Atualidades 14/04/2015



O Globo
Manchete : Políticos investigados faziam romaria à Petrobras
Orçamento deve sofrer corte de R$ 70 bi
Governo aceita negociar ajuste
Depois dos protestos, governo e oposição buscam estratégia
Proposta flexibiliza uso de armas
Pezão diz que PM errou no Alemão
S&P pode reduzir nota da Vale
Ilimar Franco - A viagem da oposição
Merval Pereira - A retificação que não houve
Míriam Leitão - O risco latino
Editoriais - Sob pressão das ruas, uma chance para negociar
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Manchete : Terceirização tem semana de votação e de protestos
Uma baita safra
Projeções do PIB e da inflação param de piorar
Estudos associam depressão com endividamento
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico
Manchete : Sem Angra, Petrobras pode fazer transbordo no Uruguai
Governo vai discutir medidas
Crise bateu forte nas construtoras
Ajuste dita nova rota de crescimento 
Câmara vota ajustes na lei da terceirização
Olhar do Planalto - UMA PAUTA POTENTE PARA A ESQUERDA
Relatório D.C. - PARA EXPLICAR O BRASIL NO EXTERIOR
O mercado como ele é... - DÓLAR ESPECULA SOZINHO
Ponto Final - FRIEDMAN FUGIA DO DEBATE
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete : CGU esperou eleição de Dilma para abrir processo, diz delator
Nomes indicados pela Fazenda serão novo alvo da PF
Apreensão de adolescente cresce 38% em cinco anos
Crise da gestão petista desgasta imagem de Lula, diz Datafolha
Foto-legenda : Fazendeiro
Professores em greve hostilizam governador tucano Geraldo Alckmin (Cotidiano C3)
Servidores do itamaraty ameaçam entrar em greve (Mundo A12)
Painel Estimulado por pesquisa, PSDB age contra Dilma (Poder A4)
Editoriais - Leia “De março a abril”, sobre protestos contra o governo realizados no domingo, e “Sol para todos”, acerca de potencial da energia solar no Brasil. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------

14 de abril de 2015
O Globo

Manchete : Políticos investigados faziam romaria à Petrobras
Foram 202 visitas de 26 suspeitos à estatal entre 2004 e 2014

O ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa recebeu 17 políticos, em 82 encontros

De 48 políticos investigados pelo Supremo Tribunal Federal a pedido da Lava-Jato, 26 frequentaram a Petrobras de 2004 a 2014, num total de 202 visitas. Até 2012, quando era diretor de Abastecimento, o agora delator Paulo Roberto Costa foi o que mais recebeu os políticos: 17 deles, em 82 encontros na estatal, relata EDUARDO BRESCIANI, que fez a apuração via Lei de Acesso à Informação. O deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE) foi quem mais esteve com Costa na Petrobras — 30 vezes. O ex-deputado Pedro Corrêa, condenado pelo mensalão do PT e agora preso na Lava-Jato, foi transferido do Recife para Curitiba. (Pág. 3 e Merval Pereira)
Orçamento deve sofrer corte de R$ 70 bi
Ministros Levy e Kátia Abreu avisam que financiamento rural ficará mais caro

O decreto com os cortes no Orçamento de 2015 sairá nos próximos dias. Segundo informação da área econômica, a tesourada deverá ser de cerca de R$ 70 bilhões. Ontem, os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Kátia Abreu (Agricultura) se reuniram com produtores rurais em Goiás e avisaram que o governo vai subir juros de financiamento de insumos e fertilizantes. (Pág. 17)
Governo aceita negociar ajuste
O ministro da Previdência, Carlos Gabas, sinalizou que o governo pode aceitar negociar mudanças nas medidas provisórias que alteram regras de benefícios sociais como pensões, auxílio-doença e seguro-desemprego. Ontem, a presidente Dilma Rousseff se reuniu com o vice, Michel Temer, nove ministros e líderes do governo no Congresso para discutir estratégias para a votação das medidas de ajuste fiscal. (Pág. 17)
Depois dos protestos, governo e oposição buscam estratégia
Aliados de Dilma veem diminuição de pressão sobre a presidente, e Planalto diz estar atento à pauta das ruas

Um dia depois do segundo grande protesto contra o governo Dilma, a oposição divergiu sobre a melhor maneira de atuar. Enquanto alguns tucanos manifestaram decepção pela ausência do presidente do partido, Aécio Neves, nos protestos, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que os partidos não podem instrumentalizar manifestações espontâneas. O ministro da Comunicação Social da Presidência, Edinho Silva, afirmou que o governo está atento à pauta das ruas. A avaliação do Planalto é que a pressão sobre a presidente diminuiu. (Pág. 6)
Proposta flexibiliza uso de armas
Projeto de lei que busca alterar o Estatuto do Desarmamento, facilitando a compra de armas, começa a ser analisado hoje na Câmara. Especialistas criticam o texto, que pretende elevar de seis para nove o número de armas por pessoa assim como liberar o porte na rua. (Pág. 7)
Pezão diz que PM errou no Alemão
O governador Pezão disse que a investigação da PM detectou falha de policiais na morte de Eduardo de Jesus, de 10 anos, no Alemão. Ele se comprometeu a dar apoio à família e a retreinar tropas das UPPs. (Pág. 11)
S&P pode reduzir nota da Vale
A agência de classificação de risco S&P ameaçou reduzir as notas da Vale e de outras sete grandes mineradoras diante do excesso de oferta que levou o preço do minério de ferro a cair 60% em um ano. (Pág. 19)
Ilimar Franco
A viagem da oposição

A oposição também comete erros ao olhar a realidade. O foco dos manifestantes de domingo foi o combate à corrupção (47%, Datafolha). Os grupos organizados, via redes sociais, convocaram atos pelo impeachment. Houve falta de sintonia. O cientista político Antônio Lavareda explica: “Só 29% acham que Dilma vai ser cassada. As manifestações de anteontem foram totalmente impeachment. Inócuas. Baixa a vontade de comparecer”. (Pág. 2)


Merval Pereira
A retificação que não houve

A suposta retificação da delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, negando que houvesse sobrepreço nas licitações da estatal, deixou em polvorosa os petistas, sobretudo os “grandes blogueiros” que o presidente do PT um dia identificou como militantes petistas nas redes sociais. (Pág. 4)
Míriam Leitão
O risco latino

Nos últimos 15 anos, a América Latina foi beneficiada pelo forte crescimento chinês e pela valorização das matérias-primas. Soja, minério de ferro, cobre, petróleo, tudo subiu de preço, aumentando exportações, gerando superávits no balanço de pagamentos e fortalecendo a arrecadação dos governos. Agora, a região terá que se adaptar a um cenário mundial menos favorável. (Pág. 18)
Editoriais
Sob pressão das ruas, uma chance para negociar

Manifestações e índices de reprovação mostram que insatisfação com o modelo petista permanece alta, mas o Planalto precisa tocar agenda do país (Pág. 14)

Na Cúpula das Américas, uma oportunidade perdida

Fórum tem avanço histórico, com aproximação entre Cuba e EUA. Mas Brasil optou por endossar retórica bolivariana, condenando sanções contra o governo da Venezuela (Pág. 14)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete : Terceirização tem semana de votação e de protestos
Deputados votam a partir de hoje os destaques na emenda que flexibiliza relações de trabalho; sindicatos prometem paralisação. (Notícias | 10 e 11)
Uma baita safra
Com 5 milhões de hectares cultivados em 412 municípios na atual colheita, a soja movimenta R$ 45,2 bilhões e se consolida como o motor do agronegócio gaúcho (Caderno Campo e Lavoura)
Projeções do PIB e da inflação param de piorar
Mercado prevê taxa de 8,13% em 2015, contra 8,2% na semana anterior (Notícias | 17)
Estudos associam depressão com endividamento
Dúvida de especialistas é qual dos dois problemas desencadeia o outro. (Sua Vida | 24 e 25)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete : Sem Angra, Petrobras pode fazer transbordo no Uruguai
Após a proibição do Inea, devido a vazamento em Angra dos Reis, a estatal ficou sem alternativa para a transferência de petróleo para navios exportadores. A construção de terminal marítimo no Brasil está atrasada por falta de licença ambiental. O país vizinho é opção de empresas privadas. (Pág. 11)
Governo vai discutir medidas
Para conseguir apoio da base aliada no Congresso, todos os pontos das duas medidas provisórias que alteram as questões previdenciárias e trabalhistas serão negociados. A decisão foi anunciada após reunião do vice Michel Temer com ministros e líderes do governo. (Pág. 3)
Crise bateu forte nas construtoras
Os setores de construção civil e energia elétrica tiveram em 2014 alguns dos maiores prejuízos das empresas da Bovespa. Mesmo assim, a lucratividade das elétricas melhorou. (Pág. 13)
Ajuste dita nova rota de crescimento 
Analistas apostam no acerto do caminho adotado por Joaquim Levy e acreditam que o modelo de desenvolvimento vai mudar. (Pág. 5)
Câmara vota ajustes na lei da terceirização
Entidades dos empresários e dos trabalhadores tentam influenciar possíveis alterações no texto aprovado na semana passada. Categorias temem perdas de direitos trabalhistas. (Pág. 8)
Olhar do Planalto
Leonardo Fuhrmann

UMA PAUTA POTENTE PARA A ESQUERDA

Com presença forte nas redes sociais desde a semana passada, a terceirização pode se tornar um contraponto dos sindicatos e partidos progressistas aos protestos pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff. O tema será um dos principais focos das manifestações de amanhã. (Pág. 2)
Relatório D.C.
Rogerio Studart

PARA EXPLICAR O BRASIL NO EXTERIOR

O Brasil passa por um momento complexo, mas, creio, também extremamente rico. Minha primeira sugestão é evitar nos comparar com países com sistemas políticos e econômicos absolutamente distintos e/ou menos complexos. Sempre é bom começar recordando que somos um país continental, com recursos naturais e humanos invejáveis (e invejados). (Pág. 7)
O mercado como ele é...
Luiz Sérgio Guimarães

DÓLAR ESPECULA SOZINHO

A liquidez muito enxuta, inferior a US$ 1 bilhão, tornou possível aos profissionais do mercado de câmbio exacerbar a tendência externa de alta da moeda americana. Num extravagante destempero especulativo, o dólar saltou ontem 1,74%, cotado a R$ 3,1245. (Pág. 20)
Ponto Final
Octávio Costa

FRIEDMAN FUGIA DO DEBATE

Há muita gente por aí dizendo que a presidente Dilma Rousseff agiu bem ao entregar a política econômica às mãos de Joaquim Levy, que é doutor pela Universidade de Chicago, o templo do monetarismo. "Todas escolas merecem respeito. Enganam-se os que acham que Levy seja uma pessoa inflexível e obcecada pela ortodoxia", afirmou, por exemplo, o economista-chefe do Bradesco, Octavio de Barros, em entrevista ao Brasil Econômico. (Pág. 32)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : CGU esperou eleição de Dilma para abrir processo, diz delator
Ex-executivo de firma holandesa relata entrega em agosto de dossiê sobre corrupção na Petrobras; órgão nega irregularidade

A Controladoria-Geral da União recebeu durante a eleição de 2014 provas sobre corrupção entre a Petrobras e a SBM, relatou Jonathan Taylor ex-executivo da empresa holandesa e delator do caso, a Leandro Colon. O órgão do governo só abriu processo contra a firma estrangeira em novembro, após a vitória de Dilma (PT). Delator na Holanda, Taylor afirma ter entregado, em 27 de agosto, dossiê incluindo contratos com o lobista Julio Faerman, elo da propina entre SBM e Petrobras. O órgão só divulgou o processo em 12 de novembro. Para ele, o atraso da CGU foi deliberado a fim de evitar danos à campanha de reeleição da presidente petista. A firma pagará US$ 240 milhões à Holanda para evitar punição naquele país. No Brasil, negocia com a CGU para auxiliar investigações. O órgão nega irregularidade e diz que abriu o processo em novembro porque foi quando encontrou “indícios mínimos” do caso. (Poder a4)

Conselho da Petrobras votará balanço no próximo dia 22. (Mercado b4)
Nomes indicados pela Fazenda serão novo alvo da PF
A nova fase da Operação Zelotes, que apura fraudes nos julgamentos do Carf (conselho de recursos fiscais), investigará conselheiros indicados pela Fazenda. Até agora, a maioria dos suspeitos em esquema que lesou a Receita foi escolhida por contribuintes. (Mercado b1)
Apreensão de adolescente cresce 38% em cinco anos
A quantidade de adolescentes brasileiros em unidades para infratores aumentou 38% de 2008 a 2013, para 23 mil, segundo os dados mais recentes do governo federal. O ritmo das apreensões de jovens é semelhante ao das prisões de adultos. Há dois anos, o Brasil mantinha 557 mil pessoas em presídios, um crescimento de 42% sobre 2008. Roubo (40%) e tráfico de drogas (23%) são os principais motivos para a internação de jovens no país. Homicídios representam 9%. (Cotidiano C1)
Crise da gestão petista desgasta imagem de Lula, diz Datafolha
A crise do governo Dilma (PT) afeta o prestígio do ex-presidente Lula, segundo o Datafolha. Em novembro de 2010, antes de deixar o cargo, ele era considerado o melhor presidente do país por 71 % dos entrevistados. Agora, o índice caiu para 50%. Lula está atrás do tucano Aécio Neves (33% a 29%) em intenção de votos. (Poder a8)
Foto-legenda : Fazendeiro
Em Rio Verde (Goiás), o ministro Joaquim Levy (fazenda) disse que o Plano Safra será anunciado “com realismo”, indicando subsídio menor do Tesouro (Mercado b5)
Professores em greve hostilizam governador tucano Geraldo Alckmin (Cotidiano C3)

Servidores do itamaraty ameaçam entrar em greve (Mundo A12)

Painel
Estimulado por pesquisa, PSDB age contra Dilma (Poder A4)
Editoriais
Leia “De março a abril”, sobre protestos contra o governo realizados no domingo, e “Sol para todos”, acerca de potencial da energia solar no Brasil. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016