Dicas para ser aprovada em Concurso Público


1. Antecipação ao edital do concurso público

Antes do edital do concurso público: Estude cerca de duas a três horas por noite, após o trabalho, e a mesma quantidade no sábado e no domingo. Use o sistema de rotação de matérias e me basei-se no edital do concurso público anterior.

Após o edital do concurso público: Estude de oito a dez horas por dia, mesmo trabalhando. Passe a fazer cursinho e intensifique o uso dos mapas mentais. Adotando essa estratégia, você poderá conseguir cobrir todo o edital do concurso público antes mesmo de o edital ser publicado. As vezes os editais são apenas republicações.

2. Gestão do Tempo
É importantíssimo organizar o tempo de estudo, de acordo com o espaço de cada disciplina na prova. Como exemplo para o concurso do Senado, no caso do cargo de analista legislativo, 66,6% do exame são constituídos de questões de conhecimento específico da área de atuação do profissional. Português vem logo em seguida, com 16,6%. Tanto a disciplina de inglês quanto a de conhecimentos gerais respondem, cada uma, por 8,3% da prova. É claro que, se o candidato tiver muita dificuldade em uma disciplina, deve dar uma atenção maior a ela. Mas, via de regra, essa estratégia é uma boa.
Saber exatamente o que será feito em cada dia... Mais um exemplo do Senado -> No mesmo dia da prova objetiva, o candidato fará uma redação e responderá a uma pergunta discursiva. O desgaste tem que ser controlado... A gestão do tempo é fundamental para isso.

3. Avalie corretamente o conteúdo para o cargo que você almeja

O cargo de consultor legislativo é o que oferece maior salário, mas também maior dificuldade. Segundo Estrella, o maior problema para se sair bem para este cargo não é a prova objetiva (o conhecimento específico corresponde a 37,5% dela), mas a discursiva, que será aplicada em outro dia e terá duração de cinco horas. Nessa prova, o candidato terá que escrever um discurso (em nome de um senador); fazer uma dissertação; uma tradução do inglês; uma tradução do espanhol; e um resumo. Esta prova dissertativa para consultor é pesada e exige que o candidato escreva muito bem - afirma Estrella. A briga é grande e favorece quem já trabalha no Senado e conhece como as coisas funcionam. Por isso é necessário se preparar melhor ainda. Para o cargo de técnico legislativo, os conhecimentos específicos correspondem a 50% da prova, seguidos por português (33,3%) e conhecimentos gerais (8,33%) e informática (8,33%). Na mesma prova, há ainda uma redação e uma pergunta discursiva.


4. Repetição do que deu certo no concurso público anterior

Usar estratégias vencedoras de outros concursos e concurseiros normalmente ajuda! Veja algumas:


  • Rotação de matérias
  • Toneladas de exercícios no Questões de Concursos 
  • Escutar leis e a Constituição em áudio ao dirigir ou executar outras atividades (lavar louça, fazer supermercado, lanchar etc.)
  • Log do tempo de estudo, desta vez usando o aplicativo Eternity Time Log (exemplo de relatório do aplicativo abaixo, compreendendo o período de dezembro a maio, quando o edital já estava publicado)

foto

3. Estudar para concurso público em todo momento de folga e as vezes até quando não está de folga - Correlacionamento de Informações.

Escute o conselho de quem trabalhava 8 horas por dia... Dessa forma, tive que arrumar um jeito de gerenciar o tempo para estudar para o concurso público enquanto trabalhava 8 horas por dia.

Eis as atitudes que tomei após a publicação do edital do concurso público:

Passei a dormir apenas 6 horas por noite, das 0h às 6h
Passei a estudar antes de ir ao trabalho, das 6h às 7h30
Troquei o almoço por um shake substituto de refeição( não precisa de tanto) para ganhar mais uma hora diária de estudo
Larguei todas as atividades paralelas (academia, blogs, seriados etc.)
Passei três meses sem ver família e noiva, pois não ia mais a minha terra natal.
Uma vantagem que tive é que da minha casa para trabalho, em Brasília, o percurso durava apenas 8 minutos, sempre sem trânsito. Para quem não tem essa facilidade, não recomendo voltar para casa na hora do almoço, pois o tempo perdido no trânsito pode ser maior do que o tempo ganho de estudo para o concurso público.

4. Intensificação do uso dos mapas mentais para concurso público


Havia utilizado os mapas mentais no primeiro concurso público. Dessa vez, no entanto, foquei grande parte do meu estudo na produção e revisão dos mapas mentais. Foram mais de 100 mapas mentais desenhados para o concurso público do Senado.

Fiz isso porque grande parte da matéria a ser estudada tratava de processo legislativo e fluxos de regras regimentais. Esse é o tipo de estudo que fica muito melhor em forma de mapa mental (sobretudo fluxogramas) do que em anotações em caderno.

Fotografei todos os mapas mentais com o smartphone e sempre que podia (filas de supermercado, banheiro, espera para reuniões etc.) ia revisando os mapas, um a um.

5. Cursinho para concurso público

Não me arrependi de ter ido às aulas, tanto que acertei 100% das questões relacionadas a Regimento Interno e processo legislativo no concurso público. Mas continuo com ressalvas quanto aos chamados concurseiros que passam boa parte do dia assistindo a aulas em vez de estar estudando sozinho.

6. O que deu certo e o que não deu

Como se pode imaginar, o ritmo de estudo após a publicação do edital do concurso público foi extremamente intenso. Na reta final, o desempenho começou a cair, até pelo fato de o ganho marginal com as revisões depois de tanto tempo ser muito pequeno.

Outro ponto importante é que eu fiz duas provas de concurso público no mesmo dia, uma pela manhã e outra pela tarde. Passei nas duas vagas, mas só a da manhã dentro do número de vagas (fui o 17º entre cerca de 30 mil candidatos). O meu desempenho à tarde, que era o cargo para o qual mais me interessava, caiu bastante. Tanto que só consegui concluir a redação nos últimos minutos da prova da tarde. Um terceiro erro foi dar excesso de importância às matérias específicas e um pouco menos a português.

Extraído da internet  (Várias fontes).....


Exemplo de Edital para guiar estudos de TIC


SENADO FEDERAL
CONCURSO PÚBLICO
EDITAL N° 1, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2011

1.2 O concurso público compreenderá três etapas:
1.2.1 PRIMEIRA ETAPA: Será constituída de Provas Escritas Objetivas de Múltipla Escolha, de caráter eliminatório e classificatório, com distribuição e valoração das questões definidas no item 6 deste edital.
1.2.2 SEGUNDA ETAPA: Será constituída de Provas Escritas Discursivas, de caráter eliminatório e classificatório,
aplicada apenas aos candidatos aprovados nas Provas Escritas Objetivas de Múltipla Escolha, cujo detalhamento se encontra definido no item 8 deste edital.
1.2.3 TERCEIRA ETAPA: Avaliação de Títulos, de caráter apenas classificatório, aplicada apenas para os candidatos aprovados nas Provas Escritas Objetivas de Múltipla Escolha e Discursivas, cujo detalhamento se encontra definido no item 9 deste edital.
1.3 As Provas Escritas Objetivas de Múltipla Escolha serão realizadas simultaneamente nas capitais de todos os 26 (vinte e seis) Estados e do Distrito Federal.
1.4 As Provas Escritas Discursivas serão realizadas somente em Brasília-DF.
1.5 Todos os horários definidos neste edital, anexos e comunicados oficiais têm como referência o horário oficial de Brasília-DF.
2 - DO CARGO, ÁREAS, ESPECIALIDADES, SUBÁREAS, VENCIMENTOS E CARGA HORÁRIA
2.1 A quantidade de vagas das áreas/especialidades/subáreas do presente concurso encontra-se especificada na tabela a seguir:
Cargo: CONSULTOR LEGISLATIVO
Áreas
Especialidades
Subáreas
Vagas
Consultoria e Assessoramento Legislativo
Assessoramento
Legislativo
Agricultura
*
Comunicações e Tecnologia da Informação
*
Defesa Nacional, Segurança Pública e Relações Internacionais
*
Desporto e Cultura
*
Direito Civil, Processual Civil e Agrário
*
Direito Constitucional, Administrativo, Eleitoral e Processo Legislativo
1
Direito do Trabalho e Direito Previdenciário
*
Direito Econômico e Regulação, Direito Empresarial e do Consumidor
*
Direito Penal, Processual Penal e Penitenciário
1
Direito Tributário e Direito Financeiro
1
Direitos Humanos e Cidadania
*
Economia do Trabalho, Renda e Previdência
*
Economia Regional e Políticas de Desenvolvimento Urbano
*
Educação
1
Meio Ambiente
1
Minas e Energia
1
Política Econômica e Finanças Públicas
*
Política Econômica e Sistema Financeiro
*
Políticas Microeconômicas
*
Pronunciamentos
*
Saúde
1
Transportes
1
Consultoria e
Assessoramento em Orçamentos
Assessoramento em Orçamentos
-
1
Total de Vagas
9
* As vagas serão providas nos termos do art. 2º do Ato do Presidente 196, de 14 de novembro de 2011, atendendo, rigorosamente, a: I - ordem decrescente de classificação no concurso; II - existência de dotação orçamentária; e III - conveniência administrativa.
A remuneração inicial de todas as áreas/especialidades/subáreas é de R$ 23.826,57 (vinte e três mil, oitocentos e vinte e seis reais e cinquenta e sete centavos).
6 - DA PRIMEIRA ETAPA
6.1 DAS CONDIÇÕES GERAIS
6.1.1 Na primeira etapa serão aplicadas Provas Escritas Objetivas de Múltipla Escolha, de caráter eliminatório e classificatório, abrangem os conteúdos programáticos constantes do Anexo II deste edital, conforme o quadro a seguir:
PROVAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO
NÚMERO DE
QUESTÕES
PONTOS POR
QUESTÃO
MÍNIMO PARA
APROVAÇÃO NA ÁREA
P1
Língua Portuguesa
15 (quinze)
1 (um)
8 (oito) acertos
P2
Conhecimentos Gerais
10 (dez)
1 (um)
5 (cinco) acertos
P3
Direito Constitucional e Administrativo
10 (dez)
1 (um)
5 (cinco) acertos
P4
Administração e Políticas Públicas
5 (cinco)
1 (um)
2 (dois) acertos
P5
Raciocínio Lógico
6 (seis)
1 (um)
2 (dois) acertos
P6
Língua Inglesa
4 (quatro)
1 (um)
1 (um) acerto
P7
Conhecimentos Específicos
30 (trinta)
1 (um)
18 (dezoito) acertos
TOTAIS
80 (oitenta)
80 (oitenta)
 
8 - DA SEGUNDA ETAPA - DAS PROVAS ESCRITAS DISCURSIVAS
8.1 Na Segunda Etapa serão aplicadas Provas Escritas Discursivas para os candidatos aprovados nas Provas Escritas Objetivas de Múltipla Escolha, em cada área/especialidade e subárea (quando for o caso), classificados até a 20ª (vigésima) posição, respeitados os empates na última posição e a reserva de vagas para candidatos com deficiência.
8.1.1 As Provas Escritas Discursivas terão caráter eliminatório e classificatório, sendo compostas da seguinte forma:
QUADRO DE TEXTOS
MÍNIMO DE LINHAS
MÁXIMO DE LINHAS
TOTAL DE
PONTOS
T1
Dissertação
45 (quarenta e cinco)
60 (sessenta)
20 (vinte)
T2
Resumo
-
20 (vinte)
10 (dez)
T3
Tradução (inglês para português)
-
60 (sessenta)
5 (cinco)
T4
Tradução (espanhol para português)
-
60 (sessenta)
5 (cinco)
T5
Parecer (todas as subáreas, exceto subárea de Pronunciamentos)
70 (setenta)
90 (noventa)
20 (vinte)
Discurso (apenas para a subárea de Pronunciamentos)
T6
Questão dissertativa (todas as subáreas, exceto subárea de Pronunciamentos)
70 (setenta)
90 (noventa)
20 (vinte)
Discurso (apenas para a subárea de Pronunciamentos)
TOTAL DE PONTOS DA ETAPA
80 (oitenta)
8.8 Cada texto da prova discursiva será corrigido conforme critérios a seguir:
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO TEXTO 1
(A) ASPECTOS MACROESTRUTURAIS
PONTUAÇÃO
1 - Apresentação, legibilidade, margens e parágrafos
2,0
2 - Adequação ao tema e/ou à tipologia textual
2,0
3 - Estrutura textual (construção pertinente de introdução, desenvolvimento e conclusão)
4,0
4 - Pertinência e riqueza de argumentos/exemplos
4,0
5 - Relação lógica entre as ideias
4,0
6 - Objetividade, ordenação e clareza das ideias
4,0
TOTAL
20,0
(B) ASPECTOS MICROESTRUTURAIS
FÓRMULA DE PONTUAÇÃO
Indicação de um erro por cada ocorrência dos tipos a seguir:
NF = A - (10B/TL)
onde:
NF = Nota Final;
A = Soma dos aspectos macroestruturais; B = Quantidade de ocorrências dos erros;
TL = Total de linhas efetivamente escritas.
1 - Ortografia, acentuação e crase
2 - Inadequação vocabular
3 - Repetição ou omissão de palavras
4 - Falha de construção frasal ou falta de paralelismo
5 - Pontuação
6 - Emprego de conectores
7 - Concordância verbal ou nominal
8 - Regência verbal ou nominal
9 - Emprego e colocação de pronomes
10 - Vícios de linguagem, estruturas não recomendadas, emprego de maiúsculas e minúsculas, translineação.
Observações:
1. O candidato não pode obter nota ZERO no item 2 dos aspectos macroestruturais (A), sob pena de ter sua redação anulada.
2. A redação deverá ser composta usando-se obrigatoriamente entre 45 e 60 linhas.
3. Por linha efetivamente escrita entende-se a linha com no mínimo duas palavras completas, excetuando-se preposições, conjunções e artigos.
4. No caso de número de linhas efetivamente escritas menor que 45, será acrescida a B (quantidade de ocorrências dos erros)
quantidade igual à diferença 45-TL.
5. Será desconsiderado, para efeito de avaliação, qualquer fragmento de texto que for escrito fora do local apropriado e/ou que ultrapassar a extensão máxima de sessenta linhas.
6. Se NF < zero, então, considerar-se-á NF = zero.
7. Será eliminado do concurso público o candidato que obtiver NF < 10,00 pontos.
   
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO TEXTO 2
(A) ASPECTOS MACROESTRUTURAIS
PONTUAÇÃO
1 - Apresentação, legibilidade, margens e parágrafos
1,0
2 - Estrutura textual (construção pertinente de introdução, desenvolvimento e conclusão)
1,0
3 - Identificação da essencialidade do texto-base
2,0
4 - Encadeamento lógico entre as ideias
3,0
5 - Habilidade de síntese e redação
3,0
TOTAL
10,0
(B) ASPECTOS MICROESTRUTURAIS
FÓRMULA DE PONTUAÇÃO
Indicação de um erro por cada ocorrência dos tipos a seguir:
NF = A - (B/4)
onde:
NF = Nota Final;
A = Soma dos aspectos macroestruturais; B = Quantidade de ocorrências dos erros.
1 - Ortografia, acentuação e crase
2 - Inadequação vocabular
3 - Repetição ou omissão de palavras
4 - Falha de construção frasal ou falta de paralelismo
5 - Pontuação
6 - Emprego de conectores
7 - Concordância verbal ou nominal
8 - Regência verbal ou nominal
9 - Emprego e colocação de pronomes
10 - Vícios de linguagem, estruturas não recomendadas, emprego de maiúsculas e minúsculas, translineação.
Observações:
1. Será desconsiderado, para efeito de avaliação, qualquer fragmento de texto que for escrito fora do local apropriado e/ou q ue ultrapassar a extensão máxima de vinte linhas.
2. Se NF < zero, então, considerar-se-á NF = zero.
3. Será eliminado do concurso público o candidato que obtiver NF < 5,00 pontos.
   

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS TEXTOS 3 E 4
(A) TRADUÇÃO
FÓRMULA DE PONTUAÇÃO
Indicação de um erro por cada ocorrência dos tipos a seguir:
NF = 5,00 - [(2A+B)/10]
onde:
NF = Nota Final;
A = Soma das ocorrências de erros de tradução; B = Quantidade de ocorrências dos erros.
1 - Erro derivado de desconhecimento semântico
2 - Erro derivado de desconhecimento sintático
(B) ASPECTOS MICROESTRUTURAIS
Indicação de um erro por cada ocorrência dos tipos a seguir:
1 - Ortografia, acentuação e crase
2 - Inadequação vocabular
3 - Repetição ou omissão de palavras
4 - Falha de construção frasal ou falta de paralelismo
5 - Pontuação
6 - Emprego de conectores
7 - Concordância verbal ou nominal
8 - Regência verbal ou nominal
9 - Emprego e colocação de pronomes
10 - Vícios de linguagem, estruturas não recomendadas, emprego de maiúsculas e minúsculas, translineação.
Observações:
1. Será desconsiderado, para efeito de avaliação, qualquer fragmento de texto que for escrito fora do local apropriado e/ou que ultrapassar a extensão máxima de sessenta linhas.
2. Se NF < zero, então, considerar-se-á NF = zero.
3. Será eliminado do concurso público o candidato que obtiver NF (em Inglês) < 2,50 pontos.
4. Será eliminado do concurso público o candidato que obtiver NF (em Espanhol) = zero.
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS TEXTOS 5 E 6
(A) ASPECTOS MACROESTRUTURAIS
PONTUAÇÃO
1 - Apresentação, legibilidade, margens e parágrafos
2,0
2 - Adequação ao tema e/ou à tipologia textual
2,0
3 - Estrutura textual (construção pertinente de introdução, desenvolvimento e conclusão)
3,0
4 - Pertinência de conteúdo e abordagem
5,0
5 - Relação lógica entre as ideias
4,0
6 - Objetividade, ordenação e clareza das ideias
4,0
TOTAL
20,0
(B) ASPECTOS MICROESTRUTURAIS
FÓRMULA DE PONTUAÇÃO
Indicação de um erro por cada ocorrência dos tipos a seguir:
NF = A - (10B/TL)
onde:
NF = Nota Final;
A = Soma dos aspectos macroestruturais; B = Quantidade de ocorrências dos erros;
TL = Total de linhas efetivamente escritas.
1 - Ortografia, acentuação e crase
2 - Inadequação vocabular
3 - Repetição ou omissão de palavras
4 - Falha de construção frasal ou falta de paralelismo
5 - Pontuação
6 - Emprego de conectores
7 - Concordância verbal ou nominal
8 - Regência verbal ou nominal
9 - Emprego e colocação de pronomes
10 - Vícios de linguagem, estruturas não recomendadas, emprego de maiúsculas e minúsculas, translineação.
Observações:
1. O candidato não pode obter nota ZERO no item 2 dos aspectos macroestruturais (A), sob pena de ter sua redação anulada.
2. O texto deverá ser composto usando-se obrigatoriamente entre 70 e 90 linhas.
3. Por linha efetivamente escrita entende-se a linha com no mínimo duas palavras completas, excetuando-se preposições, conjunções e artigos.
4. No caso de número de linhas efetivamente escritas menor que 70, será acrescida a B (quantidade de ocorrências dos erros) quantidade igual à diferença 70-TL.
5. Será desconsiderado, para efeito de avaliação, qualquer fragmento de texto que for escrito fora do local apropriado e/ou q ue ultrapassar a extensão máxima de noventa linhas.
6. Se NF < zero, então, considerar-se-á NF = zero.
7. Será eliminado do concurso público o candidato que obtiver NF < 10,00 pontos.
   
9 - DA TERCEIRA ETAPA
9.1 A Terceira Etapa consistirá na Avaliação de Títulos, de caráter apenas classificatório, com valoração de até 8 (oito) pontos, ainda que a soma dos valores dos títulos apresentados seja superior a esse valor.
9.8 Cada título será considerado uma única vez.
9.9 Os títulos considerados neste concurso serão somente os certificados acadêmicos de conclusão de pós-graduação. Suas pontuações, o limite máximo por categoria e a forma de comprovação, são assim discriminados:
ALÍNEA
TÍTULOS AVALIADOS
COMPROVAÇÃO
PONTOS
POR TÍTULO
VALOR
MÁXIMO NA CATEGORIA
A
Curso de Doutoradoexclusivo na área específica* de atuação do cargo/área/especialidade e subárea (quando for o caso) pretendida
Fotocópias autenticadas dos Diplomas ou certificados expedidos por instituição oficialmente reconhecida pelo MEC ou Conselho Estadual ou Federal de Educação.
4 (quatro)
4 (quatro)
B
Curso de Mestradoexclusivo na área específica* de atuação do cargo/área/especialidade e subárea (quando for o caso) pretendida
Fotocópias autenticadas dos Diplomas ou certificados expedidos por instituição oficialmente reconhecida pelo MEC ou Conselho Estadual ou Federal de Educação.
2 (dois)
2 (dois)
C
Curso de Pós-Graduação exclusivo na área específica* de atuação do cargo/área/especialidade e subárea (quando for o caso) pretendida
Fotocópias autenticadas dos Diplomas ou Históricos Escolares ou certificados de curso de pós-graduação em nível de especialização lato sensu, com carga horária mínima de 360 (trezentas e sessenta) horas, expedido por instituição oficialmente reconhecida pelo MEC ou Conselho Estadual ou Federal de Educação.
1 (um)
2 (dois)
TOTAL MÁXIMO DE PONTOS
8 (oito)
*Considera-se área específica a Pós-graduação dentro da especialidade a que concorre.
ANEXO I DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES
CARGO: CONSULTOR LEGISLATIVO
ÁREA: CONSULTORIA E ASSESSORAMENTO LEGISLATIVO ESPECIALIDADE: ASSESSORAMENTO LEGISLATIVO
DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES PARA A ÁREA, ESPECIALIDADE E SUBÁREAS:Atividades de nível superior e especializado, de consultoria e assessoramento técnico à Comissão Diretora, à Mesa, às Comissões e aos senadores no desempenho, no âmbito do Congresso Nacional, das suas funções legislativa, parlamentar e fiscalizadora, consistindo na elaboração e divulgação de estudos técnicos opinativos sobre matérias de interesse institucional do Senado Federal e do Congresso Nacional, a preparação, por solicitação dos senadores, de minutas de proposições, de pronunciamentos e de relatórios e na prestação de esclarecimentos técnicos atinentes ao exercício das funções constitucionais do Senado Federal.
ANEXO II CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS
LÍNGUA PORTUGUESA
Leitura, compreensão e interpretação de textos. Estruturação do texto e dos parágrafos. Articulação do texto: pronomes e expressões referenciais, nexos, operadores sequenciais. Significação contextual de palavras e expressões. Equivalência e transformação de estruturas. Sintaxe: processos de coordenação e subordinação. Emprego de tempos e modos verbais. Pontuação. Estrutura e formação de palavras. Funções das classes de palavras. Flexão nominal e verbal. Pronomes: emprego, formas de tratamento e colocação. Concordância nominal e verbal. Regência nominal e verbal. Ocorrência de crase. Ortografia oficial. Acentuação gráfica. Redação Oficial: Manual de Redação da Presidência da República Manual de Elaboração de Textos do Senado Federal.
CONHECIMENTOS GERAIS
O Brasil e suas relações com o mundo contemporâneo: fundamentos históricos. Revolução Industrial, imperialismo e globalização. Sistema mundial de poder: Segunda Guerra Mundial, a bipolaridade e o cenário pós- guerra fria. A globalização e a nova ordem mundial. Conflitos étnico-religiosos. A questão do petróleo. A crise dos mercados de 2008. A noção de Europa e a crise econômica do século XXI. A questão ambiental: perspectiva histórica. A Era do Conhecimento: o século XX, a urbanização da sociedade e a cultura de massas. A modernização brasileira: implantação da República, revolução de 1930, industrialização, urbanização e a ruptura institucional de 1964. Brasil contemporâneo: o regime militar e a redemocratização. Inserção do Brasil no cenário mundial do século XXI. Domínio de tópicos relevantes e atuais de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável, segurança, artes e literatura.
DIREITO CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO
Conceitos de teoria do Estado. Princípios do Estado Democrático de Direito. Conceito de Constituição. Regras materialmente constitucionais e formalmente constitucionais. Poder constituinte originário e derivado. Controle de constitucionalidade. Controle judiciário difuso e concentrado. Ação declaratória de constitucionalidade e Ação direta de inconstitucionalidade. Constituição da República Federativa do Brasil: Princípios fundamentais e Direitos e Deveres individuais e coletivos. O habeas corpus. O mandado de segurança. O direito de petição. O mandado de injunção. A ação popular. A ação civil pública. O habeas data. Direitos sociais. Cidadania plena e participação político-social. Direitos Humanos: Direito à vida, à liberdade, à igualdade, dignidade humana e justiça. Nacionalidade. Direitos políticos. Organização político-administrativa. O federalismo no Brasil. Repartição de competências. Competências constitucionais: União, Estados, Distrito Federal e Municípios. Administração pública, disposições gerais e servidores públicos civis. Separação de poderes. Sistemas de governo. Processo legislativo. Administração Pública: conceito, estrutura legal dos Órgãos Públicos; natureza e fins da Administração; agentes da Administração. Princípios básicos da Administração: legalidade, moralidade, impessoalidade, finalidade, publicidade, eficiência. Poderes e deveres do administrador público. Poderes Administrativos: poder vinculado e poder discricionário, poder hierárquico, poder disciplinar, poder regulamentar, poder de polícia. Atos Administrativos: conceitos e requisitos; classificação; espécies; validade; formalidade; motivação; revogação. Anulação; modificação; extinção. Contratos Administrativos: Modalidades de contratos. Licitação (Lei 8.666, de 1993) - Finalidade, princípios e objeto da licitação. Servidores públicos: Classificação e Regime Jurídico (Lei 8.112, de 1990 e alterações). Controle da Administração: Espécies. Tribunal de Contas da União (TCU). Improbidade administrativa (Lei 8.429, de 1992).
ADMINISTRAÇÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS
História da administração Pública no Brasil. Reformas administrativas. Estrutura e funcionamento da administração pública. Aspectos sociais, econômicos e políticos que condicionam a administração pública. Papel dos gestores públicos no tratamento dos recursos financeiros, humanos e físicos. Uso de controles e indicadores de produtividade. Administração orçamentária. Controle interno e controle externo na administração pública: importância, finalidade, características. Responsabilidade Fiscal. Estado e Regulação. Políticas Públicas.
RACIOCÍNIO LÓGICO
Uso da linguagem natural. Formas de discurso. Falácias de ambiguidade. Proposições categóricas. Silogismos categóricos. Diagramas de Venn para teste de silogismos. Argumentos silogísticos nas linguagens naturais. Sofismas. Lógica proposicional. Linguagem da lógica proposicional. Dedução na lógica proposicional. Formas de enunciado, de raciocínio e de argumentos. Paradoxos da implicação. Lógica de 1ª ordem. Linguagem da lógica de 1a ordem. Dedução na lógica de 1ª ordem.
LÍNGUA INGLESA
Estratégias de leitura: compreensão geral do texto; reconhecimento de informações específicas; capacidade de análise e síntese; inferência e predição; reconhecimento do vocabulário mais frequente em textos não literários; palavras cognatas e falsos cognatos. Estratégias discursivas: tipo de texto; função e estrutura discursivas; marcadores de discurso; elementos de coesão. Aspectos gramaticais: uso de artigos definidos e indefinidos; conhecimento dos tempos e modos verbais; uso de preposições, conjunções, pronomes e modais; concordância nominal e verbal; formação e classe de palavras; relações de coordenação e subordinação; voz passiva, discurso direto e indireto.
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
Subárea: Comunicações e Tecnologia da Informação
1. Internet e Tecnologias de Informação. 1.1. Internet. 1.1.1. Estrutura de Governança global da Internet: Internet Corporation for Assigned Names and Numbers - ICANN, World Summit on the Information Society - WSIS, Internet Governance Forum - IGF, União Internacional de Telecomunicações - UIT. 1.1.2. Organização da Internet no Brasil. 1.1.2.1. Aspectos jurídicos: princípios de governança, classificação dos serviços, direitos e obrigações dos provedores e usuários. 1.1.2.2. Aspectos institucionais: Comitê Gestor da Internet no Brasil e órgãos auxiliares. 1.1.2.3. Políticas públicas propostas: o marco civil da Internet, fomento à inovação tecnológica. 1.1.3. Exploração. 1.1.3.1. Infraestrutura para provimento de acesso: cenário atual. 1.1.3.2. Estrutura do mercado. 1.1.3.3. Demanda. 1.1.3.4. Principais serviços e tecnologias. 1.1.3.5. Financiamento. 1.1.4. Temas Gerais. 1.1.4.1. Neutralidade de rede. 1.1.4.2. Comércio eletrônico. 1.1.4.3. Propriedade intelectual e Direito Autoral. 1.1.4.4. Segurança. 1.1.4.5. Tributação e o Sistema Público de Escrituração Digital. 1.1.4.6. Crimes. 1.1.4.7. Outsourcing. 1.1.4.8. Redes Sociais. 1.1.4.9. Política e Eleições. 1.2. Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). 1.2.1. A economia das funções estruturantes das TIC (armazenamento, processamento e transporte da informação). 1.2.2. Princípios de Governança de TI (custo de propriedade, desempenho, segurança, interoperabilidade, usabilidade, etc.). 1.2.3. Desenvolvimento e padronização: processo e fóruns nacionais de padronização e participação brasileira nos fóruns globais; principais obstáculos à inovação em TICs e os desafios da escala e do acesso ao mercado externo; a utilização do mercado interno de TIC nas negociações comerciais com outros países. 1.2.4. Tecnologias dominantes e principais tendências: cloud computing, IPTV, VoIP, SaaS, FTTx, certificação digital, e-gov, web 3.0, e-learning, mobile payment, Gestão Eletrônica de Documentos (GED), entre outras.
2. Comunicações. 2.1. As comunicações na ordem constitucional: radiodifusão, telecomunicações e mídia impressa. 2.2. Políticas de comunicações no Brasil: histórico e cenário atual. 2.3. Organização institucional. 2.3.1. Ministério das Comunicações. 2.3.2. Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL). 2.4. Ordenamento legal. 2.4.1. Lei 4.117, de 1962 (Código Brasileiro de Telecomunicações). 2.4.2. Lei 8.389, de 1991 (Lei do Conselho de Comunicação Social). 2.4.3. Lei 8.977, de 1995 (Lei de TV a Cabo). 2.4.4. Emenda Constitucional 8, de 1995. 2.4.5. Lei 9.472, de 1997 (Lei Geral das Telecomunicações). 2.4.6. Lei 9.612, de 1998 (Lei de Radiodifusão Comunitária). 2.4.7. Lei10.610, de 2002 (Lei da Participação do Capital Estrangeiro na Radiodifusão e na Mídia Impressa). 2.4.8. Lei 11.652, de 2008 (Lei da Empresa Brasil de Comunicação). 2.4.9. Lei 12.485, de 2011 (Lei do Serviço de Acesso Condicionado). 2.5. Ordenamento infralegal. 2.5.1. Decreto 5.820, de 2006 (TV Digital). 2.5.2. Decreto 6.654, de 2008 (Plano Geral de Outorgas). 2.5.3. Decreto 7.175, de 2010 (Plano Nacional de Banda Larga). 2.5.4. Decreto 7.512, de 2011 (Plano Geral de Metas para Universalização do Serviço Telefônico Fixo comutado prestado no Regime Público - PGMU). 2.5.5. Regulamentação específica dos serviços de radiodifusão e de telecomunicações. 2.6. Fundos Setoriais. 2.6.1. Organização e arrecadação dos fundos setoriais. 2.6.2. Ordenamento legal. 2.6.2.1. Lei 5.070, de 1966 (FISTEL). 2.6.2.2. Lei 9.998, de 2000 (FUST). 2.6.2.3. Lei 10.052, de 2000 (FUNTTEL). 2.7. Legislação comparada: Europa e Estados Unidos.
3. Audiovisual. 3.1. Políticas do audiovisual no Brasil: histórico e cenário atual. 3.2. Organização institucional. 3.2.1. Ministério da Cultura. 3.2.2. Agência Nacional do Cinema (ANCINE). 3.3. Ordenamento legal. 3.3.1. Medida Provisória 2.228-1, de 2001 (MP da Ancine). 3.3.2. Lei 11.437, de 2006 (Lei que altera a destinação da Condecine). 3.3.3. Lei 12.485, de 2011 (Lei do Serviço de Acesso Condicionado).
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016