Atualidades 23 de maio de 2017

O discurso da positividade ao mesmo tempo em que encheu nosso coração de esperança também nos fez ficar estagnados, somos mais do pensar do que do fazer, somos mais do ficar na minha do que do compartilhar, somos mais do quebrar a cara do que ter cautela, e infelizmente, só às boas ideias não bastam. Não basta fazer um discurso politizado no Facebook e não dar nenhuma solução concreta para aquele problema, não basta simplesmente querer obrigar todo mundo a engolir a sua opinião, só isso, não funciona, não tem efeito, não basta.



O Globo
Manchete: Temer desiste de suspender inquérito e ataca gravação
Lula denunciado no caso do sítio de Atibaia
Mala com R$ 500 mil desaparece
Janot insiste na prisão de Aécio
Grupo JBS perde R$ 16 bi e cai à metade na Bolsa (Págs. 19 e 20)
Brasil pode ser rebaixado por agência S&P (Pág. 22)
Meirelles admite atraso em reformas (Pág. 22)
Editorial - ‘Delação de Joesley recebe descabida premiação’ (Pág. 16)
Colunistas 
MERVAL PEREIRA - STF pode rever perdão aos donos da JBS. (Pág. 4)
MÍRIAM LEITÃO - Benefícios aos irmãos Batista são ponto vulnerável. (Pág. 20)
LYDIA MEDEIROS - Cenários para renúncia incluem indulto e asilo. (Poder em Jogo)
JOSÉ CASADO - Aécio fraudou Lei das Estatais, da qual é o autor. (Pág. 17)

Terror volta a assombrar Inglaterra
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: Temer recua em pedido de suspensão de inquérito
Ação despenca e JBS perde R$ 7,5 bi
Janot pede prisão de Aécio e Loures
Lula é alvo de nova denúncia por corrupção no caso do sítio
S&P pode rebaixar a nota do Brasil
Colunistas 
Eloísa Machado de Almeida - Destino nas mãos do STF Com derrota na suspensão do inquérito, Temer recua e segue sendo investigado no STF. (POLÍTICA / PÁG. A4)
Marcelo de Moraes - Governo desarma armadilha Após se recuperar do impacto da JBS, o governo consegue um mínimo de reorganização. (POLÍTICA / PÁG. A6)
José Márcio de Camargo - O destino das reformas Esperar até o próximo governo para que elas sejam implementadas será um grande desastre. (ECONOMIA / PÁG. B2)

Notas & Informações 
A delação que é um escândalo - A delação do empresário da JBS é escandalosa, e não só pelos crimes relatados. Histórias que a cercam são de enorme gravidade. (PÁG. A3)
A responsabilidade da imprensa - Não é de hoje que os procuradores usam a imprensa para disseminar acusações que, veiculadas, ganham ares de condenação. (PÁG. A3)

Explosão no fim de show mata 19 em Manchester
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete : Áudio é imprestável, diz perito de Temer; defesa retira recurso
Supremo pode decidir sobre possibilidade de eleição direta
Relator coloca em dúvida votação de nova Previdência
Índex Lava Jato
Bernardo Mello Franco - Presidente disse coisas que fariam corar a Velhinha de Taubaté (Opinião A2)
Mônica Bergamo - Petistas apostam no 'Fica, Temer’ para tirar a atenção de Lula (Ilustrada C2)
Editoriais - L
eia “Sobre golpes e eleições”, acerca de estratégias das forças políticas na crise de Temer, e “O fim do que não acabou”, sobre ação na cracolândia. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------

23 de maio de 2017
O Globo

Manchete: Temer desiste de suspender inquérito e ataca gravação
Perito contratado pelo presidente tenta desqualificar fita de dono da JBS

OAB prepara pedido de impeachment e afirma que, independentemente de ter havido ou não edição na gravação da conversa no Jaburu, o diálogo entregue ao MP indica que Temer cometeu crime de responsabilidade

Depois de apostar tudo no julgamento que o Supremo faria na quarta-feira, o presidente Temer desistiu de seu pedido de suspensão do inquérito aberto contra ele. Para evitar uma debandada de aliados a partir de quarta, caso o STF mantivesse o inquérito, Temer reforçou a estratégia de tentar desqualificar o áudio de sua conversa com Joesley Batista, gravada pelo dono da JBS. Contratado pela defesa do presidente, o perito Ricardo Molina disse que a fita tem 70 “pontos de obscuridade” e é “imprestável” como prova judicial, além de afirmar que o MP foi “ingênuo e incompetente”. Outros peritos, como George Sanguinetti e Nelson Massini, contestaram Molina e disseram que, apesar de ruídos e interferências, fica evidente que não há edições na gravação. O presidente da OAB, Claudio Lamachia, anunciou a formalização do pedido de impeachment de Temer e afirmou que, independentemente de ter havido ou não edição no áudio, a conversa indica que o presidente, que não negou a conversa nem os assuntos tratados, cometeu crime de responsabilidade. A OAB cita dois trechos: quando o dono da JBS diz ter a favor dele dois juízes e um procurador, sem que Temer o repreendesse ou denunciasse, e quando Joesley pede ajuda para resolver pendências no Cade. (Págs. 3, 4 e 6)
Lula denunciado no caso do sítio de Atibaia
A Lava-Jato denunciou o ex-presidente Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do sítio de Atibaia. Segundo o MPF, Lula recebeu propina de empreiteiras em forma de obras no sítio, do qual seria o real proprietário. Outras 12 pessoas foram denunciadas, entre elas, Marcelo Odebrecht e Léo Pinheiro. O dinheiro para as reformas foi relacionado a desvios na Petrobras. (Pág. 9)
Mala com R$ 500 mil desaparece
Entregue ao então deputado Rocha Loures, a mala com R$ 500 mil em propina da JBS está desaparecida. Em entrevista à “Folha de S.Paulo”, Temer disse ter achado que Joesley pedira o encontro no Jaburu por causa da Carne Fraca. A operação da PF, porém, só ocorreu dez dias após a conversa. (Págs. 3 e 6)
Janot insiste na prisão de Aécio
O procurador voltou a pedir ao STF a prisão do senador afastado Aécio Neves “para garantia da ordem pública e da instrução criminal”. (Pág. 8)
Grupo JBS perde R$ 16 bi e cai à metade na Bolsa (Págs. 19 e 20)

Brasil pode ser rebaixado por agência S&P (Pág. 22)

Meirelles admite atraso em reformas (Pág. 22)

Editorial
‘Delação de Joesley recebe descabida premiação’ (Pág. 16)
Colunistas 
MERVAL PEREIRA

STF pode rever perdão aos donos da JBS. (Pág. 4)

MÍRIAM LEITÃO

Benefícios aos irmãos Batista são ponto vulnerável. (Pág. 20)

LYDIA MEDEIROS

Cenários para renúncia incluem indulto e asilo. (Poder em Jogo)

JOSÉ CASADO

Aécio fraudou Lei das Estatais, da qual é o autor. (Pág. 17)
Terror volta a assombrar Inglaterra
Explosão durante show para público adolescente em Manchester deixa pelo menos 19 mortos e 50 feridos

Uma explosão ao final da apresentação da cantora americana Ariana Grande na Arena Manchester, no Noroeste da Inglaterra, deixou pelo menos 19 pessoas mortas e 50 feridas e assombrou o país. O estrondo aterrorizou o público, formado majoritariamente por crianças e adolescentes que correram de maneira desorganizada para as saídas da casa de shows. A polícia informou que a explosão ocorreu fora da arena, próximo a um dos acessos, embora testemunhas tenham relatado barulho de tiros e clarões dentro do ginásio. Vídeos publicados em redes sociais mostram adolescentes gritando enquanto correm em meio a balões cor-de-rosa e o desespero dos espectadores deixando a arena. Com o ataque, o metrô de Manchester fechou. Horas depois, a polícia detonou uma bolsa suspeita deixada próxima à catedral da cidade, mas nela só havia roupas. O Reino Unido está no segundo nível mais alto de alerta terrorista, o que indica que um ataque é altamente provável. A ação de ontem ocorreu dois meses após atentado próximo ao Parlamento Britânico, em Londres, onde um terrorista atropelou um grupo de pessoas que passavam pela Ponte de Westminster, diante do Big Ben. Cinco pessoas morreram no atentado de março, reivindicado pelo Estado Islâmico. (Pág. 5)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Temer recua em pedido de suspensão de inquérito
Avaliação é de que ele corria risco de ser derrotado no Supremo; defesa apresentou perícia de áudio

O presidente Michel Temer desistiu ontem da petição que pedia a suspensão do inquérito aberto contra ele no Supremo Tribunal Federal (STF) até a realização de perícia em áudio da conversa gravada com o empresário Joesley Batista, da JBS. O novo posicionamento dispensa necessidade de julgamento no plenário da Corte. Horas antes, a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo, havia informado que o pedido de Temer, protocolado no sábado, só seria julgado depois da conclusão da análise dos áudios pela Polícia Federal. A avaliação do Palácio do Planalto era de que o presidente corria sério risco de ser derrotado no STF. Se o plenário referendasse o parecer do ministro Edson Fachin e mantivesse a investigação, a mensagem seria a de fim de governo. A defesa do presidente também apresentou resultado de perícia particular da gravação, em que teriam sido constatados cerca de 70 pontos de “obscuridade”. O perito Ricardo Molina desqualificou o áudio e o trabalho da Procuradoria-Geral da República. (POLÍTICA / PÁGS. A4 e A6)
Ação despenca e JBS perde R$ 7,5 bi
O valor das ações da JBS despencou 31,34% na BMF & Bovespa, com ação cotada ontem em R$ 5,98. Num único dia, a empresa perdeu R$ 7, 5 bilhões. (ECONOMIA / PÁG. B1)
Janot pede prisão de Aécio e Loures
O procurador-geral Rodrigo Janot renovou solicitação para que o STF julgue o pedido de prisão de Aécio Neves (PSDB-MG) e Rodrigo Loures (PMDB-PR). (POLÍTICA / PÁG. A10)
Lula é alvo de nova denúncia por corrupção no caso do sítio
A força-tarefa da Lava Jato denunciou o ex-presidente Lula por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do sítio em Atibaia, interior de São Paulo. Outras 12 pessoas foram incluídas na denúncia, entre elas, Léo Pinheiro, da OAS, e Emílio e Marcelo Odebrecht, além do pecuarista José Carlos Bumlai. Segundo os procuradores, valores usados na reforma do local teriam vindo do pagamento de propina por contratos das empreiteiras com a Petrobrás. Eles acusam Lula de “estruturar, orientar e comandar” o esquema. (PÁG. A12)
S&P pode rebaixar a nota do Brasil
A agência de risco Standard & Poor’s colocou a nota do Brasil em revisão para possível rebaixamento. Em comunicado, a agência cita a crise política no País. (ECONOMIA / PÁG. B4)
Colunistas 
Eloísa Machado de Almeida

Destino nas mãos do STF Com derrota na suspensão do inquérito, Temer recua e segue sendo investigado no STF. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Marcelo de Moraes

Governo desarma armadilha Após se recuperar do impacto da JBS, o governo consegue um mínimo de reorganização. (POLÍTICA / PÁG. A6)

José Márcio de Camargo

O destino das reformas Esperar até o próximo governo para que elas sejam implementadas será um grande desastre. (ECONOMIA / PÁG. B2)
Notas & Informações 
A delação que é um escândalo

A delação do empresário da JBS é escandalosa, e não só pelos crimes relatados. Histórias que a cercam são de enorme gravidade. (PÁG. A3)

A responsabilidade da imprensa

Não é de hoje que os procuradores usam a imprensa para disseminar acusações que, veiculadas, ganham ares de condenação. (PÁG. A3)
Explosão no fim de show mata 19 em Manchester
A polícia britânica afirmou ontem à noite que pelo menos 19 pessoas morreram e 59 ficaram feridas após a explosão ocorrida quando o público deixava o show da cantora americana Ariana Grande em Manchester, no norte do Reino Unido. Segundo autoridades, a explosão aconteceu fora do estádio, mas houve pânico e parte das vítimas pode ter sido pisoteada na fuga. “Trabalhamos para esclarecer os detalhes do que a polícia classificou como um assustador atentado terrorista”, disse a premiê Theresa May. Fontes ligadas ao grupo extremista Estado Islâmico celebraram o ataque, mas não reivindicaram a autoria. (INTERNACIONAL / PÁG. A14)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : Áudio é imprestável, diz perito de Temer; defesa retira recurso
Sob temor de derrota, presidente desistiu do pedido de suspensão do inquérito no Supremo

Com o temor de sofrer derrota, o presidente Michel Temer desistiu de pedir no Supremo a suspensão do inquérito aberto contra ele. Para reforçar sua defesa, porém, encomendou perícia para avaliar gravação entregue por Joesley Batista, da JBS, em acordo de delação. O perito Ricardo Molina afirmou em laudo que o áudio ê uma “prova imprestável”. Disse ainda, em entrevista coletiva, que a Procuradoria-Geral da República ê “ingênua” e “incompetente” ao utilizar a conversa em pedido de investigação contra o peemedebista. Para Molina, o áudio está contaminado por inúmeras descontinuidades, com diversos pontos inaudíveis e de “possível edição”. Antes da desistência da defesa de Temer, a presidente do STF, Cármen Lúcia, havia negado a interrupção imediata do inquérito. Ela afirmou que era necessário aguardar a conclusão de perícia da Polícia Federal sobre a gravação. No inquérito, o Ministério Público lista outras suspeitas contra o presidente, como o recebimento de R$ 500 mil pelo deputado Rodrigo Loures (PMDB), seu aliado. O procurador-geral, Rodrigo Janot, recorreu de decisão do ministro Edson Fachin que barrou a prisão preventiva de Loures e do senador Aécio Neves (PSDB), também alvo da investigação. A Procuradoria disse que aguardará perícia oficial da PF sobre a gravação. (Poder A4)
Supremo pode decidir sobre possibilidade de eleição direta
O STF pode decidir nos próximos dias a possibilidade de realização de eleições diretas em caso de vacância do cargo depois de transcorridos dois anos de mandato. O ministro Luís Roberto Barroso liberou para a pauta do plenário do Supremo ação que precipitaria discussão sobre o tema. Cabe à presidente da corte, ministra Cármen Lúcia, colocá-la na pauta. Não há prazo para que isso ocorra. (Poder A11)
Relator coloca em dúvida votação de nova Previdência
O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), diz que a delação do empresário Joesley Batista, da JBS, destruiu o calendário de tramitação da proposta. Segundo Maia, hoje não ê possível assegurar nem mesmo que o texto será votado. (Mercado A17)
Índex Lava Jato
Bernardo Mello Franco

Presidente disse coisas que fariam corar a Velhinha de Taubaté (Opinião A2)

Mônica Bergamo

Petistas apostam no 'Fica, Temer’ para tirar a atenção de Lula (Ilustrada C2)

Citada por Temer, Carne Fraca ocorreu só dez dias após visita (Poder A7)

Veja diferenças entre os acordos de delação de Odebrecht e JBS (Poder A8)

Lula é acusado de corrupção no caso de reforma em sítio (Poder A14)
Editoriais
Leia “Sobre golpes e eleições”, acerca de estratégias das forças políticas na crise de Temer, e “O fim do que não acabou”, sobre ação na cracolândia. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos