Comentários - Prova CGU Técnico - Informática

By João Antônio.

Meus amigos,

O que foi aquilo?

Eu até agora não entendo como o elaborador pôde pensar numa prova tão sem sentido como aquela! Ele se superou, realmente... A impressão que dá é que não era para ninguém responder aquela prova... Ou melhor, a impressão que dá é que nem foi a banca natural da ESAF fazendo a mesma!
As questões estavam muito curtas e objetivas, mas isso não trouxe vantagens em relação às questões tradicionais com as quais já estávamos acostumados... Eram objetivas, sim, mas exigiam conhecimentos inúteis...

“Grande coisa, João, o que importa é que eles perguntam para que a gente passe ou não...” É mesmo, pessoal.. é mesmo... E essa prova foi para ninguém passar... (só quem entende de Organização de Computadores – assunto de faculdade de Informática – e Web – a do 301 foi lasca!)...
Bem, vamos às questões... só pra ver se não tem jeito de anular alguma...

Prova de Técnico de Finanças e Controle – CGU – 2008

44- Em um computador organizado em 6 níveis, o nível que compreende um conjunto de registradores que formam uma memória local e a unidade lógica e aritmética é o nível
a) da lógica digital.
b) da linguagem de montador.
c) da arquitetura do conjunto de instruções.
d) do sistema operacional.
e) da microarquitetura.

Gabarito Oficial: E

Analisar o computador como sendo composto por vários níveis (ou camadas) é algo incomum, e até certo ponto estranho, para os olhos que não são da área de TI...

Andrew S. Tanenbaum, o “papa” mundial em Redes de Computadores e Organização de Computadores descreve isso bem (complicadamente) em seu livro “Organização de Computadores”:
Um computador pode ser dividido tipicamente em 6 níveis (ou camadas):

Nível 0 – Lógica Digital – descreve o Hardware (circuitos integrados, portas lógicas, transistores, semicondutores que formam o micro);

Nível 1 – Microprograma (ou microarquitetura) – descreve os firmware (ROMs com programas básicos para funcionamento do computador). A memória principal (volátil) – os registradores – a ULA (Unidade Lógica e Aritmética) pertencem a essa camada (ops, nível)...

Nível 2 – Máquina Convencional – descreve o computador propriamente dito (aquele que você compra nas lojas) – embora ele contenha os componentes das demais camadas! Essa divisão em níveis é só para que possamos analisar o computador através de ópticas diferentes. Por mais estranho que pareça, o KERNEL do sistema operacional está aqui neste nível!

Nível 3 – Sistema Operacional – descreve, simplesmente o componente de software mais importante da máquina... Segundo Tanenbaum, este nível apresenta parte dos componentes do Sistema Operacional... é o nível com o qual o usuário interage por meio de utilitários.

Nível 4 – Linguagem de Montagem (Assembly): um nível atualmente ultrapassado porque os usuários não precisam mais “entrar em contato” com esse ambiente de programação, devido à existência de linguagens de programação mais avançadas (linguagens de alto nível)...

Nível 5 – Linguagem Orientada ao Problema: consiste nas linguagens de programação de alto nível (Pascal, C, Basic etc.).

Nível 6 - Aplicação: Word, Excel, Powerpoint, Autocad, Corel Draw são exemplos de componentes na camada mais alta...

Como podem ver, é uma teoria feia, mas academicamente correta! O que me espanta não é o gabarito em si... o que me espanta é que essa questão FOI EXIGIDA! Sinceramente... sem chance para uma pessoa que não tenha lido, ao menos um resumo de, organização de computadores.

O gabarito está correto!

45- A API do Win32 para entrada/saída de arquivos, responsável pelo bloqueio de uma região do arquivo para garantir a exclusão mútua de execução, é denominada:
a) LockFile.
b) SetFilePointer.
c) CloseHandle.
d) UnlockFile.
e) GetFileAttributes.

Gabarito Preliminar: A

Essa é incrível! Uma questão de Windows! Windows! O cara pergunta qual é a API (interface de programação – um programa “intermediário” que os programas aplicativos usam enquanto são executados, para não precisarem falar diretamente com a máquina) que “trava” arquivos enquanto eles são utilizados (vale salientar que é essa API que impede que o usuário “apague” ou “renomeie” um arquivo enquanto ele estiver aberto na memória principal)...

Por chute, a maioria deve ter dito: LOCK (bloquear, travar) FILE (arquivo)... Virou prova de inglês (e no chute!!!)...

Essa questão, sem sombra de dúvidas, foi imbecil... Não tem o mínimo sentido de ser cobrada aqui... Aliás, o troféu de “a mais imbecil” é realmente difícil de dar nessa prova! São todas concorrentes realmente à altura de ganhar o título!


O Gabarito Oficial está “CERTO”...

46- Durante a navegação na WEB, o código de estado 301 indica:
a) requisição bem-sucedida.
b) versão do protocolo HTTP requisitado não é suportada pelo servidor.
c) requisição não foi compreendida pelo servidor.
d) objeto requisitado não existe no servidor.
e) objeto requisitado foi removido permanentemente do servidor.
Gabarito Preliminar: E

Outra que é impressionantemente ESTRANHA e desnecessária!
Mas aqui, nós podemos incomodar a ESAF (ou seria outra banca?) um pouquinho... Analisem bem...
Há várias “mensagens de erro” que retornam (são devolvidas) aos clientes e servidores Web quando se está navegando entre as páginas.

Os erros mais comuns são: 500 (erro de servidor) e 404 (erro na página)... Você provavelmente já se deparou com um destes, não é caro aluno? Eu também! O erro 403 (página proibida) também é comum: ele aparece quando tentamos acessar uma página que exige senha (e nós não a temos, claro)...

Mas o erro 301??? Eu sinceramente nunca vi um desses... Sei o que significa porque durante muito tempo (antes de ser professor para concursos) eu desenvolvi sites para a Internet... O Erro 301 é usado para dar a indicação ao navegador de que aquela página foi MOVIDA permanentemente daquele site para outro... A mensagem 301 é usada também para propiciar o redirecionamento automático para a nova localidade...

Imagine que uma página sobre o concurso da receita estivesse num endereço qualquer, digamos: Imagine que o concurso passou (não sei quando isso acontecerá) e que esse endereço não mais mostra o concurso da receita daquele ano (2008, por exemplo), mas já foi alterado para se preparar para o próximo concurso (2010, digamos)... Sim, mas e o conteúdo do CONCURSO 2008? E os comentários? E as questões?

Muitos usuários poderiam ter colocado aquele endereço nos favoritos, não é mesmo? Como eles iriam acessar? Seria necessário alterar os favoritos de cada um deles? Sabemos que quando a coisa é muito trabalhosa, os usuários chiam...

Entao, que tal colocar um REDIRECIONADOR, no endereço mostrado acima para o endereço NOVO (digamos Isso é feito, dentre outras formas, pela mensagem 301!

Mas note que dá para anular! A RESPOSTA FALA EM “REMOVIDO PERMANENTEMENTE” e o certo é MOVIDO PERMANENTEMENTE!

Ora, Mover e Remover são coisas diferentes (a não ser para o Pasquale, que diria que REMOVER é MOVER NOVAMENTE)! Porque um erro 404 acontece quando apagamos uma página... E se a página não existe mais, ela foi APAGADA (REMOVIDA)... No site da W3C (WWW Consortium), a definição é "páginas movidas" – porque a mensagem 301 é para redirecionar!

"10.3.2 301 Moved Permanently
The requested resource has been assigned a new permanent URI and any future references to this resource SHOULD use one of the returned URIs. Clients with link editing capabilities ought to automatically re-link references to the Request-URI to one or more of the new references returned by the server, where possible. This response is cacheable unless indicated otherwise.
The new permanent URI SHOULD be given by the Location field in the response. Unless the request method was HEAD, the entity of the response SHOULD contain a short hypertext note with a hyperlink to the new URI(s).
If the 301 status code is received in response to a request other than GET or HEAD, the user agent MUST NOT automatically redirect the request unless it can be confirmed by the user, since this might change the conditions under which the request was issued.
Note: When automatically redirecting a POST request after
receiving a 301 status code, some existing HTTP/1.0 user agents
will erroneously change it into a GET request.
"
Acessado em:

Essa instituição (a W3C) simplesmente REGULAMENTE TUDO ACERCA DE WEB, portanto, todas as regras da WWW são escritas por ela!

Portanto, solicito a anulação desta questão, porque páginas REMOVIDAS (conotação clara de “APAGADAS”) vão dar erro 404 (faltou a página)... Páginas MOVIDAS (redirecionando para elas) usam a mensagem de código 301!

Se essa “nova banca” vai aceitar, eu não sei... Mas seria o mínimo que eles poderiam fazer depois de jogar M3rd4 no ventilador com essa prova!

47- Na comunicação segura (confidencial) entre os usuários A e B, uma chave de sessão é definida como chave
a) assimétrica pública de A.
b) simétrica compartilhada por A e B.
c) assimétrica compartilhada por A e B.
d) assimétrica pública de B.
e) de assinatura digital.
GABARITO: B


Finalmente uma questão que se salva! Segurança da Informação bem simples, por sinal...
Chave de sessão é uma chave criptográfica usada num processo de troca de mensagens para uma única transação (a chave funciona apenas para aquela sessão) – ou seja, depois da “conversa” ser encerrada, os dois micros desconsideram aquela chave! Na próxima conversa, eles sortearão outra chave temporária (que será usada somente naquela sessão específica).

Uma chave de sessão é usada na comunicação A pra B e também na B pra A! Portanto, ela tem que ser uma chave simétrica (chave usada para criptografar e decriptografar). E, claro, os dois envolvidos precisam saber qual é a chave (eles e MAIS NINGUÉM!)
A resposta está CORRETA!

48- Um dos serviços providos pela camada de enlace em redes de computadores é a
a) variação de atraso máximo garantido.
b) entrega de pacotes na ordem.
c) largura de banda mínima garantida.
d) correção de erros.
e) entrega garantida com atraso limitado.
Gabarito: D


Outra questão simples (para os padrões ESAF) – apesar de conter muitas opcoes estranhas nas alternativas erradas. Modelos de camadas... Uma questão que trata apenas da camada de enlace de dados... Essa camada (camada 2) entre outras coisas, permite a ligação entre estações na mesma rede (permitindo que os quadros – pedaços de informação – trafeguem pela estrutura daquela rede).
Outra coisa que é responsabilidade da camada de enlace é a correcao dos erros que porventura foram trazidos na camada física (fios)... Os bits da camada física são reunidos em quadros e seus possíveis erros são detectados e corrigidos por essa camada!
O gabarito está certo!

Bem, pessoal, tenho plena consciência de que qualquer coisa que eu tenha ensinado a vocês não os preparou para isso... Tenho um MEA CULPA a fazer... não mostrei isso (pelo menos as três primeiras questões)...

Mas isso é tipo de coisa que, sinceramente, eu não poderia prever em prova alguma! E ainda tem mais... Garanto que se alguém estudou para TI a primeira questão (organização de computadores), não saberia responder a do 301... que é um assunto típico dos Webdesigners e Webmasters (que, em troca, não saberiam a questão dos níveis de organização)...

Espero que a equipe oficial da ESAF volte de férias logo... Porque esse estagiário substituto que colocaram realmente fez uma prova de iniciante (não CANDIDATO INICIANTE – ELABORADOR INICIANTE!!!) Tenho quase certeza plena de que é a primeira prova que ele elaborou... Ele CLARAMENTE não está familiarizado com o padrão da ESAF...

Acredito que alguém chegou a ele e disse: “Cara, a equipe tá toda gripada... dá para tu fazeres umas cinco questõezinhas para a prova da CGU?”

Ao que o elaborador café-com-leite respondeu: “Qual o nível de dificuldade? Eu nunca vi provas de vocês...”

Resposta: “Ahh... são provas difíceis para a maioria dos usuários de computador... tem hardware pesado, redes... é uma prova bem escrita e trabalhosa”...

Tome aí.. não explicaram direito... Deu nisso!
Briguem pela anulação da questão do erro 301... É o mínimo que eles nos devem pela falta de respeito com quem estudou!!!

Vamos lá... Fiquem com Deus... Espero que nas próximas a galera oficial volte...

João Antonio

Comentários

Anônimo disse…
hahahaha
essa foi a prova pra nível médio?
pqp! E nem era pra programador, hein!
Anônimo disse…
Existe concurso público para ser funcionário de banca examinadora?

Olá pessoal, tudo bem? Mais ou menos né?

Com tantas questões mal formuladas, dúbias, com conteúdo fora do edital, e até com erros grosseiros de digitação (como na questão de matemática do produtor rural na qual restou perdida, nada mais nada menos, do uma palavra "NÃO") eu gostaria de compartilhar a minha tristeza com todos vcs.

Nós, concurseiros de plantão, somos mesmo uma raça sofrida. Em primeiro lugar, estamos a mercê de uma gama de *&¨%$ (muito comuns em tempo de eleições, carregando bandeiras de políticos e colando adesivos nos seus automóveis) que preenchem os cargos comissionados dentre aqueles que não fazem parte dos quadros da administração pública, possibilidade esta que deveria ser banida do ordenamento jurídico brasileiro. Em segundo, sofremos todo tipo de dificuldade pessoal, emocional, financeira, familiar e principalmente social. Não saímos para passear, não vamos no enterro de entes próximos, não podemos (devemos) sequer receber uma visita em casa. Oferecer um jantar ou um almoço, nem pensar, pois é um dia de estudo perdido. Tomar uma cerveja, só no dia que vc for aprovado, o que por sinal pode levar anos. Aí para completar temos que lidar com as bancas examinadoras de concursos públicos. Este último dos calvários tem se mostrado um dos piores. A eficiência, princípio de elevado status na nossa constituição federal, parece ter sido removido permanentemente dos órgãos examinadores. Se tivesse sido movido era bom, pois aí quem sabe ele poderia voltar. Será que foi um trocadilho? Acho que a ESAF não está selecionando muito bem o seu pessoal. Eu conheço uma senhora, tadinha, dá aula no Estado a anos. Tão acabadinha... Ela é professora de matemática. Eu tenho convicção, que ela não seria capaz de formular uma questão de matemática como aquela. Já pensou se eu esquecesse o não aqui? Ela não merece! Uma outra questão, envolvendo matrizes não merece comentários. Ainda deram sorte que a resposta correta estava dentre as alternativas. Assim eles não precisam anular a questão. Procedimento este que eles só fazem em último caso. E uma outra lá, em que aparece um número 10 multiplicando sem explicação. Surgiu do além!

Eu, antes de virar concurseiro profissional, eu era professor. Que lindo não? Ô raçinha sofrida. Quase tão sofrido quanto um concurseiro, mais nem tanto. Mas, existe uma diferença crucial entre estes dois ramos. O bônus posterior do professor não é tão lucrativo. Ao invés de um bom salário, problemas nas cordas vocais, todo tipo de lesão por movimento repetitivo entre outras conseqüências mais. E o salário ó!!!!
Portanto, como educador, eu gostaria de externar a idéia de avaliação de aluno que tenho na minha cabeça. Eu monto uma prova com questões de variados níveis, das mais triviais às mais difíceis, objetivando com isso separar, literalmente, em camadas as notas de todos os estudantes: os que estudaram de forma leve, os que estudaram moderadamente, os que estudaram bastante e os que racharam a cuca de tanto estudar. Questões limpas e bem formuladas. Acho que este procedimento de avaliação, que não deixa de ser um procedimento de seleção, pois como eu mencionei separa os estudantes em camadas é praticamente unânime entre os educadores. Pergunte para qualquer professor aqui do fórum!

A lógica da ESAF nesta prova de técnico de finanças da CGU foi completamente o oposto! Eles utilizaram 80% das questões de nível fácil e médio, no qual o órgão responsável pela sua elaboração tenta "dificultar" a questão por outros meios. Questões, na maioria das vezes, mal formuladas, com proposições dúbias e com alternativas de respostas ainda mais dúbias. O cara já vai para questão, procurando cabelo em ovos. E pode procurar que ele (o cabelo) vai estar lá. Um bem enroladinho!

E isto só para citar umas míseras questões problemáticas desta prova. O pessoal aqui do fórum teve muito mais competência, e conseguiu encontrar muitos outros cabelinhos.

Será que estou obrigado a responder a pergunta do título? Acredito que não! Não estou obrigado, nem desobrigado! Respondo se quiser. Mas acho que não será preciso este recurso estilístico aqui. Vcs poderão tirar a suas próprias conclusões.

Texto publicado como desabafo em todos os fóruns sobre a prova de TFC da CGU de 2008.

Por Vagner Jeger
Gostaria de tecer alguns comentários mais sobre a questão 46;

As palavras [b]"moved"[/b] e [b]"removed"[/b] ambas dão uma idéia de movimento. Entretanto, além da idéia de movimento, a palavra [b]"removed" [/b]tem um quê a mais. Ela passa também a idéia de [b]exclusão, eliminação[/b], significado este que "Moved" não apresenta. Portanto, se o código 301 fosse [b]"Removed Permanently"[/b] ao invés de [b]"Moved Permanently",[/b] o
que definitivamente não é o caso, a alternativa "d) objeto requisitado não existe no servidor" passaria a também ser indiretamente avaliada como estando correta. Lógico, pois uma coisa que foi excluída do servidor de fato não existe mais nele.

E foi exatamente este raciocínio que eu tive na hora. Fiquei exatamnete entre estas duas alternativas e acabei marcando a alternativa errada.

Em resumo: eles simplesmente trocam moved por removed sem nenhuma preocupação. A única preocupação deles é &%#@! o candidato.

Estes estagiários da ESAF...

Postagens mais visitadas deste blog

Redação Ti Nota 10 - Klauss

Atualidades 18/08/2020

Multimídia, Hipertexto e Hipermídia