Atualidades - 27/12/2011

RESUMO DOS JORNAIS
O Globo: "Milagres" da economia - Brasil passa Reino Unido, mas só terá renda igual em 20 anos
Folha de S. Paulo: Homicídio cai e roubo de veículos sobe em SP
O Estado de S. Paulo: PIB do Brasil já supera o britânico, diz consultoria
Correio Braziliense: Brasil é a 6ª economia, mas continua desigual
Valor Econômico: Projetos de US$ 25,7 bi da Vale têm risco ambiental
Estado de Minas: Prisioneiros da poluição
Jornal do Commercio: Promoções por toda parte
Zero Hora: Guerra das togas - O Judiciário não gosta de ser fiscalizado, diz ministro do STJ


27 de dezembro de 2011
O Globo

Manchete: "Milagres" da economia - Brasil passa Reino Unido, mas só terá renda igual em 20 anos
PIB brasileiro já e o 6º maior do mundo e pode passar França e Alemanha

O Brasil tornou-se a sexta maior economia do planeta, ultrapassando o Reino Unido, segundo o britânico Centro de Pesquisa para Economia e Negócios. Pelas previsões, até 2020, o Brasil poderia ainda passar Alemanha e França, mas seria ultrapassado por Rússia e Índia, mantendo-se, portanto, na sexta colocação. Simulações feitas com base nos dados do Fundo Monetário internacional (FMI) mostram que, só em 2032, o Brasil poderia alcançar o padrão de vida hoje desfrutado pelos ingleses. O próprio ministro Guido Mantega reconhece que o país levaria 10 a 20 anos para atingir esse patamar: "Temos um grande desafio pela frente." (Págs. 1, 17 e Miriam Leitão)

Venda de Natal, no entanto, decepciona

Nem a corrida de consumidores às lojas nos últimos dias salvou as vendas fracas de fim de ano. Balanço da Serasa aponta para um crescimento tímido de 2,8%. No ano passado, em relação a 2009, o crescimento tinha sido, em média, de 15%. Endividamento elevado e inflação frearam o ímpeto de consumo. (Págs. 1 e 19)

No Natal, 91 morreram nas estradas federais
O número de mortos em acidentes nas estradas federais neste Natal caiu 20% em relação ao mesmo período do ano passado, mas, mesmo assim, 91 pessoas perderam a vida, de sexta-feira a domingo. Em 2010, 114 morreram. O número de feridos também caiu, de 1.455 para 1.251, mas a quantidade de acidentes aumentou de 1.964 para 1.984. E a tragédia pode ser pior, pois o levantamento não incluiu as rodovias estaduais. (Págs. 1 e 3)


Rodovias do Rio também manterão avisos de radares (Págs. 1 e 15)


STF cria selo para preservar documentos
O Supremo Tribunal Federal (STF) criou um selo de "tema relevante" para garantir a preservação de documentos de casos considerados históricos, como o julgamento do ex-presidente Fernando Collor e do ex-ativista Italiano Cesare Battisti. (Págs. 1 e 4)

No Congresso de Cristina, 12 leis em 11 dias
O Congresso argentino, controlado por governistas, aprovou l2 leis de grande magnitude nos 11 dias após a posse da presidente Cristina Kirchner, mostra levantamento. Para especialistas, o rolo compressor da maioria causa danos à democracia. (Págs. 1 e 24) 
Foto legenda: Férias após um primeiro ano difícil
A presidente Dilma levanta a túnica para molhar os pés no mar após caminhada na Praia de Inema, na Base Naval de Aratu, na Bahia, onde deverá descansar pelo menos até depois do reveillon. Ela está acompanhada de filha, neto, mãe, tia e ex-marido com a atual companheira. (Págs. 1 e 5)

Aeroporto fantasma
O Aeroporto Santos Dumont tem andares inteiros fechados. Um restaurante, completamente pronto, só agora será aberto. As obras se arrastam desde 2004 e foram interrompidas em 2007 pelo TCU, que apontou superfaturamento. (Págs. 1 e 10)


Correção
O IBGE constatou que 12% não têm esgoto em favelas do Rio, diferentemente do que foi publicado ontem. (Pág. 1)

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete: Homicídio cai e roubo de veículos sobe em SP
Após cinco meses de alta, número de assassinatos tem queda em novembro

O número de roubos de veículos no Estado subiu 14,6% de janeiro a novembro, em relação ao mesmo período de 2010. Em média, foram roubados ou furtados 21,3 veículos a cada hora do ano, segundo dados oficiais.

Para o chefe da Polícia Civil, Marcos Carneiro Lima, a alta se deve a ação do crime organizado, que busca fazer capital para comprar drogas e armas. São recuperados 45% dos veículos, diz ele. (Págs. 1 e Cotidiano C1)

Vendas de Natal crescem só 5,5% e frustram comércio
As vendas de Natal deste ano frustraram o comércio varejista. Os shoppings registraram expansão de 5,5% - resultado que ficou abaixo da expectativa dos lojistas (6,5%) e do crescimento do ano passado (13%).

O alto nível de endividamento das famílias e o aumento da inflação frearam as compras. (Págs. 1 e Mercado B1)


Gustavo Patu: Avaliação de Mantega é mais que otimismo
Não é irrelevante a projeção de que o PIB do Brasil vá superar o do Reino Unido e tornar o país a sexta maior economia. Já a avaliação do ministro Mantega, de que "o Brasil pode demorar entre 10 e 20 anos para fazer com que o brasileiro tenha padrão de vida europeu", é mais que otimismo exagerado. (Págs. 1 e Opinião A2)


Novo presidente do TJ-SP defende poder limitado ao CNJ (Págs. 1 e Poder A8)


Foto-legenda: Sob o sol
A presidente Dilma molha os pés em praia da Bahia, onde passa férias com a família; para hospedá-la, a base naval de Aratu foi reformada ao custo de R$ 650 mil. (Págs. 1 e Poder A5)


Com Alckmin, SP investe menos
O governador Geraldo Alckmin (PSDB) não cumpriu a meta de investimentos para este ano, de R$ 20 bilhões. Os valores chegarão a R$ 12 bilhões, 37% menos do que no ano passado, na gestão do tucano José Serra.

Entre os motivos do freio estão a dificuldade do governo de tirar obras do papel e a decisão política de reservar verbas para ampliar serviços como o Poupatempo e para reajustar salários do funcionalismo público. (Págs. 1 e Poder A4)

Homem mais rico do mundo reforça negócios no Brasil
Dono de patrimônio de US$ 63 bilhões, o mexicano Carlos Slim ampliará investimentos no Brasil em 2012.

Homem mais rico do mundo, Slim injetará mais R$ 10 bilhões, em especial em suas três maiores empresas: Claro, Embratel e Net. Neste ano, ele investiu R$ 9,4 bilhões. (Págs. 1 e Mercado B4)


Francisco Daudt: Palmada deve ser igual aos urros dos gorilas
Defendo que a palmada seja igual à atitude dos gorilas, que impõem sua autoridade ao bater no peito, no urro, sem danos físicos. Eles só dizem: "Eu sou mais forte, estou no comando". (Págs. 1 e Cotidiano C2)


Editoriais
Leia "Fundo perdido", sobre o fundo soberano do governo brasileiro, e "Radar à vista", acerca do fim da sinalização obrigatória da fiscalização eletrônica. (Págs. 1 e Opinião A2)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: PIB do Brasil já supera o britânico, diz consultoria
Dado confirma projeções, mas Mantega admite que padrão de vida do País ainda está longe do europeu

A economia brasileira já é a sexta maior do mundo, superando a da Grã-Bretanha; mostra projeção do Centro para Pesquisa Econômica e Negócios (CEBH), de Londres. Segundo a CEBR, a PIB do Brasil deve fechar a ano em US$ 2,51 trilhões, enquanto a da Grã-Bretanha será de US$ 2,48 trilhões. A ultrapassagem deve se consolidar nos próximos anos, já que as projeções indicam crescimento britânico em ritmo sempre inferior ao brasileiro. O Financial Times considerou a fato como um “marco", mas lembrou que "todos os Brics ainda estão muito atrás em PIB per capita". Os dados confirmam análises feitas ao longo do ano, inclusive do FMI. Todos apontam que Brasil, Rússia e Índia vão ultrapassar os maiores mercados europeus, Alemanha, França, Grã-Bretanha e Itália, nesta década. O ministro Guido Mantega (Fazenda) festejou a projeção, mas disse que serão necessários até 20 anos para que os brasileiros tenham um padrão de vida semelhante ao dos europeus. (Págs. 1 e Economia B1)

Análise - Fernando Dantas

Números devem ser vistos com reserva

Se for tornado o PIB per capita, que de fato mede a desenvolvimento econômico e social, os Brics despencam na tabela. (Págs. 1 e Economia B1)



CNJ age como "ditadura", acusa futuro presidente do TJ
A uma semana de sua posse como presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, a maior corte do País, o desembargador Ivan Ricardo Garisio Sartori comparou práticas investigativas do Conselho Nacional de Justiça às da "ditadura". O TJ paulista é um dos tribunais investigados pela corregedora nacional Eliana Calmon. "Não podemos simplesmente atropelar tudo o que está previsto na legislação", disse Sartori ao Estado. “Existem regras legais, o processo tem de seguir seu trâmite. Qualquer réu, por mais sanguinário que seja, tem direito a defesa." Sartori acusou Eliana de generalizar os problemas do Judiciário ao denunciar a existência de “bandidos de toga". “Eu concordo que existam pessoas que têm desvio de conduta, mas não digo que sejam bandidos de toga, como se fosse um pessoal da alta bandidagem." Segundo Sartori, "os juízes trabalham muito, enxugam gelo, com prejuízo do convívio familiar". (Págs. 1 e Nacional A4)

Ivan Sartori
Futuro presidente do Tribunal de Justiça São Paulo

"Esse assunto foi polarizado de uma forma um pouco canhestra. Todos estão falando a mesma língua"

Venda de Natal fica abaixo da expectativa do comércio
A venda de Natal deste ano ficou abaixo da expectativa dos lojistas, apesar de ter havido pequeno acréscimo em relação ao Natal de 2010, considerado o melhor dos últimos dez anos. Levantamento nacional da Associação dos Lojistas de Shopping (Alshop) com 150 lojas indica que o faturamento nominal subiu 5,5% em relação ao Natal de 2010. A entidade esperava alta de 6,5%. Considerando a inflação acumulada no período, estimada em 6,5% pelo IPCA, houve queda real na receita, de cerca de 1%. (Págs. 1 e Economia B4)


MEC libera consulta a 108 mil vagas no Sisu (Págs. 1 e Vida A11)


Dilma atende prefeitos e adia restos a pagar de 2010 (Págs. 1 e Nacional A8)


------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Brasil é a 6ª economia, mas continua desigual
Com Produto Interno Bruto de US$ 2.52 trilhões, o país ultrapassa o Reino Unido e se consolida como a sexta maior economia do mundo, segundo projeção do Centro de Pesquisas para Economia e Negócios, sediado em Londres. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, comemorou a posição, mas admitiu que levará pelo menos 20 anos para a nação atingir o padrão de vida europeu. A renda per capita do brasileiro ainda corresponde a menos de um terço dos rendimentos dos britânicos. Além disso, no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). o Brasil está em 84º lugar entre 187 países. (Págs. 1 e 10)

TRT: PF indicia 6 pessoas por desvios
A Polícia Federal conclui até sexta-feira o relatório sobre as fraudes em 9l processos do TRT do DF. Pedirá o indiciamento da servidora Márcia de Fátima Pereira e Silva Vieira, de três parentes dela e de mais duas pessoas, cujos nomes não foram divulgados. Mas o esquema pode ter até 20 envolvidos. (Págs. 1 e 3)

Serviços: O setor já concentra 51% dos empregos do Distrito Federal (Págs. 1 e 28)


Funcionalismo: Mulheres no topo da carreira
Em jornadas de trabalho muitas vezes longas, as servidoras estão encurtando a distância salarial em relação aos homens. Na série "Heroínas do Brasil”, Correio mostra que, ano a ano, elas também passam a ocupar mais cargos de chefia. (Págs. 1 e 13)

2012, o ano dos feriados
Executivo e Legislativo já definiram como tratarão as 16 datas especiais previstas. A maioria, que será “enforcada”, acontece em sextas e segundas. (Págs. 1 e 4)

------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Projetos de US$ 25,7 bi da Vale têm risco ambiental
A Vale tem hoje uma carteira de 37 projetos de investimento com entraves devido a dificuldades de licenciamento ambiental. Desses projetos, a soma dos investimentos previstos em apenas seis atinge US$ 25,7 bilhões. O Carajás Serra Sul, para produzir 90 milhões de toneladas de minério de ferro ao ano, lidera a lista com aplicações previstas de US$ 8 bilhões. Não menos importante é a obra para elevar em 150 milhões de toneladas a capacidade da Estrada de Ferro Carajás e de embarque do porto de Ponta a Madeira, em São Luís (MA) - são mais US$ 3,4 bilhões. Em Minas Gerais, o projeto Apolo, também de ferro, está preliminarmente orçado em US$ 2 bilhões.

Para Vania Samovilla, diretora executiva de recursos humanos, saúde, segurança, sustentabilidade e energia, o grande desafio em 2012 é avançar na concessão do licenciamento para tirar do papel esses planos que somam várias dezenas de bilhões de dólares. (Págs. 1, B1 e B7)

Brasil e UE tentam acordo sobre carne
Mantida em sigilo, uma negociação entre o governo brasileiro e autoridades da Comissão Europeia busca um acordo para enterrar um eventual contencioso na Organização Mundial do Comércio por restrições à importação de carne bovina do Brasil pelos europeus. Estão em jogo exportações anuais de US$ 1,2 bilhão. O governo havia decidido questionar a obrigatoriedade do credenciamento de cada fazenda para fornecer gado à Europa. Agora, porém, a tendência é de congelamento do processo na OMC e de uma espécie de "blindagem" aos europeus, com a desistência do Brasil em questionar as regras em troca de uma redução das exigências. (Págs. 1 e B10)


Dilma falha no ensino básico e acerta no técnico
A grande marca do primeiro ano da presidente Dilma Rousseff na educação foi o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), e a maior lacuna, o ensino básico, na avaliação de especialistas ouvidos pelo Valor.

O impasse em torno da votação do Plano Nacional de Educação é parte da explicação. O governo entrou em choque com sindicalistas que exigiram a elevação dos gastos no setor em até 10% do Produto Interno Bruto. (Págs. 1 e A6)

Captações externas caem 16,9%
A crise internacional elevou a aversão global ao risco e afastou os investidores dos papéis privados. Com isso, as emissões de títulos e de empréstimos sindicalizados (com um pool de bancos) de empresas brasileiras no segundo semestre declinaram e somaram US$ 16,5 bilhões, menos da metade dos primeiros seis meses do ano (US$ 35,7 bilhões), segundo levantamento do Valor Data, com dados até ontem. O total de captações no exterior, de US$ 52,2 bilhões, foi 16,9% menor que o de 2010 (US$ 62,8 bilhões).

O custo nominal das emissões caiu, com o cupom médio na casa de 6,7% ao ano. Mas o prêmio de risco subiu para praticamente todas as operações de companhias brasileiras. Há expectativa de melhora do mercado externo no primeiro trimestre de 2012. (Págs. 1 e C1)

Crise dá força para computação em nuvem
A crise financeira mundial levou as empresas a reduzirem o ritmo dos investimentos em tecnologia da informação. A estimativa da consultoria Gartner é de que em 2012 os gastos com TI vão crescer 3,9% frente a 5,9% deste ano. Nesse cenário, executivos de companhias de TI não esperam que caia do céu a resposta para seus negócios, mas os olhos de muitos deles se voltam para a nuvem.

A computação em nuvem é o modelo pelo qual sistemas e dados de uma empresa podem ser acessados via internet, sem que os softwares tenham que ser instalados nos computadores. Com sua promessa de corte de custos, a nuvem está abrindo um vasto campo de investimentos ao estimular a criação dos centros de dados. Para a empresa de pesquisa IDC, a computação em nuvem vai capturar 25% dos gastos com TI em 2012. (Págs. 1 e B2)

Otimismo comedido com a bolsa
A maioria dos analistas mantém projeções moderadamente otimistas para o Índice Bovespa no fim de 2012. Na média, as estimativas ficam na casa dos 70 mil pontos, com um potencial de valorização de 21,4% ante o fechamento de ontem, de 57.667 pontos. A expectativa é que a bolsa ganhe ritmo em 2012, embora deva continuar patinando no início do ano e melhorar só a partir do segundo semestre. As previsões para o Ibovespa neste ano, feitas no fim de 2010 - ao redor de 80 mil pontos- passaram longe do alvo. (Págs. 1, D1 e D2)

Bancos tentam preparar seus sistemas para a possibilidade de fim do euro (Págs. 1 e C10)


Siderúrgicas elevam produção e preços nos Estados Unidos (Págs. 1 e B8)


Pequenas empresas deixam de exportar, diz Canola (Págs. 1 e A3)


Vendas mais fracas no Natal
Das ruas aos shoppings, o varejo brasileiro registrou um Natal mais fraco este ano em relação ao esperado e em comparação com o ano passado. As vendas do varejo cresceram 2,3%, segundo a CNDL. (Págs. 1, A2 e B4)


Frustração com saneamento
Os resultados dos investimentos em saneamento no país em 2011 frustraram as expectativas. Dados do Ministério das Cidades mostram uma estagnação dos desembolsos e as liberações da Caixa Econômica Federal caíram até novembro. (Págs. 1 e A4)


Mudança na inflação
Mudar a periodicidade de cálculo da inovação anual acumulada para efeito de cumprimento da meta oficial, preferencialmente para 24 meses, é uma das receitas de Luiz Fernando de Paula, da UERJ e da Associação Keynesiana Brasileira. (Págs. 1 e Al2)

Materiais de construção
Depois de registrar seu melhor faturamento em 2011, o setor de materiais de acabamentos espera bater novo recorde no próximo ano graças à demanda criada por imóveis residenciais que estão na fase final de construção. (Págs. 1 e B7)


Preços do leite
Depois de um ano de forte alta nos preços do leite ao produtor e ao consumidor, analistas divergem sobre o comportamento do mercado no próximo ano. A indústria espera estabilidade ou até mesmo queda dos preços da matéria-prima. (Págs. 1 e B10)


Estoques de etanol
O governo federal publicou ontem a Medida Provisória 554, que concede incentivo à estocagem de etanol por meio de financiamento com juros reduzidos por até cinco anos. O governo pretende evitar a escassez do produto. (Págs. 1 e B10)


Internet no Congresso
O crescimento do comércio eletrônico e a inclusão digital tem gerado uma corrida legislativa para regulamentar a área: há ao menos 20 projetos de lei em trâmite na Câmara dos Deputados. (Págs. 1 e E1)

Ideias
Assis Moreira

A crise da zona do euro termina o ano de 2011 muito mais profunda e preocupante do que começou. (Págs. 1 e A2)


Ideias
Raymundo Costa

O julgamento do mensalão, na prática, já começou e pegou o Judiciário, por meio de sua Corte máxima, numa crise. (Págs. 1 e A6)

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Prisioneiros da poluição
Fumaça e barulho obrigam moradores dos principais corredores de trânsito de BH a manter todas as janelas fechadas 24 horas por dia

As três estações de medição da poluição do ar da capital registraram entre 2005 e 2010 aumento de até 57% no volume de material particulado de até 10 micrômetros de diâmetro, o chamado PM10, que se traduz no pó preto expelido sobretudo por ônibus e caminhões. A estação do Carlos Prates mediu no ano passado média de 25,3 microgramas por metro cúbico de ar, com pico de 157,8, enquanto o limite tolerado pela OMS é de 20). Nas grandes avenidas, deixar janelas abertas significa ver a casa imunda em questão de minutos. Além disso, o nível de ruído chega a 70 decibéis (db), quando o máximo para o conforto acústico dentro de casa é de 45db. Com tudo isso, a secretária Miriam Soares de Oliveira, que mora na Avenida Amazonas, no Prado, não tem saída: deixa as janelas sempre fechadas. (Págs. 1, 17 e 18)

A rainha ficou para trás
Economia brasileira ultrapassa a do Reino Unido e sobe para sexto lugar entre as maiores do planeta

Mesmo crescendo menos que esperava e fechando 2011 com expansão estimada de 2,9%, o Brasil supera o Reino Unido, segundo projeção da consultoria britânica Centro de Pesquisa Econômica e de Negócios (CEBR, na sigla em inglês). O PIB brasileiro deve alcançar US$ 2,5 trilhões, contra US$ 2,4 trilhões previstos para os europeus, que, embora não façam parte da Zona do Euro, sofrem com a crise da dívida pública no continente. A esperada troca de posições foi antecipada em um ou dois anos, segundo especialistas. (Págs. 1, 10 e o Editorial ‘Sucesso animador’, 6)

Menos acidentes e mais mortes em BRs no Natal (Págs. 1 e 20)


Feliz vida nova: Empresários formalizados superam meta
Número de empreendedores individuais que deixaram a informalidade saltou de 77 mil para 180 mil de janeiro a novembro em Minas, acima da estimativa de 150 mil do Sebrae. (Págs. 1 e 11)


Orçamento 2012: Municípios de Minas obtêm R$ 203 milhões
Abertura para que cidades de até 50 mil habitantes enviassem emendas é bem aproveitada por 625 no estado. Em todo o país, serão R$ 2,2 bilhões para 3.946 municípios. (Págs. 1 e 3)


Terras: Dilma desapropria 60 fazendas, sete em Minas
São 112,8 mil hectares em 13 estados para assentar 2.739 famílias na reforma agrária. (Págs. 1 e 4)


Balanço: Shoppings venderam 5,5% a mais que no Natal de 2010 (Págs. 1 e 12)


------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Promoções por toda parte
Está aberta a temporada de saldões. Lojas virtuais estão praticando descontos maiores, algumas chegando a 80%. O presidente da CDL, Eduardo Catão, recomenda que consumidores pesquisem, já que muitos comerciantes não anunciam promoções. (Págs. 1 e Economia 1)


Licitação dos tablets sob suspeita (Págs. 1 e Cidades 5)


Deputados defendem o auxílio-moradia (Págs. 1 e 4)


Brasil já é a sexta economia do mundo (Págs. 1 e Economia 6)


Ministro aceita sair da disputa pela prefeitura (Págs. 1, 3 e Economia 5)


Foto legenda: Férias
Presidente Dilma descansa em praia da Bahia e planeja reforma ministerial modesta. (Págs. 1 e 3)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Guerra das togas - O Judiciário não gosta de ser fiscalizado, diz ministro do STJ
Ex-corregedor do Conselho Nacional de Justiça, Gilson Dipp fala a Zero Hora sobre a crise que sacode a magistratura.

Quem é a baiana pivô da polêmica. (Págs. 1, 8 e 9)


Economia: PIB do Brasil desbanca a poderosa Grã-Bretanha
Retração britânica e bom momento brasileiro geram troca de posição. (Págs. 1, 4 e 5)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: Brasil ultrapassa o Reino Unido e já é a sexta economia do planeta
O país deu mais um passo ontem para se consolidar no clube das grandes potências. E os próximos lances já tem data: se tudo der certo, até 2019, teremos um PIB maior do que a França e a Alemanha, assumindo o quarto lugar. É um feito, mas o próprio governo admite que será preciso uma década para alcançar o mesmo padrão de vida dos britânicos. (Págs. 1 e 4)


Cameron tem ano de cão com greves contra ajuste fiscal
O primeiro ministro inglês deve estar ansioso pelo fim de 2011. Além da crise europeia, viu sua popularidade despencar por conta de medidas como cortes de salários e benefícios sociais. (Págs. 1 e 6)


Cosan atrapalha venda da Albertina para grupo francês
Em recuperação judicial, a usina negociava com o conglomerado Louis Dreyfus, mas a Cosan foi o único credor a votar contra, o que pode adiar a decisão. (Págs. 1 e 16)


Medidas do BC dão fôlego aos bancos médios e pequenos
Regras anunciadas pelo Banco Central ajudaram a dar liquidez e trouxeram alívio operacional, mas ainda não repercutiram no desempenho das ações. (Págs. 1 e 22)


Ações de empresas brasileiras nos EUA não se valorizam
No ano, o Dow Jones subiu 6%, mas o resultado não se refletiu no desempenho das corporações do Brasil listadas em Nova York. Analistas acreditam, porém, que o investidor tem um ganho de liquidez. (Págs. 1 e 24)


Saldo comercial puxado por primários atinge US$ 27 bi
Pelo segundo ano consecutivo, as exportações de produtos básicos devem superar a de manufaturados. Apesar do crescimento da participação das commodities, o resultado é positivo num momento de crise mundial. (Págs. 1 e 8)


Empreendedorismo
O Banco Pérola, ONG de Alessandra França, cresce oferecendo microcrédito aos jovens das classes C, D e E. (Págs. 1 e 12)


Retrospectiva
Nesta edição, 12 páginas com as fotos que marcaram 2011: crise econômica, Dilma, Obama, tsunami, Jobs. (Págs. 1 e 26)

------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016