Dicas - Elaborando Mapas Mentais

DICAS PARA FAZER UM MAPA MENTAL
A técnica do mapa mental segue alguns passos simples:

• Use um caderno sem pauta, de preferência, bem grande. Use lápis ou canetas de cores diferentes, porque as cores estimulam sua imaginação e dão uma melhor visão do todo. Comece no meio do papel, com uma imagem colorida. Uma imagem vale por mil palavras, encoraja pensamentos criativos e aumenta a memória.

• Faça ramificações e escreva nelas palavras palavras-chave referentes ao assunto. Se sua letra for difícil de entender, escrevas as palavras em letras maiúsculas de forma para criar uma imagem mais fotográfica e compreensiva.

• Evite escrever várias palavras na mesma ramificação. As palavras devem ser “unidades”, assim cada uma fica livre para você pendurar nela tantos outros conceitos quantos forem necessários. Por exemplo, ao escrever “amigos na escola”, coloque “amigos” na ramificação principal, e “na escola” na ramificação secundaria. Assim você deixa espaço para novas associações e mais tarde poderá acrescentar outras ramificações.

• Desenhe “caixinha” e figuras para as coisas que considera mais importante. Lembre-se de que você está fazendo um desenho e não escrevendo um texto. Se tópicos que estão relacionados acabem ficando em partes diferentes do mapa, desenhe setas para mostrar essa relação.

• Se você empacar, escolha ao acaso alguma palavra-chave. Aponte para qualquer lugar do texto e escolha o substantivo ou verbo mais próximo. Continue acrescentando tópicos ao seu mapa mental até sentir que já colocou a maior parte de suas idéias no papel.

A idéia base é procurar lembrar tudo que sua mente pensa em torno da idéia central. Como sua mente irá gerar idéias mais rápido do que consegue anotar, quase não haverá pausa. Não se preocupe com ordem ou organização. Isso fica para o final do exercício.

Como já foi mencionado, agora é o momento de editar o seu mapa.

• Uma das formas de editar é traçar círculos ou nuvens sobre as atividades afins, de preferência, usando cores diferentes para cada área.

• Acrescente números para dar ordem de importância ou para indicar uma ordem adequada para sua redação ou apresentação.

• Faça tantas edições quantas se fizerem necessárias para ter um mapa mental completo e que lhe ajude ao máximo a cumprir seu objetivo.

Uma vez editado seu mapa mental, você terá uma representação reduzida com as informações mais relevantes e de forma abstrata. Será mais fácil a memorização daquele assunto “mapeado” porque você visualiza a informação em cores. Agindo assim nos seus estudos, aos poucos, você aprende a enxergar a essência do assunto e a refinar conceitos. Repare que seu estudo sempre gira em torno de um tema central (palavra-chave) e dele decorre os demais conceitos. Você deve “descobrir” as idéias e conceitos-chave em tudo o que estudar, porque assim seu estudo fluirá melhor. Com o tempo, estará fazendo associações e “pontes” entre os conhecimentos que nem imaginava. Você irá “abrir-se” ao conhecimento, à aprendizagem e à evolução.

VANTAGENS

As vantagens da utilização do mapa mental são fundamentadas no conceito de que o mesmo seleciona, simplifica e reduz parte das informações mais relevantes, deixando de lado grande parte de detalhes inúteis, focalizando nossa atenção para dados essenciais.

A idéia básica é procurar lembrar tudo que a sua mente pensa em torno da idéia central.

O cérebro de cada pessoa é muito específico. O número de associações que nosso cérebro pode fazer é ilimitado. Essas conexões dependem de nossas experiências pessoais e de nossos conhecimentos prévios, variando, portanto, de pessoa para pessoa.

Infinitas conexões podem ser feitas com uma simples palavra e a sua tendência é fazer uma associação mais criativa do que uma associação baseada em memorização. Assim, nasce o conceito de palavra-chave para memorização: é aquela palavra que força a mente na direção certa, dando-lhe a possibilidade de recriar uma informação no sentido desejado. Ou seja, uma palavra-chave, uma vez mencionada, traz consigo uma série de imagens especiais.

O mapa mental é útil na hora do estudo porque reduz, simplifica e seleciona as informações mais relevantes do assunto que está sendo estudado. A natureza aberta do mapa ajuda o cérebro a fazer novas associações mais rapidamente, as conexões entre os conceitos-chave são muito mais imediatas e, conseqüentemente, a criatividade torna-se mais fluente. O mapa torna a memorização mais efetiva do que se tivéssemos listas lineares de informações para decodificar e associar.

O especialista sobre o uso do cérebro Tony Buzan mostra, através de pesquisas nesse tipo de anotação, que 90% das palavras são desnecessárias para efeito de memorização, portanto, a melhor forma de memorizar, reviver a experiência de aprendizagem e aproveitar as oportunidades para adquirir um conhecimento permanente é através das imagens. O padrão visual, apoiado por cores, figuras e setas torna-se mais fácil para o cérebro retornar à situação na qual o mapa foi criado.

Contribua com o Blog - Envie seu mapa mental!!! brucken@gmail.com
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016