Atualidades - 25/10/2011


RESUMO DOS JORNAIS
O Globo: Delator articula com 7 ONGs novas denúncias no Esporte
Folha de S. Paulo: Ministro ajudou ONG de delator acusado de fraude
O Estado de S. Paulo: Centro olímpico que Esporte prometeu para 2007 não existe
Correio Braziliense: Puxadinho da Câmara custará R$ 270 milhões
Valor Econômico: Selic deve indexar a poupança
Estado de Minas: Sem educação para dirigir








25 de outubro de 2011
O Globo

Manchete: Delator articula com 7 ONGs novas denúncias no Esporte
João Dias entrega à PF gravações de conversas com servidores da pasta

Em novo depoimento à Polícia Federal, o policial militar João Dias Ferreira disse que já entrou em contato com sete organizações não governamentais (ONGs) que, segundo ele, também denunciarão o esquema de cobrança de propina no Ministério do Esporte. João Dias, ele próprio investigado por desviar recursos destinados às suas duas ONGs, disse que outros dirigentes de entidades que firmaram convênios com o ministério deverão procurar a Polícia Federal. "Ao todo, vinte donos de ONGs vão lá entregar tudo", afirmou. Ontem, João Dias entregou aos policiais 14 áudios de conversas que teve com dirigentes do ministério, além de um outro envolvido acusado de arrecadar dinheiro para o PCdoB. Já o Ministério do Esporte anunciou que abriu sindicância para investigar a denúncia de que dois servidores da pasta, Fábio Hansen e Charles Rocha, orientaram João Dias a burlar a fiscalização em suas entidades, acusadas de desviar R$ 3,2 milhões. Essas conversas fazem parte das gravações feitas pelo denunciante e divulgadas no fim de semana. A oposição apresentou ontem no Congresso convite para que Hansen e Rocha sejam convidados a depor na Câmara dos Deputados e no Senado. Em Manaus, onde inaugurou ponte ao lado do ex-presidente Lula, a presidente Dilma demonstrou preocupação com o ministro Orlando Silva e disse, segundo relatos, que ele não resistiria a uma nova denúncia. (Págs. 1, 3 e editorial "Dilma volta à encruzilhada ética")

A cervejinha dos PMs
A Corregedoria da PM abriu inquérito para chegar aos responsáveis pelas 2.600 latas de cerveja que foram levadas para o Batalhão' Especial Prisional (BEP), onde estão 276 PMs presos, em Benfica. O oficial de dia foi preso. O Secretário de Segurança diz que os envolvidos serão demitidos. (Págs. 1 e 14)
Reeleição de Cristina gera temor de reforma política
A vitória avassaladora da presidente argentina poderia abrir caminho para que Cristina Kirchner avance com projetos polêmicos, entre eles uma reforma constitucional que incluiria a possibilidade de reeleição indefinida, negada por ela na campanha. Com o controle do Congresso, poderia também, para ficar no poder, implementar até um sistema parlamentarista. (Págs. 1 e 31)
União quer nova licitação para Ponte
Com o objetivo de acelerar uma ligação da Ponte com a Linha Vermelha, no Rio, e a construção de um mergulhão em Niterói, o governo federal estuda antecipar a nova licitação para a concessão da Ponte Rio-Niterói. O atual contrato, com a CCR, vence em 2015 e não prevê aquelas obras, consideradas prioritárias. (Págs. 1 e 17)
Ricas em biodiversidade e cruciais para abastecimento de água, florestas alagadas do Brasil estão sem proteção (Págs. 1 e Planeta Terra)

Relator do Código Florestal revê anistia para desmatador (Págs. 1 e 9)

Líbia cede e investiga morte de Kadafi
Sob pressão, o governo da Líbia abriu uma investigação sobre a morte de Muamar Kadafi. A Human Rights Watch encontrou corpos de aliados do ditador com sinais de execução. Na Tunísia, islâmicos moderados ganharam a eleição. (Págs. 1 e 32)
WikiLeaks silencia por falta de verba
Famoso por vazar segredos da diplomacia, o WikiLeaks está em "asfixia financeira" e suspendeu, por tempo indeterminado, a divulgação de documentos. Operadoras de cartões impuseram o bloqueio de doações. (Págs. 1, 33 e Pedro Doria)

Turismo de crise
Com o agravamento da crise europeia, pacotes de viagens para Portugal, Itália, Grécia e Espanha estão 15% mais baratos, em relação ao ano passado. Em alguns hotéis, a queda chega a 20%. Operadoras de turismo europeias baixaram os preços de serviços para atrair brasileiros. (Págs. 1 e 23)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete: Ministro ajudou ONG de delator acusado de fraude
De próprio punho, Orlando Silva reduziu contrapartida que João Dias Ferreira, já investigado, deveria bancar

O ministro Orlando Silva (Esporte) autorizou de próprio punho medida que beneficiou ONG do policial João Dias Ferreira, delator de supostas fraudes na pasta. Documento assinado por Orlando em 2006 reduziu a contrapartida exigida da entidade para receber verbas.

O policial obteve o convênio mesmo com as irregularidades detectadas pelo próprio ministério em outra ONG comandada por ele, relatam Filipe Coutinho e Fernando Mello. Hoje, o policial acusa Orlando de desviar recursos no Ministério do Esporte. (Págs. 1 e Poder A4)

Foto Legenda: Cadela nacional

O delator João Dias Ferreira dá entrevista depois de prestar o segundo depoimento em menos de uma semana na PF; ele disse que o ministro Orlando Silva não aparece nos áudios das reuniões na pasta. (Págs. 1 e Poder A6)
Dilma recebe hoje FHC no Alvorada para um jantar (Págs. 1 e Poder A7)

Corpo de Gaddafi será sepultado em local secreto
Para evitar a peregrinação de admiradores, o corpo do ditador líbio Muammar Gaddafi deve ser sepultado hoje pelos rebeldes em local secreto no deserto.

A ONG Human Rights Watch disse ter achado 53 corpos - alguns com as mãos amarradas - num hotel abandonado em Sirte e acredita que sejam de pessoas leais ao ditador. (Págs. 1 e Mundo A14)
Reeleita, Cristina consegue maioria no Legislativo (Págs. 1 e Mundo A12)

Foto Legenda: Ocupe o Anhangabaú
Jovem exibe cartaz durante a formatura de policiais no Vale do Anhangabaú (SP); Inspiradas no 'Ocupe Wall Street', 150 pessoas acampam no local. (Págs. 1 e Mundo A16)
Fifa diz aceitar meia-entrada só para idosos na Copa - 2014
Responsável da Fifa para a Copa-2014, o secretário-geral Jérôme Valcke disse em entrevista a Rodrigo Mattos que a entidade aceitara a meia-entrada para idosos no Mundial, mas não para estudantes.

O dirigente promete, no entanto, ingresso especial para brasileiros de menor poder aquisitivo, como na África do Sul. (Págs. 1 e Esporte D2)
Ibama multa em R$ 6 mi importadora de lixo hospitalar
O Ibama aplicou multa de R$ 6 milhões por danos ambientais à empresa Império do Forro de Bolso, que importou lixo hospitalar dos EUA.

A operadora que levou a carga de lençóis e fronhas com inscrições de hospitais até o porto de Suape (PE) foi autuada em R$ 2 milhões.

O dono da importadora não foi localizado. (Págs. 1 e Cotidiano C9)
2.600 cervejas são achadas em prisão militar
Uma carga de 2.600 latas de cerveja foi apreendida no Batalhão Especial Prisional da PM em Benfica, no Rio, onde há 300 policiais militares presos. "Eles terão de fazer festa com água agora", disse o corregedor-geral da corporação. (Págs. 1 e Cotidiano C5)
Pesquisa relativiza mamografia para diagnóstico precoce
Estudo feito na Universidade Dartmouth, nos EUA, reforça polêmica levantada em pesquisas recentes e mostra que a mamografia salvou a vida de apenas 10% das mulheres sem sintoma que tiveram o tumor detectado pelo exame. (Págs. 1 e Saúde C12)

Editoriais
Leia "Imprevidência", sobre a demora do governo para aperfeiçoar o sistema de aposentadorias, e "Roteiro calamitoso", acerca de obras em áreas de risco. (Págs. 1 e Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Centro olímpico que Esporte prometeu para 2007 não existe
Obra que Orlando anunciou para capacitar o País para os Jogos só recomeçou há dois meses, com três operários

A obra de um centro de treinamento de alto nível para atletas olímpicos em Campos do Jordão (SP) - que, segundo o Ministério do Esporte, seria entregue em 2007 - ficou parada desde aquele ano e só foi retomada há dois meses. Apenas três operários trabalham no local, onde pastam cavalos e se criam cabritos. A obra foi financiada com recursos do governo federal, por meio de convênio assinado em 2006 pelo ministro Orlando Silva - que, na ocasião, disse que era uma forma de “capacitar o País" visando a sediar a Olimpíada em 2016. O empreendimento já consumiu R$ 800 mil, informou a prefeitura. Segundo o Portal da Transparência, o ministério já liberou R$ 1,37 milhão do convênio, mas a prefeitura disse que recebeu R$ 1,3 milhão, em contrapartida a um aporte municipal de R$ 1,4 milhão. Até o fechamento desta edição, o ministério não comentou o caso. (Págs. 1 e Nacional A4)

ONGs vão confirmar denúncias, diz PM

O policial militar João Dias disse ontem à Polícia Federal que 20 ONGs estão dispostas a delatar o esquema de arrecadação de propina que a PC do B teria montado no Ministério do Esporte. Ele entregou documentos e áudios que comprovariam os desvios. (Págs. 1 e Nacional A8)
Foto-legenda: Conversa entre caciques 
A convite de Dilma, Lula participou ontem da inauguração da Ponte do Rio Negro: em conversa reservada durante a viagem até Manaus, o ex-presidente disse à sucessora não estar mais convicto da inocência do ministro Orlando Silva. (Págs. 1 e Nacional A4)
Vitória ampla dá início ao ‘cristinismo’ na Argentina
A presidente argentina, Cristina Kirchner, foi reeleita com mais de 50% dos votos e obteve maioria no Congresso. Para analistas, com esse desempenho encerra-se o “kirchnerismo", vertente peronista de Nestor Kirchner, e começa o “cristinismo", No Parlamento, Cristina quer uma base de lealdade inquestionável. (Págs. 1 e Internacional A13 e A14)

Júlio Blank
Colunista político do ‘Clarín’

"(O cristinismo) é uma tribo heterogênea, bem azeitada com o talão de cheques estatal". (Pág. 1)
Mortos chegam a 280 em terremoto na Turquia
Mais de 2 mil homens de equipes de resgate, com a ajuda de cães farejadores, trabalhavam ontem para retirar sobreviventes dos destroços e atender os feridos do terremoto de 7,2 graus que atingiu o leste da Turquia no domingo. A contagem no início da noite de ontem era de 280 mortos, mas o número pode chegar a mil. (Págs. 1 e Internacional A17)

Ibama pede devolução de lixo hospitalar aos EUA (Págs. 1 e Vida Al9)

Telecomunicações têm novo ciclo de concorrência (Págs. 1 e Economia B1)

Dilma quer mais 50 anos de Zona Franca de Manaus (Págs. 1 e Economia B4)

Sem verba
WikiLeaks suspenderá atividades, diz Julian Assange (Págs. 1 e Internacional A15)
Dora Kramer
As piores razões

Orlando Silva não ficou no Ministério do Esporte por suas qualidades, mas pelos defeitos de um sistema torto e viciado. (Págs. 1 e Nacional A8)
Rubens Barbosa
Cá e lá corruptos há

A reação da sociedade vem forçando o governo da Índia a tomar medidas concretas contra os corruptos. Enquanto isso, o que vemos no Brasil? (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)
José Paulo Kupfer
Caminho pedregoso

Assim como perdem aceleração os indicadores da trajetória da economia, caem, pouco a pouco, as dúvidas sobre a reversão do crescimento. (Págs. 1 e Economia B4)

Notas & Informações
A viúva nas nuvens

Cristina Kirchner tornou-se a mais popular dirigente de seu país desde Juan Domingo Perón. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Puxadinho da Câmara custará R$ 270 milhões
Os deputados federais decidiram ampliar o Anexo 4 da Câmara. Já abriram até concorrência para escolher a empresa que tocará a obra, orçada inicialmente em R$ 270 milhões. O puxadinho abrigará parlamentares que hoje despacham no Anexo 3. Geralmente, eles trabalham apenas três dias por semana em Brasília. Apesar disso, reclamam: os gabinetes do setor, de 33 metros quadrados, seriam pequenos para o volume das atividades que desempenham. Com a construção, a nova estrutura do Congresso terá cinco pavimentos - dois serão garagens - e um terraço. Além dessa construção, eles decidiram reformar apartamentos funcionais da Casa. Somadas, as obras custarão R$ 314,7 milhões ao bolso dos brasileiros que suam a camisa cinco meses por mês só para pagar impostos. (Págs. 1 e 6)
Foto legenda: Pajelança para um ministro em apuros
Lula e Dilma se encontraram ontem para inaugurar a ponte de R$ 1 bilhão sobre o Rio Negro, ligando Manaus à vizinha Iranduba. Foi a primeira vez em que ficaram frente a frente desde a sexta-feira, quando ele manobrou para evitar a demissão de Orlando Silva. Policial entregou à PF 13 gravações com supostas provas de corrupção no Ministério do Esporte. (Págs. 1, 2 e 3)
Perigo: Defesa Civil fica em prédio onde teto ameaça cair
As rachaduras estão por toda parte, e vigas de ferro tentam impedir que desabe o teto do 9º andar do Ministério da Integração Nacional. No 6º andar do prédio, na Esplanada, funciona nada menos que a Secretaria Nacional de Defesa Civil. (Págs. 1 e 29)
Planos de saúde: Dívidas podem acabar com a Unimed Brasília
Para evitar que os clientes fiquem sem atendimento médico, a ANS determinou a transferência dos 18 mil segurados para outras operadoras. A direção da empresa diz ser vítima de uma decisão arbitrária. (Págs. 1, 10 e 11)
Carro novo: Sem IPI maior, cresce a procura por importado
Revendas dizem que o movimento cresceu 30% após o STF proibir a aplicação imediata do reajuste no imposto. Montadoras ainda não definiram as regras para ressarcir quem pagou a mais pelos veículos. (Págs. 1 e 12)
Farra dos ingressos
Patrocínio dos Correios ao Rock in Rio foi reajustado durante o festival. Servidores da estatal também receberam convites. (Págs. 1 e 5)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Selic deve indexar a poupança
O governo retomou a discussão sobre a mudança no rendimento da caderneta de poupança e pretende encaminhar um projeto de lei com as novas regras ao Congresso Nacional no primeiro trimestre de 2012, quando espera que a taxa básica de juros (Selic) já esteja na casa dos 10% ao ano. A proposta mais factível é a substituição dos juros fixos de 0,5% ao mês (6,16% ao ano) por um redutor de 20% da Selic mais a Taxa Referencial (TR), que não será extinta. A isenção do Imposto de Renda (IR) sobre as aplicações também permanece.

Em 2009, o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a discutir alterações nas normas de indexação da caderneta, que naquele momento, com a taxa Selic em queda, ameaçava retirar a atratividade dos fundos de investimentos e dos títulos públicos. A rentabilidade competitiva da poupança funcionava como um piso para a redução dos juros. (Págs. 1 e C5)
INB descobre mais urânio em Caetité
A estatal Indústrias Nucleares do Brasil (INB) descobriu no interior da Bahia indícios de urânio com o dobro de concentração do extraído da única mina ativa no país. A área fica na região de Caetité (BA), onde a INB já explora o minério. Embora os dados sejam preliminares, técnicos da estatal acreditam que a reserva de Caetité dobrará de tamanho com as novas descobertas. "No Brasil, nunca identificamos uma região tão rica quanto essa", disse ao Valor o diretor de recursos minerais da INB, Otto Bittencourt. Se confirmada, a reserva poderá produzir o combustível para Angra 3 e também para as quatro a oito novas usinas que o governo pretende construir até 2030. (Págs. 1 e B11)

Foto Legenda: A arma do crédito
Para conquistar pequenas e médias empresas, a Totvs, gigante nacional do software, fechou acordo com um banco brasileiro para oferecer crédito na compra de seus produtos. Rodrigo Caserta, vice-presidente, não revela o banco, mas diz que o juro será de 1% ao mês. (Págs. 1 e B2)
Cristina pode tomar medidas econômicas antes da posse
Reeleita presidente da Argentina, Cristina Kirchner pode ser obrigada a adotar medidas econômicas antes de anunciar o novo gabinete, que toma posse em 10 de dezembro. Ontem, 24 horas depois da ampla vitória eleitoral, o Banco Central argentino teve de gastar mais US$ 150 milhões para manter o câmbio estável, em 4,26 pesos por dólar.

A permanência da pressão cambial pode fazer a balança do poder pender para o vice-presidente eleito, Amado Boudou. O meio empresarial argentino, que mantém frequente interlocução com Boudou, ex-ministro da Economia, é a favor de um afrouxamento da política cambial, subida gradual das taxas de juros interbancários, hoje negativas em termos reais, e de corte de despesas públicas, sobretudo nos subsídios à energia e transporte. Caso a escolha recaia em nomes distantes de Boudou, o que se espera é o "aprofundamento do modelo" - e não se descarta a fixação de taxas múltiplas de câmbio, aumento da carga tributária e intensificação das políticas protecionistas. (Págs. 1 e A9)

Governista, o PSD de Kassab terá mais prefeitos que o PT
O prazo de filiação para quem quiser disputar a eleição de 2012 termina amanhã sem que se saiba ainda se o PSD ultrapassará o PSDB como a terceira maior bancada na Câmara dos Deputados. O que já se sabe é que a nova legenda, liderada pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, já ultrapassou o PT em número de prefeitos. Vai assumir o governo de cerca de 700 cidades, enquanto o PT administra 560.

Levantamento feito pelo Valor nas 27 unidades da Federação mostra que entre os maiores perdedores estão PSDB, PP, PR, PPS, PMDB e principalmente o DEM. Em Santa Catarina, todos os 42 prefeitos do partido rumaram com o governador e correligionário Raimundo Colombo para a nova sigla. Em três Estados - Mato Grosso, Amazonas e Ceará - o partido já tem cerca de um terço dos prefeitos. (Págs. 1 e A12)

Petrobras vai produzir mais estireno
A Petrobras vai investir cerca de US$ 250 milhões para dobrar a capacidade de sua fábrica de estireno - usado na produção de plástico para a indústria de linha branca e produtoras de copos descartáveis. O projeto deverá tornar o país autossuficiente na produção da matéria-prima, disse ao Valor o diretor de abastecimento da empresa, Paulo Roberto da Costa.

Com capacidade atual de 250 mil toneladas por ano, o projeto de duplicação da Innova para 500 mil toneladas depende de um acerto entre a estatal e a Braskem, que deverá fornecer benzeno, insumo químico para a produção do estireno. "Devemos fechar acordo com a Braskem até o fim do ano. O projeto de duplicação será tocado em seguida." (Págs. 1 e B12)
Vale do Silício espera fim da quarentena para ações da LinkedIn (Págs. 1 e B7)

Ao lado de Lula, Dilma anuncia mais 50 anos de incentivos a Manaus (Págs. 1 e A3)

Data-base antecipada
Pela primeira vez, pilotos, aeronautas e aeroviários entregaram sua pauta de reivindicações ao sindicato das empresas aéreas com um mês de antecedência. O objetivo é evitar um impasse e paralisações durante as festas de fim de ano. (Págs. 1 e B4)

Negócios a toda prova
Multiplicação das corridas de rua nas principais cidades do país, principalmente em São Paulo - a cidade vai encerrar o ano com 135 provas -, alavanca as vendas de produtos esportivos. As vendas de tênis específicos da Asics, por exemplo, crescem 40% ao ano. (Págs. 1 e B6)
Batalha do Madeira
Na disputa pela expansão das usinas do Madeira, a Energia Sustentável do Brasil (Jirau) denuncia ao Ibama que a ampliação do reservatório de Santo Antônio implicará impactos ambientais não previstos. (Págs. 1 e B10)
HRT busca alternativas no AM
Em busca de saídas para o escoamento de seu campo de gás no Amazonas, a HRT negocia com geradoras de energia o suprimento a uma usina termelétrica próxima de suas operações, na Bacia do rio Solimões. (Págs. 1 e B12)
Cade de olho no cimento
O Cade pediu informações à Camargo Corrêa e à Votorantim sobre eventual aumento de participações na Cimpor. O órgão teme que as aquisições tenham o objetivo de barrar a entrada da CSN no setor. (Págs. 1 e B13)

Epagri lança arroz "colorido"
A Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina lançará duas novas cultivares de arroz, vermelho e preto. Produtos de nicho, podem garantir renda até quatro vezes maior ao produtor. (Págs. 1 e B15)

Expansão da Camera
A Camera Agricultura, Alimentos e Energia amplia seu parque produtivo com a aquisição de uma usina de biodiesel e de uma fábrica de óleo e farelo de soja que pertenciam à Vanguarda Agro (ex-Brasil Ecodiesel). (Págs. 1 e B16)
Ideias
Delfim Netto

A mensagem duradoura das 'expectativas racionais' é que uma hipótese de futuro é indispensável para entender o presente. (Págs. 1 e A2)
Ideias
Roberto Guareschi

Se os únicos limites de Cristina Kirchner forem os seus próprios, a Argentina não resistirá bem à tempestade que se aproxima. (Págs. 1 e A11)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Sem educação para dirigir
Falta de civilidade dos motoristas faz do trânsito um triste espetáculo de abusos

Não importa a região da capital nem a classe social de quem dirige. O Estado de Minas percorreu bairros nobres, de classe média e da periferia e constatou flagrantes de desrespeito por toda parte. Para especialistas, o reforço de campanhas educativas junto a quem está prestes a tirar carteira é um caminho para diminuir o show de infrações que gerou, de janeiro a setembro, mais de 2 milhões de autuações e suspensão de 2,4 mil habilitações no estado. Atualmente, apenas 11,5% da arrecadação com multas em BH são gastos com segurança e educação. A BHTrans promete intensificar os investimentos. (Págs. 1, 19 e 20)
Sem endereço para morar
Justiça dá 24 horas para construtora iniciar obras de emergência no Buritis

Moradores de dois edifícios em risco de desabamento tiveram ontem permissão da Defesa Civil para retirar os móveis dos apartamentos. A 16ª Vara Cível de Belo Horizonte decidiu que a empresa responsável pela construção do Vale dos Buritis, um dos interditados no fim de semana, tem um dia para começar obras de reestruturação. As ruas próximas às edificações e ao barranco nos fundos das construções, que deslizou três vezes na madrugada, foram interditadas pela BHTrans para evitar acidentes. Vizinhos temem que um desmoronamento atinja suas casas. (Págs. 1 e 21)
Copa 2014: Brecha na lei libera prédios na Pampulha
Três espigões com cerca de 15 andares receberam aval da PBH e estão em construção, respaldados por lacunas em legislação aprovada pelos vereadores. Flexibilização de obras para a Copa será votada hoje na Câmara. (Págs. 1, 7 e Editorial, 8)
Foto Legenda: Caciques
De cocar, presidente e ex inauguram ponte em Manaus e conversam sobre a crise no Ministério do Esporte. (Págs. 1 e 3)
Política: Correios na farra do rock
Correios aumentaram o patrocínio do Rock in Rio de R$ 1,75 milhão para R$ 2,2 milhões, já durante o festival, para distribuir ingressos aos funcionários. (Págs. 1 e 4)
Corrida atrás da vacina
Assustada com o surto de meningite em Ouro Branco, população fez longas filas para conseguir tomar o medicamento. (Págs. 1 e 27)
Protesto: Dentistas de planos e médicos do SUS param (Págs. 1, 13 e 27)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Dia sem médicos no SUS
Profissionais do Estado seguem paralisação nacional de 24 horas, que tenta chamar a atenção da população para os problemas da saúde pública. Vão funcionar apenas as emergências e serviços como hemoterapia, quimioterapia e hemodiálise. (Págs. 1 e Cidades 1)
Pivô do escândalo do lixo multada
Empresa que usou resíduo hospitalar dos EUA, no Agreste, foi multada em R$ 6 milhões pelo Ibama. Transportadora também foi punida. Produtos com marcas de hospitais locais foram achados no lixão de Toritama. (Págs. 1 e Economia 1 a 3)
Política: Prova de policial não atinge ministro (Págs. 1 e 6)

Feras criticam o tamanho das questões do Enem (Págs. 1 e Cidades 2)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Fifa tenta regular diária de hotéis para a Copa
Rede hoteleira gaúcha credenciada ao Mundial, com 120 unidades na Capital e na Serra, deverá adequar suas tarifas aos valores recomendados pela entidade. (Págs. 1 e 16)
Caminho livre: Cristina Kirchner elege maioria no Congresso
Presidente reeleita na Argentina pode mudar lei para se candidatar pela terceira vez. (Págs. 1 e 25)
Caso Elisiane: Drama de gêmeos revela escassez de UTIs neonatais
Região Metropolitana concentra 57% das 370 unidades disponíveis no RS. (Págs. 1, 4 e 5)
Crise do Esporte: Por que Dilma resiste a tirar Orlando Silva
Além de sustentar falta de provas contra si, ministro conta com relações de fidelidade. (Págs. 1 e 8)
Terremoto na Turquia: Os relatos da busca por sobreviventes
Pelo menos 24 pessoas foram resgatadas com vida das ruínas. (Págs. 1 e 24)

------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: JBS compra Assim da Hypermarcas para se tornar a "Unilever brasileira"
Conforme antecipou BRASIL ECONÔMICO, donos do frigorífico desembolsam R$ 140 milhões para ficar com a linha de produtos de higiene e limpeza e dão um passo decisivo para se tornar o maior grupo nacional do setor. (Págs. 1 e 4)

Dilma dá mais 50 anos de benefícios para a Zona Franca de Manaus
Durante inauguração de ponte sobre o Rio Negro, a presidente, ao lado de seu padrinho Lula, anuncia extensão dos incentivos fiscais para outros oito municípios da região. (Págs. 1 e 10)

Nova classe média resiste à crise
Com renda mensal familiar de R$ 1 mil a R$ 4 mil e poder de compra de R$ 1 tri, esses consumidores não sentem o desaquecimento da economia. (Págs. 1 e 8)

Rolls-Royce terá revenda no país
Preço mínimo dos veículos será de R$ 2 milhões, e montadora quer vender pelo menos 12 unidades por ano. (Págs. 1 e 27)

Fábrica da Mabel pode trocar de mãos (Págs. 1 e 29)

Sany, a gigante chinesa que veio ao Brasil para enfrentar a Caterpillar
Empresa construirá nova fábrica para brigar pelo mercado de máquinas para construção. (Págs. 1 e 22)

Sem dinheiro, Wikileaks pode sair do ar até o fim do ano
Depois da prisão de seu fundador, Julian Assange, site mergulha na pior crise financeira de sua história. (Págs. 1 e 25)

Agora, cliente da CEF pode refinanciar seu imóvel e ainda levar um “troco” (Págs. 1 e 33)

Barclays, o banco que defende o corte na taxa de juros
Para a instituição, BC segue tendência global ao tolerar inflação para garantir crescimento. (Págs. 1 e 30)

Alô, hermanos 1
Desafios econômicos, como inflação e crise, vão testar força que Cristina Kirchner acumulou nas urnas. Pode sobrar para o Brasil. (Págs. 1 e 36)

Alô, hermanos 2
Oi parte de vez para a internacionalização e reforça sua presença na América Latina. (Págs. 1 e 24)

Alô, hermanos 3
Paraguai oferece projetos de US$ 2,8 bilhões para investidores brasileiros. (Págs. 1 e 32)
------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016