Atualidades 27/01/2015

Se o ensino é superior, a pessoa que o abraça é digna de respeito. Assim sendo, desprezar essa pessoa é o mesmo que desprezar o próprio ensino. Isto é comparável a atitude de censurar uma criança, cujo ato é ao mesmo tempo uma censura aos pais. (Nitiren Daishonin).




O Globo
Manchete : Governo do Rio corta mais no orçamento da segurança
Defesa de Cerveró convoca Dilma e recua
Carvalho defende Dirceu
Presidente tenta conciliar programas sociais e ajuste fiscal na 1ª reunião com ministros (Pág. 4)
Com freio nas vendas, comércio e indústria só contratam 3% dos temporários de Natal (Pág. 17)
Mais uma represa no volume morto
Morte de Campos - FAB reforça tese de falha humana (Pág. 6)
Réus da boate Kiss seguem livres (Pág. 7)
Universidades federais - Cotistas já são 48% dos inscritos (Pág. 21)
Radicais formam governo na Grécia
Ilimar Franco - AGU veta acordo com réus
Merval Pereira - O enigma grego
Ancelmo Gois - LEVY APARA ARESTAS
Míriam Leitão - Desfazer a confusão
Editoriais - Romper o silêncio e apoiar a equipe econômica
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Manchete : Para lembrar 242 vidas
Só 10% de carga aérea sai do RS via Salgado Filho
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico
Manchete : Seca afeta produção de soja do Nordeste
Bancos têm lucro maior no 4º trimestre
Combate à extrema pobreza retrocedeu
Relatório da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) mostra uma alta de 11,3% para 12% da população da região de 2012 para 2014. A pobreza de forma global, por sua vez, manteve-se em 28%. No Brasil, ela caiu de 18,6% para 18%, mas a extrema pobreza elevou-se, de 5,4% para 5,9%. (Pág. 8)
Disputa de cargos nas Mesas Diretoras mobiliza partidos 
Temer defende o referendo 
Mosaico Político - PELA DIVISÃO DO PODER
O mercado como ele é... - BRASIL EXPORTA "PRAGMATISMO"
Ponto Final - O EXEMPLO DE KANDINSKY
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete : Pressão sindical faz Dilma rever novo seguro-desemprego
Executivos resistem a ir para conselho da Petrobras
Ex-diretor cita Dilma em sua defesa, mas recua
Faltava treino a pilotos do voo de Campos, diz FAB
Esquerdista vira premiê grego após acordo com direita
Em nove dias, Rio tem 16 atingidos por bala perdida
Promotoria acusa dono da arma que matou promotor argentino (Mundo A9)
Marta Suplicy - Nossas crises são fruto da ausência de transparência
Editoriais -Leia “Recordes inseguros”, sobre dados da violência em São Paulo, e “Enigma em Buenos Aires”, a respeito de morte de promotor argentino. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------

27 de janeiro de 2015
O Globo

Manchete : Governo do Rio corta mais no orçamento da segurança
Balas perdidas já fizeram 16 vítimas na Região Metropolitana este ano

Secretário José Mariano Beltrame anuncia UPPs nos morros do Chapadão e do Juramento e diz que Forças Armadas deveriam assumir controle das fronteiras para impedir entrada de armas e drogas que chegam ao Rio

As polícias Militar e Civil terão juntas um corte de R$ 1,37 bilhão no orçamento, o maior dentro do aperto fiscal anunciado pelo governo de Luiz Fernando Pezão. O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, disse que tem feito esforço para economizar, mas que certas ações não poderão ir adiante se houver contingenciamento. Mais três pessoas foram vítimas de balas perdidas nos dois últimos dias, elevando para 16 o número de casos este ano. Beltrame anunciou que os morros do Chapadão e do Juramento, que sofrem com a guerra do tráfico, ganharão UPPs e defendeu que as Forças Armadas assumam o controle das fronteiras. O Ministério da Defesa afirmou que os militares já fazem esse trabalho. (Pág. 8)

Facção arregimenta bandidos para ‘guerra’

Traficantes de uma facção criminosa presos em unidades federais estão recrutando bandidos em regime semiaberto para combater grupo rival. (Pág. 8)
Defesa de Cerveró convoca Dilma e recua
Três horas depois de arrolar a presidente Dilma Rousseff para depor, a defesa do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró voltou atrás e retirou a convocação, já protocolada na Justiça Federal do Paraná. O advogado Edson Ribeiro e o Palácio do Planalto negaram negociação para excluir Dilma da lista de testemunhas. Segundo fontes do Judiciário, ela seria obrigada a depor . (Pág. 3)
Carvalho defende Dirceu
Ex-ministro de Dilma disse que acusações contra Dirceu são tentativa da oposição de criminalizar o PT e inviabilizar Lula em 2018. (Pág. 4)
Presidente tenta conciliar programas sociais e ajuste fiscal na 1ª reunião com ministros (Pág. 4)

Com freio nas vendas, comércio e indústria só contratam 3% dos temporários de Natal (Pág. 17)

Mais uma represa no volume morto
O reservatório de Santa Branca, um dos quatro que abastecem a Região Metropolitana do Rio, já opera no volume morto. É o segundo da Bacia do Paraíba do Sul, depois de Paraibuna, a ficar abaixo da linha das turbinas, interrompendo a geração de energia. Jaguari e Funil também se aproximam das reservas técnicas. (Pág. 11)
Morte de Campos - FAB reforça tese de falha humana (Pág. 6)

Réus da boate Kiss seguem livres (Pág. 7)

Universidades federais - Cotistas já são 48% dos inscritos (Pág. 21)

Radicais formam governo na Grécia
O líder do esquerdista Syriza, Alexis Tsipras, aliou-se à direita nacionalista e assumiu o governo grego. Autoridades da UE pediram a manutenção da austeridade. (Pág. 24)
Ilimar Franco
AGU veta acordo com réus

O ministro Luís Adams (AGU) vai pedir ao STF acesso aos acordos de delação premiada do Ministério Público com réus da Lava-Jato. Ele informa que a União vai questionar qualquer acerto financeiro feito com Alberto Youssef ou Paulo Roberto Costa. “O MP não pode dispor de recursos da União nem da Petrobras”, sentencia. A União irá atrás dos réus para ressarcir as perdas da estatal. (Pág. 2)
Merval Pereira
O enigma grego

O pragmatismo político de Lula ainda é uma marca forte na memória política internacional, e serve para que seja feita uma analogia entre seu comportamento moderado no governo , embora dito de esquerda, com o líder do partido de esquerda radical da Grécia Syriza, Alexis Tsipras, nomeado primeiro-ministro depois de fazer um acordo com o pequeno partido de direita nacionalista Gregos Independentes , que obteve 13 lugares e juntou-se às 149 cadeiras que o partido de esquerda obteve nas eleições . (Pág. 4)
Ancelmo Gois
LEVY APARA ARESTAS

Ministro tenta se entender com colega Miguel Rossetto. (Pág. 10)
Míriam Leitão
Desfazer a confusão

A reunião ministerial tem muito a discutir se o tema fiscal for mesmo tratado de forma profunda. O ano passado terminou, provavelmente, com déficit primário. Está de novo se formando um arriscado novelo de dívidas cruzadas. Há passivos não assumidos na dívida pública. O país está em um perigoso processo de descontrole das despesas do governo. (Pág. 18)
Editoriais
Romper o silêncio e apoiar a equipe econômica

Até para poder se dedicar ao grave problema da seca e os reflexos na geração de energia, Dilma não pode permitir que haja dúvidas sobre a administração da economia (Pág. 14)

Grécia entre o populismo e o pragmatismo

Resta saber se o jovem líder esquerdista Alexis Tsipras fará o que prometeu nos palanques ou se, confrontado pela realidade, buscará uma gestão responsável (Pág. 14)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete : Para lembrar 242 vidas
No dia em que se completam dois anos do incêndio na boate Kiss, pais, amigos e familiares de vítimas do incêndio fazem homenagem em Santa Maria. (Notícias | 18)
Só 10% de carga aérea sai do RS via Salgado Filho
Falta de pista maior limita exportações a partir do aeroporto da Capital. Necessidade de obra é questionada por ministro. (Notícias | 6 e 7)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete : Seca afeta produção de soja do Nordeste
A expectativa de maior safra na região está cada vez mais distante. O Piauí, que previa crescimento de 35,1%, já perdeu 30% das lavouras. A Bahia, com estimativa de aumento de 22,9%, tem perdas estimadas em 15%. Segundo especialistas, a estiagem pode atingir 50% da produção. (Págs. 6 e 7)
Bancos têm lucro maior no 4º trimestre
Relatório do BB-Banco de Investimentos com a prévia dos resultados de 2014 mostra que o lucro de sete instituições deve somar R$ 11,25 bilhões. Em relação a igual período de 2013, a alta média é de 18,5%. Pela previsão, o Bradesco aumentou seu lucro em 26%. (Pág. 21)
Combate à extrema pobreza retrocedeu
Relatório da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) mostra uma alta de 11,3% para 12% da população da região de 2012 para 2014. A pobreza de forma global, por sua vez, manteve-se em 28%. No Brasil, ela caiu de 18,6% para 18%, mas a extrema pobreza elevou-se, de 5,4% para 5,9%. (Pág. 8)
Disputa de cargos nas Mesas Diretoras mobiliza partidos 
Além da eleição para as presidências da Câmara e do Senado, haverá a definição dos postos secundários, mas igualmente importantes, nas duas Casas — como o de primeiro vice-presidente e o de primeiro-secretário. (Pág. 3)
Temer defende o referendo 
Vice-presidente discorda da presidenta Dilma Rousseff — que prega a realização de plebiscito sobre a reforma política — e diz que a mudança proposta é de responsabilidade do Legislativo, e não ao Executivo. (Pág. 4)
Mosaico Político
Leonardo Fuhrmann

PELA DIVISÃO DO PODER

O PSB decidiu lançar a candidatura do líder do partido no Senado, Antonio Carlos Valadares (SE), para disputar a Presidência da Casa. A ideia é pressionar o PMDB a lançar um nome alternativo a Renan Calheiros (AL), atual presidente e considerado o principal candidato à própria sucessão. (Pág. 2)
O mercado como ele é...
Luiz Sérgio Guimarães

BRASIL EXPORTA "PRAGMATISMO"

Os mercados financeiros globais reagiram ontem de forma tranquila à vitória do partido de esquerda Syriza nas eleições gregas. Nem a aliança firmada por ele com uma agremiação menor, de direita, que lhe assegura a maioria parlamentar e a governabilidade, insuflou tensão às mesas de operações. (Pág. 20)
Ponto Final
Octávio Costa

O EXEMPLO DE KANDINSKY

A presidente Dilma Rousseff é apaixonada por pintura. Sempre que pode, mesmo nas viagens ao exterior, encontra um espaço na agenda para visitar museus e exposições. (Pág. 32)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : Pressão sindical faz Dilma rever novo seguro-desemprego
Planalto pretende ceder a centrais para aprovar medida no Congresso; tempo mínimo para obter benefício pode mudar

O governo federal já admite reservadamente que vai ceder às centrais sindicais e rever parte das mudanças no seguro-desemprego, que endureceram o acesso ao benefício trabalhista, informam Valdo Cruz e Julianna Sofia. A avaliação é que, sem alteração, a medida provisória que mudou as regras não será aprovada no Congresso. A declaração do ministro Joaquim Levy (Fazenda), que chamou de ultrapassado o modelo do seguro-desemprego, irritou sindicalistas e o Palácio do Planalto. A equipe de Dilma considera que pode ser obrigada a sinalizar mais concretamente o que irá mudar na próxima reunião com as centrais sindicais, marcada para o próximo dia 3. O governo pode rever a regra que amplia de seis para 18 meses o período mínimo de trabalho para concessão do benefício na primeira solicitação. Para as centrais, a medida prejudica principalmente jovens num período em que deve haver alta do desemprego. (Mercado B1)

Analistas do mercado preveem inflação a 6,99% no final do ano, a pior expectativa desde janeiro de 2003. (B1)
Executivos resistem a ir para conselho da Petrobras
Executivos sondados para integrar o Conselho de Administração da Petrobras avisaram ao governo que só poderiam assumir após a publicação de balanço financeiro reconhecendo os desvios apontados pela Operação Lava Jato. O Planalto quer substituir os ministros no conselho por pessoas do setor privado, para recuperar no mercado a credibilidade da empresa. (Poder a4)
Ex-diretor cita Dilma em sua defesa, mas recua
O advogado de Nestor Cerveró incluiu Dilma Rousseff como testemunha do ex-diretor da Petrobras na Operação Lava Jato e voltou atrás. Disse que a presidente não tem relação com o caso de compra de sondas em que seu cliente é acusado. (Poder a5)
Faltava treino a pilotos do voo de Campos, diz FAB
Relatório da Aeronáutica aponta que o piloto e o copiloto que comandavam o avião que caiu e matou o candidato à Presidência Eduardo Campos, em agosto, não tinham formação adequada para conduzi-lo. Segundo o chefe da investigação, ambos precisavam ter recebido treinamento antes de pilotar o jato. (Poder a7)
Esquerdista vira premiê grego após acordo com direita
Vitorioso na eleição grega, o partido de esquerda Syriza indicou seu líder, Alexis Tsipras, para premiê, após acordo com legenda de direita nacionalista, relata o enviado a Atenas, Leandro Colon. O novo governo defende a revisão de medidas de austeridade. (Mundo a8)
Em nove dias, Rio tem 16 atingidos por bala perdida
Com a morte no domingo (25) de uma mulher de 21 anos, chegou a 16 o número de vítimas de balas perdidas na região metropolitana do Rio em nove dias. Quatro delas morreram. O governo diz que os episódios foram provocados por uma “nação de criminosos” que tem “idolatria por armas”. (Cotidiano C1)
Promotoria acusa dono da arma que matou promotor argentino (Mundo A9)

Marta Suplicy
Nossas crises são fruto da ausência de transparência

Se tivesse havido transparência na condução da economia no governo Dilma Rousseff, ela dificilmente teria aprofundado os erros que nos trouxeram à atual situação de descalabro. (Opinião a3)
Editoriais
Leia “Recordes inseguros”, sobre dados da violência em São Paulo, e “Enigma em Buenos Aires”, a respeito de morte de promotor argentino. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos