Deep Work - Trabalho focado - Cal Newport


Objetivos do resumo
A melhor forma de provar a importância deste livro é perceber quantas notificações ou e-mails você receberá durante seu tempo de leitura. Como estes estímulos frequentes influenciam no aproveitamento do texto?
Você provavelmente perderá o foco em alguns momentos, perdendo detalhes importantes. Mas essa é uma desvantagem da tecnologia que precisamos aprender a superar. Estamos evoluindo para patamares que antes eram apenas sonhados e, por isso, é necessário desenvolvermos habilidades para focar em uma única tarefa por vez.
Precisamos aprender a desenvolver o trabalho focado.
O que significa este termo? Como chegar lá?
Primeiramente, desative suas notificações e feche seu e-mail. E, então, venha aprender nos próximos tópicos. Você também vai descobrir porque ser multitarefas na verdade o deixa menos produtivo, qual a diferença entre trabalho focado e zona de concentração e porque o banho é uma ótima hora para pensar em questões específicas.
Fazer muitas coisas ao mesmo tempo e deixar abas abertas na sua tela só vão atrapalhar a sua produtividade.

Um dos mitos que foi criado no último século é que quem é multitarefas é produtivo. Entretanto, essa lógica está longe de ser verdadeira.
Um estudo encabeçado por Sophie Leroy, professora na Universidade de Minnesota, Estados Unidos, nos mostra o motivo: quando mudamos da tarefa A para a B, nossa atenção continua na primeira tarefa. Portanto, nossa atenção à segunda tarefa fica apenas pela metade, comprometendo muito nosso rendimento.
O estudo de Leroy contou com dois grupos: o primeiro ficou tentando montar quebra-cabeças até que ela os interrompeu e os mandou ler currículos para uma suposta contratação em uma empresa. Já o segundo pôde terminar de montar o jogo antes de partir para a seleção.
Entre estas duas tarefas, a pesquisadora passava um rápido questionário para ver quais palavras-chave do quebra-cabeça ainda estavam na memória dos participantes. O resultado foi que o primeiro grupo estava muito mais focado no jogo e, portanto, menos na tarefa de contratar o melhor candidato.
Sophie Leroy conseguiu provar, portanto, que fazer várias coisas ao mesmo tempo é prejudicial para a produtividade – assim como manter-se conectado a diversos dispositivos eletrônicos o dia inteiro.
Ainda que você pense que não tem problema deixar 10 abas abertas no seu browser durante seu dia de trabalho, só o fato de perceber o número de notificações subindo na aba da rede social já faz com que você perca o foco, mesmo que você não imediatamente pare o trabalho que está fazendo.
Um estudo de 2012, feito pela consultoria McKinsey, descobriu que usamos apenas 30% de nosso tempo no trabalho para ler e responder e-mails – e 60% dele em ferramentas de comunicação online e navegando pela internet.
Ainda assim, é comum vermos pessoas se vangloriando de que estão trabalhando muito. Isso acontece porque fazer várias coisas ao mesmo tempo e lidar com diversas informações diferentes dá a impressão de que estamos ocupados, de fato realizando algo. Entretanto, tudo isso só evita que consigamos focar no que realmente precisamos.
Descubra sua melhor abordagem para conseguir trabalhar com foco, seguindo os rituais e preocupando-se com o bem-estar de seu corpo.
Já falamos sobre o que atrapalha nosso foco no trabalho, mas como superar estas dificuldades? Não existe uma lista única de regras para todos, mas vamos apresentar algumas táticas que podem ajudar.
A primeira é: elimine tudo o que tem o potencial para te distrair, mantendo-se recluso como um monge. Esta é a abordagem monástica.
A segunda é a abordagem bimodal. Separe um tempo específico para o trabalho, durante o qual você não fará mais nada. O tempo restante será para você fazer todas as outras coisas que queira.
A terceira abordagem é a rítmica, na qual você cria o hábito de trabalhar por um determinado tempo sem parar, por exemplo, 60 minutos. Você também precisa usar um calendário, onde anotará suas evoluções.
A quarta e última abordagem é a jornalística. Toda vez que você perceber que não tem nada para fazer, use este tempo livre para focar-se em algum trabalho.
É importante manter em mente que qualquer uma dessas técnicas é metódica, existem alguns processos a seguir. E é exatamente essa a diferença entre o trabalho focado e estar na zona de concentração.
A zona de concentração vem ao acaso, provavelmente depois de você já ter passado por horas de procrastinação. Trabalho focado é algo que exige preparação e força de vontade, e requer algum tipo de ritual para que sua mente entre no clima.
Um destes rituais pode ser através de mudanças em seu espaço. Um “não entre sem bater” na porta do seu escritório, principalmente se você trabalha em um local em que as pessoas costumam transitar ativamente entre as salas. Mas pode ser também ouvir determinada música ou estar em local diferente – um café no seu bairro, por exemplo.
J.K. Rowling, autora, para terminar o último dos livros do Harry Potter, hospedou-se em um hotel cinco estrelas para ficar em um ambiente diferente do que estava acostumada e para lidar melhor com a pressão. Dessa forma, ela conseguia trabalhar concentrada muito mais facilmente.
Outro ritual pode ser também definir alguns limites, por exemplo, desconectando o cabo da internet, desligando seu celular ou desmarcando algumas reuniões não tão importantes.
Por último, você precisa pensar em como aguentará fisicamente horas seguidas de trabalho. Caso contrário, sua mente não encontrará subsídios para manter-se focada.
Faça um exercício constante para que seu cérebro consiga focar apesar de toda a exposição diária às fontes de distração – e questione-se sobre o papel das redes sociais em sua vida.
Com todos os estímulos que a tecnologia proporciona, é difícil ficarmos muito tempo sem precisarmos nos distrair. Pode reparar: no ponto de ônibus, dentro do táxi, no consultório do dentista – todos estão sempre atentos a suas telas, mesmo que não haja nenhuma mensagem nova ou a pessoa já tenha visto todas as novidades na rede social.
A culpa não é apenas da tecnologia, mas de nossos cérebros também: nós podemos ser facilmente distraídos. Isso acontece porque, no curso da evolução, qualquer coisa acontecendo a nossa volta poderia tornar-se uma ameaça – portanto, precisávamos estar sempre atentos a tudo acontecendo, dificultando o foco em uma única tarefa.
Entretanto, nem tudo está perdido. Uma meditação conhecida como “produtiva” ajuda o cérebro a retomar a concentração.
Você pode fazer uso dela quando estiver em alguma tarefa aparentemente improdutiva – por exemplo, no caminho para a faculdade, parado no trânsito ou enquanto espera a comida ficar pronta. Nestes momentos, treine seu cérebro para pensar em um problema que você precisa resolver, sem deixá-lo perder o foco.
Comece fazendo perguntas que te levem a entender o que te impede de resolver este problema. Quanto descobrir exatamente qual é este obstáculo, faça perguntas “ativas”, como “o que eu preciso fazer para resolver o problema original?”
Encare este hábito de perguntas como uma rotina de exercícios, que deixará seu cérebro mais forte para ficar focado por mais tempo.
Outra coisa que é importante para ficarmos menos distraídos é questionar os motivos de você usar as redes sociais e estar online tanto tempo. Se você usa o Facebook para encontrar antigos amigos e poder retomar o contato com eles, esforce-se para encontrá-los pessoalmente também.
Se você perceber que não consegue livrar-se nem por alguns minutos, tente ir um pouco além: desative suas contas nas redes sociais por 30 dias.
Depois deste período, pergunte-se qual teria sido a diferença na sua vida caso não as tivesse desativado. Teria sido melhor? Alguém reparou que eu não estava mais lá?


Se ambas as respostas forem negativas, então nem preocupe-se em voltar. Caso tenha respondido “sim”, então talvez seja melhor reativá-las.
Planeje-se para conseguir aproveitar melhor seu tempo livre e para que seu corpo consiga restaurar-se.
Depois de um dia cheio de trabalho e pendências a serem resolvidas, provavelmente, ao chegar em casa, você não quer fazer nada. E “fazer nada” inclui não ter horários ou objetivos específicos, certo?
Entretanto, repare que você possivelmente segue uma mesma rotina todas as vezes: checa seu celular enquanto janta, fica trocando alguns canas na televisão até cansar e vai deitar, esperando o sono chegar enquanto assiste a algum seriado no computador. Na hora de realmente dormir, seu corpo está tão acelerado, que você sente-se mais cansado do que quando chegou em casa. No próximo dia, nem parece que você descansou.
Você deve estar perguntando-se como evitar essa fadiga toda. Ao determinar horários específicos para as tarefas, você consegue ficar com a mente tranquila em todos os processos, já que você sabe que não precisa se preocupar no que fará em seguida. No início de cada dia, desenhe um cronograma com blocos de 30 minutos. Lembre-se de considerar tanto as tarefas relacionadas ao trabalho, quanto as relacionadas à sua vida pessoal – como “levantar para dar uma volta”, “checar minhas redes sociais”, “tomar água”.
É claro que não conseguimos prever tudo, portanto, algumas coisas podem sair fora do planejado. Entretanto, caso isso aconteça, reajuste o restante de seu cronograma. Você não precisa cumprir cada detalhe do que pensou no início do dia, mas precisa estar atento em como usa o seu tempo.
E isso também ajuda a você aproveitar melhor suas noites pós expediente. Pense que a última vez que você checará seu e-mail é 30 minutos antes do fim do expediente. Dessa forma, sua mente estará menos acelerada na hora de ir embora.
Por fim, pense em atividades para seus finais de semana ou noites livres que não envolvam tecnologia ou internet. Volte-se ao seu corpo e à sua mente – seja através de um exercício físico, uma leitura ou apenas estar com seus amigos.

Final

Questões para refletir
  • Você está sendo produtivo, ou apenas gastando seu tempo em multitarefas?
  • Você dá a devida importância a suas horas de sono?
  • Quais táticas você pode adotar para transformar zona de concentração em trabalho focado?

Conselhos práticos
  • Saiba eliminar fatores que possam te distrair do seu real objetivo.
  • Perceba qual o papel das redes sociais na sua vida e se isso atrapalha o seu foco.
  • Considere ficar algum tempo longe da internet e da tecnologia, para que seu corpo fique restaurado e sua mente, tranquila.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016