Atualidades - 24 de abril de 2017


Não esqueça que quem faz as coisas fluírem bem é você ao pensar positivamente.



O Globo
Manchete: Macron já tem apoio de ex-rivais contra Le Pen
Previdência: governo não cede a servidor
Com taxa Selic menor, poupança volta a ser opção (Pág. 18)
Suplentes de alvos da Lava-Jato também têm pendências judiciais (Pág. 3)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: Centro e extrema direita disputam 2º turno na França
Rombo dos fundos de pensão supera R$ 70 bilhões
Governo avisa que não vai mais ceder na Previdência
Taxa de adesão a Temer cai na Câmara
Metade não declarou IR; prazo vai até sexta (Economia / Págs. B8 e B9)
Notas & Informações - Reformas, contas e vida real 
A corrupção só atingiu o nível atual em razão da expansão estatal promovida por Lula. (PÁG. A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete : Macron e Le Pen vão ao segundo turno na França
Parlamentares miram perdão de suas dívidas em novo Refis
Bolsonaro utiliza cota de deputado em pré-campanha
Oferta de terapias alternativas no SUS ainda é baixa
Entenda o novo sistema que vai unificar RG, CPF e título de eleitor (Cotidiano B3)
Endividado pode antecipar a sua restituição de IR
Editoriais - Leia “Santíssima Trindade”, sobre pacto de líderes políticos, e “Horror pernambucano”, acerca de escalada de assassinatos e violência no Estado. (Opinião a2)
------------------------------------------------------------------------------------
24 de abril de 2017
O Globo

Manchete: Macron já tem apoio de ex-rivais contra Le Pen
Centrista e líder da extrema-direita vão disputar o segundo turno na França

Pela primeira vez, não haverá nem um socialista nem um conservador na rodada final do pleito presidencial; pesquisas indicam ampla vantagem de ex-ministro

Num resultado histórico, que pela primeira vez deixou de fora os dois tradicionais partidos de direita e esquerda há décadas se alternando no comando do país, o centrista Emmanuel Macron e a líder da extrema-direita, Marine Le Pen, venceram ontem uma acirrada disputa nas urnas e vão se enfrentar no segundo turno das eleições presidenciais francesas, em 7 de maio. Logo após a confirmação da derrota, o socialista Benoît Hamon e o conservador François Fillon declararam apoio a Macron. “O extremismo só pode trazer desgraça e divisão”, justificou Fillon. Macron disse querer ser o presidente contra a “ameaça dos nacionalistas”, enquanto Le Pen quer “libertar o país das elites arrogantes”. Líderes da UE celebraram o êxito do ex-ministro, que em pesquisas divulgadas ontem tinha 64% de intenções de voto no segundo turno. (Ppágs. 20 e 21 )
Previdência: governo não cede a servidor
Em meio à pressão para flexibilizar as regras para servidores públicos, Michel Temer convocou líderes da base para uma reunião com o relator da reforma da Previdência e o ministros Henrique Meirelles e Moreira Franco, para dar um basta a novas concessões. Moreira Franco alertou que a reforma é necessária “para evitar que a União se transforme em um Rio de Janeiro”. (Pág. 15)
Com taxa Selic menor, poupança volta a ser opção (Pág. 18)

Suplentes de alvos da Lava-Jato também têm pendências judiciais (Pág. 3)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Centro e extrema direita disputam 2º turno na França
Emmanuel Macron sai na frente de Marine Le Pen e se torna favorito para ocupar o Palácio do Eliseu

“ Lúcia Guimarães Berkeley está pegando fogo e não é para defender a liberdade de expressão. CADERNO2 / PÁG. C6 Ou nós continuamos nessa via ou vocês escolherão a França com fronteiras que protegem nossa identidade” MARINE LE PEN, CANDIDATA DA FRENTE NACIONAL Esta publicação é impressa em papel certificado FSC® garantia de manejo florestal responsável, pela S. A. O Estado de S. Paulo Centro e extrema direita disputam 2º turno na França Emmanuel Macron sai na frente de Marine Le Pen e se torna favorito para ocupar o Palácio do Eliseu DENISE ANDRADE/ESTADÃO Oex-ministro da Economia Emmanuel Macron, do recémcriado movimento En Marche! (social-liberal), venceu ontem o primeiro turno das eleições presidenciais na França, com 23,86% dos votos apurados, relata Andrei Netto. Considerada favorita em grande parte da campanha, a eurodeputada Marine Le Pen, da Frente Nacional (extrema direita), ficou em segundo. Ambos disputarão o segundo turno em 7 de maio. Em uma atmosfera de vitória por antecipação, Macron, que até três anos atrás era desconhecido do grande público, iniciou a nova etapa da campanha com discurso a militantes em Paris. Na cidade de Hénin Beaumont, Le Pen mostrou-se abatida pelo resultado. Tão logo as primeiras projeções foram divulgadas, teve início uma onda de manifestações de apoio a Macron. Pesquisa do instituto Ipsos apresentou as intenções de voto para o segundo turno: Emmanuel Macron teria 62% dos votos e Marine Le Pen, 38%. (INTERNACIONAL / PÁGS. A7 e A8)
Rombo dos fundos de pensão supera R$ 70 bilhões
Os fundos de pensão fecharam 2016 com rombo de R$ 70,6 bilhões, segundo a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc). O déficit subiu 700% em quatro anos e atingiu seu ápice em 2015, quando somou R$ 77,8 bilhões. O quadro preocupa autoridades e participantes – são 7,2 milhões de associados. Dez planos concentram 88% do buraco de todo o sistema. Dos maiores, só a Previ (dos funcionários do BB) divulgou seu balanço de 2016, com superávit. (ECONOMIA / PÁG. B4)
Governo avisa que não vai mais ceder na Previdência
O presidente Michel Temer avisou a ministros e líderes do governo, em reunião no Palácio do Jaburu, que não há mais espaço para ceder a pedidos de categorias que insistem em ter benefícios mantidos na reforma da Previdência. “Não há espaço para concessão”, disse o líder do governo, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB). Temer quer “empenho máximo” dos ministros e líderes no convencimento de suas bancadas para aprovar a proposta, sem novos atrasos. (ECONOMIA / PÁG. B6)
Taxa de adesão a Temer cai na Câmara
A taxa média de fidelidade de deputados federais às orientações do governo Michel Temer caiu para 79% em abril, segundo dados do Basômetro, ferramenta do Estadão Dados. Em julho do ano passado, a média de apoio foi de 91% – o maior índice já registrado desde 2003. (POLÍTICA / PÁG. A4)
Metade não declarou IR; prazo vai até sexta (Economia / Págs. B8 e B9)

Cida Damasco
Tudo indica que as mudanças ainda são insuficientes para sensibilizar os contrários à reforma. (ECONOMIA / PÁG. B6)
Notas & Informações 
Reformas, contas e vida real

O desafio da Previdência e das finanças públicas é muito mais que um problema de formalidade contábil. Não se trata apenas de fechar as contas aritmeticamente. (PÁG. A3)

A decepção dos ingênuos

A corrupção só atingiu o nível atual em razão da expansão estatal promovida por Lula. (PÁG. A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : Macron e Le Pen vão ao segundo turno na França
Votação final será dia 7/5; resultado é revés histórico para siglas tradicionais

O centrista independente Emmanuel Macron e a direitista Marine Le Pen venceram o primeiro turno das eleições na França, classificando- se para o embate final em 7 de maio, relata o enviado Diogo Bercito. Saíram derrotados os tradicionais Partido Socialista, hoje no governo, e Republicanos (centro-direita), do ex-presidente Nicolas Sarkozy. É a primeira vez na história moderna da França que as principais siglas não chegam ao segundo turno. (Mundo A10)
Parlamentares miram perdão de suas dívidas em novo Refis
Deputados e senadores que devem R$ 3 bilhões em tributos tentam se beneficiar com o perdão dos débitos em medida provisória que institui novo parcelamento. O projeto é relatado por Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG), cujas empresas devem R$ 67,8 milhões. Os envolvidos negaram conflito de interesse. (Mercado a18)
Bolsonaro utiliza cota de deputado em pré-campanha
O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) tem usado a cota parlamentar para custear viagens em que se apresenta como pré-candidato à Presidência em 2018. Pelas regras da Câmara, a verba não pode bancar gastos de caráter eleitoral. O deputado nega estar em campanha. (Poder a9)
Oferta de terapias alternativas no SUS ainda é baixa
Em oito anos, os atendimentos via SUS de terapias alternativas e complementares, como ioga, acupuntura e meditação, cresceram 670%, chegando a 2,1 milhões em 2016. Só 30% dos municípios, porém, oferecem os serviços. (Cotidiano b1)
Entenda o novo sistema que vai unificar RG, CPF e título de eleitor (Cotidiano B3)

Endividado pode antecipar a sua restituição de IR
Para evitar dívidas com juros altos, o contribuinte pode antecipar a restituição do Imposto de Renda à metade do custo do cheque especial. A modalidade só é possível por meio do banco informado na declaração e no valor a ser restituído. (Folhainvest a15)
Editoriais
Leia “Santíssima Trindade”, sobre pacto de líderes políticos, e “Horror pernambucano”, acerca de escalada de assassinatos e violência no Estado. (Opinião a2)
------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Plural de substantivos compostos

Atualidades - 15 de agosto de 2016