Atualidades 05 de maio de 2017

Você não consegue construir uma reputação naquilo que você pretende fazer. – (Henry Ford)



O Globo
Manchete: Lava-Jato defende prisões contra corrupção sistêmica
Na guerra do Alemão, 10 mortos em 14 dias
Invasão da Câmara foi criminosa, diz governo
Justiça condena 8 por terrorismo
Desemprego é mais grave no Rio
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: Prisões preventivas da Lava Jato dividem ministros do STF
Repatriação na mira da Lava Jato
Governador do Amazonas é cassado por compra de voto
1.158 unidades de saúde estão fechadas por falta de verba
Para Meirelles, não cabe mais mudança em texto da reforma
Foto- legenda: Satélite brasileiro
Entrevista - Delfim Netto
Notas & Informações - A primeira vitória 
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete : Doria fecha salas de lazer por vagas na pré-escola
Em revés de Moro, juiz dispensa Lula de depoimentos
OAS tinha setor de propina, diz ex-executivo
Justiça condena 8 por planejarem terrorismo no país
Para garantir reforma, governo oferece benefício a devedor do fisco (Mercado A12)
Foto-legenda : Tumulto
Hélio Schwartsman - Operação seguirá de vento em popa após soltura de Dirceu (Opinião A2)
Editoriais - Leia “A fórceps”, acerca de avanço da reforma previdenciária na Câmara, e “Plantas e cartazes”, sobre corredor verde e publicidade nas vias urbanas. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------

05 de maio de 2017
O Globo

Manchete: Lava-Jato defende prisões contra corrupção sistêmica
Fachin acerta com Cármen Lúcia de levar casos polêmicos ao plenário

Moro afirma que, sem as detenções, corre-se o risco de ‘agravamento do quadro criminoso’, e procurador da operação diz que somente com a manutenção das prisões será possível ‘deter essa organização criminosa’

O juiz Sergio Moro e a força-tarefa da Lava-Jato defenderam as prisões preventivas para o combate à corrupção. Em decisão divulgada ontem, Moro escreveu que, diante da “corrupção sistêmica e profunda, impõe-se a prisão preventiva para debelá-la, sob pena de agravamento do quadro criminoso”. O relator da Lava-Jato no STF, Edson Fachin, combinou com a presidente Cármen Lúcia de levar questões polêmicas ao plenário após a 2ª Turma mandar soltar condenados como o ex-ministro Dirceu. (Pág. 3, Merval Pereira e Cantinho do Moreno)

Acabou em pizza

Na primeira noite fora da prisão após quase dois anos, José Dirceu comeu pizza. (Pág. 7)

Mônica Moura: Dilma usava e-mail secreto (Pág. 6)

Lula não terá de ir a 87 audiências

Liminar desobrigou Lula de acompanhar, como exigira Moro, o depoimento de testemunhas chamadas por ele. (Pág. 6)

OAS também tinha setor de propina (Pág. 5)
Na guerra do Alemão, 10 mortos em 14 dias
Tiroteios diários aterrorizam moradores; secretário de Segurança diz que UPP ‘foi uma tentativa ousada demais’

Operação do Bope no Alemão, em resposta a ataques a bases das UPPs, deixou cinco mortos, totalizando dez vítimas em 14 dias. A violência no complexo de favelas é comparável à do período anterior à pacificação na área, iniciada em 2010. O secretário de Segurança, Roberto Sá, criticou o programa do estado ao dizer que “a UPP foi uma tentativa ousada demais”. Em meio à escalada da violência, ele pediu que a União repasse R$ 8 milhões mensais para pagar horas extras de policiais que reforçariam o policiamento em 17 regiões da cidade. O governo federal pode ampliar de cem para 350 o número de agentes da Força Nacional a serem enviados ao Rio. (Págs. 10 e 11)
Invasão da Câmara foi criminosa, diz governo
O governo considerou um ato antidemocrático e criminoso a invasão da Câmara por agentes penitenciários. A votação na comissão que aprovou o texto da reforma da Previdência foi suspensa anteontem, adiando a análise de destaques, após agentes entrarem em confronto com a polícia legislativa. (Pág. 22)

Meirelles pede que não haja novas concessões

Apesar da aprovação do texto na comissão, ainda há resistências à reforma na base aliada. O ministro Meirelles disse que não podem ser feitas novas concessões. (Pág. 21)
Justiça condena 8 por terrorismo
A Justiça Federal condenou, com base na Lei Antiterrorismo, oito brasileiros que planejaram ataques durante a Rio-2016. As penas vão de 5 a 15 anos de prisão. (Pág. 9)
Desemprego é mais grave no Rio
De cada cem brasileiros que perderam o emprego de carteira assinada nos três primeiros meses do ano, 81 são do Estado do Rio. Os números são do Ministério do Trabalho. (Pág. 12)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Prisões preventivas da Lava Jato dividem ministros do STF
‘Estado’ apurou que maioria deve votar pela manutenção das detenções, como defende o relator Edson Fachin

A discussão sobre prisões preventivas da Operação Lava Jato deve dividir o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) e provocar um julgamento acirrado. O Estado apurou que o entendimento pela manutenção das detenções, defendida pelo relator dos casos na Corte, Edson Fachin, tem maior chance de prevalecer entre os 11 ministros. Além dele e de Celso de Mello, que votaram contra a revogação da prisão do ex-ministro José Dirceu na Segunda Turma do Supremo, pelo menos a presidente da Corte, Cármen Lúcia, e os ministros Luís Roberto Barroso, Luiz Fux e Rosa Weber devem acompanhar o relator. Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli, favoráveis ao habeas corpus a Dirceu, devem receber apoio de Marco Aurélio Mello. A ideia de levar o tema ao plenário – e decidir sobre a situação do ex-ministro Antonio Palocci – surgiu para dar maior respaldo às decisões que envolvem a Lava Jato. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Eliane Cantanhêde

O vigor da Lava Jato

Reviravolta: a sensação de golpe contra a Lava Jato não durou mais que 24 horas. (POLÍTICA / PÁG. A6)
Repatriação na mira da Lava Jato
Ex-gerente da Petrobrás é suspeito de usar a Lei da Repatriação para lavar dinheiro oriundo de propina. Investigadores defendem “abrir caixa- preta” do programa. (PAG. A6)
Governador do Amazonas é cassado por compra de voto
O Tribunal Superior Eleitoral cassou o mandato do governador do Amazonas, José Melo (PROS), e do vice, Henrique Oliveira (Solidariedade), por compra de votos na eleição de 2014. Também determinou que os dois sejam afastados imediatamente e novas eleições diretas sejam convocadas. O presidente da Assembleia Legislativa, David Almeida (PSD), deve assumir interinamente. Cabe recurso. (POLÍTICA / PÁG. A8)
1.158 unidades de saúde estão fechadas por falta de verba
Dados do Ministério da Saúde mostram que 165 Unidades de Pronto- Atendimento (UPAs) e 993 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estão fechadas no País por falta de verba de custeio ou falha de planejamento. Estima-se que o governo tenha gastado mais de R$ 1 bilhão com obras desde 2008. Pelas normas do SUS, embora a gestão das unidades seja municipal, a despesa com manutenção deve ser compartilhada com União e Estado. (METRÓPOLE / PÁG. A11)
Para Meirelles, não cabe mais mudança em texto da reforma
Um dia após comissão especial da Câmara aprovar texto da reforma da Previdência, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o projeto não pode mais ser “fundamentalmente alterado”. O cálculo do governo é de que alterações no projeto causaram perda de 25% em relação à economia de cerca de R$ 800 bilhões projetada para 10 anos. Para Meirelles, porcentual está dentro do previsto. (ECONOMIA / PÁGS. B1 a B4)
Foto- legenda: Satélite brasileiro
O Brasil lançou ontem na Guiana Francesa o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas. Equipamento ficará a 36 mil km da Terra e ampliará a oferta de banda larga no País. (METRÓPOLE / PÁG. A14)
Entrevista - Delfim Netto
Economista diz que, em razão do desequilíbrio fiscal “brutal”, o País vai para a insolvência se texto da reforma não for aprovado. ECONOMIA / PÁG. B3
Notas & Informações 
A primeira vitória

A aprovação pela comissão da Câmara dos Deputados do texto básico da reforma da Previdência confirma as expectativas do Planalto. Mas há difícil caminho a percorrer. (PÁG. A3)

Um Refis escandaloso

Para que sonegar quando programas oficiais podem tornar tão lucrativa a inadimplência? (PÁG. A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : Doria fecha salas de lazer por vagas na pré-escola
Gestão busca ampliar acesso ao ensino; especialistas alertam para precarização

A gestão João Doria (PSDB) tem fechado espaços como brinquedotecas e salas de leitura nas escolas de São Paulo para criar salas de aula que atendam crianças de 4 e 5 anos — cuja matrícula ê obrigatória. Para especialistas e professores, a política pode precarizar o ensino. Salas de informática e vídeo também têm sido transformadas em novas classes de pré-escola. A medida foi informada em e-mail da Secretaria de Educação. O prazo final para universalizar o atendimento a crianças dessa faixa etária, determinação de emenda constitucional, acabou no ano passado. O não cumprimento pode provocar questionamentos judiciais. Em março, mês com o dado mais atual, a fila chegava a 4.352 crianças. A prefeitura registra 219.451 matrículas em pré-escolas. Segundo dados da gestão, 33 escolas passaram por mudanças, de um total de 558. Ao todo, foram criadas 74 turmas. Na gestão Haddad, como uma das formas de ampliar o acesso, o número de alunos por sala subiu para 35. A secretaria de Educação defende que a readequação não é algo novo e que, no processo, foram criadas 2.077 vagas. Afirma ainda que metade das escolas municipais de educação infantil não possui espaços como os que foram substituídos e que o trabalho é reconhecidamente de boa qualidade. (Cotidiano B1)
Em revés de Moro, juiz dispensa Lula de depoimentos
O juiz Nivaldo Brunoni, do Tribunal Regional Federal da 4a Região, reverteu decisão de Sergio Moro e dispensou o ex-presidente Lula de comparecer às audiências de processo em que é réu na Lava Jato. Moro havia exigido a presença do petista nos 86 depoimentos de testemunhas indicadas por ele. (Poder A4)
OAS tinha setor de propina, diz ex-executivo
O ex-executivo da OAS Agenor Medeiros descreveu à Justiça pagamentos de propina da empreiteira a partidos e a existência de uma área de “vantagens indevidas” no grupo, que negocia acordo de delação com procuradores. A estrutura seria parecida com a que era mantida pela Odebrecht. (Poder A4)
Justiça condena 8 por planejarem terrorismo no país
Oito brasileiros réus da Operação Hashtag, realizada às vésperas da Olimpíada do Rio, foram condenados nesta quinta-feira (4) por planejarem atentado terrorista no país. A maior pena dada por juiz federal do Paraná foi de quase 16 anos de prisão em regime fechado. As defesas vão recorrer. (Cotidiano B6)
Para garantir reforma, governo oferece benefício a devedor do fisco (Mercado A12)

Foto-legenda : Tumulto
O ex-ministro José Dirceu no elevador de prédio em Brasília; houve protesto contra sua soltura pelo Supremo, e o petista acabou atingido por spray de pimenta (Poder A5)
Hélio Schwartsman
Operação seguirá de vento em popa após soltura de Dirceu (Opinião A2)
Editoriais
Leia “A fórceps”, acerca de avanço da reforma previdenciária na Câmara, e “Plantas e cartazes”, sobre corredor verde e publicidade nas vias urbanas. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016