Atualidades 07 de junho de 2017

Nós não podemos nos concentrar somente na negatividade da guerra, mas também na positividade da paz (Martin Luther King)


O Globo

Manchete: Temer à espera
Aliado do presidente preso por corrupção
Colunistas
CANTINHO DO MORENO - Janot pediu escuta até no gabinete de Temer. (Pág. 2)
MERVAL PEREIRA  - Todo o sistema político-eleitoral em julgamento no TSE. (Pág. 4)
MÍRIAM LEITÃO - Pontos fortes da economia para lidar com a crise política. (Pág. 20)
LYDIA MEDEIROS - Executiva do PSDB discutirá amanhã se deixa governo. (Pág. 2)
ELIO GASPARI - Diante dos antecedentes, é perigoso criar CPI da JBS. (Pág. 16)
ZUENIR VENTURA - Ação no TSE mostra ironias da História. (Pág. 17)
ROBERTO DAMATTA  - Lei é universal, menos para os poderosos. (Pág. 17)

Reforma trabalhista avança
Em meio à crise política, a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou ontem a reforma trabalhista por 14 votos a 11. O texto terá de passar por outras duas comissões antes de ser votado em plenário. O relatório inclui cinco pontos que, por acordo com o Planalto, deverão ser vetados pelo presidente Temer. (Pág. 21)
Crivella e Trump
Em entrega de “certidão de nascimento” de trilha, prefeito diz que presidente dos EUA deixou “Tratado de Paris no melancólico crepúsculo da sua evolução civilizatória”. (Pág. 13)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: Governo vence e reforma trabalhista avança no Senado
TSE decidirá se delações serão consideradas em julgamento
Ex-ministro Henrique Alves é preso
Exportação de carros bate recorde em maio
Colunistas
Vera Magalhães - Conclusão dos tucanos é que, se é ruim com Temer, pior seria com Rodrigo Maia. (POLÍTICA / PÁG. A6)
Leandro Karnal  - A estratégia para a crise implica selecionar recursos, energia e priorizar tarefas. (CADERNO2 / PÁG. C6)

Notas & Informações - Não desperdicem a recuperação
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete : TSE decidirá se delações valem para cassar Temer
Marcelo Coelho
Após questões menores, debate decisivo fica para hoje. (Poder A6)
Henrique Alves, ex-presidente da Câmara, é preso
Perguntas da PF a Temer indicam novas frentes de investigação (Poder A7)
Ministro da Justiça critica ‘pressa’ em inquérito aberto contra presidente (Poder A5)
Reforma da lei trabalhista avança entre os senadores
Endividada, JBS vende operações na América Latina

Dez Estados dos EUA seguirão o Acordo de Paris
Dez Estados norte-americanos que integram a Aliança do Clima, oito governados por democratas e dois porre-publicanos, anunciaram que seguirão o compromisso com o acordo global assinado em Paris, desconsiderando posição assumida pelo presidente Donald Trump. (Ciência B7)

Editoriais 
“Agenda e sobrevida”, acerca de avanço de reforma trabalhista no Senado, e “Falhas na direção”, sobre ações para conter mortes no trânsito. (Opinião A2)


------------------------------------------------------------------------------------

07 de junho de 2017
O Globo

Manchete: Temer à espera
Criminalizar a política não resolve, é preciso reformar, defende relator

Ao retomar o julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE, o relator, Herman Benjamin, condenou a corrupção e o “sistema eleitoral falido”. “Sem reforma abrangente e corajosa, os erros objetos dessa demanda se repetirão nos próximos pleitos”, disse. Mas ressaltou: “Que fique claro que enfraquecer a Justiça Eleitoral é condenar as eleições ao descrédito.” O procurador Nicolao Dino pediu a cassação de toda a chapa e a perda dos direitos políticos de Dilma. Advogados da petista e do presidente tentaram excluir do processo depoimentos de executivos da Odebrecht e dos marqueteiros João Santana e Mônica Moura. Após mais de três horas, a sessão foi encerrada no fim da noite, sem a conclusão do voto do relator, para ser retomada hoje, a partir das 9h. (Págs. 3 e 4)

Joesley diz que emprestou avião a Temer duas vezes

Para reforçar os vínculos com Michel Temer, Joesley Batista, dono da JBS, relatou à Procuradoria-Geral da República que em 2011 emprestou aeronave para duas viagens do então vice-presidente e sua família. (Pág. 7)
Aliado do presidente preso por corrupção
Depois de Rocha Loures, outro aliado de Temer foi preso: o ex-presidente da Câmara e ex-ministro Henrique Eduardo Alves, acusado de receber R$ 10 milhões de propina nas obras da Arena das Dunas, em Natal, e do Porto Maravilha, no Rio. Quatro integrantes do grupo de Temer já foram presos. Rocha Loures pediu para não ter os cabelos raspados no presídio. Em meio à crise, os presidentes do Senado e da Câmara festejaram a emenda que liberou a vaquejada. (Pág. 6)
Colunistas
CANTINHO DO MORENO

Janot pediu escuta até no gabinete de Temer. (Pág. 2)

MERVAL PEREIRA

Todo o sistema político-eleitoral em julgamento no TSE. (Pág. 4)

MÍRIAM LEITÃO

Pontos fortes da economia para lidar com a crise política. (Pág. 20)

LYDIA MEDEIROS

Executiva do PSDB discutirá amanhã se deixa governo. (Pág. 2)

ELIO GASPARI

Diante dos antecedentes, é perigoso criar CPI da JBS. (Pág. 16)

ZUENIR VENTURA

Ação no TSE mostra ironias da História. (Pág. 17)

ROBERTO DAMATTA

Lei é universal, menos para os poderosos. (Pág. 17)
Reforma trabalhista avança
Em meio à crise política, a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou ontem a reforma trabalhista por 14 votos a 11. O texto terá de passar por outras duas comissões antes de ser votado em plenário. O relatório inclui cinco pontos que, por acordo com o Planalto, deverão ser vetados pelo presidente Temer. (Pág. 21)
Crivella e Trump
Em entrega de “certidão de nascimento” de trilha, prefeito diz que presidente dos EUA deixou “Tratado de Paris no melancólico crepúsculo da sua evolução civilizatória”. (Pág. 13)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Governo vence e reforma trabalhista avança no Senado
Texto aprovado em comissão muda a relação entre patrões e empregados

O governo conseguiu fazer avançar a reforma trabalhista no Senado. Por 14 votos a 11, o texto aprovado ontem na Comissão de Assuntos Econômicos, e que continua tramitando no Congresso, muda a relação entre patrões e empregados. O projeto, amplamente apoiado por entidades empresariais, prevê que acordos coletivos tenham força de lei. Também acaba com a obrigatoriedade da contribuição sindical e permite a flexibilização de contratos de trabalho. Direitos constitucionais, como o do 13.º salário, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e salário mínimo, estão preservados. A aprovação do parecer do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) foi considerada uma vitória por governistas, especialmente em um dia que começou com a tensão em torno da prisão do ex-ministro Henrique Eduardo Alves e que marcou o início do julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3)

Contratos intermitentes

O governo prepara MP para regular os contratos intermitentes – quando não há carga horária mínima e o empregado atua apenas quando convocado. (PÁG. B3)
TSE decidirá se delações serão consideradas em julgamento
O Tribunal Superior Eleitoral retomou ontem o julgamento da ação contra a chapa Dilma-Temer, acusada de abuso de poder político e econômico. A primeira das quatro sessões previstas teve polarização entre o relator, Herman Benjamin, e o presidente da Corte, Gilmar Mendes, que chegou a pedir “cautela” ao colega. Gilmar afirmou que, na época da ditadura, o TSE cassava menos do que hoje. Herman rebateu: “A ditadura cassava quem defendia a democracia. Hoje, o TSE cassa quem ataca a democracia”. A discussão preliminar mais importante será decidida hoje: os ministros terão de definir se os depoimentos de delatores da Odebrecht, do marqueteiro João Santana e da empresária Mônica Moura serão considerados no processo. (POLÍTICA / PÁGS. A4 e A5)
Ex-ministro Henrique Alves é preso
No dia em que o TSE iniciou o julgamento da chapa Dilma-Temer, o ex-ministro e ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) foi preso por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas. Alves foi titular do Turismo nas gestões Dilma e Temer. (POLÍTICA / PÁG. A9)
Exportação de carros bate recorde em maio
Com 73,4 mil carros vendidos, maio foi o melhor mês da história da indústria automobilística brasileira em exportações. O acumulado do ano também foi recorde, com 307,5 mil veículos exportados. Os números são puxados pela Argentina, destino de 68% das vendas para o exterior. (ECONOMIA / PÁG. B4)
Colunistas
Vera Magalhães

Conclusão dos tucanos é que, se é ruim com Temer, pior seria com Rodrigo Maia. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Leandro Karnal

A estratégia para a crise implica selecionar recursos, energia e priorizar tarefas. (CADERNO2 / PÁG. C6)
Notas & Informações 
Não desperdicem a recuperação

Uma recuperação econômica puxada pela agropecuária e pela indústria será oportunidade para repor o País nos trilhos da modernização. (PÁG. A3)

Coração de mãe

Quem tinha o dever de sustar toda a ilegal negociação foi iludido pelos irmãos Batista. (PÁG. A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : TSE decidirá se delações valem para cassar Temer
Decisão crucial sobre incluir depoimentos da Odebrecht deve dominar 2o dia

O Tribunal Superior Eleitoral retomou ontem o julgamento que pode cassar o mandato do presidente Michel Temer (PMDB). Após três horas de sessão na corte, o debate foi suspenso e será retomado hoje, em sessão marcada para as 9h. No segundo dia, os ministros devem decidir se fatos sobre caixa dois na campanha da chapa Dilma-Temer em 2014, narrados por delatores da Odebrecht, podem ser incluídos no processo.

As defesas são contrárias a essa possibilidade. Além disso, o ministro Napoleão Nunes Maia Filho sinalizou novo aspecto de discordância. Questionou se o relator, Herman Benjamin, poderia ter convocado, em fevereiro, testemunhas da empreiteira sem a indicação por alguma das partes.

A ação, protocolada em 2014 pelo PSDB, acusa a chapa de ter cometido abuso de poder político e econômico, mas não continha, na ocasião, os depoimentos dos delatores. (Poder A4)
Marcelo Coelho
Após questões menores, debate decisivo fica para hoje. (Poder A6)
Henrique Alves, ex-presidente da Câmara, é preso
A Polícia Federal prendeu o ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que integra o núcleo de confiança de Michel Temer. Ele ê suspeito de receber R$ 7 milhões em propinas de empreiteiras, direto ou via diretório estadual do PMDB. Seu advogado não quis se manifestar. (Poder A6)
Perguntas da PF a Temer indicam novas frentes de investigação (Poder A7)

Ministro da Justiça critica ‘pressa’ em inquérito aberto contra presidente (Poder A5)

Reforma da lei trabalhista avança entre os senadores
A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou o texto da reforma trabalhista, por 14 votos a 11. Foi o primeiro avanço na Casa do projeto, que ainda deve passar pelo crivo de duas outras comissões e do plenário. Nos bastidores, o governo articula encurtara tramitação para que a proposta seja concluída neste semestre. (Mercado A15)
Endividada, JBS vende operações na América Latina
Pressionada por credores, a JBS vai vender sua operação na Argentina, no Uruguai e no Paraguai por US$ 300 milhões (R$ 1 bilhão) para o rival Minerva. O valor está abaixo do pago pelas instalações, que passou dos US$ 360 milhões. Em março, a diferença entre o que a empresa devia e o que tinha em caixa beirava OS R$ 48 bilhões. (Mercado A20)
Dez Estados dos EUA seguirão o Acordo de Paris
Dez Estados norte-americanos que integram a Aliança do Clima, oito governados por democratas e dois porre-publicanos, anunciaram que seguirão o compromisso com o acordo global assinado em Paris, desconsiderando posição assumida pelo presidente Donald Trump. (Ciência B7)
Editoriais 
“Agenda e sobrevida”, acerca de avanço de reforma trabalhista no Senado, e “Falhas na direção”, sobre ações para conter mortes no trânsito. (Opinião A2)

------------------------------------------------------------------------------------

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016