Resumo Painel Telebrasil 2016

Os principais temas e ideias do Painel Telebrasil 2016:

Mundo
População mundial: 7,3 bilhões
Conectadas à Internet: 3,2 bilhões
No Brasil: > 105 milhões













How will cities provide the best quality of life? (Nokia)

  • 9.7 billion connected things will be used by smart cities by 2020
  • 75% of global population will be connected to ICT services by 2030
  • $1.6 trillion in eco impact per year due to city IoT applications in 2025.
  • Responsive, flexible technology that works for humanity is what makes a city “smart” and creates safer, more sustainable environments...
  • Smart applications improve people’s quality of life, engagement, bolster innovation and social and economic development, and make cities more attractive places to live, visit and do business.
  • Safe applications improve quality of life by preventing or minimizing the risks and impact of adverse events, including crime, accidents, pollution and natural disasters.
  • Sustainable applications reduce environmental impact (including energy consumption and carbon emissions) of municipal operations, local business activities and people’s everyday lives.


Migração de Serviços para Web
80% dos serviços públicos oferecidos em plataformas Web (EU) x 59% dos serviços públicos oferecidos em plataformas Web (BRASIL)
Mudança de Foco - Ameaças
Fraudes bancárias; Vazamento de Infor pessoais; Danos à imagem institucional;
Exposição de dados pessoais => Cyber Espionagem; Cyber Sabotagem; Cyber Terrorismo;
Roubo Info Industriais; Comprometimento das Infor Estrtg de Governo; Comprometimento dos dados do cidadão



Brasil

Mais da metade (56,1%) da população vive em 304 municípios

  • 5.570 municípios - alta concentração em grandes centros urbanos.
  • 41 municípios com mais de 500 mil habitantes = 29,9% da população do Brasil (61,2 milhões)
  • Mais da metade da população (56,0% ou 114,6 milhões) vive em apenas 5,5% dos municípios (304 municípios), que são aqueles com mais de 100 mil habitantes.
  • Apenas 6,3% da população (1,4 milhão) residem em 2.451 municípios brasileiros (44,0% dos municípios) com até 10.000 habitantes.

CIDADES INTELIGENTES
Desafio

  • Não existe regra!!
  • Contratos com concessionários
  • PPP’s (Parcerias Público-Privada)
  • Contratos com a prefeitura.
  • Investimentos previstos - bilhões de dolares - 2015 = U$575 ---- 2020 U$1240 (HUAWEI)
  • Impacto Econômico +20$ em investimentos TIC gera +1 GCI score que equivale a 1,4%~1,9% PIB (Huaweei GCI report)


SEGURANÇA PÚBLICA no Brasil

•Custo da violência no Brasil: 5.4% do PIB (aprox. R$ 28.8 bi , ano 2014)
•59.627 homicídios no Brasil (Minist Saúde, ano 2014).
•Total de homicídos no mundo: 437 mil (Banco Mundial)
•Iniciativas de integração de informações entre Polícia Civil e Militar , além do fortalecimento do trabalho de inteligência policial e Polícia Científica tem se mostrado eficientes na redução de crimes.
Fonte: IBGE 2004-2014

Expansão e Revolução das TICs (IoT, Big Data, Cloud)
Equilíbrio: urgência x praticidade x segurança.
Derrocada do mito da auto-regulação.
Necessidade de macro-coordenação - iniciativas dispersas em Seg Infor (Política Nacional de Segurança da Informação);
Normativos de Segurança da Informação exarados pelo GSI;
Desconhecimento quanto às competências do GSI;
Contratação de serviços nas áreas de Big Data e Cloud Computing;
Salvaguarda de dados biométricos sem governabilidade pública;
Aumento do crime cibernético como serviço; e
 Aumento do número de ataques cibernéticos

Soluções:
Reporte de incidente Multicanais , despacho unificado, comando visual, colaboração entre agências.
a) Videovigilância Inteligente + Comunicação de Emergência + Centro de Controle Convergente+Big Data Policial
b) Convergência + Mobilidade + Video Cloud + Big Data


O que é IoT?

Interação entre tudo e todos, provendo serviços avançados por meio de comunicação “inteligente”, permitindo o processamento das informações trafegadas para a atuação, autônoma ou não, com foco no aumento da eficiência produtiva e melhoria da qualidade de vida.

Impactos Econômicos de IoT no Brasil
•O estudo da Tendências mostra que o efeito da expansão da IoT sobre a Produtividade Total dos Fatores (PTF) deve assemelhar-se ao das tecnologias da informação e comunicação. Estima que:
–IoT gere um crescimento da produtividade de cerca de 2% ao longo da próxima década, podendo adicionar cerca de R$ 122 bilhões ao PIB brasileiro até 2025.
–Serão criados entre 1,9 milhões e 2,6 milhões novos postos de trabalho diretos, indiretos ou emprego efeito-renda até 2025.
•O estudo da Tendências mostra que a difusão da IoT e o seu impacto positivo sobre a economia brasileira dependem de diversos fatores, dentre os quais se destacam a tecnologia de comunicações, infraestrutura e recursos humanos.
•Foram identificados alguns eixos de políticas que podem ser implantadas para acelerar (ou mesmo permitir) o desenvolvimento da IoT no Brasil:
–Reduzir o custo dos insumos físicos utilizados na implantação da IoT.
–Desenvolver os recursos humanos capazes de conceber e operacionalizar as soluções de IoT.

Impacto da sociedade ultraeficientes e colaborativas, com custo marginal próximo à zero
•Energia: Geração distribuída, matriz produtiva descentralizada
•Transporte: veículos autônomos
•Robótica, Impressora 3D e TI: produção ultraeficiente, desemprego tecnológico crescente
•Plataformas on-line de treinamento e formação
•Baixas barreiras de entrada à inovação em PMEs



Fatos Relevantes:
1) Lançamento da AIOTI, na União Europeia (2015)
2) Digital Act , é Lançado no Senado Americano para tratar de inovação para IoT (2016)
3) Proposta de Plano Nacional de IoT para Consulta Pública(2016)
4) Manufacturing 4.0 (Alemanha)



Possível Barreira:
Anexo: Fistel para IoT
•Taxas pagas por terminais móveis em aplicações M2M
–Taxa Fiscalização de Instalação (TFI): R$ 5,68
–Taxa de Fiscalização de Funcionamento (TFF) paga anualmente: R$ 1,89
•Receita média mensal por terminal M2M (ARPU): R$ 3,40
•No 1º ano, mais de 2 meses da receita de um terminal M2M é utilizada para pagar o Fistel.
•Apenas 3 países no mundo cobram taxa semelhante para IoT.

Já uma Cidade Inteligente... Pode ser vista por diferentes prismas:
- Arquitetura e Urbanismo;
- Soluções criativas; e
- Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação.

Definição
“Uma cidade que conecta a infraestrutura física, a infraestrutura de TI, a infraestrutura social e a infraestrutura de negócios para alavancar a inteligência coletiva da cidade” (Harrison et al., 2010)

ESTACIONAMENTO INTELIGENTE
• Guia residentes e turistas para a vaga disponível
• Ajuda o tráfego a fluir
• Reduz a emissão de CO2

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL (starvai.com.br)
• Controla acessos
• Temperatura automática
• Iluminação econômica
• Som ambiente
• Detecta incêndios e vazamentos

COLETA DE LIXO
• Rotas dinâmicas baseadas no trânsito e nos resíduos das lixeiras
• Reduz custo para as empresas de reciclagem

MEDIDOR INTELIGENTE
• Reduz perdas técnicas e não técnicas
• Transparência no consumo
• Oferece dicas para reduzir a conta de energia elétrica, água, esgoto e gás

SEGURANÇA PÚBLICA
• Facilita a investigação policial
• Ferramenta para combater a violência e o terror
• Reduz custos

CARRO AUTÔNOMO
• Cumpre a legislação de trânsito
• Libera o motorista para trabalhar, estudar, conversar...
• Reduz o estresse

Devemos ir além do conforto! IoT pode e deve ser utilizada para atingir os Objetivos do Milênio.



PERDA E DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS NO BRASIL
• Sensores podem monitorar toda a cadeia de produção, do plantio à entrega de alimentos, coletando informações sobre carga, temperatura, trânsito e manuseio

SISTEMA DE SAÚDE
• Monitoramento de pacientes + telemedicina
• Redução de filas
• IoT pode adicionar mais 28,4 milhões de pacientes no SUS até 2017
• Redução de até US$ 14 bilhões nos custos de atendimento

DESPERDÍCIO DE ÁGUA NO BRASIL
• Sensores podem monitorar o abastecimento da rede de saneamento básico, evitando perdas
• A melhoria das redes de abastecimento ajuda a combater a fome, a sede e as doenças

Potencial global IoT deve movimentar entre US$ 4 e US$ 11 trilhões até 2025. Os principais mercados são a manufatura e as cidades inteligentes.

Desafio para a implementação das aplicações nas Cidades Inteligentes
• Implementação da Infraestrutura de comunicação e sensores necessária prevendo sua escabilidade;
• Interoperabilidade dos diversos sensores e atuadores;
• Regulamentação das questões relativas a privacidade de dados pessoais;
• Definição de padrões de segurança cibernética;
• Modelos de Negócios sustentáveis (custos da infraestrutura ≤ benefícios sociais/financeiros).

O GOVERNO FEDERAL CRIOU EM 2014 A CÂMARA IoT PARA ACOMPANHAR, SUBSIDIAR E PROMOVER A COMUNICAÇÃO M2M NO BRASIL
Composição: Governo Indústria Operadoras de telecomunicações Universidades e centros de pesquisa Desenvolvedores de aplicações Prefeituras municipais; Presidência Secretário de Política de Informática Suporte Técnico Dpto. de Indústria, Ciência e Tecnologia;

Próximos Passos da Câmara IoT: 
Validação da Consulta Pública perante os membros da Câmara IoT;
-Assinatura do Termo de Cooperaçaõ técnica entre o MCTIC e o BNDES, referente ao estudo de IoT a ser contratado pelo banco;
Lancamento da Consulta Pública.
- Análise das Contribuições da Consulta Pública para formulação do Plano Nacional de IoT.

Projeto IoT no Brasil


A) Infraestrutura (Ambiente Regulatório)

  • Conflitos entre esferas federativas
  • Instabilidade regulatória
  • Barreiras para novos investimentos
  • A alta carga tributária


B)Demanda - Dados
“Até 2020, o Brasil deverá registrar um aumento de sete vezes no tráfego de dados móveis, com uma taxa de crescimento anual composta de 45%”. Giuseppe Marrara Cisco

  • Infraestrutura requer muito investimento
  • Infraestrutura requer apetite para riscos
  • Infraestrutura requer ambiente regulatório estável
  • Infraestrutura requer processos objetivos e ágeis
  • Infraestrutura requer “pay back” longo


O Brasil precisa, no mínimo, duplicar sua infraestrutura de torres! (será?)

Mitos e Preconceitos

  • Celular provoca câncer
  • Qualidade só depende de boa vontade
  • Infraestrutura cai do céu
  • Impedindo o desenvolvimento, se protege a população
  • O efeito negativo da RF se manifesta via aquecimento
  • Níveis de radiação ANATEL << OMS
  • Níveis de radiação real << ANATEL
  • A radiação não cai como a chuva, mas se propaga na horizontal
  • O local mais protegido de radiações é debaixo das torres


Qualidade:

  • Cobertura, acesso, velocidade e capacidade dependem da densificação das ERBs
  • Densificação das ERBs depende da densificação das Torres
  • Densificação das Torres depende de investimento
  • Investimento depende da possibilidade de licenciamento
  • Licenciamento depende de arcabouço regulatório
  • Arcabouço regulatório depende da legislação municipal
  • Legislação municipal depende de visão e boa vontade
  • Infraestrutura requer muito investimento
  • Infraestrutura requer apetite para riscos
  • Infraestrutura requer ambiente regulatório estável
  • Infraestrutura requer processos objetivos e ágeis
  • Infraestrutura requer “pay back” longo

“Não há nenhuma ideia inteligente que possa ganhar aceitação geral sem ser misturada antes com um pouco de estupidez” (Fernando Pessoa)
“As sociedades não se opõem às ideias porque sejam novas, mas porque percebem uma perda” (Calestous Juma da Havard)


Estratégia E-saúde:
Informatização é prioridade - PRIORIDADE DE GESTÃO Integrar o controle das ações, permitindo o melhor atendimento ao cidadão, a correta aplicação dos recursos públicos e o fornecimento de dados para o planejamento do setor;

Problemas decorrentes do modelo
Não conseguimos responder com precisão as questões mais básicas sobre o processo de atenção à saúde da população brasileira.
◆Número de internações.
◆Quantidade de atendimentos ambulatoriais.
◆Quantidade de pessoas atendidas.
◆Fluxo das pessoas da rede assistencial.
◆Diagnósticos mais frequentes. Ou a informação é parcial ou está enviesada pelos instrumentos de registro.

Estratégia eSUS: Contexto e Oportunidades
Transformação no SUS Informações – inclusive clínicas – produzidas e compartilhadas, em tempo real, em toda rede de atenção em saúde.
•Coleta da informação no momento do cuidado
•Racionalização: redução de redundâncias, ineficiências diversas e fragmentações.
•Informações clínicas compartilhadas na rede assistencial.
•Cidadão engajado na construção de sua saúde e qualidade de vida
•Gestão com decisões informadas

Como Avançar:

  • Maximizar o compartilhamento de infraestrutura existente e futura
  • Fomentar a criação de um arcabouço legal ágil e pouco burocrático
  • Incentivar a uniformização dos procedimentos
  • Promover uma regularização do legado (Torres adquiridas das Operadoras) junto à administração pública
  • Viabilizar investimentos e novas construções
  • Incentivar o cumprimento das normas de edificação municipais, num ambiente de equilíbrio
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016