Atualidades 06/07/2015



O Globo
Manchete: Gregos dizem não ao acordo: Líderes europeus convocam reunião de emergência
Jovens rejeitam mais austeridade
Câmaras municipais: Funcionários indicados são maioria
Contratos da Odebrecht são investigados em mais 3 países
Convenção do PSDB: ‘Estamos prontos para assumir’
Notas de real com traços de cocaína
Rio 2016: Justiça veta obras na Marina
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: Em desafio à União Europeia, gregos votam contra acordo
Líderes convocam cúpula
Análise: José Paulo Kupfer - Hora de credores pagarem o preço do risco assumido (Economia/Pág. B4)
PSDB defende saída de Dilma e realização de novas eleições
Governo reage a ‘rapto’ de cartão do Bolsa Família
A crise fora dos trilhos
Vazamento de imagens íntimas cresce no País
O número de vítimas de vazamento de imagens íntimas na internet quadruplicou no Brasil em dois anos. Mulheres e menores são os principais alvos. (Metrópole/Pág. A12)
Del Nero é investigado nos EUA
José Roberto de Toledo  - Tempo é o senhor da eleição
Notas & Informações - O dever da oposição
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Grécia diz “oxi”
Planos de saúde - Cerco para reduzir o número de cesarianas (Sua Vida, 31)
Aécio já fala em “ser governo”
Padilha nega negociações
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico
“O ajuste de Levy não tem retorno”
Grécia: Não - Democracia não aceita chantagem, diz Tsipras
Operação móvel virtual conquista até os Correios
A estatal prepara-se para lançar no primeiro trimestre do ano que vem sua operadora de telefonia móvel, com o aluguel de infraestrutura de terceiros. As empresas do setor contabilizaram em maio 331 mil clientes em todo o país. (Págs. 12 e 13)
Octávio Costa - Com o estado das universidades federais não há como justificar o lema ‘Pátria Educadora’. (Pág. 32)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete: Gregos rejeitam acordo europeu
Vinicius Torres Freire - Conflito político se aprofunda, e economia para (Mercado A16)
CLÓVIS ROSSI - Falta bom senso na disputa entre Grécia e Europa (Mundo A10)
Alckmin inflou dado sobre ganho dos professores
Com calote em alta, banco eleva busca por empresas que ‘caçam’ devedores (Mercado A17)
Sem falar em impeachment, PSDB diz que ‘irá até o fim’
Entrevista da 2ª: Rubens Ometto - Governo Dilma está caminhando na direção certa
EDITORIAIS - Leia “Insuficiente”, sobre aumento da dívida do setor público, e “Imprudência permanente”, a respeito de importância do uso do cinto de segurança. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------

06 de julho de 2015
O Globo

Manchete: Gregos dizem não ao acordo: Líderes europeus convocam reunião de emergência
BCE discute hoje se mantém liquidez para o sistema bancário da Grécia

Resultado do referendo será analisado em cúpula da zona do euro amanhã. Governo quer retomar negociações com credores imediatamente, e aposta sobre saída da moeda única divide economistas

Com 61,31% de votos “não” para novas medidas de austeridade, o premier grego, Alexis Tsipras, é considerado o vitorioso político do referendo. “Provamos que a democracia não pode ser chantageada”, disse na TV A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, François Hollande, se encontram hoje para articular uma estratégia para a reunião de cúpula da zona do euro, marcada para amanhã. Além disso, o Banco Central Europeu (BCE) decide se mantém ou não uma linha de crédito emergencial para o sistema bancário grego, que deve reabrir amanhã. Atenas prevê rápida retomada das negociações. Analistas de mercado elevam apostas numa possível saída da Grécia da zona do euro, enquanto economistas brasileiros veem solução pelo diálogo. (Págs. 17 a 21)
Jovens rejeitam mais austeridade
Com a maior taxa de desemprego entre jovens na Europa, eleitores desta faixa etária impulsionaram voto “não”. (Pág. 20)
Câmaras municipais: Funcionários indicados são maioria
Levantamento feito junto aos tribunais de Contas do Estado e do Município (TCE e TCM) revela que as 92 câmaras de vereadores fluminenses contratam três vezes mais funcionários comissionados do que concursados. Em cinco delas, não há sequer um servidor efetivo. (Pág. 6)
Contratos da Odebrecht são investigados em mais 3 países
Após prisões da Lava-Jato, Peru, Equador e Panamá abrem auditorias

Exclusivo: Os contratos da empreiteira Norberto Odebrecht passaram a ser auditados em mais três países — Peru, Equador e Panamá — após a prisão, há duas semanas, de Marcelo Odebrecht, presidente e neto do fundador da empresa, investigado pela Operação Lava-Jato. Agora, são seis as investigações em andamento, pois a Odebrecht já era alvo de auditorias em Portugal, Itália e Suíça. A empreiteira diz que as averiguações são normais em grandes obras públicas como as que executa no exterior. (Pág. 3)
Convenção do PSDB: ‘Estamos prontos para assumir’
Na convenção que reelegeu Aécio Neves presidente, líderes do PSDB disseram acreditar que a presidente Dilma não concluirá o mandato e afirmaram que o partido está pronto para assumir o governo. (Pág. 4)
Notas de real com traços de cocaína
Exclusivo: Uma pesquisa da UFF aponta que 90% das cédulas de real em circulação no estado têm microgramas de cocaína, informa Ana Lucia Azevedo. (Pág. 16)
Rio 2016: Justiça veta obras na Marina
O Tribunal Regional Federal considerou ilegal a autorização dada pelo Iphan para as obras na Marina da Glória, escolhida como base para as provas olímpicas de vela. (Pág. 9)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Em desafio à União Europeia, gregos votam contra acordo
Mais de 60% população votou ‘não’ em plebiscito e rejeitou as medidas de austeridade propostas pelos credores

Os gregos votaram em massa ontem pelo ‘não’ ao pacote de ajuda financeira ao país, em uma derrota histórica dos líderes europeus. Mais de 60% da população rejeitou, em plebiscito, as medidas de austeridade propostas pela União Europeia (UE) e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), mesmo correndo o risco de agravar sua situação financeira e ter de deixar a zona do euro. Com a decisão, a Grécia coloca em risco o projeto da UE, que teme que outros países questionem as políticas de austeridade. À noite, uma multidão se reuniu na frente do Parlamento para comemorar o resultado. Em discurso transmitido pela TV, o primeiro-ministro Alexis Tsipras disse que a decisão não deve ser interpretada como uma rejeição à permanência na UE. “Estou ciente de que a missão que vocês me deram não é a de romper com a Europa, mas de fortalecer nossa posição de negociação para achar uma solução viável.” (Economia/Págs. B1 a B4)
Líderes convocam cúpula
Os governos da França e da Alemanha marcaram para hoje uma reunião em Paris sobre a Grécia, mas não indicaram se haverá mobilização no sentido de manter ou não o país na zona do euro. Amanhã, uma reunião de cúpula extraordinária será realizada em Bruxelas. (Pág. B4)
Análise: José Paulo Kupfer
Hora de credores pagarem o preço do risco assumido (Economia/Pág. B4)
PSDB defende saída de Dilma e realização de novas eleições
O senador Aécio Neves (MG) foi reconduzido ontem à presidência do PSDB em uma convenção marcada por discursos nos quais os tucanos não falaram em impeachment, mas defenderam abertamente a saída da presidente Dilma Rousseff e a realização de novas eleições antes de 2018. Aécio disse que a sigla não é “golpista” e que o grupo no poder “caminha a passos largos para a interrupção do mandato”. O partido quer chamar atenção da opinião pública e pressionar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em ação protocolada em dezembro, o PSDB pede que Dilma seja declarada inelegível por abuso do poder político e econômico na campanha. (Política/Pág. A4)

Fernando Henrique
Ex-presidente da república

“Não somos donos do que vai acontecer nas semanas seguintes. Mas estamos prontos a assumir, dependendo das circunstâncias, o que vem pela frente"
Governo reage a ‘rapto’ de cartão do Bolsa Família
O Ministério do Desenvolvimento Social vai pedir à PF para investigar a máfia de comerciantes que retém ilegalmente cartões de beneficiários do Bolsa Família do Alto Solimões (AM). O caso foi revelado ontem no caderno “Favela Amazônia”. (Política/Pág. A7)
A crise fora dos trilhos
Com o revés da economia, o setor produtivo está utilizando mais o transporte ferroviário – 15%, em média, mais barato que o rodoviário – para movimentar, em contêineres, de aço a açúcar e TVs. De janeiro a maio, ferrovias registraram aumentos de 8,9% a 154% na movimentação, segundo a ANTT. (Economia/Pág. B5)
Vazamento de imagens íntimas cresce no País
O número de vítimas de vazamento de imagens íntimas na internet quadruplicou no Brasil em dois anos. Mulheres e menores são os principais alvos. (Metrópole/Pág. A12)
Del Nero é investigado nos EUA
O presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, é alvo de investigação na Justiça americana, relata Jamil Chade. O foco da apuração são pagamentos que teriam sido feitos pela empresa de marketing esportivo Traffic. A assessoria de imprensa da CBF informou que Del Nero desconhece qualquer investigação e nega envolvimento em irregularidades. (Pág. D4)
José Roberto de Toledo 
Tempo é o senhor da eleição

Até 2018, a vantagem de Aécio sobre Alckmin na disputa tucana pelo Planalto pode diminuir se o mineiro não se mantiver em evidência. (Política/Pág. A6)
Notas & Informações
O dever da oposição

É equivocada a ideia de que uma forte oposição deve levar à derrubada de quem está no poder. (Pág. A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Grécia diz “oxi”
O "oxi" (NÃO em grego) à oferta de socorro financeiro externo venceu o plebiscito com 61% de apoio. População respaldou o primeiro-ministro Alexis Tsipras, rejeitou mais apertos e terá de buscar saídas para a grave crise do país. (Págs. 6 a 8)

Dúvidas no dia seguinte: Governo ainda tenta dialogar com a Europa

Marta Sfredo, de Atenas: A questão é saber se esta foi uma vitória de Pirro

Perguntas e respostas: Do turismo ao euro, os impactos da decisão
Planos de saúde
Cerco para reduzir o número de cesarianas (Sua Vida, 31)
Aécio já fala em “ser governo”
Em convenção, PSDB se diz apto a “assumir responsabilidades”. (Págs. 12, 14 e 25)
Padilha nega negociações
Ministro diz que não há conversas sobre levar Temer ao poder. (Págs. 10 e 11)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

“O ajuste de Levy não tem retorno”
O economista Luiz Roberto Cunha, decano do Centro de Ciências Sociais da PUC-Rio, não tem dúvidas sobre a necessidade do ajuste imposto pelo governo, diante da deterioração dos fundamentos econômicos. Para Cunha, o aperto monetário só pode parar quando os juros futuros também caírem. “A retomada da confiança é anterior à recuperação da economia”. (Págs. 4 a 7)
Grécia: Não
Democracia não aceita chantagem, diz Tsipras

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, comemorou o resultado do referendo realizado neste domingo no qual a população disse não às condições impostas para o socorro ao país. A Grécia quer retomar imediatamente as negociações para reestruturação das suas dívidas. (Págs. 18 e 19)
Operação móvel virtual conquista até os Correios
A estatal prepara-se para lançar no primeiro trimestre do ano que vem sua operadora de telefonia móvel, com o aluguel de infraestrutura de terceiros. As empresas do setor contabilizaram em maio 331 mil clientes em todo o país. (Págs. 12 e 13)
Octávio Costa
Com o estado das universidades federais não há como justificar o lema ‘Pátria Educadora’. (Pág. 32)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete: Gregos rejeitam acordo europeu
Em plebiscito, 61% da população diz ‘não’ à austeridade imposta por credores; Europa convoca reunião para amanhã

Em votação histórica, a Grécia rejeitou os termos da proposta dos credores internacionais, relatam os enviados Leandro Colon e Fernanda Godoy.

Com 62% de taxa de comparecimento ao plebiscito, 6l% votaram pelo “não”, contra os credores, e 39% optaram pelo “sim”, a favor do resgate europeu.

A diferença surpreendeu analistas e contrariou as pesquisas, que indicavam uma disputa apertada.
O resultado é uma mensagem contra as medidas de austeridade aos líderes da zona do euro. Ao mesmo tempo, cria uma série de incertezas no país e na Europa.

O primeiro-ministro, Alexis Tsipras, que fez campanha pelo “não”, sai fortalecido. O Conselho Europeu convocou uma reunião para amanhã (7), em Bruxelas.

Tsipras deve participar do encontro para tentar negociar novos termos para uma ajuda financeira.
Se os líderes europeus cederem, temem dar um mau exemplo a outros países que estão muito endividados. Por outro lado, se um novo socorro for recusado,os bancos gregos, fechados há uma semana, correm risco de insolvência, o que seria o primeiro passo para obrigar o país a deixar a zona do euro.

Numa erupção de orgulho nacional, a praça Syntagma, no centro de Atenas, foi palco de celebração por milhares de pessoas. (Mercado A13)
Vinicius Torres Freire
Conflito político se aprofunda, e economia para (Mercado A16)
CLÓVIS ROSSI
Falta bom senso na disputa entre Grécia e Europa (Mundo A10)
Alckmin inflou dado sobre ganho dos professores
O governador Geraldo Alckmin (PSDB) inflou dados sobre salários dos professores da rede estadual de SP em meio à maior greve da categoria, de 89 dias. Segundo ele, houve reajuste de 45% (2011-2014). Na realidade, foram 12,3%. O cálculo do governo levava em consideração as gratificações e a inflação. (Cotidiano B1)
Com calote em alta, banco eleva busca por empresas que ‘caçam’ devedores (Mercado A17)

Sem falar em impeachment, PSDB diz que ‘irá até o fim’
Reeleito para presidir o PSDB, o senador Aécio Neves (MG) disse, na convenção nacional do partido, em Brasília, que a legenda fará “o que tem de ser feito” e, “em breve”, deixará a oposição para “ser governo”.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que os tucanos estarão, “a depender das circunstâncias, prontos para assumir o que vier”. Para ele, “o PT quebrou o Brasil”. (Poder A4)
Entrevista da 2ª: Rubens Ometto
Governo Dilma está caminhando na direção certa

Para Rubens Ometto, do grupo Cosan, a presidente Dilma Rousseff “mudou muito” e o empresariado precisa “segurar sua ansiedade” por resultados concretos. “O Brasil é mais forte que qualquer crise política e financeira.” (Pág. A12)
EDITORIAIS
Leia “Insuficiente”, sobre aumento da dívida do setor público, e “Imprudência permanente”, a respeito de importância do uso do cinto de segurança. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016