Atualidades - 19/08/2011


Destaques

MANCHETES DOS JORNAIS                       19/08/2011

Folha de SP = FGV é usada para fraudar licitação vencida pela PUC
O Estado de SP = Preocupação com Europa e EUA volta a derrubar bolsas
O Globo = EUA e Europa pedem a saída de ditador sírio; Brasil diverge
Correio Braziliense = "Quero aprender com Rossi" afirma novo ministro
Estado de Minas =
Valor Econômico = Voltam desconfiança e pessimismo
Brasil Econômico = Crise Mundial abre espaço para queda dos juros ainda neste ano
Zero Hora (P. Alegre) = O desafio de Mendes - Agronegócio pede seguro e prazo para pagar dívidas
A Tarde (Salvador) = Estado quer limitar o uso do Planserv
O Povo (Fortaleza) = Briga entre famílias deixa cinco mortos em um mês
Jornal da Tarde (SP) = TCU suspende verbas do Enem e ameaça prova
Diário Catarinense (Florianópolis) = Reunião sem decisão
Gazeta do Povo (Curitiba) = Acordos salariais mantêm ganho real no semestre
Jornal do Commercio (Recife) = Policiais vão trocar burocracia pela rua

19 de agosto de 2011
O Globo

Manchete: EUA e Europa pedem a saída de ditador sírio; Brasil diverge
Itamaraty também se distancia de potências que defendem sanções ao regime

O presidente dos EUA, Barack Obama, e líderes europeus defenderam abertamente, pela primeira vez, a saída do ditador Bashar al-Assad, cujo o governo há cinco meses reprime diariamente com violência protestos pr reformas, que já deixaram pelo menos 2 mil civis mortos. A Europa e os EUA - que unilateralmente já congelaram bens sírios e proibiram negócios com o país - trabalham no Conselho de Segurança da ONU por sanções econômicas mais duras. Já o Conselho de Direitos Humanos afirmou que os ataques à população civil podem ser considerados crimes contra a Humanidade. O Brasil, segunda a embaixadora Regina Dunlop, não se une aos que exigem a saída de Assad nem defende sanções, neste momento. Na Líbia, os rebeldes conquistaram, a 50 quilômetros de Trípoli, uma refinaria que abastece a capital com gás e petróleo. Há rumores de que o ditador Kadafi esteja doente. (Págs. 1 e 34)

Atentados em Israel mostram fronteira vulnerável com Egito

Uma série de ataques contra civis e militares perto do balneário da Eliat abalou a sensação de segurança na fronteira do Egito, pela primeira vez após a queda do ditador Mubarak. Oito israelenses morreram e o governo revidou, matando sete palestinos em Gaza. (Págs. 1 e 35)
PT não gosta da faxina de Dilma...
Diante da faxina da presidente Dilma para demonstrar esquemas de corrupção no governo - derrubando quatro ministros herdados de Lula, três deles suspeitos de irregularidades -, nada restou à ala mais lulista do partido senão o constrangimento. Internamente, petistas se quiexam de que a faxina pode passar a imagem de que o ex-presidente deixou uma herança maldita. A reação petista se acirrou com a Operação Voucher, que atingiu um ex-assessor da senadora Marta Suplicy. (Págs 1 e 3)

Mas FH...

Convidado por Dilma, o ex-presidente Fernando Henrique sentou-se ao lado dela no lançamento do Brasil sem Miséria. FH não discursou, mas Dilma disse que sua presença fazia parte de pacto pluripartidário para transformar a realidade. (Págs. 1 e 11)

Cariocas organizam ato contra a corrupção e impunidade (Págs. 1 e 12)
Novo Ministro: Rossi fez 'extraordinário trabalho'
Depois que Wagner Rossi deixou a Agricultura em meio a denúncias de corrupção, o novo ministro, Mendes Ribeiro (PMDB-RS), dissse que não quer saber de faxina na pasta: "Tenho de tratar da agricultura". E que pretende conversar muito com seu antecessor: "Ele fez um extraordinário trabalho." (Págs. 1 e 4)
Alquimia: 12 laranjas confessam fraudes
O grupo acusado de sonegar R$ 1 bilhão em fraudes fiscais envolvendo empresas do ramo petroquímico teve pelo menos 12 laranjas confessos. Em depoimentos colhidos pela Polícia Federal na Operação Alquimia, eles disseram atuar num esquema encabeçado pelos irmãos Paulo Sérgio e Ismael Cavalcanti, dono do grupo Sasil. (Págs. 1, 27 e 28)
Mais seis grifes com trabalho escravo
Blitz do Ministério Público encontrou ontem mais indícios de trabalho escravo no interior paulista. Além da Zara, flagrada anteontem, foram constatadas irregularidades em outras seis grifes. (Págs. 1 e 30).
Bolsas têm novo dia de fortes quedas
Indicadores ruins sobre inflação e produção insdustrial nos EUA e previsões de crescimento menor para o mundo fizeram as bolsas desabarem. Na Europa, caíram mais de 5%. Em NY, o Dow Jones recuou 3,68%, e o Nasdaq, 5,22%. (Págs. 1 e 29)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete: FGV é usada para fraudar licitação vencida pela PUC
Mantenedora da instituição católica nega qualquer ilegalidade e diz que nunca foi representada por lobista

O nome da Fundação Getúlio Vargas foi usado para fraudar licitação do Ministério da Agricultura, relatam Andreza Matais e José Ernesto Credendio. O vencedor, a Fundasp, mantenedora da PUC-SP, ganhou contrato de R$ 9 milhões. A concorrência incluía a Sistemas em Educação Continuada e a FGV - que teve proposta fictícia montada com papéis e assinaturas falsos. (Págs 1 e Poder, A8)
Lobby é legítimo, diz ministro (Págs. 1 e Poder A7)

Foto Legenda: Flerte: Com a presença de Anastasia (MG) e de Cabral (RJ), Dilma Rousseff lançou em SP versão do plano Brasil sem Miséria (Págs. 1 e Poder A4)

Bolsas voltam a derreter após uma semana de trégua
A trégua durou pouco nos mercados. Ontem, as Bolsas de todo o mundo voltaram a derreter, arrastando para baixo o preço de commodities e os principais investimentos. No Brasil, o índice Bovespa recuou 3,52%. Os mercados estavam preocupados com rumores de resgate de bancos franceses e o aumento da inflação nos EUA. (Págs. 1 e Mundo, A14)
60% não ligam para abertura da Copa 2014 em São Paulo
Pesquisa Datafolha revela que 61% dos paulistanos querem a construção da arena do Corinthinas, mas 60% dos entrevistados acham que sediar a Copa não é nada importante para a cidade.

SE dependesse do paulistano, a verba estatal no Itaquerão seria vetada. O uso de dinheiro das três esferas de governo foi rejeitado pela maioria. (Págs. 1 e Esporte D6)
Conselho restringe publicidade de médico na web (Págs. 1 e C12)

Litoral norte de SP tem pior poluição em uma década
O litoral norte de São Paulo teve em 2010 o pior índice de poluição dos últimos dez anos. A região inclui praias badaladas como Maresias, Juqueí, Camburi e Baleia. Para a Cetesb, o grande responsável pela piora dos índices é o despejo de esgoto doméstico. (Págs. 1 e Cotidiano, C1)
MOISÉS NAÍM: Quando os mais fracos vencem os confrontos
Hoje, a guerra raramente opõe diretamente dois exércitos nacionais, e, quando isso ocorre (como na bem-sucedida invasão americana do Iraque, em 2003), é mais provável que se dissolva em uma forma não tradicional, como uma insurgência. (Págs. 1 e Mundo A12)
EUA e Europa pedem saída de ditador da Síria
Os EUA e líderes europeus pediram ontem a saída do ditador sírio, Bashar Assad, do governo da Síria. O presidente Barack Obama anunciou tambpem sanções contra o regime, como o embargo da compra de petróleo. A Folha apurou que o Brasil pode apoiar sanções contra o país. (Pags. 1 e Mundo A11)
Foto Legenda: De volta
Soldado ferido na pior série de atentados em Israel em dois anos, com morte de oito israelenses e sete terroristas; caças eliminaram seis em Gaza. (Págs. 1 e Mundo A10)
Editoriais
Leia "Programa novo", sobre as mudanças nas regras para o setor de telecomunicações, e "Arte na cidade", acerca da liberação para grafites em prédios. (Págs. 1 e A2)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchetes: Preocupação com Europa e EUA volta a derrubar bolsas
Ante sinais de fragilidade econômica, mercados têm forte queda e investidores correm para títulos americanos

A preocupação com a fraqueza da economia americana e com a capacidade de países europeus de honrar suas dívidas voltou a dominar o mercado financeiro global. Bolsas de valores do mundo todo encerraram a quinta-feira com pesadas perdas, investidores correram para a segurança dos títulos públicos americanos e o dólar se valorizou. A Bolsa de São Paulo caiu 3,52% e a moeda americana avançou 1,2% ante o real, fechando a R$1,602. Houve quedas acentuadas também em Nova York (3,68%), Londres (4,49%) e Frankfurt (5,82%). Para o economista Nouriel Roubini, que previu a turbulência internacional de 2008, o mundo deverá enfrentar uma dupla recessão. (Págs. 1, B1, B3 e B5)
`Brincs se descolam dos ricos'
Para Jim O'Neill, presidente do Goldman Sanchs Asset Management, a queda do preço das commodities com a crise pode aliviar a inflação nos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). "Esses países vão poder tirar o foco da política monetária", disse a Fernando Dantas. (Págs. 1 e B4)
Foto legenda: Cordialidade
FHC observa com Dilma cartões do Brasil sem Miséria; a presidente e o governador Alckmin trocaram elogios no evento em S, ao qual Serra não compareceu. (Págs. 1 e A4)
Petistas temem que `faxina' de Dilma afete Lula
A "faxina" da presidente Dilma Roussef em seu governo, que já derrubou quatro ministros, causa desconforto no PT. Dirigentes, parlamentares e ministros do partido temem que, com a escalada de escândalos, o governo de Lula acabe carimbado como corrupto – todos os ministros que caíram foram "herdados" do ex-presidente. Os petistas acham que Dilma está alimentando a disputa entre aliados. (Págs. 1 e A4)
Mendes vai `aprender'
O deputado Mendes Ribeiro (PMDB-RS) assumiu o Ministério da Agricultura dizendo que pretende "aprender muito para poder ajudar". Ele substituir Wagner Rossi, que deixou o governo sob suspeita de corrupção. Mendes afirmou que não fará "faxina" na pasta. (Págs. 1 e A7)
Obama reforça pressão por saída de Assad
Cinco meses após o início da repressão do regime de Damasco a oposicionistas, o presidente dos EUA, Barack Obama, pela primeira vez pediu a Bashar Assad que deixe o poder na Síria. França, Alemanha e Grã-Bretanha também publicaram comunicado conjunto pedindo a saída do líder. Uma comissão de direitos humanos das Nações Unidas quer que o Tribunal Penal Internacional investigue Assad. (Págs. 1, A15 e A18)
Empresas disputam prédios em construção (Págs. 1 e B12)

Dono de ilha é conhecido como `Paulinho Metanol' (Págs. 1 e B9)

Rogério L. F. Werneck
A fantasia da crise

Subsiste no governo uma visão de que a crise pode vir a ser a solução que faltava para corrigir anomalias básicas da economia brasileira. (Págs. 1 e B2)
Notas&informações
Quem demitiu o ministro?

Dilma tinha todos os motivos – descontada a ética pública – para manter Rossi na Agricultura. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: "Quero aprender com Rossi" afirma novo ministro
Logo após ser confirmado como novo ministro da Agricultura, o deputado Mendes Ribeiro Filho (PMDB -RS) disse ter muito a aprender com o antecessor, Wagner Rossi, que caiu alvejado por denúnicias de corrupção. O que teria a aprender? "As políticas do arroz, por exemplo. A safra", alegou. Sobre possíveis demissões no ministério, ele afirmou: "Vou trocar todos que tiver de trocar. Mas vou primeiro conversar com a presidente Dilma". Ele assume a safra de "abacaxis" da Agricultura na segunda-feira. Para trás, deixa um "pepino" na Câmara: a contratação irregular, porque implica acúmulo de função, de um vereador gaúcho, Ivan Trevisan, como secretário parlamentar. Ivan já recebeu R$ 150 mil da Câmara. (Págs. 1, 2 e 3)
Faxina na miséria une Dilma e FHC em São Paulo
É a quarta vez que ela se encontra com o ex-presidente desde que assumiu o governo. Ontem, foi no lançamento de plano de combate às desigualdades sociais na Região Sudeste. "É o Brasil inteiro fazendo, de fato, como diz a imprensa, a verdadeira faxina que esse país precisa fazer. A faxina da miséria", disse a presidente, lançando mão de um termo que virou moda após ela começar a demitir ministros e agentes públicos acusados de corrupção. (Págs. 1, 4, Visão do Correio, 14)
Falta de proposta irrita servidores
Ministério do Planejamento descumpre acordo e não oferece reajuste para funcionários do executivo. (Págs. 1 e 13)
ENEM: TCU veta pagamento ao cespe e exige explicações
O tribunal questiona a dispensa de licitação no contrato de R$ 372,4 milhões para a organização do Exame Nacional do Ensino Médio. Segundo análise do ministro responsável pelo caso, esse valor é três vezes maior que o pago no ano passado pelo Ministério da Educação e qualquer verba só deve ser liberada após o detalhamento dos recursos. (Págs. 1 e 27)
Crise: Medo da quebra de bancos derruba mercados
Na Europa, as bolsas de valores de Milão (-6,15%) e de Frankfurt (-5,82%) sofreram as maiores perdas. Paris, Madri, Londres, Amsterdã, Zurique e Lisboa amargaram baixas superiores a 4%. No Brasil, a Bovespa despencou 3,52%. O temor de bancos europeus quebrarem se disseminou pelo mundo e foi agravado pelas perspectivas de nova recessão liderada pelos EUA. (Págs. 1, 10 e 11)
Ensino Infantil: Novas regras de ingresso no 1º ano (Págs. 1 e 28)

------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Voltam desconfiança e pessimismo
O mercado financeiro global viveu ontem mais um dia de grandes turbulências com o aumento da desconfiança em relação à solidez de bancos europeus. Na quarta-feira, o Banco Cen- tral Europeu revelou ter emprestado US$ 500 milhões para socorrer uma instituição financeira, o que não ocorria desde fevereiro. Ao mesmo tempo, o Federal Reserve pretende apertar a fiscalização sobre as filiais dos bancos europeus para saber como estão financiando suas operações nos Estados Unidos.

A isso, somaram-se informações que indicam uma desaceleração da economia americana ainda mais acentuada do que se esperava. O índice de atividade industrial do Fed da Filadélfia caiu para -30,7 em agosto, nível só visto em períodos de recessão. (Págs. 1, C1, C2, D2 e D3)
Aperto fiscal será menor em 2012
O governo considera que a inflação, que ocupou sua atenção diária por oito meses, está sob controle e vislumbra a possibilidade de, em 2012, ter mais flexibilidade para gastar. Agora, a presidente Dilma Rousseff inaugura "outra fase", a da interlocução com o mundo político, que a levará a atender a demanda por aumento do gasto público.

Diferentemente deste ano, quando o governo se comprometeu com a execução da meta integral de superávit primário - sem descontar os investimentos do PAC -, para o próximo a ideia é abater da meta pelo menos uma parte dos R$ 40,6 bilhões do programa, informou um ministro ao Valor. Isso significaria reduzir o su- perávit primário da União de R$ 96,97 bilhões, conforme previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias, para até R$ 56,37 bilhões. Cifra muito inferior aos R$ 81,76 bilhões assegurados neste ano. (Págs. 1, A2 e A8)
Empresários se unem sobre aviso-prévio
O governo considera que a inflação, que ocupou sua atenção diária por oito meses, está sob controle e vislumbra a possibilidade de, em 2012, ter mais flexibilidade para gastar. Agora, a presidente Dilma Rousseff inaugura "outra fase", a da interlocução com o mundo político, que a levará a atender a demanda por aumento do gasto público.

Diferentemente deste ano, quando o governo se comprometeu com a execução da meta integral de superávit primário - sem descontar os investimentos do PAC -, para o próximo a ideia é abater da meta pelo menos uma parte dos R$ 40,6 bilhões do programa, informou um ministro ao Valor. Isso significaria reduzir o su- perávit primário da União de R$ 96,97 bilhões, conforme previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias, para até R$ 56,37 bilhões. Cifra muito inferior aos R$ 81,76 bilhões assegurados neste ano. (Págs. 1 e A3)
Vale estuda criar mais uma empresa de logística
A Vale estuda a criação de uma nova empresa de logística para abrigar ativos e contratos que envolvem o transporte de carga geral (ou seja, outras mercadorias que não minério de ferro). O projeto em discussão prevê a abertura de capital dessa nova empresa no Novo Mercado da BM&F Bovespa até 2012. A Vale deverá ter uma participação em torno de 30% na futura Vale Logística SA, como vem sendo chamada, dependendo do apetite do mercado por ocasião da emissão de ações. No primeiro semestre deste ano, o faturamento da mineradora com serviços de logística foi de R$ 1,6 bilhão, dos quais R$ 1,3 bilhão com carga geral.

O perfil de negócio da Vale Logística será bem diferente da Log-In Logística Intermodal, empresa de capital aberto com participação de 31,31% da Vale e focada no transporte de carga em contêineres na costa brasileira, a chamada navegação de cabotagem. Paralelamente ao novo projeto, a Vale vem analisando a venda de sua participação na Log-In. (Págs. 1, D1 e D9)
Crédito de PIS e Cofins é tributado
Numa discussão que afeta diretamente a agroindústria exportadora brasileira, a 2ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) entendeu que são devidos Imposto de Renda e CSLL sobre créditos acumulados de PIS e Cofins. A decisão foi dada ontem durante análise de um recurso da Doux Frangosul, do Rio Grande do Sul, que discutia especificamente a tributação de créditos presumidos, resultantes da compra de insumos agrícolas. A empresa argumenta que esses créditos não podem ser compensados nem ressarcidos, portanto, não deveriam ser tributados. As exportadoras do setor agroindustrial estimam ter acumulados R$ 3 bilhões em créditos "podres" de PIS e Cofins, que não conseguem aproveitar em suas operações, mas que permanecem registrados como ativos na contabilidade, inflando o valor do IR e da CSLL.

O setor defende mudanças legais que permitam a reversão desses créditos em dinheiro. O presidente da União Brasileira de Avicultura, Francisco Turra, diz que as exportadoras de aves e suínos levarão uma proposta ao governo pedindo a devolução dos créditos. "Hoje, as restrições são tantas que inviabilizam o aproveitamento desses créditos", afirma. (Págs. 1 e E1)
Nova publicidade brasileira adota discurso da eficiência
A capa desta edição do "Eu& Fim de Semana" tem a assinatura de Francesc Petit, a letra "P" da DPZ, vendida em julho para o conglomerado francês Publicis Groupe - e responsável por alguns dos melhores capítulos da publicidade brasileira. Provocativa, a peça sinaliza os novos rumos da profissão: antes ambiente fértil para o brilho de criativos "pop stars", a propaganda nacional hoje valoriza vantagens tecnológicas, adota o discurso da eficiência e torna-se um negócio globalizado. "A frase de Tom Jobim 'o Brasil é para profissionais' nunca foi tão pertinente, só que agora também no bom sentido", diz Nizan Guanaes, fundador e "chairman" do grupo ABC. (Págs. 1 e EU& Fim de Semana)
HP revê o negócio de computador pessoal
A Hewlett-Packard, maior fabricante de computadores do mundo, informou que está estudando separar a divisão de computadores pessoais, num momento em que reduziu as previsões de lucro pela terceira vez no ano. A empresa também comunicou que fez uma oferta para adquirir a firma britânica de software Autonomy, por US$ 10,25 bilhões.

A HP afirmou que seu conselho autorizou a análise de opções estratégicas para a divisão de computadores pessoais e que o processo pode levar até 18 meses. O negócio de PCs representa cerca de um terço de seu faturamento. Como parte da reestruturação, a empresa vai fechar a unidade de tablets. O tablet TouchPad foi lançado em julho. (Págs. 1, B2 e B9)
Governo baixa previsão para o PIB
O governo deve reduzir sua estimativa de crescimento da economia para este ano, de 4,5% para cerca de 4%. A área econômica acredita que o BC pode iniciar ainda em 2011 o ciclo de redução dos juros. (Págs. 1 e A4)
Basf terá fábrica de ácido acrílico
A Basf anuncia hoje que vai investir cerca de R$ 1 bilhão em uma fábrica de ácido acrílico no Brasil. A unidade será erguida em Camaçari (BA). Atualmente, o Brasil é importador do insumo, com larga utilização na indústria de bens de consumo não durável. (Págs. 1 e B7)
Leilões de energia atrairão R$ 10 bi
Os leilões de energia realizados nesta semana pelo governo federal deverão movimentar R$ 10 bilhões em investimentos diretos no país até o fim de 2013, sendo 80% por empresas privadas. (Págs. 1 e B7)
Ideias
Rodeigo L. Medeiros

O Plano Brasil Maior pode, ao final, se mostrar tímido e aquém dos desafios enfrentados pela indústria do país (Págs. 1 e A12)
Ideias
Yao Yang

Com mais mde 60% de suas reservas internacionais denominadas em dólares, a China tem boas razães para se preocupar (Págs. 1 e A13)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Msnchete: Risco Maior - Aumenta o número de acidentes graves envolvendo carretas (Págs. 1
Levantamento do Estado de Minas mostra que em 83 acidentes entre 1º de maio e ontem, além de 39 mortos e 73 feridos, veículos de carga deixaram BRs total ou parcialmente interditadas por um tempo equivalente a oito dias. Com a expansão econômica, o número de caminhões no país cresceu 85% desde o ano 2000. Cada vez maior e se carregando mais peso, ajudam a deteriorar rodovias, em geral, ultrapassadas, mal conservadas e pouco fiscalizadas. Os caminhões e carretas se envolveram em 14.066 (48%) dos 27.366 desastres registrados pela Polícia Rodoviária Federal no estado ano passado, nos quais ocorreram 346 (25%) de um total de 1.344 mortes. O número de acidentes cresceu 11,6% em relação a 2009.

Segundo especialistas, o desgaste das pistas e o despreparo ou excesso de jornada de motoristas são as principais razões para tamanha violência no tráfego rodoviário.

Balanço de um mês do aperto na fiscalização da Lei Seca em BH revela que os acidentes com vítimas envolvendo motoristas embriagados diminuíram 42% e que as batidas com morte caíram 31%. (Págs 1, 19, 20, 26 e o Editorial `Tragédias embarcadas', na 8)
Agora é o álcool que está faltando nos postos de BH
Depois de baixarem o preço do etanol nas bombas por causa da escassez de gasolina em Minas, revendas já enfrentam o desabastecimento do derivado de cana-de-açúcar. (Págs. 1 e 11)
Um pra cá, dois pra lá
Em visita a BH, ex-presidente Lula desdenhou das crises no governo de sua sucessora e defendeu aliança entre PT e PSB para reeleger o prefeito Marcio Lacerda: "Em time que está ganhando não se mexe". Em São Paulo, Dilma Rousseff foi recepcionada em evento pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Beijos e sorrisos selaram o encontro. (Págs. 1, 4 e 5)
Ministério de heranças duvidosas
Ex-ministro da Agricultura Wagner Rossi deixou para trás ao pedir demissão funcionários de segundo escalão que são apontados como interlocutores de empresas ligadas a ele. Enquanto isso, o novo chefe da pasta, o deputado federal Mendes Ribeiro (PMDB-RS), contratou de forma ilegal vereador gaúcho de Pântano Grande como secretário parlamentar. (Págs. 1 e 3)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Policiais vão trocar burocracia pela rua (Pág. 1)

Mendes Ribeiro assume Agricultura (Pág. 1)

Regra tenta evitar ranking com o Enem (Pág. 1)

IPA faz seleção para 100 vagas temporárias (Pág. 1)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: O desafio de Mendes - Agronegócio pede seguro e prazo para pagar dívidas
Líderes rurais do Estado, otimistas com o gaúcho Mendes Ribeiro Filho à frente da Agricultura, apontam reivindicações às vésperas da Expointer.

Os reflexos políticos da nomeação do gaúcho

"Cuidei de saneamento e não sou engenheiro", diz Mendes (Págs 1, 4 a 8, 14, Editorial, e 15)
Novo abalo: Cinco motivos para gangorra das bolsas
Mercados pelo mundo registraram fortes quedas, em função da crise nos EUA e na Europa. (Págs. 1 e 16)


Piratini estuda Lei Seca de São Paulo
DAVID COIMBRA

Governo pode endurecer punição para quem vende bebidas alcoólicas para menores. (Págs. 1 e 2)
Por que diretor saiu do Hospital São Pedro
Rosane de Oliveira

Médico Lucio Barcelos aponta condições precárias do hospital entre motivos para pedir demissão. (Págs. 1 e 10)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: Crise Mundial abre espaço para queda dos juros ainda neste ano
Desaceleração da economia brasileira cria oportunidades para que o Banco Central reveja sua política monetária, diz o Ipea

As turbulências na economia americana, os problemas enfrentados por nações da Zona Euro e a desaceleração da economia brasileira - que já chega ao consumo - criam oportunidades para que o Brasil inicie um processo de redução dos juros, na avaliação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplica (Ipea). Diante de novos sinais de desaceleração nos Estados Unidos, na Europa e na China e da revisão de grandes bancos para o PIB mundial, as bolsas e a cotação do petróleo voltaram a recuar ontem. Entre agentes do mercado financeiro, que antes previam a queda dos juros somente em 2012, agora ganha força a expectativa de cortes já a partir de outubro. Parcela dos analistas acredita em redução de 0,25 ponto percentual da taxa básica de juros, mas há quem aposte em 0,50 ponto. (Págs. 1, P10 e 28)
Sucessão na Agricultura anima empresários e acalma base aliada
Substituição de Wagner Rossi por Mendes Ribeiro no comando da pasta deve permitir retomada de agenda produtiva, além de ter apaziguado os ânimos dos parlamentares do PMDB. (Págs. 1 e P4)
Bunge Brasil vai investir US$ 2,5 bi em bioenergia e açúrcar até 2016. Outros US$ 2 bi podem ser aplicados em aquisições. (Págs. 1 e P24)

Nextel entra na briga com as grandes teles
A oferta de serviços de terceira geração de telefonia celular vai triplicar a base de clientes da companhia, hoje em 3,7 milhões e já movimenta o mercado. "Ainda não chegamos e a competitividade já aumentou", afirma Sergio Chaia, presidente da empresa. (Págs. 1 e P18) 
Fundo de capital protegido é opção para momentos de turbulência
Carteira protege os recursos investidos, com possibilidade de ganhar na alta e não perder na baixa da bolsa. Mas, numa disparada do Ibovespa, os ganhos são limitados. (Págs. 1 e P32)
------------------------------------------------------------------------------------

Fique por dentro
EUA e Europa pedem a saída de ditador sírio; Brasil diverge =Itamaraty também se distancia de potências que defendem sanções ao regime = O presidente dos EUA, Barack Obama, e líderes europeus defenderam abertamente, pela primeira vez, a saída do ditador Bashar al-Assad, cujo o governo há cinco meses reprime diariamente com violência protestos pr reformas, que já deixaram pelo menos 2 mil civis mortos. A Europa e os EUA - que unilateralmente já congelaram bens sírios e proibiram negócios com o país - trabalham no Conselho de Segurança da ONU por sanções econômicas mais duras. Já o Conselho de Direitos Humanos afirmou que os ataques à população civil podem ser considerados crimes contra a Humanidade. O Brasil, segunda a embaixadora Regina Dunlop, não se une aos que exigem a saída de Assad nem defende sanções, neste momento. Na Líbia, os rebeldes conquistaram, a 50 quilômetros de Trípoli, uma refinaria que abastece a capital com gás e petróleo. Há rumores de que o ditador Kadafi esteja doente. (O Globo)
Obama reforça pressão por saída de Assad = Cinco meses após o início da repressão do regime de Damasco a oposicionistas, o presidente dos EUA, Barack Obama, pela primeira vez pediu a Bashar Assad que deixe o poder na Síria. França, Alemanha e Grã-Bretanha também publicaram comunicado conjunto pedindo a saída do líder. Uma comissão de direitos humanos das Nações Unidas quer que o Tribunal Penal Internacional investigue Assad. (O Estado de S. Paulo)
ONU deve acusar Assad em corte internacional = Comissária de Direitos Humanos vê crimes contra a humanidade em ações do líder sírio; posição do Brasil ainda está indefinida = Depois da apresentação de um relatório da comissária da ONU no Conselho de Segurança afirmando que o regime sírio cometeu possíveis crimes contra a humanidade, os quatro países europeus integrantes do órgão decisório máximo das Nações Unidas, com o apoio dos EUA, demonstraram disposição em aprovar uma resolução contra a Síria. O texto da resolução ainda não foi formulado, mas os diplomatas europeus disseram que pretendem incluir sanções. Na avaliação deles, apenas uma resolução condenando o regime, sem medidas punitivas, como era previsto em propostas anteriores, não seria suficiente. A embaixadora do Brasil na ONU, Regina Dunlop, disse em Nova York que "o Brasil ainda não pode tomar uma posição por não ter visto a proposta". "Mas sanções costumam alienar as pessoas do processo", acrescentou. Outros países do Conselho de Segurança, como a África do Sul, Índia, China e Rússia também não se posicionaram sobre uma possível resolução. No passado, essas nações disseram ser contra a medida mesmo sem a inclusão da sanções. Moscou e Pequim ameaçaram usar o poder de veto. Até o agora, o conselho se pronunciou apenas por meio de uma declaração presidencial, com um peso bem menor, no início de agosto. (O Estado de S. Paulo)

"Quero aprender com Rossi" afirma novo ministro = Logo após ser confirmado como novo ministro da Agricultura, o deputado Mendes Ribeiro Filho (PMDB -RS) disse ter muito a aprender com o antecessor, Wagner Rossi, que caiu alvejado por denúnicias de corrupção. O que teria a aprender? "As políticas do arroz, por exemplo. A safra", alegou. Sobre possíveis demissões no ministério, ele afirmou: "Vou trocar todos que tiver de trocar. Mas vou primeiro conversar com a presidente Dilma". Ele assume a safra de "abacaxis" da Agricultura na segunda-feira. Para trás, deixa um "pepino" na Câmara: a contratação irregular, porque implica acúmulo de função, de um vereador gaúcho, Ivan Trevisan, como secretário parlamentar. Ivan já recebeu R$ 150 mil da Câmara. (Correio Braziliense)
Faxina na miséria une Dilma e FHC em São Paulo = É a quarta vez que ela se encontra com o ex-presidente desde que assumiu o governo. Ontem, foi no lançamento de plano de combate às desigualdades sociais na Região Sudeste. "É o Brasil inteiro fazendo, de fato, como diz a imprensa, a verdadeira faxina que esse país precisa fazer. A faxina da miséria", disse a presidente, lançando mão de um termo que virou moda após ela começar a demitir ministros e agentes públicos acusados de corrupção. (Correio Braziliense)
PT não gosta da faxina de Dilma... = Diante da faxina da presidente Dilma para demonstrar esquemas de corrupção no governo - derrubando quatro ministros herdados de Lula, três deles suspeitos de irregularidades -, nada restou à ala mais lulista do partido senão o constrangimento. Internamente, petistas se quiexam de que a faxina pode passar a imagem de que o ex-presidente deixou uma herança maldita. A reação petista se acirrou com a Operação Voucher, que atingiu um ex-assessor da senadora Marta Suplicy. (O Globo)
Mas FH... = Convidado por Dilma, o ex-presidente Fernando Henrique sentou-se ao lado dela no lançamento do Brasil sem Miséria. FH não discursou, mas Dilma disse que sua presença fazia parte de pacto pluripartidário para transformar a realidade. (O Globo)
Petistas temem `faxina' de Dilma afete Lula = A "faxina" da presidente Dilma Roussef em seu governo, que já derrubou quatro ministros, causa desconforto no PT. Dirigentes, parlamentares e ministros do partido temem que, com a escalada de escândalos, o governo de Lula acabe carimbado como corrupto – todos os ministros que caíram foram "herdados" do ex-presidente. Os petistas acham que Dilma está alimentando a disputa entre aliados. (O Estado de S. Paulo)
Novo Ministro: Rossi fez 'extraordinário trabalho' = Depois que Wagner Rossi deixou a Agricultura em meio a denúncias de corrupção, o novo ministro, Mendes Ribeiro (PMDB-RS), disse que não quer saber de faxina na pasta: "Tenho de tratar da agricultura". E que pretende conversar muito com seu antecessor: "Ele fez um extraordinário trabalho." (O Globo)
Mendes vai `aprender' = O deputado Mendes Ribeiro (PMDB-RS) assumiu o Ministério da Agricultura dizendo que pretende "aprender muito para poder ajudar". Ele substituir Wagner Rossi, que deixou o governo sob suspeita de corrupção. Mendes afirmou que não fará "faxina" na pasta. (O Estado de S. Paulo)
Sucessão na Agricultura anima empresários e acalma base aliada =Substituição de Wagner Rossi por Mendes Ribeiro no comando da pasta deve permitir retomada de agenda produtiva, além de ter apaziguado os ânimos dos parlamentares do PMDB. (Brasil Econômico)
O desafio de Mendes - Agronegócio pede seguro e prazo para pagar dívidas = Líderes rurais do Estado, otimistas com o gaúcho Mendes Ribeiro Filho à frente da Agricultura, apontam reivindicações às vésperas da Expointer. (Zero Hora)
Vice de Dilma diz que há "zero de estremecimento" com a base aliada = O vice-presidente Michel Temer afirmou na noite desta quinta-feira, em evento no Rio, que há "zero de estremecimento" na base aliada com a saída de Wagner Rossi do Ministério da Agricultura. "A vida continua", disse o vice-presidente, lembrando que a presidente Dilma Rousseff o pediu para indicar um substituto de Rossi depois de ele ouvir a bancada do PMDB. O vice-presidente contou que Dilma "insistiu muito" para que Rossi não deixasse o cargo, mas ele preferiu sair por "razões familiares". O vice-presidente também rejeitou que esteja havendo uma faxina no governo, com as saídas de Rossi e de Alfredo Nascimento (Transporte), Nelson Jobim (Defesa) e Antonio Palocci (Casa Civil), além de funcionários de segundo escalão da Agricultura e dos Transportes suspeitos de corrupção. (Folha de S. paulo)

Alquimia: 12 laranjas confessam fraudes = O grupo acusado de sonegar R$ 1 bilhão em fraudes fiscais envolvendo empresas do ramo petroquímico teve pelo menos 12 laranjas confessos. Em depoimentos colhidos pela Polícia Federal na Operação Alquimia, eles disseram atuar num esquema encabeçado pelos irmãos Paulo Sérgio e Ismael Cavalcanti, dono do grupo Sasil. (O Globo)
Dono da ilha é conhecido como ''Paulinho Metanol'' = Apelido refere-se à venda de embalagens plásticas contaminadas para um produtor de cachaça, o que provocou 16 mortes = Paulo Sérgio Costa Pinto Cavalcanti, empresário investigado pela Operação Alquimia = O presidente da Sasil Industrial e Comercial de Petroquímicos Ltda., empresa apontada como o eixo do esquema de sonegação fiscal que teria desviado R$ 1 bilhão em impostos, Paulo Sérgio Costa Pinto Cavalcanti, ganhou fama entre os baianos em 1990, quando obteve da imprensa local o apelido de "Paulinho Metanol", em um episódio que resultou na morte de 16 pessoas. Na época, Cavalcanti era diretor comercial da Sasil e a empresa vendeu a um comerciante de Santo Amaro, no Recôncavo Baiano, 19 bombonas (grandes embalagens plásticas usadas para armazenamento e transporte de produtos químicos) de álcool etílico. O comerciante, que produzia cachaça artesanal, usava os recipientes para preparar e armazenar a bebida. Uma das embalagens, porém, estava contaminada com álcool metílico, também conhecido como metanol, material que, apesar de ter o mesmo aspecto e odor do álcool etílico, é extremamente tóxico para o consumo. O erro resultou, além das 16 mortes, em intoxicação de outras 20 pessoas - pelo menos duas ficaram cegas. O episódio ficou conhecido como "Tragédia de Santo Amaro". Nenhum envolvido foi punido até hoje. Cavalcanti, um dos acusados de comandar o esquema de fraude fiscal, teve a prisão decretada pela Justiça, mas não foi localizado pelos agentes da Polícia Federal, da Receita Federal e do Ministério Público que, desde quarta-feira, cumprem 31 mandados de prisão, 129 de busca e apreensão e dezenas de ordens de sequestros de bens de 195 empresas e 62 pessoas. Familiares de Paulo Sérgio são apontados junto com ele como líderes do esquema. Além dele e do irmão e sócio, Ismael César Cavalcanti Neto, também são investigados o filho de Paulo, Sérgio França Cavalcanti, a ex-mulher do empresário, Anita Maria França Cavalcanti, a esposa de Ismael, Maria Aparecida de Morais, e a matriarca da família, Aldair Montenegro Costa, mãe dos empresários. Segundo familiares do empresário, ele está no exterior. O advogado de Cavalcanti, Gamil Föppel, afirma que sua recomendação ao cliente é que não se apresente até que "essa medida descabida" (a decretação de sua prisão temporária) seja revertida. "A operação foi desproporcional", afirma. "Não há motivo para decretar prisão temporária de um investigado por crime tributário." (O Estado de S. Paulo)

Mais seis grifes com trabalho escravo = Blitz do Ministério Público encontrou ontem mais indícios de trabalho escravo no interior paulista. Além da Zara, flagrada anteontem, foram constatadas irregularidades em outras seis grifes. (O Globo)
Mais 6 marcas serão investigadas por trabalho irregular = Mais seis marcas de roupas serão investigadas pelo Ministério Público do Trabalho por uso de mão de obra em condições análogas à escravidão em confecções paulistas. De acordo com a procuradora Fabíola Zani, responsável pelo caso, durante a fiscalização que encontrou três oficinas com bolivianos em condições degragantes fazendo roupas para a marca Zara também foram encontradas etiquetas das grifes Ecko, Gregory, Billabong, Brooksfield, Cobra d'Água e Tyrol. A Gregory informou desconhecer o fato e que irá apurar como as etiquetas foram parar no local e que "tomará as devidas providências". A SRTE/SP (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de São Paulo) aplicou autos de infração trabalhistas à Zara que, somados, podem atingir R$ 1 milhão. (Folha de S. Paulo)

ENEM: TCU veta pagamento ao Cespe e exige explicações = O tribunal questiona a dispensa de licitação no contrato de R$ 372,4 milhões para a organização do Exame Nacional do Ensino Médio. Segundo análise do ministro responsável pelo caso, esse valor é três vezes maior que o pago no ano passado pelo Ministério da Educação e qualquer verba só deve ser liberada após o detalhamento dos recursos. (Correio Braziliense)
Inep quer mudar cálculo da nota das escolas no Enem = O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) apresentou ao MEC (Ministério da Educação) a proposta de mudar o cálculo que determina a nota das escolas no Enem, passando a considerar o número de alunos por instituição. A intenção é evitar a distorção que o atual método cria. Como o exame não é obrigatório, as escolas podem pedir que apenas os melhores alunos façam a prova, o que faz com que a instituição de ensino tenha uma média mais alta do que teria se todos os seus alunos fazem o Enem. Pelo novo cálculo, ainda não detalhado pelo Inep, a nota da escola seria proporcional ao número de alunos participantes, evitando que as escolas conseguissem inflar suas notas ao selecionar os melhores para fazer o exame. A proposta espera aprovação do ministro Fernando Haddad e, se aceita, passa a valer na divulgação dos resultados da edição deste ano. De acordo com a assessoria de imprensa do MEC, a pasta tem a preocupação de que "o Enem seja usado apenas para avaliar os alunos e que não seja usado de forma publicitária". (Folha de S. Paulo)

PF apreende cocaína em forma de gelatina na fronteira com a Colômbia = A Polícia Federal em Tabatinga (AM), na fronteira com a Colômbia, informou nesta quinta-feira (18) que apreendeu cerca de 5 kg de cocaína em uma mala de um espanhol de 60 anos, durante fiscalização no aeroporto da cidade. Ele foi preso por tráfico internacional de drogas. Segundo nota da PF, é a primeira vez que cocaína é encontrada nessa forma gelatinosa. A droga estava escondida dentro de um fundo falso da mala do espanhol. Por causa da gelatina, a cocaína ganhou forma de uma manta de um metro e meio de comprimento, o que permitiu que fosse dobrada dentro da mala. A polícia disse que descobriu a droga porque o espanhol mostrou nervosismo durante a abordagem no aeroporto. A polícia divulgou apenas as iniciais do homem: I.D.L. Em depoimento, segundo a PF, ele disse que estava no Brasil desde o dia 11 de agosto. Desembarcou em Fortaleza (CE), depois viajou de avião para Manaus e Tabatinga. Conforme o depoimento, em Tabatinga o homem atravessou a fronteira pela cidade vizinha Letícia, na Colômbia. Lá, encontrou-se com dois homens que lhe entregaram uma mala com a cocaína gelatinosa. O espanhol disse ainda que receberia pela cocaína, na Espanha, 8.000 euros (cerca de R$ 18.500) e o reembolso das despesas da viagem para o Brasil. (Folha de S. Paulo)

Lula anuncia que vai viajar o país para fazer campanha = Do alto de um palanque em um ginásio poliesportivo em Belo Horizonte, onde discursou para a militância petista, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na noite desta quinta-feira (18) que vai voltar a viajar o país por conta das eleições municipais. "Se preparem porque vai ter eleição no ano que vem, e eu vou começar a viajar o Brasil para fazer campanha. Eu apenas deixei a Presidência, mas não deixei a política, não deixei o meu partido e quero ainda contribuir, porque apenas começamos a mudar o Brasil, ainda falta muita coisa para fazer", disse. Lula acrescentou que quer também ajudar a presidente Dilma Rousseff "a cumprir cada compromisso que ela assumiu durante a campanha". O ex-presidente já tem viajado o país e o exterior para homenagens e também para fazer palestras. Depois que deixou o governo, em 1º de janeiro, viajou pela segunda vez a Minas. Na sexta-feira (19) ele vai a Araçuaí, no interior de Minas, para participar da formatura de uma turma de uma instituição de ensino federal. Foi uma promessa que ele fez quando era presidente. Sobre suas viagens para o exterior, ele disse que já fez 22 visitas a outros países e que fará mais 23 até novembro. (Folha de S. Paulo)

'Deputadômetro' gera reclamação de políticos em SC e sai do ar = Não durou um dia no ar o chamado "Deputadômetro", um ranking online com os nomes deputados estaduais catarinenses elaborado de acordo com a atuação na Assembleia Legislativa local. O sistema gerou críticas dos deputados, que o acusaram de ser "injusto" e "mal elaborado". O projeto foi elaborado pela Facisc (Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina). De acordo com a entidade, o sistema funciona acompanhando a atuação dos 40 deputados da Casa. No Deputadômetro, eles recebem pontos de acordo com a presença em comissões, o número de projetos apresentados e o cumprimento de promessas de campanha, por exemplo. Já outros fatores, como troca de partido, geram um "desconto" na pontuação geral. Após a atualização dos pontos, é gerado um ranking com os deputados "mais atuantes". Todas as informações utilizadas são públicas, afirmou a associação. (Folha de S. Paulo)

Procuradoria processa igreja e RedeTV! por ofensa a ateus = O Ministério Público Federal entrou com uma ação contra a RedeTV! e a Igreja Internacional da Graça de Deus sob acusação de terem ofendido os ateus. Na ação, a Procuradoria reclama de frase dita pelo pastor João Batista no programa "O Profeta da Nação", exibido no dia 10 de março. "Quem não acredita em Deus pode ir para bem longe de mim, porque a pessoa chega para esse lado, a pessoa que não acredita em Deus, ela é perigosa. Ela mata, rouba e destrói. O ser humano que não acredita em Deus atrapalha qualquer um", disse o pastor. Para o procurador Jefferson Aparecido Dias, as declarações ferem a Constituição, que prevê a liberdade de pensamento e de religião. Ele lembra ainda que, apesar de a maioria da população ser cristã, o Estado brasileiro é laico. O Ministério Público pede na Justiça que a emissora e a igreja exibam uma retratação durante o programa e uma explicação sobre a diversidade religiosa. As mensagens devem ter, no mínimo, o dobro do tempo da crítica do pastor. A Procuradoria também quer que o Ministério das Comunicações fiscalize o programa. A RedeTV! afirmou que não irá se manifestar porque o programa é uma produção independente de responsabilidade da igreja. A emissora ainda diz que não foi comunicada oficialmente da ação. A Igreja da Graça foi procurada pela reportagem, mas ainda não se pronunciou. (Folha de S. Paulo)

Acusado de participar de fraude do Ecad nega envolvimento = O administrador Rafael Barbur Côrtes, 27, um dos acusados de participar do esquema de fraude na arrecadação de direitos autorais que desviou quase R$ 130 mil no Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), negou hoje seu envolvimento, em depoimento a CPI do Ecad na Assembleia Legislativa do Rio. Côrtes, que trabalhou por quatro anos na União Brasileira de Compositores (UBC, uma das afiliadas do Ecad), foi indiciado pela Polícia Civil como um das pessoas que teriam usado o nome do motorista de ônibus Milton Coitinho classificando-o como um compositor brasileiro que morava no exterior para arrecadar pagamento de direitos devido a outros artistas, como Caetano Veloso. Em seu depoimento, ele disse que vinha denunciando a seus chefes na UBC problemas no registro de Coitinho como autor, como endereço não localizado e CPF falso. "Eu me manifestei em todo momento que pude, neguei-me a aceitar a inscrição, mas isso estava acima da minha responsabilidade e o grande interesse econômico falou mais alto", disse Côrtes. Ele confirmou, no entanto, que após Coitinho ter sido filiado à UBC como compositor residente no exterior (e suposto dono de composições que, na verdade, tinham outros autores), indicou sua cunhada, a estudante de direito Bárbara de Mello Moreira, para ser procuradora do falso autor no Brasil. Nessa função, ela recebeu em sua conta os valores relativos aos supostos direitos autorais de Coitinho, para que os repassasse a ele (em troca de uma comissão de 10%). (Folha de S. Paulo)

ECONOMIA
Voltam desconfiança e pessimismo = O mercado financeiro global viveu ontem mais um dia de grandes turbulências com o aumento da desconfiança em relação à solidez de bancos europeus. Na quarta-feira, o Banco Cen- tral Europeu revelou ter emprestado US$ 500 milhões para socorrer uma instituição financeira, o que não ocorria desde fevereiro. Ao mesmo tempo, o Federal Reserve pretende apertar a fiscalização sobre as filiais dos bancos europeus para saber como estão financiando suas operações nos Estados Unidos. A isso, somaram-se informações que indicam uma desaceleração da economia americana ainda mais acentuada do que se esperava. O índice de atividade industrial do Fed da Filadélfia caiu para -30,7 em agosto, nível só visto em períodos de recessão. (Valor Econômico)
Crise Mundial abre espaço para queda dos juros ainda neste ano =Desaceleração da economia brasileira cria oportunidades para que o Banco Central reveja sua política monetária, diz o Ipea = As turbulências na economia americana, os problemas enfrentados por nações da Zona Euro e a desaceleração da economia brasileira - que já chega ao consumo - criam oportunidades para que o Brasil inicie um processo de redução dos juros, na avaliação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplica (Ipea). Diante de novos sinais de desaceleração nos Estados Unidos, na Europa e na China e da revisão de grandes bancos para o PIB mundial, as bolsas e a cotação do petróleo voltaram a recuar ontem. Entre agentes do mercado financeiro, que antes previam a queda dos juros somente em 2012, agora ganha força a expectativa de cortes já a partir de outubro. Parcela dos analistas acredita em redução de 0,25 ponto percentual da taxa básica de juros, mas há quem aposte em 0,50 ponto. (Brasil Econômico)
Preocupação com Europa e EUA volta a derrubar bolsas = Ante sinais de fragilidade econômica, mercados têm forte queda e investidores correm para títulos americanos = A preocupação com a fraqueza da economia americana e com a capacidade de países europeus de honrar suas dívidas voltou a dominar o mercado financeiro global. Bolsas de valores do mundo todo encerraram a quinta-feira com pesadas perdas, investidores correram para a segurança dos títulos públicos americanos e o dólar se valorizou. A Bolsa de São Paulo caiu 3,52% e a moeda americana avançou 1,2% ante o real, fechando a R$1,602. Houve quedas acentuadas também em Nova York (3,68%), Londres (4,49%) e Frankfurt (5,82%). Para o economista Nouriel Roubini, que previu a turbulência internacional de 2008, o mundo deverá enfrentar uma dupla recessão. (O Estado de S. Paulo)
Bolsas têm novo dia de fortes quedas = Indicadores ruins sobre inflação e produção insdustrial nos EUA e previsões de crescimento menor para o mundo fizeram as bolsas desabarem. Na Europa, caíram mais de 5%. Em NY, o Dow Jones recuou 3,68%, e o Nasdaq, 5,22%. (O Globo)
Crise: Medo da quebra de bancos derruba mercados = Na Europa, as bolsas de valores de Milão (-6,15%) e de Frankfurt (-5,82%) sofreram as maiores perdas. Paris, Madri, Londres, Amsterdã, Zurique e Lisboa amargaram baixas superiores a 4%. No Brasil, a Bovespa despencou 3,52%. O temor de bancos europeus quebrarem se disseminou pelo mundo e foi agravado pelas perspectivas de nova recessão liderada pelos EUA. (Correio Braziliense)
Bovespa fecha em queda de 3,52% com temor sobre recessão global = O medo de uma nova recessão global voltou a tomar conta dos investidores nesta quinta-feira, puxando as Bolsas de Valores ao redor do mundo para baixo. O Ibovespa, o termômetro dos negócios da Bolsa paulista, caiu 3,52%, atingindo os 53.134 pontos. O giro financeiro foi de R$ 6,93 bilhões. O dólar comercial foi negociado por R$ 1,599, na venda, em alta de 0,88%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones teve baixa de 3,68%. O Nasdaq, dominado pelo setor tecnológico, caiu 5,21%, enquanto o índice ampliado Standard & Poor's 500 registrou desvalorização de 4,45%. (Folha de S. Paulo)

`Brincs se descolam dos ricos' = Para Jim O'Neill, presidente do Goldman Sanchs Asset Management, a queda do preço das commodities com a crise pode aliviar a inflação nos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). "Esses países vão poder tirar o foco da política monetária", disse a Fernando Dantas. (O Estado de S. Paulo)

Aperto fiscal será menor em 2012 = O governo considera que a inflação, que ocupou sua atenção diária por oito meses, está sob controle e vislumbra a possibilidade de, em 2012, ter mais flexibilidade para gastar. Agora, a presidente Dilma Rousseff inaugura "outra fase", a da interlocução com o mundo político, que a levará a atender a demanda por aumento do gasto público. Diferentemente deste ano, quando o governo se comprometeu com a execução da meta integral de superávit primário - sem descontar os investimentos do PAC -, para o próximo a ideia é abater da meta pelo menos uma parte dos R$ 40,6 bilhões do programa, informou um ministro ao Valor. Isso significaria reduzir o su- perávit primário da União de R$ 96,97 bilhões, conforme previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias, para até R$ 56,37 bilhões. Cifra muito inferior aos R$ 81,76 bilhões assegurados neste ano. (Valor Econômico)

Empresários se unem sobre aviso-prévio = O governo considera que a inflação, que ocupou sua atenção diária por oito meses, está sob controle e vislumbra a possibilidade de, em 2012, ter mais flexibilidade para gastar. Agora, a presidente Dilma Rousseff inaugura "outra fase", a da interlocução com o mundo político, que a levará a atender a demanda por aumento do gasto público. Diferentemente deste ano, quando o governo se comprometeu com a execução da meta integral de superávit primário - sem descontar os investimentos do PAC -, para o próximo a ideia é abater da meta pelo menos uma parte dos R$ 40,6 bilhões do programa, informou um ministro ao Valor. Isso significaria reduzir o su- perávit primário da União de R$ 96,97 bilhões, conforme previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias, para até R$ 56,37 bilhões. Cifra muito inferior aos R$ 81,76 bilhões assegurados neste ano. (Valor Econômico)

Vale estuda criar mais uma empresa de logística = A Vale estuda a criação de uma nova empresa de logística para abrigar ativos e contratos que envolvem o transporte de carga geral (ou seja, outras mercadorias que não minério de ferro). O projeto em discussão prevê a abertura de capital dessa nova empresa no Novo Mercado da BM&F Bovespa até 2012. A Vale deverá ter uma participação em torno de 30% na futura Vale Logística SA, como vem sendo chamada, dependendo do apetite do mercado por ocasião da emissão de ações. No primeiro semestre deste ano, o faturamento da mineradora com serviços de logística foi de R$ 1,6 bilhão, dos quais R$ 1,3 bilhão com carga geral. O perfil de negócio da Vale Logística será bem diferente da Log-In Logística Intermodal, empresa de capital aberto com participação de 31,31% da Vale e focada no transporte de carga em contêineres na costa brasileira, a chamada navegação de cabotagem. Paralelamente ao novo projeto, a Vale vem analisando a venda de sua participação na Log-In. (Valor Econômico)

Crédito de PIS e Cofins é tributado = Numa discussão que afeta diretamente a agroindústria exportadora brasileira, a 2ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) entendeu que são devidos Imposto de Renda e CSLL sobre créditos acumulados de PIS e Cofins. A decisão foi dada ontem durante análise de um recurso da Doux Frangosul, do Rio Grande do Sul, que discutia especificamente a tributação de créditos presumidos, resultantes da compra de insumos agrícolas. A empresa argumenta que esses créditos não podem ser compensados nem ressarcidos, portanto, não deveriam ser tributados. As exportadoras do setor agroindustrial estimam ter acumulados R$ 3 bilhões em créditos "podres" de PIS e Cofins, que não conseguem aproveitar em suas operações, mas que permanecem registrados como ativos na contabilidade, inflando o valor do IR e da CSLL. O setor defende mudanças legais que permitam a reversão desses créditos em dinheiro. O presidente da União Brasileira de Avicultura, Francisco Turra, diz que as exportadoras de aves e suínos levarão uma proposta ao governo pedindo a devolução dos créditos. "Hoje, as restrições são tantas que inviabilizam o aproveitamento desses créditos", afirma. (Valor Econômico)

Nova publicidade brasileira adota discurso da eficiência = A capa desta edição do "Eu& Fim de Semana" tem a assinatura de Francesc Petit, a letra "P" da DPZ, vendida em julho para o conglomerado francês Publicis Groupe - e responsável por alguns dos melhores capítulos da publicidade brasileira. Provocativa, a peça sinaliza os novos rumos da profissão: antes ambiente fértil para o brilho de criativos "pop stars", a propaganda nacional hoje valoriza vantagens tecnológicas, adota o discurso da eficiência e torna-se um negócio globalizado. "A frase de Tom Jobim 'o Brasil é para profissionais' nunca foi tão pertinente, só que agora também no bom sentido", diz Nizan Guanaes, fundador e "chairman" do grupo ABC. (Valor Econômico)

Governo baixa previsão para o PIB = O governo deve reduzir sua estimativa de crescimento da economia para este ano, de 4,5% para cerca de 4%. A área econômica acredita que o BC pode iniciar ainda em 2011 o ciclo de redução dos juros. (Valor Econômico)

Basf terá fábrica de ácido acrílico = A Basf anuncia hoje que vai investir cerca de R$ 1 bilhão em uma fábrica de ácido acrílico no Brasil. A unidade será erguida em Camaçari (BA). Atualmente, o Brasil é importador do insumo, com larga utilização na indústria de bens de consumo não durável. (Valor Econômico)

Nextel entra na briga com as grandes teles = A oferta de serviços de terceira geração de telefonia celular vai triplicar a base de clientes da companhia, hoje em 3,7 milhões e já movimenta o mercado. "Ainda não chegamos e a competitividade já aumentou", afirma Sergio Chaia, presidente da empresa. (Brasil Econômico)

INTERNACIONAIS
Em gesto conciliador, EUA oferecem US$ 900 mil em ajuda à Coreia do Norte = A Coreia do Norte receberá US$ 900 mil dos Estados Unidos em ajuda humanitária por conta das inundações registradas no país, um gesto conciliador realizado um mês depois que as duas nações mantiveram encontros de alto nível. O Departamento de Estado americano anunciou nesta sexta-feira que, em resposta às necessidades humanitárias da Coreia do Norte, fornecerá ao regime de Kim Jong il material de socorro através de ONGs americanas. Segundo funcionários do governo americano, a ajuda não incluirá alimentos, mas material para as casas, lonas e barracas, entre outros artigos que não foram detalhados. A Coreia do Sul minimizou a importância simbólica do anúncio, considerando que não se trata de um gesto excepcional, visto que no ano passado os EUA enviaram uma ajuda similar para as inundações no valor de US$ 600 mil. Além disso, em julho a Cruz Vermelha sul-coreana se comprometeu a doar US$ 4,7 milhões para ajudar a Coreia do Norte a combater os efeitos das chuvas torrenciais, que destruíram milhares de casas e plantações. (Folha de S. Paulo)

ONU teme que população deslocada da Líbia vire mercenária = O chefe do Unoca (escritório da ONU para a África Central, na sigla em ingês), Abou Moussa, alertou nesta quinta-feira que o conflito na Líbia está tendo consequências "adversas" na região. Moussa mencionou o risco concreto de que as populações deslocadas que estão regressando aos seus países de origem acabem sendo recrutadas como mercenários. O diplomata, em uma videoconferência com o Conselho de Segurança direto do Gabão, disse que, dos 500 mil chadianos que vivem na Líbia, quase 80 mil voltaram ao Chade desde o final e julho. "Não é impensável que alguns daqueles que retornaram, especialmente aqueles que participaram das operações militares na Líbia, possam ser recrutados como mercenários ou soldados por grupos armados da região", afirmou o chefe do Unoca. (Folha de S. Paulo)

Atentados em Israel mostram fronteira vulnerável com Egito = Uma série de ataques contra civis e militares perto do balneário da Eliat abalou a sensação de segurança na fronteira do Egito, pela primeira vez após a queda do ditador Mubarak. Oito israelenses morreram e o governo revidou, matando sete palestinos em Gaza. (O Globo)

Israel bombardeia Gaza durante a madrugada; um adolescente morreu = Ao menos duas explosões ocorreram na cidade de Gaza na madrugada desta sexta-feira, no horário local, deixando um adolescente morto e pelo menos 10 feridos, segundo fontes médicas. Funcionários de segurança do território palestino atribuem as explosões a ataques aéreos de Israel. Uma casa e um complexo de segurança foram atingidos. Segundo a Reuters, o complexo de segurança pertencia ao Hamas --movimento islâmico palestino. Mais cedo, um bombardeio aéreo israelense matou o chefe e ao menos outros quatro membros dos Comitês de Resistência Popular, facção palestina, na faixa de Gaza, de acordo com o grupo e fontes médicas palestinas. A ação ocorreu horas depois de Israel ter acusado militantes do território pela série de ataques. O Exército de Israel não confirmou os bombardeios da madrugada. No entanto, segundo a France Presse, um porta-voz militar israelense não desmentiu nem confirmou os ataques. (Folha de S. Paulo)

Sobe para 8 o número de mortos em ataque ao British Council de Cabul = Subiu para oito o número de mortos nesta sexta-feira após um ataque suicida taleban contra a sede do British Council em Cabul, informaram fontes da polícia local. O prédio da agência internacional britânica especializada em educação e cultura foi atingido por duas violentas explosões às 05h45 locais. Por volta das 7h30 (0h30 de Brasília), o local ainda era palco de disparos quando ocorreu uma terceira detonação. Segundo o chefe da Brigada Criminal de Cabul, Mohammad Zahir, o ataque foi perpetrado por três insurgentes. O prédio do British Council está localizado no bairro de Karte Parwan, próximo a uma das sedes da missão das Nações Unidas no Afeganistão, do instituto Nadiria e das casas de políticos como o vice-presidente Mohammed Fahim. Veículos das tropas internacionais desdobradas no Afeganistão se deslocaram ao local do ataque, apesar da responsabilidade pela segurança ter sido transferida às forças afegãs em julho. (Folha de S. Paulo)

Terremoto de 6,8 graus atinge Fukushima com alerta de tsunami = Tremor ocorreu a cerca de 20 quilômetros de profundidade; central nuclear não foi afetada = Um terremoto de 6,8 graus na escala Richter foi registrado nesta sexta-feira, 19, no mar em frente à costa de Fukushima, no Japão, e foi ativado um alerta de tsunami de 50 cm para esta província e a de Miyagi, com uma previsão de ondas de meio metro. A advertência foi feita para áreas na costa que sofreram danos severos de um grande terremoto e tsunami em março. O tremor ocorreu às 14h36 do horário local (2h36 de Brasília), com epicentro no mar e a cerca de 20 quilômetros de profundidade, segundo a agência meteorológica japonesa. A Companhia Elétrica de Tóquio diz que não foram encontradas anormalidades nos postos de monitoramento de radiação na usina desativada de Fukushima Daiichi e as operações de resfriamento dos reatores danificados continuam. (O Estado de S. Paulo)

CURIOSIDADES
= A série de reportagens sobre a guerra contra o narcotráfico, do "Jornal Nacional"
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos