1º Colocado do TCU - Área meio de TI

Prezados concurseiros,

Vou tentar reunir nesse texto aquilo que aprendi durante minha trajetória e que acredito que foi bastante útil para minha aprovação nos concursos. Espero que isso também possa ser útil de alguma forma para vocês!
by Fernando Mendonça Maranho


Eu me formei em Engenharia de Computação na Unicamp, neste ano de 2007. Para concurso, comecei a estudar no final de janeiro de 2007, quando saiu o edital para a Câmara dos Deputados. E até o final de junho, tive que dividir o tempo de estudo com meu projeto final de graduação e laboratório de compiladores. Nesses 5 meses, estudei cerca de 4 a 5 horas por dia. De julho até o final de setembro, apenas estudei para concurso, e nesses 3 meses estudei cerca de 8 a 9 horas por dia (exceto domingo, que estudava de 4 a 5 horas).

Primeiramente, o grande segredo do concurso é manter um estudo diário, o arroz com feijão de cada dia. E ainda que demore 1, 2 ou 3 anos (ou até mais, se necessário), é algo pra vida toda que valerá muito a pena, pode ter certeza! Mantenha um ritmo de estudo desde agora, e perceba a diferença daqui a 4 meses, daqui a 6 meses, daqui a 10 meses... será algo impressionante, com certeza!

A grande ênfase que quero dar nesse texto são os 2 fatores que foram certamente os mais decisivos na minha aprovação. O primeiro e mais importante é fazer muitos exercícios e provas de concursos anteriores, mas muito mesmo. Só de informática acho que fiz cerca de 3200 questões de concursos anteriores, e somando Português, Direito Administrativo e Direito Constitucional, mais umas 1200 questões. O segundo é conseguir um nível forte de preparação e conhecimentos nas básicas, principalmente Português, Direito Administrativo e Direito Constitucional (que caem em quase todos os concursos), e fazer essas matérias serem um diferencial. A grande maioria dos candidatos da nossa área não estuda com muita dedicação essas matérias, e como resultado não vai muito bem nessa parte, então se você conseguir um bom desempenho nelas, já é uma vantagem preciosa rumo à aprovação.

Voltando às matérias e técnicas de estudo, estudei Português principalmente fazendo muita prova da ESAF no software Superprovas. Também li alguns capítulos de teoria para relembrar. Direito Constitucional fiz um cursinho em Campinas (que achei bom) e, depois disso, escutava a Constituição Federal (que baixei do site do planalto) quase todo dia durante uma caminhada de 1 hora (pra manter a saúde e arejar a cabeça). Acho que cheguei a escutá-la inteira umas 8 vezes (às vezes enchia o saco, mas eu lembrava que era por uma boa causa... heheh)! E, pra complementar, muitas provas no Superprovas.

Direito Administrativo também fiz um cursinho (que achei muito bom) e procurei ler e reler várias vezes as principais leis: 8.112/90 e 8.666/93, basicamente. E, como sempre, muitas provas no Superprovas. Não cheguei a comprar livros dessas matérias, mas se tivesse de comprar, provavelmente seriam os livros do Vicente Paulo e do Marcelo Alexandrino, que só recebem elogios pelo pessoal dos fóruns.

Em relação à Informática, o principal novamente foi fazer muitas provas de concursos anteriores. Acho que isso é quase um pré-requisito para conseguir passar, e isso vale para FCC, CESPE, ESAF e provavelmente todas as outras bancas. Quanto à parte de teoria, o principal, claro, são os livros famosos de cada área. Apenas li alguns capítulos nesses livros, não lia o livro do começo ao fim não. Além dos livros, muitos assuntos devem ser buscados na internet mesmo: Wikipedia (em inglês, de preferência, por ser mais completa), pdf`s descobertos através do Google, resumos, mapas mentais, etc. Eu sempre gostei de imprimir esses materiais para a leitura (pelo menos os mais extensos ou mais importantes). Ao imprimir o material e deixá-lo na sua mesa de estudo, você se compromete a lê-lo, além de poder usar um marca-texto nas partes mais importantes daquele material.

No meu caso, como vocês puderam perceber, o software Superprovas foi um grande aliado e facilitador. Além de ser um banco de dados com muitas provas das principais matérias e bancas mais importantes (principalmente a matéria Ciência da Computação, que tem mais de 6500 questões), ele possui uma interface fácil e agradável de usar, o que acaba estimulando fazer mais provas, como se você estivesse jogando/brincando de show do milhão. Mas mesmo com o software, as provas muito recentes ou algumas que não havia nele, eu buscava na internet, imprimia e fazia. E já adianto que eu não estou recebendo nenhum centavo para divulgá-lo, estou fazendo porque realmente acho que foi muito útil usá-lo na minha preparação.

Sobre métodos de fazer as provas, minha sugestão é pegar uma prova e tentar resolver todas as questões, mesmo aquelas cuja matéria ainda não tiver estudado. Claro que algumas não darão para fazer, por exemplo, questões muito específicas sobre um dado assunto (por exemplo, acho que Análise de Pontos de Função é um negócio que parece grego pra quem ainda não estudou), nesses casos simplesmente clique para ver a resposta e tente aprender um pouco do assunto pela questão, se for possível.

Principalmente em provas de Informática, como já estudamos na faculdade uma boa parte do programa que cai em concurso, vale a pena começar a tentar fazer todas as questões da prova desde agora. Em muitos casos, mesmo não tendo estudado, você verá que usando o bom-senso e aquilo que já sabemos é possível descobrir a resposta. Ao final da prova, veja o que você errou (e tente entender por que a sua alternativa está errada e a alternativa do gabarito está correta – se necessário, faça uma pequena revisão sobre o tópico da matéria em questão), e depois releia todas as questões e suas respectivas respostas corretas como uma forma de estudo.

Em relação ao tempo gasto para fazer uma prova, ele varia demais de uma prova para outra. Muitas provas de Informática da FCC de 30 questões são possíveis de ser feitas em 1 hora, pois os enunciados são pequenos e as alternativas contêm apenas uma ou algumas palavras. À medida que você for estudando e treinando, verá que na verdade dá pra fazer uma prova assim em 30 minutos (sendo que oficialmente seria algo em torno de 1 hora e meia). Claro que não são todas as provas que vale essa regra, mas para uma grande parte (talvez a maioria) isso vale.

As provas de Informática do CESPE são em geral mais bem elaboradas, e mais demoradas de se fazer. Nessas a pessoa começa gastando cerca de 3 horas (numa prova de 100 questões de certo/errado), mas verá que com o treino e estudo esse tempo geralmente cairá para 1h e meia, às vezes apenas 1 hora e pouquinho. Enfim, a redução significativa do tempo necessário para fazer uma prova (não precisa tentar correr, essa redução ocorre naturalmente) reflete que seu conhecimento da matéria melhorou, que seu raciocínio ficou mais rápido, que você está habituado com a linguagem da prova, está habituado com a forma com que os assuntos são cobrados (você verá que muitas questões se repetem literalmente ou são quase iguais), que o tempo agora é seu aliado (dificilmente você sairá de uma prova tendo faltado tempo para resolvê-la, por mais que os outros candidatos tenham reclamado de falta de tempo), dentre outros. Essa questão do tempo é fundamental (e facilmente perceptível) nas provas de Português, nas quais você em geral só conseguirá fazer todas as questões se tiver treinado muito antes, com o raciocínio rápido tanto para gramática como para interpretação de texto.

Na média, em cada semana, fazia 1 prova de Português (de 15 a 20 questões), 1 prova de Inglês (de 8 a 10 questões), 2 provas de Direito Administrativo (de 10 a 15 questões cada), 2 provas de Direito Constitucional (de 10 a 15 questões cada) e 2 provas de Informática (de 30 a 50 questões cada). Tentei manter essa média basicamente nos 5 primeiros meses de estudo. Nos 3 últimos meses, aumentei a quantidade de provas de Informática para cerca de 4 a 5 provas por semana (reduzindo as provas das outras matérias, mas não deixando nenhuma de lado). Os benefícios que vão sendo agregados à medida que você vai fazendo as provas são muitos, e são importantíssimos para um bom desempenho no concurso.

E quando você não conseguir resolver um exercício ou ficar na dúvida, vale a pena postá-lo no Fórum Concurseiros para ser debatido, pois em geral o pessoal lá, trabalhando junto, consegue descobrir onde está o erro. Fiz vários amigos no Fórum Concurseiros, e sou muito grato ao pessoal que se sempre se esforçava para ajudar. É proveitoso participar tanto do Fórum Concurseiros como do Fórum Correioweb, eu acho que o primeiro é melhor para tirar dúvidas, e o segundo para ler informações "quentes" relacionadas ao concurso e fazer ranking depois da prova.

Outro ponto que acho importante é tentar estudar todas as matérias toda semana (ou seja, estar sempre "rolando" todas as matérias toda semana). Claro que, no nosso caso, Informática é a mais importante e consumirá a maior parte do tempo, mas as outras não podem ser deixadas de lado. Quando atingir um nível forte em uma dada matéria, no mínimo coloque uma prova por semana daquela matéria para fazer, pois a prova é uma ótima forma de revisão e fixação da matéria. Em relação à Informática, por ser um conteúdo muito extenso, em geral eu mantinha abertas umas 3 a 4 frentes de estudo ao mesmo tempo. Por exemplo, num dado momento, uma frente era alguns capítulos de redes, outra era alguns capítulos de banco de dados, outra era algumas apostilas de Java, e outra era PMBOK. Aqui fica clara a importância de fazer um bom planejamento de estudo, para conseguir estudar tudo até a prova e esquecendo o mínimo possível as matérias (novamente, fazer provas de Informática toda semana é uma ótima forma de treino e revisão, pois cada prova em geral cobrará praticamente todos os assuntos, e você sempre estará lembrando esses assuntos).

Um último ponto que acho que vale a pena comentar é sobre aceitar prestar outros concursos, e não apenas o “concurso dos sonhos”. Independente de qual é esse “concurso dos sonhos”, à medida que você vai estudando e melhorando seu nível em Informática, Português e nos Direitos, não vejo por que deixar passar outros concursos bons/ótimos que abrirem no caminho, por exemplo: Perito da Polícia Federal, TCU, Câmara dos Deputados, Senado Federal, Banco Central, Área de TI da Receita Federal, dentre possíveis outros (claro que os critérios para classificação de um concurso como bom/ótimo varia de pessoa para pessoa). Desses que eu citei, vários devem ocorrer em 2008, e se quando eles abrirem você estiver num nível forte de preparação, por que deixar a oportunidade passar? Além disso, acho que vale a experiência de prestar a prova, de controlar a ansiedade, da alimentação no dia da prova, do exato planejamento e controle de tempo durante a prova, de treinar elaboração de recursos, etc., que ajudará a torná-lo um candidato mais experiente, e por que não dizer, mais profissional.

Por fim, ir para a prova com o seguinte pensamento: "Estou tranqüilo, porque sei que a minha parte eu fiz. Se passar, passei. Se não passar, continuarei firme até passar!".

Como uma mensagem final, lembre que “embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”. Toda dedicação e perseverança serão recompensadas, no final tudo terá valido a pena!

Abraços e bons estudos!

Fernando Mendonça Maranho

14 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016