1º SIMULADO DE AUDITORIA GOVERNAMENTAL

Assunto:Auditoria Operacional( 20 questões)
Responsável: conc_eng_civil

Postagem: Dia 19/08
Gabarito: Dia 26/08 (ALTERADO)

1 - A Auditoria de Natureza Operacional abrange duas modalidades: a auditoria de desempenho operacional e a avaliação de programa. A auditoria de desempenho operacional focaliza o processo de gestão, enquanto a avaliação de programa prioriza os efeitos produzidos pela intervenção governamental.

2 - Enquanto a auditoria de desempenho operacional verifica, além da eficiência operativa, o grau de cumprimento das metas, comparando metas previstas com metas realizadas, a avaliação de programa busca apurar em que medida as ações implementadas lograram produzir os efeitos pretendidos pela administração.

3 - O objetivo da auditoria de desempenho operacional é examinar a ação governamental quanto aos aspectos de legalidade, legitimidade, economicidade, eficiência e eficácia, enquanto a avaliação de programa busca examinar a efetividade dos programas e projetos governamentais.

4 - Para a realização de auditorias de natureza operacional, devem ser observadas as seguintes etapas: Levantamento de Auditoria e Execução. O levantamento de auditoria consiste no planejamento da auditoria não abrangendo, portanto, coleta de dados ou especificação de critérios de auditoria, que serão parte da execução.

5 - (ACE-TCU/2006) O modelo de Marco lógico é definido pela análise dos fatores ambientais externos e internos que influenciam no negócio empresa.

6 - (ACE-TCU/2006) O modelo de Marco lógico pressupõe a existência de um completo sistema de gestão de informações gerenciais.

7 - Além do modelo de Marco lógico, há outros modelos analíticos como os modelos de insumo-produto e de condições ambientais. Cada modelo se aplica a uma situação específica, não cabendo a utilização conjunta de nenhum deles.

8 - Os critérios de auditoria são essenciais para todo tipo de auditoria, exceto para as que tratam de questões descritivas.

9 - Os critérios de auditoria balizarão as conclusões da auditoria. Portanto, a fim de preservar a devida confiabilidade dos resultados, não caberá consulta aos gestores acerca da sua pertinência.

10 - Ao contrário de um projeto de auditoria de conformidade, que segue um padrão razoavelmente estável e consistente, o projeto de auditoria de desempenho operacional/avaliação de programa é específico para cada auditoria, podendo ser revisto e adaptado à medida que se desenvolvem os trabalhos de campo.

11 - A causa de um achado de auditoria é a base para as recomendações.

12 - Muitas vezes, a complexidade e a falta de informações precisas a respeito do objeto da auditoria podem comprometer o resultado de uma Auditoria de Natureza Operacional. Nesse caso, a equipe deve considerar a conveniência de realizar um teste-piloto que permita checar a estratégia metodológica proposta, as premissas iniciais acerca do funcionamento do objeto auditado e a qualidade e confiabilidade dos dados. Portanto, a realização do teste-piloto é altamente recomendável, exceto no caso de auditorias de grande complexidade e custos elevados.

13 - O objetivo da etapa de levantamento é avaliar a necessidade e, se for o caso, recomendar a realização de Auditoria de Natureza Operacional. Portanto, essa etapa não suscitará determinações por parte do Tribunal de Contas.

14 - Um estudo de caso é um método para conhecer uma situação complexa, baseado em uma compreensão abrangente da situação, obtida a partir da ampla descrição e análise da mesma, considerada como um todo e no seu contexto.

15 - O estudo de caso pode ser empregado tanto em uma auditoria de desempenho operacional, como em uma avaliação de programa.

16 - Um dos tipos de delineamentos quase-experimentais é o denominado "séries temporais com grupo de controle". Nesse teste, realiza-se uma série de mensurações antes e depois da implementação do programa, sendo uma opção adequada quando se deseja obter uma perspectiva de longo prazo do programa.

17 - Comparativamente, o delineamento "séries temporais com grupo de controle" é considerado mais eficaz que o "grupos não-equivalentes com pré e pós-testes", por ser capaz de controlar a maior parte das ameaças à validade interna.

18 - Entenda-se por método de análise de dados o modo como são organizados os dados coletados e as relações que se pretende estabelecer entre as variáveis selecionadas para responder às questões de auditoria. A descrição do método em questão é parte fundamental do projeto de auditoria de desempenho operacional/avaliação de programa e deve, portanto, constar da Matriz de Planejamento de Auditoria.

19 - A verificação das metas de desempenho é um aspecto essencial de uma Auditoria de Natureza Operacional. Entretanto, durante o levantamento de auditoria, a equipe pode constatar que inexiste um sistema de indicadores de desempenho ou que os existentes são inadequados para medir o desempenho do objeto da auditoria. Nesse caso, cabe à equipe avisar ao gestor e suspender os trabalhos temporariamente.

20 - O relatório de auditoria apresentará os resultados dos trabalhos, sendo vedada a inclusão de qualquer comentário do gestor nesse documento.


1 - A Auditoria de Natureza Operacional abrange duas modalidades: a auditoria de desempenho operacional e a avaliação de programa. A auditoria de desempenho operacional focaliza o processo de gestão, enquanto a avaliação de programa prioriza os efeitos produzidos pela intervenção governamental.

GABA: C


2 - Enquanto a auditoria de desempenho operacional verifica, além da eficiência operativa, o grau de cumprimento das metas, comparando metas previstas com metas realizadas, a avaliação de programa busca apurar em que medida as ações implementadas lograram produzir os efeitos pretendidos pela administração.

GABA: C

3 - O objetivo da auditoria de desempenho operacional é examinar a ação governamental quanto aos aspectos de legalidade, legitimidade, economicidade, eficiência e eficácia, enquanto a avaliação de programa busca examinar a efetividade dos programas e projetos governamentais.

GABA: E. A auditoria de conformidade é que avalia a legalidade e legitimidade e não a auditoria operacional. O restante está correto.

4 - Para a realização de auditorias de natureza operacional, devem ser observadas as seguintes etapas: Levantamento de Auditoria e Execução. O levantamento de auditoria consiste no planejamento da auditoria não abrangendo, portanto, coleta de dados ou especificação de critérios de auditoria, que serão parte da execução.

GABA: E. Também há coleta de dados e especificação de critérios de auditoria na fase de levantamento.

5 - (ACE-TCU/2006) O modelo de Marco lógico é definido pela análise dos fatores ambientais externos e internos que influenciam no negócio da empresa.

GABA: E. Esse item apareceu no último concurso do TCU e foi dado como errado. A análise dos fatores ambientais internos e externos é realizada no modelo de condições ambientais.

6 - (ACE-TCU/2006) O modelo de Marco lógico pressupõe a existência de um completo sistema de gestão de informações gerenciais.

GABA: C

7 - Além do modelo de Marco lógico, há outros modelos analíticos como os modelos de insumo-produto e de condições ambientais. Cada modelo se aplica a uma situação específica, não cabendo a utilização conjunta de nenhum deles.

GABA: E. Segundo o Manual, a utilização conjunta dos Modelos de Insumo-Produto e de Condições Ambientes podem proporcionar uma visão mais abrangente do objeto da auditoria.

8 - Os critérios de auditoria são essenciais para todo tipo de auditoria, exceto para as que tratam de questões descritivas.

GABA: C

9 - Os critérios de auditoria balizarão as conclusões da auditoria. Portanto, a fim de preservar a devida confiabilidade dos resultados, não caberá consulta aos gestores acerca da sua pertinência.

GABA: E. Os gestores deverão ser consultados acerca dos critérios de auditoria definidos.

10 - Ao contrário de um projeto de auditoria de conformidade, que segue um padrão razoavelmente estável e consistente, o projeto de auditoria de desempenho operacional/avaliação de programa é específico para cada auditoria, podendo ser revisto e adaptado à medida que se desenvolvem os trabalhos de campo.

GABA: C

11 - A causa de um achado de auditoria é a base para as recomendações.

GABA: C

12 - Muitas vezes, a complexidade e a falta de informações precisas a respeito do objeto da auditoria podem comprometer o resultado de uma Auditoria de Natureza Operacional. Nesse caso, a equipe deve considerar a conveniência de realizar um teste-piloto que permita checar a estratégia metodológica proposta, as premissas iniciais acerca do funcionamento do objeto auditado e a qualidade e confiabilidade dos dados. Portanto, a realização do teste-piloto é altamente recomendável, exceto no caso de auditorias de grande complexidade e custos elevados.

GABA: E. A realização do teste-piloto não só se justifica como é altamente recomendável no caso de auditorias de grande complexidade e custos elevados, pois reduz as incertezas e aumenta as chances de que o trabalho desenvolvido alcance o nível de qualidade desejado com o menor custo possível.

13 - O objetivo da etapa de levantamento é avaliar a necessidade e, se for o caso, recomendar a realização de Auditoria de Natureza Operacional. Portanto, essa etapa não suscitará determinações por parte do Tribunal de Contas.

GABA: E. Pode a etapa de levantamento suscitar determinações.

14 - Um estudo de caso é um método para conhecer uma situação complexa, baseado em uma compreensão abrangente da situação, obtida a partir da ampla descrição e análise da mesma, considerada como um todo e no seu contexto.

GABA: C

15 - O estudo de caso pode ser empregado tanto em uma auditoria de desempenho operacional, como em uma avaliação de programa.

GABA: C

16 - Um dos tipos de delineamentos quase-experimentais é o denominado "séries temporais com grupo de controle". Nesse teste, realiza-se uma série de mensurações antes e depois da implementação do programa, sendo uma opção adequada quando se deseja obter uma perspectiva de longo prazo do programa.

GABA: C

17 - Comparativamente, o delineamento "séries temporais com grupo de controle" é considerado mais eficaz que o "grupos não-equivalentes com pré e pós-testes", por ser capaz de controlar a maior parte das ameaças à validade interna.

GABA: C

18 - Entenda-se por método de análise de dados o modo como são organizados os dados coletados e as relações que se pretende estabelecer entre as variáveis selecionadas para responder às questões de auditoria. A descrição do método em questão é parte fundamental do projeto de auditoria de desempenho operacional/avaliação de programa e deve, portanto, constar da Matriz de Planejamento de Auditoria.

GABA: C

19 - A verificação das metas de desempenho é um aspecto essencial de uma Auditoria de Natureza Operacional. Entretanto, durante o levantamento de auditoria, a equipe pode constatar que inexiste um sistema de indicadores de desempenho ou que os existentes são inadequados para medir o desempenho do objeto da auditoria. Nesse caso, cabe à equipe avisar ao gestor e suspender os trabalhos temporariamente.

GABA: E. Nesse caso, caberá à equipe desenvolver indicadores de desempenho e, havendo facilidade de obtenção de dados durante os trabalhos de campo, empregá-los para avaliar o desempenho do objeto da auditoria. E não suspender os trabalhos.

20 - O relatório de auditoria apresentará os resultados dos trabalhos, sendo vedada a inclusão de qualquer comentário do gestor nesse documento.

GABA: E. Parte do relatório é exatamente o comentário do gestor.

Parabéns a todos! Espero que tenha ajudado.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016