O que faz um Produtor Multimídia? Pra que preciso de um? Quais as vantagens que eu vou ter?

O tempo passa e de acordo com a evolução da tecnologia e suas aplicações, criam-se necessidades para resolver as novas demandas do nosso cotidiano. Ultimamente, uma dessas novas necessidades envolve o conhecimento técnico e analítico de disciplinas de comunicação social e de analise de sistemas direcionadas para aplicações WEB.

Surge então a figura do chamadoPRODUTOR MULTIMÍDIA. Imaginem uma carreira evoluída a partir daquilo que chamamos de Webdesigner, funda isso com uma carreira que compreenda a aplicação de soluções desenvolvidas para web, o chamado Webdeveloper. Junta-se a isto a necessidade de se conhecer aplicações e produções audiovisuais para web, funções de umProdutor Audiovisual. Contudo, ainda a necessidade de conhecer a forma de comunicar esta informação, atributos inerentes a um profissional de Comunicação Social. 
Além da comunicação, ainda é necessária a gestão e repercussão desta informação, trabalho inerente a um Gestor de Mídias Sociais e afins. Pois bem, a reunião de todos estes atributos são o que formam o perfil de um produtor multimídia. É óbvio que este cara não vai fazer isto tudo sozinho, mas está apto a coordenar todas estas ações por compreender cada passo que envolve a prática destas disciplinas.

Não faz muito tempo, no edital do último concurso para o senado foi aberta uma vaga dentro da especialidade de comunicação social que contempla uma subárea chamada de Produtor Multimídia. Como imaginado pelos requisitos, não é uma área restrita ao profissional de Comunicação Social, justamente pelo seu caráter de multidisciplinaridade. Contudo o edital exigia os seguintes requisitos para habilitação ao cargo:


" Comunicação e tecnologia: globalização da comunicação e seus novos paradigmas. A relação entre tecnologia e comunicação social: o uso da tecnologia como instrumento de democratização da comunicação e transparência dos poderes públicos. Governo eletrônico, acessibilidade e governança digital. A comunicação global e as perspectivas para o século XXI. Massificação versus segmentação dos públicos. Novas Tecnologias de Comunicação. Mídias web e digitais. Mídias sociais (wikis, blogs, podcasts etc). Características do discurso nos diferentes meios de comunicação. Jornalismo digital. O conceito de fluxo de informação. Informação online e exclusão digital. Conceito de portal e sua relação estratégica com as empresas jornalísticas. Conceitos e técnicas de usabilidade, 28 empacotamento, personalização e hyperlink no jornalismo para a Internet. O texto para Internet. Construção de páginas em HTML, ASP, APSX e PHP. Prática dos programas MS Office, Internet Explorer, Outlook e Outlook Express. Hardware multimídia. Processo de produção digital. Restrições do processo digital para cada mídia. Hipermídia e hipertextos. Documento digital. Especificidades dos meios impressos, eletrônicos e digitais. Conhecimentos de compressão de produtos jornalísticos em áudio, vídeo, foto e demais mídias para transmissão via Internet. Formatos e normas de representação. Transmissão de arquivos e protocolos. Conhecimentos de programas de texto, editoração eletrônica e Internet. Impacto das novas tecnologias no desenvolvimento do design gráfico. Técnicas de artes gráficas para Internet e uso das principais ferramentas utilizadas em web design, notadamente do pacote Adobe Pro: Dream Weaver, Photoshop, Visual Studio. Linguagem audiovisual. Comunicação interativa. Manipulação de arquivos digitais de áudio, vídeo e fotografia. Produção de animação. Noções de programação e desenvolvimento web. Planejamento e execução de projetos comunicacionais que envolvam mídias digitais. Informação estática e informação dinâmica. Hierarquia de texto e imagem. Linguagens de Scripting e aplicações interativas. Multimídia e redes. Recuperação de informação. Multimídia baseada em conteúdo. Bases de dados multimídia. Ferramentas de autoria. Dados multimídia: tipos de dados de multimídia; modelos e padrões; representação digital de áudios. Requisitos para sistemas multimídia distribuídos: parâmetros de desempenho de redes. Caracterização do tráfego multimídia. Requisitos para transmissão de áudio e vídeo. A arquitetura Internet. Edição de materiais multimídia: tratamento de imagem fotográfica e elaboração de infográficos, edição de imagem e áudio para Internet. Compatibilização entre sistemas de informática. Inglês técnico aplicado às mídias digitais e à informática. Ética profissional. "
Como podem ver é uma área que implica um vasto conhecimento e anos de aplicações, mas é um caminho a se trilhar e uma necessidade do mercado a existência de um profissional com esta competência.

Listamos abaixo as principais plataformas digitais para redes sociais utilizadas no Brasil. Existem 
incontáveis plataformas em operação disponíveis na ambiente virtual. Elas são mais ou menos 
adequadas para utilização de acordo com o objetivo, o tipo de conteúdo e a rede social operada pela 
instituição.  

São elas:

Twitter - Twitter é uma plataforma de “microblogging” na qual é permitido a seus utilizadores enviar mensagens de texto curtas de até 140 caracteres, além de permitir a conversa entre seus 
usuários via celular ou navegadores web. Ao contrário do e-mail ou mensagens de texto em celulares, essas conversas ocorrem de forma aberta. Os usuários seguem uns aos outros, podendo 
acompanhar, por meio de uma linha do tempo, o que está sendo dito no momento por seus seguidores. É possível visualizar o conteúdo da plataforma mesmo sem ter um usuário e login. 

Aproveitamento:  pode-se aproveitar a plataforma como espaço de interação com seguidores e divulgação de informações relevantes sobre o órgão – como notas, noticias e outros documentos.  O Twitter também funciona muito bem para o atendimento de dúvidas e solicitações dos cidadãos,  além de ações de marketing digital e propagação de conteúdo jornalistico.

Facebook – Plataforma digital para redes sociais que permite a propagação de conteúdo multimídia (fotos, áudio, vídeo, texto, aplicativos de interação) entre pessoas relacionadas por vínculo de 
compartilhamento (amizade) previamente aceito. O Facebook apresenta ainda recursos como criação de páginas institucionais, eventos, grupos/comunidades de discussão e compartilhamento de 
conteúdo. Além do aspecto relacional, a plataforma agrega o serviço de “microblogging”, por meio do qual o usuário pode publicar mensagens e divulgar conteúdos multimídia. Esses conteúdos são 
mais ou menos propagados de acordo com uma hierarquização definida pelo voto dos usuários por meio do botão “Curtir”. É preciso ser cadastrado à plataforma – com usuário e login – para ter acesso aos conteúdos. Aproveitamento: pode-se aproveitar a plataforma como espaço de divulgação de conteúdo multimídia, promoção de campanhas de engajamento, além de divulgação de eventos e solenidades e esclarecimento de dúvidas.

Youtube – Plataforma de hospedagem e compartilhamento de vídeos na internet. Cada usuário pode publicar seu vídeo, que pode ser propagado, comentado e avaliado pelos demais usuários da 
plataforma. O sistema de canais permite concentrar em um único local os vídeos de determinada instituição ou usuário. É possível visualizar o conteúdo da plataforma mesmo sem ter um usuário e login. Aproveitamento: o Youtube pode ser aproveitado para a publicação e compartilhamento de vídeos institucionais, de seções, discursos, eventos, etc.

Flickr – Plataforma de hospedagem e compartilhamento de imagens. Os usuários podem publicar suas imagens, que são propagadas, comentadas e avaliadas pelos demais. As fotos dos usuários podem ser organizadas por álbuns e visualizadas de maneiras varias – lista, blocos, etc. Aproveitamento: para publicar e compartilhar imagens, organizando por meio de álbuns a  memória institucional do órgão.

Formspring – Plataforma interativa para perguntas e respostas. Os usuários são questionados por outros e respondem em seu espaço pessoal essas questões. As perguntas respondidas podem ser 
comentadas e propagadas na rede. Aproveitamento: para trazer interatividade, agilidade e visibilidade ao serviço de perguntas e 
repostas ou “fale conosco”, ampliando a transparência da instituição e proximidade com o cidadão.

Foursquare – Plataforma digital para redes sociais baseadas em georreferenciamento via celular.  Os usuários se adicionam como amigos e “marcam”, por meio de Check-in, os locais onde estão. Ao fazerem o Check-in, podem deixar impressões e comentários sobre o local onde estiveram que podem ser visualizados por outros usuários.Aproveitamento: pode ser utilizada para várias ações e campanhas de comunicação interna, como promoções para servidores que mais fizerem Check-ins no orgao. 

O web-mobile e aplicativos para dispositivos móveis – Para além das plataformas de redes 
sociais e seus aplicativos, a explosão web-mobile incentiva a produção de aplicativos de 
acompanhamento e interação para dispositivos móveis (tablets e celulares) e seus sistemas 
operacionais mais populares (IOS da Apple, Android da Google, etc). Nesse contexto, em que o 
usuário pode se informar e interagir de onde estiver, cresce a necessidade de sites que possam ser 
acessados e visualizados com qualidade e elevado grau de usabilidade por meio de tais dispositivos.
Aproveitamento: permitir aos conselheiros, cidadãos e demais stakeholders o acesso a 
documentos, relatos e informações relevantes sobre o conselho em tempo real e sem restrições de 
espacial. A utilização dos serviços de web-mobile também ampliam o potencial interativo e a 
rapidez de propagação dos conteúdos do site.


Diante desse diagnóstico, algumas oportunidades de intervenção no ambiente digital apresentam-se 
para diversas instituições. A utilização eficiente das plataformas e ferramentes digitais pode contribuir para o alcance dos objetivos definidos no plano estratégico dos órgãos públicos de modo 
mais rápido, barato e eficiente. Abaixo, algumas dessas oportunidades:
• Dinamizar a cobertura de eventos em tempo real.
• Propagar com rapidez e alcance os conteúdos produzidos pelo orgão..
• Avaliar com clareza o retorno do público ao trabalho produzido. 
• Engajar, envolvendo ativamente os públicos interno e externo nas campanhas produzidas.
• Aproximar do cidadão e demais públicos envolvidos a realidade e informações do órgão.
• Responder à demanda dos cidadãos e da imprensa por informações.
• Construir a imagem da instituição perante o público e com o público.
• Responder com rapidez crises ocasionadas por informações errôneas e/ou falta de informações.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos