Simulado - Banco de Dados

CESPE

1 - Para as formas normais utilizadas no projeto de bancos de dados relacionais são feitas as seguintes afirmativas:
I – Toda relação na forma normal Boyce-Codd está na 3FN (terceira forma normal), porém, uma relação na 3FN não está necessariamente na forma normal Boyce-Codd.
II – Um esquema de relação R está na forma normal de Boyce-Codd com respeito a um conjunto F de dependências funcionais se para todas as dependências funcionais F+ (clausura de F) da forma α β, em que α R e β R, ao menos uma das seguintes condições se realiza: α β, é uma dependência funcional trivial (β α); α é uma superchave para o esquema R;
III – Um esquema de relação R está na 4FN (quarta forma normal) com respeito a um conjunto D de dependências funcionais e multivaloradas se, para todas as dependências multivaloradas em D+ (clausura de D) da forma α β, em que α R e β R, ao menos uma das seguintes condições se realiza: α β é uma dependência multivalorada trivial; α é uma superchave para o esquema R.

Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s):
(A) I, apenas.
(B) II, apenas.
(C) III, apenas.
(D) I e II, apenas.
(E) I, II e III.

2 - Os itens a seguir apresentam três procedimentos utilizados por um analista para realizar o mapeamento do DER para o modelo relacional.
I – Para cada tipo de relacionamento R binário 1:N regular, identificar a relação S que representa o tipo de entidade participante do lado N do tipo de relacionamento. Inserir em S, como chave estrangeira, a chave primária da relação T que representa o outro tipo de entidade participante em R. Incluir qualquer atributo simples (ou componentes simples de atributos compostos) do tipo de relacionamento 1:N como atributo de S.
II – Para cada tipo de relacionamento R binário N:M, criar uma nova relação S para representar R. Inserir, como chave estrangeira em S, as chaves primárias das relações que representam os tipos de entidade participantes do relacionamento, sendo que a combinação delas formará a chave primária de S. Também são incluídos quaisquer atributos simples do tipo de relacionamento N:M (ou os componentes simples dos atributos compostos) como atributos de S.
III – Para cada atributo multivalorado A, criar uma nova relação R. Essa relação deverá conter um atributo correspondente a A, mais a chave primária K – como chave estrangeira em R – da relação que representa o tipo de entidade ou o tipo de relacionamento que tem A como atributo. A chave primária de R é a combinação de A e K. Se o atributo multivalorado for um atributo composto, são incluídos os seus componentes simples.
Está(ão) correto(s) o(s) procedimento(s):
(A) I, apenas.
(B) II, apenas.
(C) III, apenas.
(D) I e II, apenas.
(E) I, II e III.

3 - Considere as afirmativas abaixo sobre a modelagem entidaderelacionamento.
I - Entidades fracas são aquelas onde seu identificador é composto não somente por seus atributos, mas também pelos relacionamentos dos quais a entidade participa.
II - Um relacionamento ternário (entre três entidades) sempre terá como cardinalidade mínima, para cada uma das entidades, o valor 1.
III - Através de uma especialização é possível atribuir propriedades particulares a um subconjunto das ocorrências de uma entidade genérica.
IV - Para que seja possível modelar um relacionamento entre uma entidade A e um grupamento de duas entidades E1 e E2, que têm entre elas um relacionamento B, já existente, deve-se transformar o relacionamento B em uma entidade associativa C e, então, relacioná-la com a entidade A.
V - Os relacionamentos somente podem conter atributos próprios se estes forem identificadores. Estão corretas apenas as afirmativas:
(A) I, II e IV. (B) I, III e IV.
(C) I, IV e V. (D) II, III e V.
(E) II, IV e V.

4 -
T1
1 Ler(A);
2 A = A – 30;
3 Escrever(A);
4 Ler(B);
5 B = B + 30;
6 Escrever(B);

A transação T1, pertencente a um sistema bancário e definida pelas operações listadas acima, é responsável pela transferência de R$ 30,00 da conta A para a conta B. Considere também uma transação T2 que esteja sendo executada simultaneamente a T1. Caso a transação T2 realize uma operação Escrever(B) após a execução da operação 4 e antes da execução da operação 6 por T1, qual das propriedades das transações estará sendo violada no banco de dados do sistema bancário?
(A) Atomicidade.
(B) Distributividade.
(C) Consistência.
(D) Durabilidade.
(E) Isolamento.

5 - Considere o modelo entidade-relacionamento representado
abaixo.


Na transformação deste modelo conceitual Entidade-Relacionamento em um modelo lógico relacional, as cardinalidades do relacionamento entre as entidades exercem papel importante. Dado que se deseja gerar um modelo relacional que atenda à terceira forma normal, pode-se afirmar que sempre darão origem a uma tabela para cada uma das entidades relacionadas os relacionamentos do tipo:
(A) (0,n) x (0,n), podendo ou não gerar uma tabela para o relacionamento.
(B) (0,1) x (0,n), podendo ou não gerar uma tabela para o relacionamento.
(C) (0,1) x (1,1), gerando uma tabela para o relacionamento.
(D) (1,n) x (1,n), podendo ou não gerar uma tabela para o relacionamento.
(E) (1,1) x (1,n), devendo gerar uma tabela para o relacionamento.

6 - A linguagem SQL é um padrão para os bancos de dados relacionais. Suas declarações podem, por exemplo, ser utilizadas para a definição de dados, modificação de esquemas, consultas e atualizações. Pode-se afirmar, sobre a SQL-99, que:
(A) uma condição necessária para que uma visão (view) de uma única tabela de definição seja atualizável é que contenha, entre seus atributos, a chave primária da relação básica, bem como todos os atributos com restrição NOT NULL que não contiverem valores default especificados.
(B) em uma consulta SQL a cláusula =SOME é idêntica a IN; <>SOME é idêntica a NOT IN; e <>ALL é idêntica a NOT IN.
(C) se o nível de isolamento em uma transação SQL for definido como LEITURA REPETITIVA, a violação de leitura suja pode ocorrer.
(D) se as cláusulas WHERE, HAVING e GROUP BY forem utilizadas em uma mesma consulta, o predicado que aparece em HAVING é aplicado primeiro; então as tuplas que satisfazem a cláusula HAVING são colocadas em grupos por meio da cláusula GROUP BY e, por fim, a cláusula WHERE é aplicada.
(E) INNER JOIN, LEFT OUTER JOIN, FULL OUTER JOIN e NATURAL OUTER JOIN são tipos de junções utilizadas na cláusula WHERE de uma consulta SQL.

Gabarito E E B E B A

1 - As três são verdadeiras. Cópia literal retirada do livro Sistema de Banco de Dados da Editora Campus
2 - Novamente todas verdadeiras.
3 - A opção V está errada porque relacionamentos podem conter atributos que representem valores do relacionamento e não apenas identificadores. Na opção II, a cardinalidade mínima de um relacionamento ternário pode ser 0
4 - Isolamento é a propriedade de um banco de dados que garante que uma transação não interferirá na outra
5 - ...
6 -
A - Correta
B - Não existe cláusula =SOME
C - Na "leitura suja" o cliente lê dados modificados por outra transação que no final não serão validados. O nível de isolamento que causa esse erro é TRANSACTION_READ_UNCOMMITED (Leitura não comitada)
D - Having só pode ser realizada depois que o GROP BY já tiver agrupado os registros, pois ele restringe os totais agrupados.
E - Os Joins ficam na cláusula FROM e não na WHERE
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016