

O vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, diz que não vê “como separar caixa 2 e corrupção”. (A6)
Foto-legenda : Baixa adesão
Protestos contra o foro privilegiado e em apoio à Lava Jato não conseguiram mobilizar o público dos atos pelo impeachment de Dilma. (Política A5)
País desativa 10,1 mil leitos pediátricos do SUS em 6 anos
Rede pública fechou 10,1 mil leitos pediátricos entre 2010 e 2016, de acordo com levantamento da Sociedade Brasileira de Pediatria, obtido com exclusividade pelo Estado. O déficit, só de UTI neonatal, que recebe recém-nascidos em estado grave, é de 3,2 mil leitos – há apenas 2,9 leitos para cada mil bebês nascidos vivos, quando o recomendado são 4. O Ministério da Saúde diz que aumentou em 15% o investimento na área no período e atribui a redução a “mudança de perfil epidemiológico e tendência mundial de desospitalização”. (Metrópole A10)
Cida Damasco
Garantias a terceirizados e pressa nas reformas (Economia B4)
Notas&Informações
A leniência e a impunidade - Tanto a delação premiada como o acordo de leniência só são úteis na medida em que, auxiliando as investigações, contribuam para o cumprimento da lei. (A3)

Modernização e emprego - Estímulo à contratação é efeito óbvio das novas regras para a terceirização. (A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : Atos a favor da Lava Jato levam menos gente às ruas
Para organizadores, difusão de pautas reduziu adesão; Planalto não comenta

Enquanto políticos debatem maneiras de minimizar os efeitos da Lava Jato, as manifestações em defesa da operação tiveram pouca adesão neste domingo (26). Os atos, que ocorreram em ao menos 21 capitais, foram convocados pelos grupos que encabeçaram, em 2016, as manifestações pelo impeachment da então presidente Dilma Rousseff. Em São Paulo, 15 mil pessoas compareceram à av. Paulista, segundo os organizadores — a PM não divulgou números. Em 2016, 500 mil se reuniram no mesmo local, segundo o Datafolha. A PM afirmou que em Brasília havia 500 manifestantes. No Rio, organizadores não divulgaram números. Segundo os grupos que coordenaram os atos, a adesão menor se deve à difusão de pautas dos protestos. Além da defesa da Lava Jato, houve críticas à contribuição sindical compulsória, à proposta de reforma política e pedidos de intervenção militar. Estavam no protesto em São Paulo, entre outros, o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) e a atriz Regina Duarte. O Palácio do Planalto não comentou os atos. (Poder a4)
Entrevista da 2a. - Ciro Gomes : 'Ideal seria o PT apresentar uma nova liderança'
Ex-ministro de Lula, Ciro Gomes (PDT-CE) diz que o ex-presidente petista pode “polarizar e perder” em 2018, ou ganhar e manter “essa confrontação odienta que está rachando o país”. Para ele, o ideal para o PT seria apresentar uma “nova liderança”. Afirma que não será “vice de ninguém” e chama o prefeito de São Paulo, João Doria, de “farsante”. (a14)
Governo antecipa anúncio de leilão de óleo e gás
O ministro Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) afirmou que o governo quer anunciar no segundo semestre os leilões de óleo e gás de 2018 e 2019, para dar previsibilidade a empresas do setor. Segundo o ministro, o preço da energia deverá subir neste ano devido ao custo da geração. (Mercado aberto a16)
Teste aponta que gestão Doria só atende 7 em 30 queixas
Em teste feito pela Folha, foram apresentadas queixas à Prefeitura de São Paulo sobre falhas de zeladoria na cidade, como lixo nas ruas. Dos 30 pedidos, feitos por meio do serviço 156, somente 7 foram atendidos no prazo. O combate a problemas de zeladoria foi marca do início de mandato do prefeito João Doria (PSDB). Questionada, a administração culpa pendências acumuladas pela gestão anterior. (Cotidiano B1)
Reinaldo Azevedo
Fracasso de manifestação é clichê anunciado

Por que me opus à manifestação? A pauta era ampla e confusa; o sucesso e o insucesso interessariam às esquerdas; mais uma vez assistiríamos à depredação da lógica. A Lava Jato nunca esteve e não está sob ataque. Ouvi neste domingo um “não” a “mais dinheiro para os políticos”. É de uma alarmante irracionalidade. Nunca acreditei na demonização da política. (Poder a6)
Editoriais
Leia “Chances trabalhistas”, acerca de projetos no Congresso sobre terceirização, e “O preço da água”, sobre os custos do sistema de saneamento básico. (opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos